História AMOR PROIBIDO - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 2.542
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Orange, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa é a Larissa

Capítulo 5 - De volta a rotina


Fanfic / Fanfiction AMOR PROIBIDO - Capítulo 5 - De volta a rotina

Acordei e senti falta dela novamente ao meu lado, abri os olhos e ela não estava no quarto, olhei em volta e na poltrona estava minha mochila, meu tênis e umas roupas, levantei e vi que tinha um bilhete no criado mudo, pequei e abri

" Toma banho, se troca e vem aqui em baixo tomar café comigo...

                                       Bruna" 

Sorri e fui em direção ao banheiro, tomei um banho rápido e coloquei as roupas que eram uma calça jeans escura, uma blusa dela azul escuro com um desenho de um raio na frente que ficava mais ou menos na altura da minha bunda, meu tênis e peguei minha bolsa.

Desci as escadas e fui para a cozinha, ela estava em pé recostada no balcão mexendo no celular vestindo uma calça jeans preta, uma camisa branca e preta, um vans preto, algumas pulseiras de cor neutra, um relógio que deve custar minha casa inteira, alguns anéis, um colar longo que tinha um pingente pequeno de alguma banda e os óculos escuros em cima da cabeça com os cabelos loiros levemente bagunçados, quando ela me viu, abriu um sorriso que fez as borboletas no meu estômago darem sinal de vida, ela veio até mim, colocou seus braços em volta da minha cintura e me beijou, meus braços foram altomaticamente para a nuca dela, só paramos o beijo quando eu fiquei sem ar

- vamos comer?

Afirmei com a cabeça, sentei na mesa com ela e começamos a comer, comecei a olhar para ela que estava comendo e mexendo no celular, olhei para os braços dela e tentei contar suas tatuagens mas não consegui, resolvi perguntar

- quantas tatuagens você tem?

Eoa olhou para os braços e depois para mim com um sorriso divertido

- acredita que eu não sei!

Dei risada

- como assim você não sabe quantas tatuagens tem no seu corpo?

- eu não sei, parei de contar na décima

- qual é a sua preferida?

- não tenho nenhuma preferida, gosto de todas

Sorri e voltei a comer, ela soltou o celular e ficou me encarando, olhei para ela e disse

- tira uma foto que dura mais

Ela deu risada

- não preciso, eu ja tenho muitas

Semiserei os olhos na direção dela

- como assim?

- quando você tava dormindo ontem eu tirei algumas fotos e hoje de manhã também

- não acredito que você fez isso

- pode acreditar

- que horas são?

Ela olhou no celular e depois me olhou

- melhor a gente ir logo para a escola se não vamos nos atrasar

Levantei e fui atrás dela, ela saiu e eu comprovei o que eu imaginava, ela morava em um condomínio fechado de luxo, ela foi andando até a garagem e abriu a porta, fiquei de boca aberta com o que vi, lá dentro tinha 7 carros sendo 4 esportivos mas os outros 2 que restaram eram bem luxuosos, o único que era normal de se ver andando por aí na rua era o city cinza, ela me olhou, deu um sorriso e falou

- fecha a boca se não entra mosca - e foi em direção ao city, fui atrás e sentei no banco do carona, ela saiu da garagem e estava dirigindo em uma estrada quando ela olhou para mim pela milésima vez e prendeu o riso

- tem alguma coisa com minha cara?!

- com a cara não mas o pescoço...

Ela apontou para meu pescoço e deu risada, fiquei com uma cara confusa mas arregalei os olhos quando lembrei que estava cheio de chupões, peguei minha bolsinha de maquiagem dentro da mochila e comecei o trabalho para esconder as marcas, enquanto eu me maquiava, ela não sabia se olhava para mim ou para a rua, terminei de me maquiar bem rápido e fiquei encarando ela, quando paramos em um sinal vermelho, roubei um beijo e ela ficou dirigindo com uma mão e como  a outra acariciando minha coxa

- por que você tem tantos carros?

- gosto de carros, principalmente esportivos

- eu percebi

- mas normalmente vou trabalhar só com esse mesmo

- você deve ficar muito sexy dirigindo um daqueles carros

Ela olhou para mim com um sorriso malicioso

- eu juro que se não estivermos indo para a escola, eu parava em algum lugar por aqui e de foderia até não poder mais

Olhei para ela com um sorriso levemente sapeca, fiz a voz mais sexy que eu conseguia

- e por que não faz isso?

- menina, você ainda acaba com minha sanidade algum dia desses

Sorri e tive uma ideia, coloquei a mão na coxa dela e fui subindo com dois dedos até a parte da coxa interna dela, olhei para cima e vi que ela estava apertando o volante com força, subi até o botão da calça e tentei desabotoar, eu estava quase conseguindo quando ela deu um tapa na minha mão 

- pode ir parando que eu tenho que ir para a escola trabalhar!

Dei uma gargalhada e voltei para meu lugar, ela continuou acariciando minha coxa até que ela parou o carro um pouco antes do portão da escola, peguei minha bolsa no banco de trás, abri a porta e eu estava quase saindo quando percebi que ela não iria sair, olhei para ela e perguntei

- não vai vim não?

- não, vou colocar o carro no estacionamento da escola

- então...

Entrei, fechei a porta atrás de mim, subi no colo dela, segurei seu rosto com as minhas duas mãos e a beijei, suas mãos que antes estavam na minha citura, desceram para a minha bunda onde ela apertou e eu arfei, terminamos o beijo com vários selinhos, encostei minha testa na dela, fechei os olhos e susurrei

- te vejo na segunda aula hoje

Ela me deu um selinho

- ok, te vejo na segunda aula hoje

Ela abriu a porta do motorista e eu desci, eu já estava meio atrasada então eu corri para minha sala mas quando cheguei lá, só tinha as mochilas dos alunos, fui para meu lugar, coloquei minha mochila em cima da minha mesa e quando eu estava saindo da sala, vi a larissa vindo na minha direção, ela me abraçou e me puxou de volta para a sala, sentamos nos nossos lugares e ela falou

- me conta agora com quem você passou todo esse tempo!

- credo, Oi para você também Larissa

- fala logo que eu tô curiosa

- cadê o povo da sala?

- na sala de tv assistindo um filme sobre tribos indígenas do Brasil, agora fala logo quem era!

- tá bom, se eu contar, promete não gritar? - ela afirmou com a cabeça - promete não fazer escândalo? - ela afirmou novamente, fechei os olhos, respirei fundo e contei - foi com a Bruna!

Ela fez cara de quem não entendeu mas aí ela arregalou os olhos e como locou a mão tampando a boca

- a Bruna que você tá falando, é por acaso nossa professora?

Afirmei com a cabeça

- eu não acredito que você transou com a nossa professora super gostosa de educação física, vocês estavam na casa dela?

- eu fiquei lá desde que saímos do parque aquele dia que eu contei para você até agora pouco que ela me trouxe até a porta da escola

Ela estava literalmente de boca aberta

- eu tô passada, quando penso que você já fez de tudo, me aparece com essa, agora me fala desde o começo quando você saiu da escola com ela, quero em detalhes!

Aí eu contei tudo, desde o beijo no parque até o beijo que eu dei nela antes de vir para a escola, mostrei as fotos que tiramos e contei para ela sobre a fortuna que a Bruna tem, que fez a Lari quase se virar do avesso de tanta fofoca de uma vez só

- eu não acredito que ela é rica!

- na verdade milionária

- e o que voce pensa em relação ao dinheiro que ela tem?

- na verdade, se ela tem dinheiro ou não, não faz a mínima diferença, eu não quero ela pelo dinheiro, quero ela pela pessoa maravilhosa que ela é!

- olha ela, toda apaixonada

Fiquei vermelha 

- acho que é isso mesmo, eu tô apaixonada pela minha professora 

Nessa hora entrou um menino na sala, ela era muito bonito, lembrei que o nome dele era Ryan, ele colocou a mão não minha mesa e falou

- oi biely

- Oi Ryan

- posso falar com você?

- fala

Ele olhou para a Larissa e depois para mim denovo

- em particular

A Larissa levantou e saiu da sala, ele sentou no lugar dela e respirou fundo

- eu quero ficar com você

- não quero, obrigado pela oportunidade mas essa eu vou passar

Ele pareceu surpreso com minha resposta

- como assim não quer?

- não quero e pronto

Dei de ombros

- eu posso te dar um tempo para pensar

Ele levantou estava prestes a ir embora quando eu falei

- eu não quero um tempo para pensar em merda nenhuma, eu não vou ficar com você!

Ele me olhou nos olhos e bateu com força na mesa me assustei e levantei, tive que inclinar um pouco a cabeça para olhar no rosto dele, eu odeio ser menor que meia população mundial

- ninguém nunca se recusou a ficar comigo!

- pois aprenda a ouvir um não, por que é essa resposta que você vai ter toda vez que vier falar comigo!

- eu não vou desistir de você!

- foda-se! Eu não quero nada com você, tá difícil de entender!

Ele pegou meu braço e apertou, nessa hora a Bruna entriu na sala com a Larissa atrás dela, ela empurrou o Ryan que caiu no chão e bateu em uma cadeira, ela olhou para mim e pegou meu braço para analisar

- você tá bem?

Afirmei com a cabeça

- eu vou dar um cacete nesse desgraçado

Ela tentou ir para cima dele mas eu segurei na cintura dela e falei perto do seu ouvido

- não vela a pena, eu tô bem

Ela parou e se acalmou, o Ryan estava Jé de pé olhando para a Bruna, quando ela se acalmou, soltei a cintura dela que parou bem na frente do menino

- que porra foi essa Ryan?!

- nada não professora, eu só tava conversando com a biely

- já terminou de conversar agora sai daqui e vai para sua sala

Ele saiu mais rápido que uma bala da minha sala, a Bruna me abraçou apertado, retribuia o abraço

- você tá bem mesmo?

- tô bem 

A Larissa parou do lado da Bruna que me soltou

- o que ele queria?

- nada não Lari, só encher meu saco mesmo

- eu ouvi ele gritando aqui dentro e chamei a professora

- obrigada 

Nessa hora os alunos começaram a entrar na sala e sentar nos lugares sem parar de falar, a Bruna foi para frente da sala, apoiou uma perna na parede, cruzou os braços e assoviou tão alto que eu achei que ela tinha engolido um apito, ri do meu pensamento, todos da sala ficaram quietos na hora, ela sentou na mesa dos professores e ficou balançando as pernas

- todo mundo aqui já sabe que a quadra ta em reforma e vocês sabem que não vai acabar tão cedo

Uma menina da minha sala ( que particularmente  não gosta de mim  chamada Karine ) gritou dando um tapa no braço de um retardado da minha sala

- o professora, eu vou bater no Richard se ele não calar a boca!

- vem então para você ver o que é bom pra tosse!

- não encosto a mão em lixo!

A Bruna fez uma cara de tédio, assoviou mais uma vez e disse

- para de briguinha sem graça, se for pra usar meu tempo, arregaça ele na porrada, tira sangue, sei lá, só faz alguma coisa divertida - todos da sala riram - agora cala a boca que eu não terminei de falar, ja que a quadra não da pra usar, e o Renato ( diretor da escola ) para a desgraça de vocês não quer que vocês fiquem sem fazer porra nenhuma, ele liberou uma sala que está desativada para as aulas de educação física

A Larissa levantou a mão e falou

- mas que merda a gente vai fazer na sala desativada?

A Bruna olhou para a Larissa e disse

- o emoção! Deixa eu terminar de falar, ele liberou a sala e lá nós vamos basicamente jogar ping-pong e pebolim o ano todo

Uma menina levantou a mão

- quem não for jogar nenhum e nem outro, pode mexer no celular?

- Pode, mas a responsabilidade não é minha se alguém aparecer e tomar  seu celular, e música só com fone

ela pulou de cima da mesa e parou encostada na porta

- nós vamos come...

Ela parou de falar quando viu a Karine dar uns tapas no Richard e sentar no seu lugar novamente, ela apontou para os dois

- faz direito essa porra, bate a cabeça dele na janela!

- não! Depois se quebrar eu vou ter que pagar!

Ela riu

- verdade não bate na janela não, bate na mesa, na parede, da várias bicas nele - ela arregalou os olhos e fez que não com o dedo - não faz isso não por que se machucar de verdade, esse filha da puta vai ter que ir para o hospital e eu vou ter que ir junto como professora e sabe se lá deus que horas eu vou sair do hospital, e eu não tô afim então não bate não, senta a susega o cu aí

Todos na sala caíram na gargalhada enclusive eu, ela me olhou e eu pisquei para ela que virou a cabeça para disfarçar o vermelho das bochechar

- vamos começar hoje e tentem não virar animais no caminho para lá!

Ela saiu e todos da sala foram atrás dela, eu e Larissa ficamos por último, ela entrelaçou seu braço no meu e estávamos caminhando quando ela falou

- eu vi a oiscadinhavque você deu

Eu ri

- nossa, você não deixa passar uma ne!?

- claro que não, sê viu como ela ficou vermelha?

Afirmei com a cabeça, chegamos na sala e tinha uma mesa de ping - ping e três de pebolim, ela entregou as bolinhas dos jogos e sentou em uma cadeira mexendo no celular, sentei em um canto com a Larissa e ficamos mexendo cada uma em seus celulares, me deu vontade de ir no banheiro, levantei e fui até a professor a que abriu um sorriso ao me ver, dei um sorriso também e tive uma ideia para provoca-la, antes de chegar nela, deixei "sem querer" o meu fone cair no chão, me virei, agaichei e empinei a bunda na direção dela que eu tinha certeza que estava olhando, peguei o fone e coloquei no bolso da jaqueta da Larissa que eu tinha pegado emprestado, quando virei, ela estava olhando para minha casa quase babando, fui para perto dela e fiz uma voz inocente

- professora Bruna, posso ir até o banheiro?

Ela riu balançando a cabeça negativamente e falou baixo o bastante para só eu ouvir

- você não tem jeito né? Vai logo, gostosa.

Sai da sala rebolando por que sabia que ela estava olhando para minha bunda, fui até o banheiro, entrei em uma cabine, sentei no caso e escutei alguém entrando, dei de ombros e quando eu saí da cabine, alguém pé rendeu pela cintura e colocou a mão na minha boca para não gritar

- shhi, não quero acabar com isso agora

Me alívio por ser a Bruna e alô mesmo tempo me perguntei o que ela iria fazer, ela entrou na cabine maior que era para deficientes físicos e fechou a porta, ela colocou a mão dentro da minha calcinha, mordeu o lóbulo da minha orelha e susurrou

- agora você vai pagar pelo que você fez














Notas Finais


Gente, eu não to postando frequentemente por que eu estou sem tempo para fazer merda nenhuma, eu tenho muita coisa para fazer e quando abre uma brecha, eu escrevo dessa história, eu até tenho outra que eu preciso atualizar mas não tenho mesmo tempo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...