História Amor proibido?? - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais
Visualizações 87
Palavras 1.848
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 23 - Just love



Patrícia...

Acordo com o Pedro me chamando e falando que já chegamos no hotel. Fui até o saguão resmungando, fizemos o check-in e cada um foi pro seu quarto. O Pedro cismou de dividir o quarto comigo de novo. Chegamos no nosso quarto, deixamos as malas e depois encontramos os meninos pra irmos comer. Depois de comer, tivemos que voltar pro hotel por que eles vão se arrumar pro show. Tomei um banho rápido, passei um corretivo, rímel, batom, perfume e me vesti. Quando acabei o Pedro já tava pronto, descemos e fomos pra van. 

Depois do show:

Ocorreu tudo bem no show, os meninos tiraram fotos com fãs e blablabla. Quando acabaram tudo o Pedro veio até mim, passou o braço pelo meu pescoço e eu passei a mão pela sua cintura. Saimos de lá assim e fomos parados por uma garota. 

**- Pedro?- disse e se jogou em cima dele. Ele tentou se soltar mas ela se pendurou no pescoço dele. Me soltei dele e revirei os olhos.

Eu- olha aqui garota, da pra largar ele? 

**- ah, desculpa. Não sabia que ele tava acompanhado de mais uma comidinha 

Eu- nooossaaa gente! Tô tão feia assim que você tá me confundindo contigo?

Oik- uuuuooow

Igor- kkkkkkk

**- quem você pensa que é garota?

Eu- até onde eu sei, me chamo Patrícia. E você é...?

**- Aline 

Eu- e o que você quer com ele?

Aline- isso eu que tenho que resolver com ele e não você 

Pedro- o que você quer, caralho?

Aline- ai amorzinho, não precisa ser grosso!

Eu- amorzinho? 

Pedro-Aline, você não é nada minha pra me chamar de amorzinho

Aline- nossa priminho...

Eu-Ela é a prima que fez aquilo contigo?- perguntei pra ele 

Pedro- é 

Não pensei duas vezes, voei pra cima da garota. Dei vários socos nela e quando percebi ela já tava com o nariz sangrando e cuspindo sangue. 

Eu- isso é pelo que você fez como Pedro-dei um chute no estômago dela- isso, por se meter no meu caminho- puxei o seu cabelo com força, arrancando alguns bolinhos de cabelo e não deu pra fazer mais nada, por que o Pedro me puxou. 

Pedro- não vale a pena- disse olhando nos meus olhos e eu revirei o olho- vamos pra van, vem-disse me puxando.

Chegamos no hotel, deixei o Pedro tomar banho primeiro e quando ele saiu eu entrei. Tomei um banho não muito demorado e sai do banheiro só de lingerie. Ele me olhava de cima a baixo e tive que zuar. 

Eu- limpa aí oh, tá escorrendo baba- comecei a rir e ele revirou o olho e voltou a mexer no celular. - ta bravo comigo?

Pedro- não- disse sem olha pra mim

Eu- então olha nos meus olhos e diz- ele bufou e me encarou 

Pedro- eu não tô bravo, só sei lá... chateado talvez- abaixou a cabeça 

Eu- me desculpa?- disse chegando mais perto dele e levantando sua cabeça o olhando nos olhos

Pedro- tem como ficar bravo com você? - disse dando um sorriso me fazendo sorrir também 

Ele me puxou fazendo eu sentar no seu colo e seu "amiguinho" deu sinal de vida. Ele me deu um beijo lento, com paixão mas que foi esquentando. Suas mãos apertavam minha cintura enquanto eu arranhava sua costas. Enfim, já sabem o que rolou neh? Depois ele me encaixou na frente de seu corpo e dormimos de conchinha.

Acordei com a luz vindo da janela. Olhei pro lado e o Pedro ainda dormia levantei com cuidado e fui pro banheiro escovar os dentes, vesti uma blusa dele que tava no chão e depois voltei pra cama pra acordar ele. Deitei em cima dele e dei vários beijos pelo seu rosto. Ele abriu os olhos devagar e abriu aquele sorriso maravilhoso que fode com meu psicológico. Ele passou uma mão pela minha cintura e inverteu as posições. Ele ficou por cima, apoiado com uma mão do lado da minha cabeça e me deu um beijo. Só paramos o beijo por falta de ar.

Pedro- bom dia

Eu- boom diiiaaaaa! 

Pedro- tá animadinha hein- disse sorrindo maliciosamente e me dando outro beijo, só que dessa vez foi diferente de todos os outros. Era calmo porém feroz ao mesmo tempo, com paixão e desejo de algo a mais. Eu coloquei uma mão em seu cabelo e o puxei mais pra mim, inverti as posições e sentei em seu colo sem parar o beijo, ele apertava minha cintura e tinha algumas partes que doíam um pouco (estranho, mas foda-se). Comecei a rebolar em seu colo e ele soltou um gemido baixinho no meu ouvido, continuamos nessa pegação por mais um tempo, paramos com alguns selinhos e eu fui tomar um banho. Eu entrei de baixo do chuveiro e logo depois senti mãos na minha cintura e me virei passando os braços pelo seu pescoço. Quando olhei em seus olhos, ele parecia se sentindo culpado. 

Eu- o que foi?- ele suspirou

Pedro- me desculpa? 

Eu- pelo que?

Pedro- por isso- apontou pra algumas manchas roxas no meu corpo (por isso doeu na hora que ele apertou). Revirei os olhos e o encarei 

Eu- relaxa, não tá doendo. E acho que também te devo desculpas- disse mostrando as marcas da minha unha e um chupão perto do pescoço 

Pedro- não sei como perdi tanto o controle, só sei que com você eu não tenho controle de mim. Nunca aconteceu isso antes-disse se afastando 

Eu- já falei pra relaxar. Se você for se sentir melhor ouvindo isso, ok. Eu te desculpo- o puxei pra perto de novo e dei um selinho nele. Ele sorriu e depois tomamos nosso banho, não aconteceu nada mais além de alguns beijos e mãos bobas.

Saimos do banho e fomos nos vestir. Coloquei uma lingerie vermelha, um short jeans não muito curto, um moletom do Pedro e um tênis cano alto da Nike. Saimos do quarto de mãos dadas e encontramos os meninos lá em baixo pra gente tomar café. 

Igor- bom dia casal- disse rindo 

Oik- perdi mais um soldado- disse fingindo estar triste 

Eu- bom dia, bando de idiota

Pedro- bom dia 

Sentamos, comemos e fomos no shopping.

**- AAAAH NÃO ACREDITO! Gente tira uma foto comigo?

**2- aaaah comigo também?

Pedro- claro 

As duas tiraram a foto tão agarradas com o Pedro, que achei que fosse entrar no útero dele.

\Mas ele não tem útero, burra/

Cala a boca sub dos inferno, tô puta e foi a primeira coisa que veio.

As duas continuavam se agarrando com ele, só revirei os olhos e cruzei os braços. A puta número 1 deu um beijo no canto da boca dele, QUE ÓÓÓDIIIIIOOO.

\ciúmes?/

Vai pra puta que pariu sub.

Ele veio na minha direção sorridente e eu continuei de cara fechada. Ele passou o braço pelo meu pescoço e eu não passei o meu pela cintura dele, fiquei de braços cruzados. 

Pedro- o que foi?

Eu- pergunta pra aquelas putas que tava te agarrando, quase se fundindo com você e virando uma pessoa só- disse emburrada 

Pedro- kkkkkk ciumenta- bufei e revirei os olhos e eu ia sair dali mas ele me segurou 

Eu- solta- ele me obedeceu? Claro que não!- idiota- disse por que ele ainda tava rindo 

Pedro- você fica fofa e ainda mais linda com ciúmes- disse passando os braços pela minha cintura e me puxando pra ele- sabe que não tive culpa neh? Eu nem olhei pra elas- disse e viu que não ia ter uma resposta então me beijou.

Eu- merda 

Pedro- o que?

Eu- você e seu maldito beijo que não resisto- disse revirando o olho

Pedro-bom saber que você não resiste- rimos e fomos pra uma loja 

Peguei algumas peças de roupa e fui experimentar. Eu ia trocando de roupa e saindo pro Pedro ver, mereço! 

Voltamos pro hotel, arrumamos nossas coisas e partiu próxima cidade. Confesso que dormi de novo no meio do caminho, mas dessa vez dormi com a cabeça no peito do Pedro.

Pedro...

Estamos indo pra última cidade, a Path tá dormindo com a cabeça no meu peito e eu estou distraindo fazendo carinho em sua cabeça até que o Igor sentou do meu lado e ficamos conversando por um tempo ate ele reparar que eu tava observando ela dormindo e ele me fez uma pergunta.

Igor- ce ta afim dela de verdade, neh cara?-suspirei 

Eu- ela me faz tão bem, me traz uma paz, tem um beijo viciante, não consigo olhar pra ela e ter só segundas intenções, eu fico imaginando minha vida com ela ao meu lado, se ela me aceitaria desse meu jeito todo errado, se ela seria capaz de ser feliz ao meu lado, se ela iria aceitar minha rotina corrida, se ela me daria uma chance, se eu seria o cara ideal pra ela... 

Path- eu JÁ te ACEITEI desse teu jeito todo errado, eu SOU feliz ao seu lado, eu ACEITEI sua rotina corrida, eu JÁ DEI uma chance pra você,  você É o cara que me faz feliz; que me acalma com um beijo, que só com um sorriso faz eu me apaixonar mais e mais... ainda tem dúvida que você não é o cara certo?

Eu- agora que eu ouvi de você, acho que sou!- ela sorriu e eu dei um beijo nela e paramos por falta de ar- mas você não tava dormindo? 

Path- tava, mas aí acordei com você rindo que nem hiena e aí o carinho tava tão bom que ne me dei o trabalho de abrir o olho-eu ri e fiquei abraçado com ela.

_Enquanto isso_

Bia...

Eu estava sentada no sofá, mexendo no celular e esperando a boa vontade do Jheyson de voltar aqui pra casa. Do nada sinto mãos no meu ombro, óbvio que reconheceria essas mãos...

Eu- Bruno!?

Bruno- podemos conversar?

Eu- depende, se a sua mulher deixar-disse com ironia

Bruno- eu larguei dela

Estou sorrindo e pulando de alegria mentalmente

\você não presta/

Ue, o que que tem?

\e o Jheyson?/

Chumbo trocado não dói. Ele acha que me engana quando fala que é fiel

\tanto faz, não me meto mais na sua vida/

Eu- ue, por que largou dela?

Bruno- porque eu amo uma mulher que é linda, uma ótima mãe, orgulhosa, fria mas que apesar de tudo tem um bom coração. Uma mulher que a muitos anos não posso chamar de minha pois fiz merda! Eu larguei ela porque EU TE AMO BIA!

Eu- olha Bruno, eu tô confusa! Eu sinto algo por você também, nunca deixei de sentir! Mas eu não tenho certeza, foram vários anos longe de você, vários anos com alguém que não amo de verdade que eu até gosto, mas amar não. Foram vários anos querendo te ter por completo de novo, pensando em você, querendo você do meu lado!

Bruno- e tá esperando o que pra me ter de novo?

Eu- não sei!

Ele me puxou pra ele e me deu um beijo. Isso sim é um beijo de amor, nossas bocas se encaixam perfeitamente como peças de quebra-cabeça. Nossos corpos se alinham perfeitamente um no outro. Nossas línguas dançam em perfeita sintonia. Nós dois necessitávamos daquele beijo, nós precisávamos um do outro, era como questão de sobrevivência. Quando separados, uma abstinência do caralho. 

O beijo foi ficando mais feroz, ele me levantou e fez eu entrelaçar minhas pernas na sua cintura, ele foi pro quarto; me jogou na cama e trancou a porta...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...