História Amor Proibido - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Depressão, Fanfics Viihyoongina, Heterossexual, Hobi, Hoseok, Hot, Incesto, Incesto Entre Irmãos, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Namjoon, Park Jimin, Romance, Suga, Tae, Viihyoongina
Visualizações 153
Palavras 1.852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioioii meus anjinhos, como vão? Espero sinceramente que estejam bem!

É raro, mais dessa vez acho que acertei no capítulo, FINALMENTE UM CAPÍTULO ME AGRADOU DE VERDADE!

Segurem o coração que hoje nossa garota ai vai se revoltar com a vida e vai se soltar.

Boa leitura♥️🐼

Capítulo 17 - Garota Ousada


Fanfic / Fanfiction Amor Proibido - Capítulo 17 - Garota Ousada

                         {•••}


Eu poderia muito bem dizer que eu estava tranquila e que saboreava muito bem a comida que Dona Hyun preparou especialmente para mim, principalmente por ser uma comida típica de meu país, e ela ter ido tão bem logo em sua primeira vez fazendo o mesmo. Mais de fato, não era assim que eu estava, é, isso era notável a todos, principalmente por conta de todos aqueles olhares sobre mim enquanto tentava engolir calmamente aquela comida tão bem feita. Não é fácil ter de comer com diversos garotos que você nunca viu na sua vida te olhando com um grande ponto de interrogação acima de suas cabeças, o silêncio daquela mesa estava aterrorizante, e isso era notável pelo meu pai e por Dona Hyun, que de vez em quando tentavam acabar com aquele silêncio monstruoso, dizendo algumas coisas bem aleatórias. Por outro lado, eu entendia o do por que dos olhares tão tortos dos garotos para mim, os garotos nunca me viram, assim como eu nunca tinha visto os mesmos em minha vida.


-Jimin você engravidou essa garota?- o silêncio é cortado pelo mesmo garoto que havia aberto a porta a minutos atrás. Jimin que estava ao meu lado, meio apreensivo, se engasgou com a comida e logo começou a tossir toda a comida de sua boca na mesa, junto ao meu pai, que tomou um gole da água que tinha em seu corpo para tentar se acalmar com o que tinha acabado por ouvir de um dos amigos de seu filho.


-Taehyung, Jimin não disse que explicaria para você depois de almoço- Jungkook adverte o garoto que baixou a cabeça em um sinal simples de desculpa.


-Foi mal, mais, eu não aguentei, o que você acha que eu estaria pensando, uma garota do nada surge na casa de um dos meus melhores amigos e não sai pela porta dos fundos como normalmente as outras fazem, acha que vou pensar o que?- o garoto tenta se proteger com sua fala um pouco mais alta do que a de sua pergunta de antes, tendo a atenção de todos, inclusive a minha. Me levantei rapidamente da mesa e pedi desculpas a todos ali, logo me retirando do local, onde havia um Jimin vermelho pelo seu engasgo, cinco garotos que ainda me olhavam torto, e Jungkook que após alguns segundos veio atrás de mim.


-Ei, tá tudo bem?- Jungkook perguntou calmo tirando alguns de meus fios de cabelo de meu rosto.


-T-tá, eu só…- respiro pesadamente pensando em um real motivo para explicar do por que tinha saído de lá daquela forma, nem eu mesma sabia, eu simplesmente saí- eu só, saí, não sei ao certo o real motivo- digo virando de costas para Jungkook e subindo os degrais da escada calmamente, enquanto o mesmo vinha ao meu lado.


-Não vai comer? Dona Hyun fez o prato especialmente para você.


-Eu como mais tarde, talvez quando todos saírem de lá, acho melhor, aqueles olhares todos em cima de mim estava me deixando meio nervosa- digo meio apreensiva demonstrando nitidamente meu nervosismo- eles sabem que Jimin tem uma irmã né?- pergunto meio receosa com a resposta que poderia receber


-Na verdade, Jimin nunca tocou em um assunto como esse, eu soube depois de ele sem querer  me contar enquanto estava bêbado- diz meio apreensivo coçando seus fios escuros da nuca.


-Vai ser um choque para eles saberem que sou irmã dele né? Principalmente por minha aparência- digo em um tom de voz baixo, andando em passos devagares e calmos até a porta de meu quarto junto a Jungkook, que tinha suas mãos dentro dos bolsos de sua calça moletom.


-Bom, isso não vou discordar por que…- seu tom de voz sai calmo enquanto parava seus passos a frente da porta de meu quarto- eu demorei pra acreditar quando ele me disse, só tive certeza mesmo, no dia seguinte quando  Jimin me confirmou enquanto estava sóbrio.


-Tá…- paro meus passos junto de Jungkook que circulou seus braços por minha cintura pousando suas mãos na mesma e fazendo com que meu corpo ficasse mais próximo do seu- Quando Jimin for contar, se é que já não contou, me chamem, quero estar na hora…- Jungkook assente em confirmação com a cabeça enquanto acariciava com a ponta de seus dedos minha bochecha que ganhou uma coloração avermelhada após notar seu olhar bobo e calmo sobre meu rosto- o que foi?- pergunto com um pequeno sorriso formado em meu rosto.


-Nada…- diz mostrando seus dentes grandes e bem alinhados, em um lindo sorriso, que pode ser admirado com uma maior atenção agora. Ele sorriu tantas vezes de ontem para hoje, e eu não tinha notado o quão lindo ele fica sorrindo- Só observando essa sua beleza toda até você decidir me beijar de novo, a não ser que queira que eu tenha a iniciativa para isso- diz intercalando seu olhar entre meus olhos e meus lábios que se mantinham em um sorriso de orelha a orelha.


-Sabe de um coisa… -digo calma me distraindo por poucos segundos nos cordões de seu moletom- até que eu estava no Brasil, eu tinha uma vergonha imensa de garotos.


-Como se não tivesse agora- seu tom saí brincalhão, tirando de mim uma risada nasal e um revirar de olhos, ele não estava errado, mais certamente eu havia notado o quão mudei após sair do Brasil e vir pra cá, acho que deve ser apenas o fuso horário mexendo com minha cabeça, ou a situação que estou mesmo.


-Não, eu era MUITO mais envergonhada- seus olhos se arregalaram e sua visão se perdeu pelo corredor como se estivesse tentando imaginar uma situação em que eu seria mais vergonhosa do que já sou a sua frente- eu corria dos garotos, quanto o mais longe, melhor para mim- digo escondendo meu rosto em seu peito que subia e descia calmante.


-Você fugia de garotos… - diz meio aéreo tentando capturar a informação - meu Deus você nunca parou pra pensar que você precisava de um psicólogo? - diz em um tom brincalhão tirando um sorriso mínimo de meus lábios.


-Na verdade eu vivi minha vida inteira em psicólogos- pude ver seu sorriso se desmanchar após minhas palavras com tão pouca animação e tristeza ser dita e seus braços subirem para minhas costas e fazerem um carinho ali, me aproximando um pouco mais para perto de seu corpo para um abraço confortante- Minha vergonha por garotos não chegava nem perto dos reais porquês de eu frequentar psicólogos por quase três vezes por semana.


-Desculpe, eu não quis…- o interrompo em sua fala antes mesmo de terminar a mesma.


-Tudo bem, eu já não ligo mais pra falar um pouco sobre isso, não me sinto mais tão insegura- digo me afastando de seu corpo, afundando minhas mãos nos bolsos da calça moleton preta, desviando de seu olhar... preocupado! Grr, como odeio isso, olhares preocupados, olhares de dó, não precisam se preocuparem comigo!

  Já tenho quinze anos, o suficiente para conseguir de vez tirar essa visão que as pessoas têm de mim como uma criança fraca e indefesa, foram anos recebendo o mesmo olhar por diversas pessoas, nunca os suportei, olhares estúpidos! Será que as pessoas sabem que esses olhares podem acabar com o dia de alguém? Deveriam saber, pois isso realmente acaba com o meu dia, dias longos, sozinhos, e escuros, assim era em minha cabeça- Não precisa me olhar assim- digo em um tom mandão fazendo o mesmo franzir o cenho- não preciso de olhares de pena sobre mim, só quando eu estiver fazendo drama, aí sim vocês podem me olhar assim- digo brincalhona, abrindo um grande sorriso para o mesmo que revirou seus olhos e soltou uma risada nasal, fazendo aquele pequeno ar melancólico sumir em segundos.


-Deus me livre, já vi você com fome,vermelha, tendo um ataque de espirros, vomitando, chorando, nervosa, triste…- dá uma pequena pausa soltando um pequeno suspiro, olhando novamente para  meu rosto que tomava uma coloração avermelhada por conta das lembranças vergonhosas que passei em sua frente - com certeza não quero ver você fazendo drama, deve ser horrível!- diz brincalhão tirando de mim uma risada alta, me fazendo tapar a boca com uma de minhas mãos, na intenção de abafar o som.


-Drama é o meu sobrenome querido, sou profissional nisso, dou aula para os novatos- digo sarcasticamente em um tom brincalhão, ainda com um grande sorriso estampado no rosto, mais logo foi desmanchando o mesmo após notar uma expressão maliciosa surgir no rosto do mais velho.


-Pensando bem… - seu semblante era uma mistura de desentendido com inocente, seu tom de voz voltou ao calmo de minutos atrás prosseguindo com sua fala- Sou novato nisso, você poderia me dar aulinhas disso né?- diz se aproximando calmamente de meu corpo que estava encostado na parede a frente da porta de meu quarto-ou seja, a parede a frente do mais velho ali-. Seus braços rodearam minha cintura e novamente naquele dia estava presa entre seus braços.


  Uma coisa que vem me assustado de verdade, é essa falta de vergonha que estava sentindo falta, antes eu mal ficava perto de um garoto que tinha segundas intenções comigo, hoje eu estou aos beijos com um cara mais velho que eu, e que conheço a menos de dois dias inteiros. Quer saber? Estou gostando dessa falta de vergonha que estou tendo, fiquei por tempos evitando ter um contato maior que um abraço, com um garoto de minha idade, para evitar as ofensas e cochichos indesejados que corriam rapidamente da escola para as ruas, e das ruas, para os ouvidos de minha mãe, que sempre foi muito rígida em relação a garotos e relacionamentos comigo. Mas querem saber fofoqueiras de plantão? Foda-se, talvez seja hora de mudar essa pessoa que sou, libertar a verdadeira garota que está dentro de mim, parar de ter medo, parar de tentar ser a perfeição para todos, parar de dar ouvidos a opiniões que não me ajudavam em nada. É isso, você quer uma garota ousada @? Então toma.


Circulei meus braços por seu pescoço puxando sua cabeça para mais perto de meu rosto que agora tinha uma expressão maliciosa, enquanto mantinha o sorriso ainda no rosto, passei a língua sobre meu lábio inferior, tendo a atenção do olhar de Jungkook sobre o mesmo.


   -Vou ser uma ótima professora pra você então- digo em um tom firme e sedutor, fazendo com que Jungkook arregalasse seus olhos e se afastasse um pouco de meu corpo analisando com mais amplitude meu rosto.


  -Uou, eu não sei o que deu em você…- diz mostrando sua surpresa em seu tom de voz e em seus olhos que se mantinham ainda arregalados- Mais com certeza eu gostei dessa mudança tão repentina- diz se aproximando novamente de meu rosto, deixando um selar no canto de minha boca, passei novamente minha língua pelo lábio inferior, e em um movimento rápido capturei o seu lábio inferior entre os dentes, o puxando calmamente antes de soltar novamente e dizer:


 -Resolvi libertar a garota ousada que estava presa- digo entre risadinhas, puxando sua nuca e colando nossos lábios úmidos e quentes em um selar, mais que não durou por muito tempo, já que minha língua já pedia para adentrar a boca do mais velho.












CONTÍNUA>>>


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...