História Amor Proibido-Anjos e Demônios - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Amor Proibido, Anjos, Anjos&demônios, Black, Demônio, Hetero, Mushy, Novela, Paixão, Peito, Romance, Yaoi, Yuri
Visualizações 27
Palavras 2.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii gente
Sentiram saudades? Ajjsiakaos
Aqui ta o cap né
Leiam as notas finais
Importante dms

Capítulo 17 - Alguns problemas....


Black On

"Uma coisa eu digo, fuder é bom."

Ass:BlackODemônio.

Cara, será que só por causa que eu fudi ontem, o mundo parece mais sexy? Sei lá, o ar está me deixando com tesão. Não estou zuando. Tá parei, não deve ter o mínimo sentindo oque eu falei.

Depois da crise do João -porque transei com Mushy e ela gemeu muito alto- fiquei no meu quarto. Em vez de Mushy estar sentindo dor, quem está sentindo dor sou eu. Sério, pelo oque eu sei foi eu quem meti e não dei.

Uma queimação está percorrendo por meu corpo gostoso sem dó. Como se estassem jogando água benta, até o meu BlackConda está ardendo.

Resolvi dar uma volta, para esfriar a cabeça. Para onde fui? Para o meu universo vazio.

E por isso estou sentando com a bunda dolorida e queimada no chão. Caralho, por que está tudo doendo? Eu não fiz nada e Mushy não enfiou o dedo em mim, eu juro! Parece que um caminhão 'ta me atropelando.

Sem querer soltei um gritinho de dor e logo depois ouvi uma risada.

-Ora Ora... Olha quem está aqui...-sua voz me deu enjoo, será que engravidei? Black para de pensar merda, caralho!

-Oque você quer, cabra macho?-trinquei os dentes irritado, só não virei a cabeça para vê-la por que eu 'to dolorido.

-Nada... Só vim de passagem e pelo visto... Você fez algo, que eu falei que não era pra fazer!-Penyewel se sentou ao meu lado com o seu sorriso cínico, essa mulher é meia retardada- E aqui estamos nós, não é Black?-perguntou olhando para mim.

-Oque eu fiz?-perguntei sem entender.

-Ah você transou com aquela anjinha. Parabéns!-Penyewel disse sarcasticamente enquanto batia palmas para mim.

-Sim eu transei e deu porra nenhum!-gritei convencido, enquanto a garota sorria cinica.

-Ah coitado... Seu corpo deve estar dolorido... Isso é só o começo, eu avisei... Não escutou, se fudeu.-entao a garota se levantou enquanto eu pensava em suas palavras- Vai vir coisas piores, se prepare.-Penyewel foi-se embora, pulando dentro do portal.

Ok... Então essa dor foi por causa da transa? Achei que eu tinha engravidado ou que Mushy tinha enfiado alguma coisa no meu brioco, pra estar doendo. O meu BlackConda está queimando e olha que eu não estou excitado. Meu corpo parece que vai derreter. Tá doendo pra peste, porque eu só me fodo?

Mushy on

Eu estava com as minhas primas no quarto de Takada, as mesmas queriam saber sobre tudo de ontem a noite.

-Então... É grande?-perguntou Muja curiosa, no mesmo estante eu corei e engasgei com a minha própria saliva.

-É.... Muito grande.-murmurei coçando os meus cabelos, sem graças.

-Eu até imagino... Voce chupou?-perguntou Takada, escondi o meu rosto no travesseiro e sinalizei que com sim com a cabeça, recebendo um grito de felicidade das minhas primas- Voce chupou igual como se faz com um pirulito?

-Takada! P-Para!-gritei batendo na minha prima, fazendo-a rir.

-Ta! Mas foi bom?-perguntou novamente, bem curiosa com um sorriso maroto nos lábios.

-Sim, foi ótimo. Maravilhoso! Delicioso! Perfeito!-gritei me jogando na cama feliz, mesmo com uma dorzinha aguda, mas não importa porque foi perfeito, foi encrível! Eu amei...

-Me fale como foi... Tipo... Oque ele fez e essas coisas...-Muja pediu enquanto olhava atentamente para a anja corada.

-Hm... Black não é cavalheiro, ele enfiou com força de uma vez... E aquilo doeu, aí ele fica chingando no meu ouvido e falando coisas inapropriadas... Mas foi bom, aquilo me deixava mais quente, e... Bom... A gente fez amor na cama, ele me pediu para quicar e eu quiquei... A melhor parte foi quando ele... Lambeu... A minha.... Vocês sabem! Mas também amei quando o senti dentro de mim...-explicou a anja, as primas sorriam maliciosas.

-Entendi... Ele deve ser selvagem.-disse Muja olhando para Takada.

Quero fazer de novo.... Quem sabe?

***************

Já era a hora do almoço e nada de Black. Eu estou preocupada, será que fui tão ruim assim ao ponto de ele não querer me ver mais?

Eu acabará de sair do meu banho e me analisava no espelho. Apesar de alguns chupões aqui, umas mordidinhas ali e vemelhões pelo meu corpo, até que eu não estava tão mal... Tipo, eu não sou feia... Será? Será que o Black só queria fazer amor comigo e meter o pé na minha bunda? Não, Black não iria fazer isso... Eu acho... Não! Não! E não! Ele não tem coragem. Respire Mushy.

AutoeaLokaEPervetida On

A anja estava sentada já vestida de frente ao espelho, penteando suas belas e esbeltas asas.

Enquanto passava o pente, cantarolava uma canção simples, mas logo paralisou. Seu coração já se encontrava acelerado com a respiração loucamente rápida e precisa, suas mãos começaram a tremer enquanto ela se encarava no espelho. Seus olhos começaram a marejar e a vontade de chorar estava preste a domina-la.

-O-Oque...?-as lágrimas já desciam de seu rosto, a garota desceu o rosto para baixo e analisou aquela cena que a desesperou- N-Nao.... N-Nao po-de... S-ser...-a anja começo a gritar e esperniar, o desespero a tomou e seus gritos podiam ser ouvidos fora da mansão.

-Mushy que gritaria é essa?...-Takada paralizado no batente da porta boquiaberta, enquanto via a anja caída no chão chorando e esperniando, o desespero de Mushy passou para Takada e mesma estava sem reação.

-Oque foi Takada? M-Meu deus....-Muja parou para ver o ocorrido e ficou assustada.

************

O mercenário já tinha chegado na mansão que estranhamente está silenciosa, o mesmo andou até á cozinha, onde encontrou Takada. Seu rosto estava inchado pelo recente choro e quando viu o garoto, sorriu forçadamente. Ele não podia saber. Não mesmo.

-Tudo bem?-perguntou Black com a sombrancelha arqueada. O clima estava estranho, tenso... E ele sentia isso.

-Sim… Estou cozinhando. Como você está?-perguntou Takada enquanto cortava legumes na bancada, Black se sentou desajeitadamente na cadeira.

-Hm... Normal.-murmurou olhando ao redor, procurando a sua amada- Onde está Mushy?

O mercenário podia não ouvir, mas o coração de Takada acelerou e ela parou oque estava fazendo, desesperada.

-Ah... -riu forçadamente- Está cansada, foi descansar sabe...

-Sério? Vou lá ver se ela está bem.-Black ameaçou levantar, mas foi parado pelo grito de Takada.

-NÃO!-gritou enquanto o demônio a encarava, a mesma torssiu- Quer dizer, deixa ela dormir sabe... Ela está bem. Não se preocupe... Hehehe....

-Humpf... Ok né... -o mercenário foi para o quarto enquanto raciocinava o ocorrido. Algo de estranho tinha acontecido.

Depois de tomar um banho, Black estava se trocando no quarto, mas sentiu uma ardência na barriga quase insurpotável. Curioso, levantou a blusa e quase deu um pulo pelo susto.

-Oque é isso?!-gritou assustado, rapidamente tirou a blusa e foi de frente para o espelho- Caralho... Puta merda.

Em sua barriga tinha um símbolo negro que o mesmo não sabia oque era, em volta do símbolo tinha algumas marcas claras que seguiam parte de sua barriga até o braço e rodeava o pescoço.

Black tinha a pura coincidência que aquilo devia ser por causa do que ocorreu ontem entre ele e Mushy. Mas não era isso que ele se preocupava, ele se preocupava em saber se a anja estava bem. Por isso vestiu a blusa e correu para o quarto de Takada, ao entrar viu Mushy deitada e encolhida na cama coberta por cobertores. Soltou o ar que prendia e sem hesitar foi até a menor e se deitou ao seu lado. A mesma estava de olhinhos fechados, mas abriu-os e olhou para Black. Com um olhar triste.

-Black...-murmurou deitando no peito do mercenário.

-Está tudo bem?-perguntou preocupada, a anja beijou a bochecha do maior e sorriu fraco.

-Sim está. Só estou com sono...-murmurou deitando novamente a cabeça no peitoral de Black, enquanto recebia cafuné do mesmo.

Depois de alguns minutos Black suspirou pesado, enquanto ouvia Mushy respirar calmamente.

-Então descanse. Sabe... Não sei se você está ouvindo, mas... Eu confio em você, quando a aquela promessa boba de eu te protege acabar, eu aproneto que... Prometo que vou cuidar de você, não quero mais os inúteis universos. Só quero que todos se fodam e a gente possa estar juntos. Vou lutar contra o meu pai e o derrotar, não vou ser do bem... Não é do meu jeito ter que cuidar de pessoas e esses caralhos aí. Mas... Eu prometo que não mato mais ninguém, a não ser gente do mal... Porque eu sinto fome, mas eu prometo que eu faria de tudo só para estar ao seu lado. Se soa clichê? Foda-se, vai tomar no cu essas desgraças, não é minha culpa se nem a porra de declaração eu sei fazer... Sou idiota? claro, mas pelo menos sou um idiota, babaca, egoísta, psicopata e louco que você ama... Ainda mais sou um demônio... Mas não importa, vou mandar todos se ferrar em e aqueles que não nos quiserem juntos morreram, mas antes eu vou os torturar... Arrancar um olho, um dedo e quem sabe uma perna...-o maior suspirou, achava que a garota não tinha ouvido. Ele se sentiu mais leve e falava aquilo decidido, claro, ele não iria mudar quem ele era por que amava a anja, porque ele continua sendo um demônio e ele não quer ter que ser quem ele não é.

Mas mal sabia que a anja ouviu.

E se sentiu um lixo por ter que o levar para o seu pai daqui a três dias.

E ele confiava nela.

Uma lágrima silenciosa desceu em sua bochecha rosada, sem que o demônio percebesse.

******

Black on

Eram três da tarde, já fazia tempo que eu tinha saído do quarto de Takada. Decidi ir para biblioteca e comecei a procurar alguma resposta nos livro. Eu queria saber se oque aconteceu comigo era normal.

-Black?-Mushy entrou e se sentou ao meu lado.

-Que é?-perguntei enquanto lia um livro.

-Que grosso!-Mushy puxou os meus braços e se sentou no meu colo- Por que está assim?

-Estou normal.-respondi olhando para aqueles belos olhos que Mushy tinha. Eles são tão viciante.

-Eu te amo.-sussurou em meu ouvido, fazendo-me arrepiar.

-Eu sei, eu também me amo.-respondo sorrindo e recebi um tapa da menor, comecei a rir- Eu também te amo, caralho.

-Nossa, você não consegue falar que me ama sem xingar não? Ai não fica romântico!-disse Mushy, com um bico nos lábios e os braços cruzados.

Sem pensar muito mordi os lábios dela e recebi uma risada da mesma.

-Você só veio para isso?-perguntei intrigado, recebendo um tapa da mesma.

-Que merda! Eu saí da minha caminha gostosa para vir aqui, falar que te amo e você quer mais?!-Mushy crusou os braços, e juro que foi por intuição que eu olhei os seios dela que balançaram, meu pau já deu até sinal de vida.

-Vamos transar?-perguntei quase babando nos seios dela.

-Black!-recebi um forte tapa no rosto, a olhei irritado- Você acha que sou oque? Prostituta? Minhas pernas estão doendo sabia?!-a menor parecia chateada, dei um suspiro.

-O meu pau também está doendo.-murmurei.

-Então mande ele esperar!-gritou.

-Tá tá bom...-sussurei irritado.

Um silêncio constrangedor ficou naquele lugar, olhei para Mushy e a mesma me olhava, uma pergunta martelava minha cabeça, por isso dei um suspiro.

-Tem certeza?-perguntei e a mesma me olhou sem entender.

-Oque?-perguntou passando a língua nos lábios, puta merda, minha calça já estava apertada.

-Que não quer transar?-perguntei sério, Mushy corou, e oque recebi em troca, como resposta? Um beijo. Mentira, eu ganhei um tapa, no rosto. Aquilo doeu.

-Black!-gritou me reepreedendo.

-Que é?! Eu só quero transar! Que saco! Sabia que o meu BlackConda precisa se alimentar?! Já fazia três meses que eu não transo e eu estou em falta! Meu pau não aguenta isso não! Essa seca acabou com o coitado e só ontem não vai alimenta-lo direiro!-gritei cruzando os braços, a menor começou a rir e eu corei, fiquei irritado.

-Ai meu amor....-ela dizia puxando minhas bochechas, meu coração acelerou e tudo pareceu ficar nublado. "...meu amor"? Essa era nova- Olha, depois a gente transa.

-Sério?-perguntei com olhos pidões e com um bico nos lábios.

-Sim.

Sem eu perceber, eu não parava de olhar os lábios de Mushy. Por isso a beijei, já pedindo passagem para a língua. A mesma pareceu raciocinar, mas abriu um pouco a boca e então adentrei com a língua, explorando cada lugar. Um choque passou pelo meu corpo quando nossas línguas se tocaram, por isso a deitei no banco e fiquei entre as suas pernas. Eu queria aproveitar, porque João tinha saído e não estava aqui.

-B-Black... N-Não...- a mesma não conseguiu acabar, pois ela gemeu quando eu forçei o meu corpo para frentete, fazendo o meu pau duro encontrar a sua vagina.

-Não oque?-perguntei num sussuro em seu ouvido, fazendo-a arrepiar.

-Ahn...-chupei o seu pescoço enquanto 'estocava' a sua vagina- P-Para...

-Parar oque?-esfregeui o meu pênis em sua parte íntima, Mushy arqueou as costas e gemeu.

-J-Já chega! Hoje a noite a gente vai passear, agora estou cansada.-então Mushy deixou um beijo casto em minha bochecha e se espremeu em baixo de mim, logo saindo e indo embora, deixando um demônio duro para trás.

*****

Mushy on

Estou me sentindo um lixo, e bem desesperada. Eu me analisava no espelho pela nona vez depois daquilo que aconteceu.

Black não pode saber.

Ninguém pode saber.

Ninguém mesmo.

Isso seria o meu fim. Eu sei que transar com um demônio era errado, eu sei. Mas foi tão bom.

Foi bom e agora eu tenho que arcar com as consequências. Afinal sou um anjo, puro. E querendo ou não, ele é um demônio imundo. Eu o amo, mas ele é isso... Não posso mudar nada.

Apenas arcar com tudo.

Ou seja.

Black não pode saber.

Vou esconder, posso escondê-las pela roupa ou desejar que sumam...

Ele não pode saber que minhas asas estão caindo.


Notas Finais


Tá aí né kkkk
Bom gente quero saber oq vcs estão achando.
Chato? Sem graça?
Pq eu tava pensando em prata de escrever essa fic ;P


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...