1. Spirit Fanfics >
  2. AMOR PROIBIDO -Jikook- >
  3. Capítulo 1

História AMOR PROIBIDO -Jikook- - Capítulo 2


Escrita por: e Army-br--


Notas do Autor


Olá pessoas lindas turo bem com vocês? Espero que sim!

Bem, sem mais delongas.

Boa leitura 🌺❤️

Capítulo 2 - Capítulo 1



Segunda-feira 7:30 AM

Empresa dos Jeon's

PV's Park Jimin

Tinha acordado cedo para já ir na empresa dos Jeon's, tô nervoso, não é a primeira vez que eu trabalho em empresas grandes assim, mais sei lá, é diferente.


- Obrigado.- Entreguei o dinheiro para o motorista do Uber e sai do carro. Lá estava eu em frente a empresa, suspirei e entrei já recebendo olhares tortos e cochichandos.


Revirei os olhos e continuei meu caminho até a recepção.


- Olá, bom dia.- Falei encostando no balcão.


- Bom dia, no que posso ajudar?.- A mulher sorriu mais eu vi eu olhar de nojo sobre mim.


- Queria saber se o presidente está desocupado, o mesmo pediu para eu vim aqui ele queria falar comigo.- Disse devolvendo o mesmo olhar.


- Espera um momento.- A mesma disse se virando para o lado oposto e pegando o telefone fixo.- Senhor, tem um garoto aqui querendo falar com o senhor..... Sim, ele é.- Me olhou.- Posso deixar subir?..... Claro.... Bom dia....- Desligou o telefone e me olhou.- Pode subir, ele estará lhe esperando em sua sala.- Disse rude.


- Obrigado.- Falei debochadamente e fiz referência.


Fui ao encontro do elevador, e apertei no botão do andar que leva à sala do Senhor Jeon.


O elevador começou a mexer, e eu me olhei no espelho que havia atrás de mim. Estava nervoso, eu sei, é raro híbridos trabalharem em empresas grandes assim, e usando trabalham é muita sorte, tipo eu, eu tenho muita sorte.


O elevador abriu as portas e eu me virei rapidamente, me deparando com o Jungkook, entrando no elevador, com uma cara nada boa. O mesmo me olhou franzio o senho e depois desviou o olhar.


Apenas permaneci no meu lugar sem dizer uma palavra, Jeon também, apenas ficou no seu lugar, suspirando e resmungando algumas palavras baixas, que não dava pra ser entendidas.


Alguns minutinhos depois, o elevador abriu a porta e eu e Jeon saímos, e sem querer esbarramos um no outro.


- Olha por onde anda tampinha fantasiado de gato.- Disse enfurecido e saio sem nem olhar pra trás.


- Desculpa grosso.- Grite.


- E grande.- Gritou de volta.


- Idiota.-.Falei baixo quase como um sussurro.


Voltei a andar normalmente, e assim fui ao encontro da sala do Senhor Jeon. Dei três batidas na grande porta e escutei um "entre", engoli em seco e entrei na sala.


- Com licença.- Fechei a porta.


- Park que bom que veio, pensei que não ia aceitar minha oferta.- Se levantou - Como vai?.- Esticou sua mão, eu rapidamente apertei.


- Vou bem e o senhor?.- Soltei nossas mãos.


- Vou ótimo Park, obrigado por perguntar... Sente - se.- Apontou pra cadeira em frente a sua mesa.


- Bom Senhor Jeon, como vai ser?.-

PV's Jeon Jungkook


Acordo com a porcaria do despertador tocando, não era como antes, pegava o aparelho e tacava no chão o vendo todo espatifado no chão, sorria de lado e voltava a dormir. Mais agora, sou "adulto", maduro e tenho que agir com responsabilidade.


Levanto da cama e caminho calmamente para o banheiro.


- Que merda, hoje é segunda feira.- Falei incrédulo tirando meu pijama com brutalidade.- As vezes eu só penso em desistir de tudo e viver longe daqui, há mais Jungkook isso é preguiça, não é, é apenas cansaço.- Suspirei.-estressado que até tô falando sozinho.- Entrei no box e liguei o registro, deixando a água super gelado cair em meu corpo.- Ah.- Gemi quando a água fez contato.- Mais que caralho, porque essa merda não tá no quente?.- Disse olhando pro chuveiro, revirei os olhos e coloquei na água morna.


Após meu banho, fui pro quarto, peguei uma cueca box e vesti, terminei de me enxugar e fui a procura da minha calça social.


- Cadê aquela calça?.- Parei no quarto pensando.- Mina deve ter pegado pra lavar.- Peguei meu roupão e gritei por Mina, minutos depois a mesma já estava batendo na porta.


- Chamou senhor?.- Entrou no quarto.


- Se você ouviu eu gritando seu nome é porque eu te chamei não é?.- A mesma abaixou a cabeça.


- Perdão senhor.- A mesma pediu fazendo referência.


- Não chamei aqui pra te dá sermão, cadê minha calça, minha blusa social, e meu sobretudo?.- A mesma levantou a cabeça.


- Eu coloquei pra lavar.-


- Então vá buscar, porque aquela roupa é minha preferida... rápido.- Gritei e a mesma saio rapidamente.


- Aish, já vou começar o dia extressamente.- Sentei na beirada da cama e peguei meu celular no criado mudo.


O olhei e vi muitas notificações, uma delas era dos meus melhores amigos.


Ignorei e me deitei na cama esperando mina vim com a roupa. Minutos depois, a mesma entrou com a roupa engomada. A mais velha deixou a roupa na cama e saio.

(•••)

Estacionei o carro na minha vaga privada, sai do veículo e o tranquei. Caminhei até a empresa e entrei.


- Bom dia Jeon.-. A rescepcionista disse.


Não respondi apenas passei direto.


- Ixi, isso aí tá de mal humor... Sempre tá.- Olhei pra trás e a mesma me olhou assustada.


- Cuide do seu trabalho, antes que coloque você no meio da rua sua desocupada.- Falei com raiva.


A mesma abaixou a cabeça - Perdão.- Pediu e então eu continuei meu caminho.


Esperei o elevador chegar, e então o mesmo chegou, abriu- se as portas e eu me deparei com um menino, um híbrido pra ser mais específico.


O que essa espécie faz aqui? Não sabia que podia entrar híbridos aqui. Papai cada vez mais louco.


Entrei no elevador, suspirando pesado.


- Aish, porque eu tinha que trabalhar logo hoje.- Resmunguei para mim mesmo.- Que merda, não aguento mais essa vida, que vida chata.- Resmungava e o garoto ao lado me olhava sem entender nada. Tô cagando pra' ele só quero ir para casa.


O elevador se abriu e assim sai, mais ao mesmo tempo o garoto saio e acabamos nós esbarrado.


- Olha por onde anda tampinha fantasiado de gato.- Disse enfurecido e sai sem nem olhar pra trás.


- Desculpa grosso.- O garoto gritou.


Sorri de lado.- E grande.- Gritei de volta e continuei meu caminho.


Que garoto mais sem graça, revirei os olhos e joguei minha pasta em cima da mesa e me sentei em minha cadeira.


Logo Taehyung entrou.


- Bom dia chefe.- Disse trazendo um xícara de café.


- Só se for pra você.- Peguei a xícara de suas mãos.


- Porque você nunca sorrir?.- Perguntou sentando a minha frente.


- Ei, eu sorriu sim tá, mais só sorriu em boa hora, e eu nunca tenho motivos para sorrir.- Tomei um gole do café e fiz careta.- Isso tá forte de mais.- Deixei a xícara na mesa.


- Já tá sabendo?.- Taehyung perguntou.


- O que?.- Finji interesse.


- Seu pai vai contratar um secretario braço direito.- Falou calmo.


- COMO É?.- Me levarei minha cadeira olhando taehyung.- Para que?.-


- Não sei, ele me disse que quando você se tornar o CEO daqui, eu não vou ser mais seu secretário e sim esse secretario aí que ele vai contratar.


- Não, meu pai só pode estar louco, eu não quero outro que não seja você Taehyung.


- Jungkook se acalma mano, eu não irá ficar presente na tua vida toda... E mesmo assim... Tem coisas que o braço direito do presidente sabe fazer e eu não, tipo uns bagulhos aí que eu esqueci o nome.- Taehyung sorriu me fazendo sorri também.- Tá vendo eu tirei um sorriso dessa cara cascarenta.- Gargalhou.


- A Taehyung, vai a merda.- Rir e balançei minha cabeça negativamente.

(•••)

- Mandou me chamar paí?.- Entrei em sua sala, vi o garoto do elevador com ele, meu pai estava super feliz, e o garoto gato,- como eu vou chamar agora-, não estava diferente.


- Sim Jungkook.- Me olhou.


- O que queria?.- Perguntei me aproximando.


- Quero que conheça seu novo secretario braço direito.- Apontou para o garoto gato.


- QUE?.





Continuaaaaa....


Notas Finais


Oiê de novo... Hehe.... Bom obrigada por lerem até aqui...
Desculpa os erros 💜🌺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...