1. Spirit Fanfics >
  2. Amor proibido.... Será? - Castiel - >
  3. Capítulo II

História Amor proibido.... Será? - Castiel - - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo II


Abri meus olhos de forma lenta, bocejando logo em seguida. É, acho que já ta na hora de levantar.

Me levantei com certa dificuldade, indo pulado de um pé só pegar minha muleta.

— Devia ter deixado ela do mu lado — choraminguei.

Logo fui para o banheiro, para minha felicidade não encontrei ninguém. Enquanto escovava meus dentes me lebrava de todas as vezes que o ArminDOIN me ajudou, ele até mesmo me deu banho! Sabe o que é uma pessoa do sexo oposto te dar banho?! Claro que era muito estranho mas ele nunca tentou nado comigo e nossa amizade sempre foi a mesma.

Depois de perceber que eu estava a quase meia hora dentro do banheiro fui para a cozinha, encontrando Vitória fazendo café.

— Bom dia Vitória-Sama — Compirmentei, e a mesma deu um pulinho.

–– Já acordada Mia? — Perguntou supresa -- O que fez você levantar da cama tão cedo?

— Ansiedade — Respondi rindo — precisa de ajuda com algo?

— Não, obrigada.

Enquanto ela fazia café fui fussar em minhas redes sociais enquanto o café não ficava pronto.
Tomei o café junto com a Vitória-Sama e o Arnaldo-Sama e logo pedi um Uber para ir para a casa de meus pais.

— Tem certeza que não está muito cedo para ir Mia?

— Sim, minha mãe já me mandou bom dia — Ri — Ela já deve estar acordada.

— Obrigada por terem deixado eu dormir aqui, tchau.

Me despedi deles e peguei minha mochilha, não deixando de soltar um resmungo por conta do pesso. Quando sai de dentro da casa o Uber chegou, e eu agradeci por isso.

Quando chegamos na casa dos meus pais eu paguei ele e agradeci. Espero que eles não me dêem um puxão de orelha por não ter avisado que iria voltar.

Parei na porta e soltei um suspiro pessado, espero que eles reajam bem. Depois de muito enrolar eu toquei a campainha.

Esperei por longos 10 minutos e nada.

— O carambola, essa mala ta pessada — Choraminguei, tocando a campainha de novo.

Não demou muito e alguém abriu a porta.

— O que você..... Mia?

— Surpresaa! — Estiquei meus braços para a abraça-la, e foi isso que ela fez, logo depois de me dar um cascudo.

— Ai.

— Você podia ter avisado que virinha né sua filha da puta! Que porra você fez nessa perna?

Avia esquecido o quão  baca suja minha mãe podia ser.

— A senhora sabe que acabou de xingar a si mesma né?

— Eu posso — Disse sorrindo, apertando minhas bocechas.

— Poxa mãe!

— Veronica, quem... você é..?

— Jean! É a Mia! — Disse Veronica, decepcionada com o marido.

— Poxa pai — Fingi choramingar.

— Como você mudou dês da última vez que nos vimos — Disse se aproximando, logo me abraçando — A cada dia que passa está mais linda.

— Obrigada pai — Retribui o abraço.

— Deixe a sua bolsa ai, vamos para a cozinha para podermos conversar melhor.

E foi isso que eu fiz, deixei a minha mochila em cima do sofá e fui para a cozinha com meus pais. A casa não avia mudado muita coisa dês da última vez que estive aqui, bom, não que eu me lembre.

— Quer café Mia? — Ofereceu minha mãe.

— Claro, até parece que eu recuso um café da senhora — Ri e ela me entregou a xícara.

— Chegou hoje? — Perguntou meu pai enquanto cortava suas panquecas.

— Não, chegei ontem de tarde. Fiquei na casa de um amigo — Respondi tomando um gole de café.

— Amigo? — Meus pais se entre olharam.

— É, eu não vim ontem pois a senhora disse que estariam chegando de viagem naquele dia.

— Mas e essa perna? Como você quebou ela? — Quis saber Veronica.

— Então, hebebe— ri coçando a nuca— Eu cai da escada.

Meus pais mandaram a mão na cara e voltamos a conversar sobre as coisas que fiz durante minhas estadia no Brasil, claro que eu não contava tudo, tenho que manter minha reputação de boa moça.

— Qua barulheira toda é essa aqui? — Disse alguém na porta da cozinha, soltando um bocejo.

Quando olhei para lá vi Castiel, apenas com uma bermuda e com o cabelo todo bagunçado, por algum motivo corei  com a cena.

— E ai mano Brou? Suavao?

— Você é...? — Castiel perguntou confuso, provavelmente ele avia ficado a noite inteira acordado e agora estava morrendo de sono.

— É a sua irmã Castiel! Vai lavar essa cara pra ver se você acorda!

Castiel deu meia volta, provavelmente indo pra banheiro.

— Eu vou arrumar minhas coisas no meu quarto okay? Daqui a pouco volto.

— Precisa de ajuda Mia? — Perguntou meu pai.

— Não, obrigada — Sorri para ele me levantando.

Fui para a sala, peguei minha mochila, e encarei a escada de exatamete 15 degaraus - sim, eu já contei quantos degaraus tem - quero subir isso aqui mais não.

Okay Mia, você consegue, força foco e fé! Subi a escada, rezando para não me desequilibrar cair e bater a cabeça.

Aee! Não cai!

Depois disso fui para o meu lindo e belo quarto, me pergunto como eu me lembro com o se chega nele. Quando finalmente cheguei taquei tudo que tinha dentro da mochila em cima da cama, para começar a arrumar as minhas coisas.

Eu olhei pra mim cama e depois para meu guarda roupa.

— Foda-se! Vo dormi de novo — Me taquei na cama do lado em que não avia nenhuma tralha pra me atrapalhar, eu quase quebrei meu nariz fazendo isso, mas valeu a pena.

[...]


Toc toc...

Toc toc toc

....

TOC TOC TOC TOCCCC

— QUE FOI? — acordei assutada — Entra logo.

— Eu até entraria se a porta estivesse destrancada — Disse um ser de forma grosa, provavelmente o Castiel.

— A porta ta aberta — Respondi me sentando na cama pra me levantar.

— Se ela tivesse aberta eu já teria aberto ela.

— Então tenta abrir a porta de novo caralho — Resmuguei, era pra mim ta dormindo.

E logo a porta abriu, revelando a imagem do meu querido e amado irmão (skn) Castiel, agora com roupas decentes.

— Eu disse não disse? — Disse com um sorriso debochado.

Vi o mesmo revirar os olhos, o que me fez rir.

— Vai ficar aqui esse ano?

— Aram, trazer um pouco de felicidade pra essa casa — Respondi apoiando minha cabeça em minhas mãos.

O mesmo revirou os olhos de novo e saiu do quarto.

— Podia pelo menos fechar a porta né! — Resmunguei e ouvi ele rir.

Revirei os olhos, ele sempre foi tão chato assim? Acho que sim. Eu estava vagando pelas minhas lembranças quando ouvi meu celular tocando. Ué, numero desconhecido.

— Alô? Quem fala?

— Quem? Você ainda pergunta? Poxa Mia!

— Alexy! Como você conseguiu meu número? Há! Esqueci do Armin.

— Memória ta ruim em — Riu.

— O que foi?

— Eu e algumas amigas vamos no Shopping e sabe.... se você não vinher eu irei até a sua casa pra te arastar!

— E você sabe onde é minha casa? — Perguntei com as sobrancelhas arqueadas.

— Simples, sabemos onde mora o Castiel.

— Droga! — Resmunguei.

— Estamos ai em 30 minutos — Disse ele rindo, logo em seguida desligando.

Nhem, acho que vou ter que ir. Me levantei e andei até o espelho, me olhando nele.

— Maravilhosa — Fiz uma posse, logo rindo — Acho melhor eu ir ver se a mãe deixa eu ir.

Fui até a  escada, podendo ver minha mãe deitada no sofá da sala.

— Manhê!

— O que foi Mia? — Perguntou ela sem tirar os olhos do celular.

— vou sair com uns amigos no Shopping pra comprar meu matéria.

— Não voltando depois das 10 tá bom.

Quem volta depois das 10 quando vai no Shopping? Bom, vou aproveitar pra descansar meus pezinhos porquê andar de muleta não é facil.

Desci a escada e me sentei no sofá que não avia ninguém.

— To saindo — Avisou Castiel já na porta.

— onde pensa que vai rapaz?

— Mãe! — Bufou revirando os olhos — to indo no ensaio da banda.

— Chegue antes das 6.

Vi ele revirar os olhos uma última vez, antes de sair. Na moral, eu não entendo minha mãe, por que eu posso chegar até as 10 e ele tem que chegar antes das 6? Qual é a lógica?
Tá, acho que eu to viajando.

Din don

— Deve ser ele, tchau mãe — Soltei um beijinho no ar pra ela abri a porta.

— Oi pessoinhas — disse de forma fofa.

— Mia?! — Duas pessoas disseram juntas.

—Rosa? Julia? — Disse surpresa, antes de ser esmagada por essas duas hipopótamos.

— Cuidado suas duas malucas! — disse rindo, junto delas e do Alexy.

— Quando o porpurina disse que iamos buscar uma Mia eu nunca imaginei que seria você — Comentou Rosa.

—Raran — Alexy limpou a garganta — Eu estou aqui sabiam, e estou boindo.

[...]

—Valeu por me trazerem Lexy — Agradeci.

— Que isso Mia, Só to te trazendo porque você ia acabar se perdendo — Disse Alexy rindo.

— Poxa — Coloquei a mão no peito fingindo que estava ofendida.

— hahaha, até segunda.

— Até! Se cuida viu, vê se não gasta todo seu dinheiro no shopping.

— Irei tentar!

Logo entrei em casa rindo, realmente é ótimo ter reencontrado a Julia e a Rosa.

— Tá rindo do que? — Perguntou Castiel, enquanto me encarava.

— Ixi! Pode rir mais não? Eu em, tpm?

— Até você Mia? — Revirou os olhos.

Continua....?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...