1. Spirit Fanfics >
  2. Amor prostituto >
  3. Meus 18 anos

História Amor prostituto - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Meus 18 anos


                                                                                         MIKE


 Depois de tomar banho me arrumo na frente do espelho, gosto do meu rosto, meus olhos escuros combinam muito bem com os meus cabelos azuis escuros, quase pretos, os óculos me deixam com cara de inteligente, é eu acho que eu sou. Minha roupa estava combinada, eu até tenho um pouco de estilo. Não sou tão bonito assim, apenas me acho... Razoável, beleza não é algo tão importante.


-Mike, onde vai querido? -Minha mãe (Angela) disse enquanto assistia TV na sala. -Já está escurecendo lá fora.


-Eu? Vou.... Encontrar um amigo, mãe. -Eu disse.


-Vai dormir lá, Mike? está tão tarde, por que não deixa para ir amanhã? -Angela disse parando de olhar a tv para me encarar desconfiada. 


-Ah... -Dou uma risada de nervoso. -Eu acho que vou sim, vou dormir lá...


 Tenho que mentir, se eu falar que vou em um puteiro essa mulher me mata, mesmo com 18 anos. Ela falaria algo como: "Você não pode fazer o que quer, tem que respeitar o nome da nossa família." E outras coisas.


-Quer que o mordomo te leve? -Minha mãe pergunta.


-Não... não precisa, eu vou com o carro que ganhei de aniversário. -Falo. 


-Mas querido, se te pararem você não tem carta de motorista. -Parece que minha mãe me pegou nessa.


-Tudo bem, eu peço para o Sebastian me levar. -Falo por fim. -Tchau mãe.


Ferrou tudo, ele vai descobrir o meu destino.  Entro no carro e dou o endereço ao meu mordomo, ele encara o papel por bastante tempo. 


-Conheço muito bem este local, sr. -ele fala dando um sorriso de lado e eu congelo. 


-N-não é que... Não é isso que você está pensando.... eu vou fazer 18 e... bem....


-Não preciso de suas explicações sr. Mike. -Sebastian começa a dirigir. -Fica tranquilo.


-Só não conta para a minha mãe e para o meu pai. 


-Como desejar. -Ele diz e passamos o resto do caminho em silêncio.


**


 Chegando em meu destino, Sebastian voltou para minha casa, me deixando sozinho na frente do local. Por fora não se parece nada com uma casa de entretenimento, mas por dentro é totalmente o contrário, música alta, um cheiro meio doce (Canela e Baunilha) e as luzes piscavam com várias cores diferentes, demorei um pouco para me acostumar com todo aquele brilho. 


 As mulheres andavam desfilando pelo local com roupas extremamente curtas, tinha homens bebendo (e até algumas mulheres), conversando e secando as moças que trabalhavam no local.  Perto de um balcão de bebidas tinha alguns caras grandes e velhos conversando, preciso de informações e eles tinham cara de que sabiam de tudo ali. 


-É... como que eu faço para... para.... -Me aproximo deles, quase gritando, já que a música estava muito alta. 


-Boa noite garoto! está precisando de trabalho? você tem um rosto bastante bonito. -O homem de cabelos grisalhos segurou meu rosto me olhando de perto, sinto os dedos ásperos dele roçar na minha pele enquanto me examinava, isso é estranho até demais. 


-N-n-não preciso de trabalho, senhor.... como faço para contratar alguém? -pergunto me afastando um pouco. 


-Ah, você falou com a pessoa certa, sou o dono daqui, mas hoje só temos apenas homens disponíveis, tem problema? -O grisalho diz.


-H-homens?... -Fico pensando por um longo tempo, eu não posso voltar para casa agora, já estou aqui. Talvez fazer com um homem não me deixe tão envergonhado assim, então falo inseguro. -N-não tem problema.


-Que bom. Sabe, você tem cara de virgem. Como é a sua 1º vez aqui, sei de alguém perfeito, quase da sua idade, ele vai pegar leve com você. 


-Com-como você sabia que eu sou virgem? -Coro. -É tão óbvio assim?


-Já vi muitos. -Ele bebe sua cerveja. -E a sua cara de ingênuo não engana ninguém.


-Onde ele está? -Olho em volta. 


-Ele vai fazer um pequeno show agora naquele palco, você pode assistir se quiser, quando acabar eu falo com você. Mas se precisar de trabalho meu nome é Jack. -O grisalho pisca para mim, me entregando um cartão de visita. 


 Esse dono da boate, intitulado como Jack, tem cabelos grisalhos (mais puxado para o preto), tem um rosto bonito para a idade. Ele está usando um terno preto com a gravata azul. Parecia muito com um cafetão mesmo.


-Ok. -Decido ir ver o tal "show", me sento na 1º cadeira bem de frente do palco, vários homens também estavam lá.


O palco que antes estava escuro, agora está bastante iluminado. Agora conseguia ver perfeitamente o pau de pole dance e um jovem já estava posicionado para começar o show. Então esse é o jovem que Jack me falou, é tão bonito. Quando uma música começou, o jovem iniciou uma dança sensual, sua roupa mostrava seu corpo muito mais que o necessário. Eu quase babei no começo, tão maravilhoso!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...