1. Spirit Fanfics >
  2. Amor prostituto >
  3. O Show na casa noturna

História Amor prostituto - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - O Show na casa noturna


Fanfic / Fanfiction Amor prostituto - Capítulo 5 - O Show na casa noturna

MIKE


Quando uma música começou, o jovem iniciou uma dança sensual, sua roupa mostrava seu corpo muito mais que o necessário. Ele me encarava de um modo profundo e sensual parecendo que estava me provocando. Foi como se eu estivesse em um show particular com esse profissional. 


 O jovem no palco fez vários movimentos, como descer até o chão segurando o pau de pole dance, tirar algumas peças de roupas enquanto rebolava, mordia os lábios e o mais excitante, passar a língua sensualmente no pau de pole dance. 


 Todos os homens a minha volta gritavam, eu estava muito corado e excitado, aquilo é incrível, estava quase morrendo de tão excitante que estava sendo, aquela apresentação incrível durou mais ou menos 20 minutos, eu não conseguia desviar o olhar. Quando o homem no palco ficou de quatro enquanto rebolava todos gritavam e eu olhava com toda a atenção do mundo. 

 Quando o show acabou todos bateram palmas e gritaram e eu não fui uma exceção. Foi tão bom, tanto que eu poderia ver aquilo a noite inteira sem cansar. Eu nunca pensei que iria ficar duro apenas olhando alguém dançar. 


-Ei garoto! -Vi o Jack, dono do estabelecimento, me chamar. 


 E eu me aproximei dele. 


-Esse é o homem que pode cuidar de você nessa noite, o nome dele é Alex -Jack pisca apontando para o loiro que acabou de dançar no palco. 


 Olhei bem para o prostituto e só agora me dei conta agora de que é o mesmo loiro que roubou a loja que trabalho no outro dia, fiquei encarando-o por bastante tempo, parece que Alex também me reconheceu já que olhava com uma expressão de desgosto. 


-Jack! Sabe que eu odeio caras nerds, eles não fodem nada bem! -Alex cruzou os braços parecendo uma criança birrenta.


-Nada a ver. Você é viciado em sexo Alex, você aceita tudo. Bom, é a primeira vez dele aqui, seja gentil. E para de xingar todo mundo! -O dono disse indo falar com um homem do outro lado do salão.


-Tá bom... vamos? -O loiro olha desinteressado para mim. 


 Apenas balanço a cabeça afirmando e sigo ele até um quarto no andar de cima. Era um corredor grande com paredes vermelhas e várias portas, uma do lado da outra. Um homem que estava do lado de umas das portas ficou olhando para o prostituto a minha frente com uma expressão bem sugestiva e o loiro percebeu.


-An, você está me olhando demais, em! -Alex sorri maliciosamente para o homem. -Depois que terminar com ele. -O loiro aponta para mim. -Nós vamos conversar um pouco, ok. 


-Com certeza! -O cara encostado sorriu cruzando os braços.


  Entramos no último quarto do corredor, me sentei na cama e fiquei olhando para o prostituto, esperando que ele fizesse algo, já que eu não tinha ideia do que viria a seguir. 


-Parece que nós nos encontramos de novo seu otário! -Alex me encara. 


-É.... me chama de Mike, não gosto muito que me chame de otário sabe... só hoje vou esquecer que você roubou minha loja. -Sorrio gentilmente esperando ele se desculpar.


-Que seja! Quantos anos você tem? 


-Fiz 18 hoje. -Falei.


-Hm. -Ele diz sem se importar muito. -Tem cara de mais novo.


 Alex estava com uma expressão de que está odiando tudo isso, não suporto pessoas que fazem as coisas de má vontade. Mas não posso ficar estressado agora, hoje é o meu dia, meu aniversário. 


-Então vamos lá. -Alex ficou na minha frente começando a tirar a roupa, uma de cada vez enquanto sorria.


 Espera, é direto desse jeito? Pensei que iria rolar um clima primeiro, talvez uma conversa picante, mas não. Fico olhando cada detalhe do corpo do profissional a minha frente, seu corpo é tão bonito.


-Por que está tão tímido? não vai tirar a roupa? -Alex diz ainda com um sorriso no rosto. -Ou quer que eu tire?


Meu coração estava acelerado e eu sentia um frio na barriga, fico encarando ele com os olhos arregalados, tenho que fazer algo.


-calma, eu.... -Falo sem jeito, tirando a minha camisa, mas eu acabo me atrapalhando, travando a camisa na minha cabeça. (não sei como aconteceu, pensei que era impossível fazer essa proeza em um momento assim). -Só espera, que eu já estou tirando.... só espera.


Acho que eu já posso morrer de tanta vergonha que estou passando. E depois de tentar tirar a camisa por quase 2 minutos, ele me ajudou a tirar e logo em seguida se aproximou de mim.


-Pode começar. -Alex disse mordendo o próprio lábio. 


-C-começar? -Falei desviando o olhar dele. -Começar com o que?


-Não me diga que você é... - Assim olho para o prostituto, seu sorriso malicioso já não está lá. 


-É sou virgem. -Completo a frase dele olhando para baixo.


-O QUE? Mas você tem 18 anos. -Ele ri sentando na cama. -Você é um completo perdedor, sabia? só pagando mesmo pra você fazer isso, é ridículo. 


-É... -Prefiro não dizer nada, estou começando a ficar bravo.


 Isso foi com um soco no rosto, me ofendeu de verdade. Demorou muito para ele parar de rir, mas eu esperei pacientemente, olhando para o chão. 


-Bom, Vamos acabar logo com isso. -Alex me empurra na cama e logo senta em cima do meu quadril. 


 O loiro estava nu, é uma ótima visão, mesmo estando me sentindo muito humilhado, é melhor deixar os xingamentos de lado e fazer sexo.  


-Eu nem preciso fazer nada, você já está duro desde quando eu dancei não é? -Ele lambe meu pescoço e todos os meus pelos do corpo ficam arrepiados. -Safado.


-V-vai com calma. -Falo corando. 


-Não, vai ser do meu jeito, seu riquinho de merda. -O prostituto disse, e eu perco a paciência.


-Você poderia ser um pouco mais gentil? -Falo aumentando o tom de voz, por que ele tem que ser tão ignorante? 


Eu estou começando a ficar bravo, isso não é nada bom, se ele falar mais alguma coisa eu vou explodir. 


-Olha, é Mike não é? -O prostituto me olha com desgosto. -Não estou fazendo isso por vontade própria. Eu odeio trepar com virgens, você não sabe fazer nada, não é. Não me peça para tratar bem alguém que não merece!  Você é um INÚTIL. -Ele grita a última palavra. -Lixo!


 Ah chega, ele conseguiu me deixar puto! Eu não vou ser insultado assim. Não estou pagando pra isso, (tenho o orgulho muito frágil)
QUAL É A PORRA DO PROBLEMA DELE?


-Você é bastante ingênuo! -O garoto de programa disse. -tá me ouvindo?


-CALA A BOCA ALEX! -Grito.


-o-o que? v-v-você não pode me tratar assim. -Alex frange as sobrancelhas. 


-Fica quieto, porra. 


Esse é o meu maior defeito.
Sou gentil com todos, mas se eu ficar bravo, não consigo me controlar, também passei no psicólogo por isso, mas não resolveu tanto...
Tenho muito problema em controlar minha raiva em momentos assim.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...