1. Spirit Fanfics >
  2. Amor rival >
  3. Sentimentos que enjoam.

História Amor rival - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Olá Queridos leitores!
Tudo bem? Já lavaram as mãozinhas? Sim? Então tudo bem.

Venho aqui perguntar a opinião de vocês!

Vocês acham que eu tô enrolando? Bem, eu gosto de fazer histórias que se tratem do personagem específico e que mostre a vida dele para vocês sentirem empatia por ele. E assim eu vou fazendo a história de amor através disso. Porém eu tô me perguntando, se vocês gostam disso ou querem logo que eu faça só romance sabe.
Bem, vocês podem me ajudar com sua opinião? Eu tô esperando ansiosa. Beijos e boa leitura! 💞

Capítulo 14 - Sentimentos que enjoam.


Fanfic / Fanfiction Amor rival - Capítulo 14 - Sentimentos que enjoam.

"Eu sempre fui apaixonado pelo Kirishima, ele é o amor da minha vida eu tenho certeza Tsuyu! Agora eu sei disso!"

"Você.. Tem certeza disso Bakugou? As vezes a pessoa certa sempre está do seu lado.. Como eu estou."

"Me desculpe.. E-eu não.."

[ . . . ]

O amanhã com pancadas de chuva nascia sem piedade, as chuvas forte faziam um som tremendo acordando toda a vizinhança que já tiravam as coisas das tomadas. Katsuki acordava desesperado em um quarto isolado. - Então foi apenas um sonho? - Pensava alto e ofegante. - Sua garganta doía como se alguém tivesse passado uma faca afiada, seus olhos pesavam fazendo-o fechar para descansa-los rapidamente. - Abraçando seus joelhos, ele apoiava sua cabeça neles pensando em como poderia ir as aulas naquela chuva, ele estava dias sem ir, apenas iria atrapalhar a si mesmo. -Com seu corpo desajeitado, põem seus pés calmamente ao chão gelado de cerâmica. Andando pelos corredores apoiado entre as paredes brancas, avista Midoriya fazendo café da manhã para dois na cozinha.

-Bakugou? Ah eu ia levar seu café da manhã na cama!- O esverdeado fazia bico.

-Você não precisa fazer isso. Vamos morar juntos agora, eu deveria te ajudar.

-Eu preciso sim! E você vá tomar banho e se vestir, daqui a pouco temos que sair para assistir as aulas.

-Está bem. - Beija a bochecha de seu amigo. - Eu já volto.

Deslizando as mãos em seus cabelos um pouco embaraçados, tirava sua roupa amarrotada pondo a no cabideiro ao seu lado.Tudo estava perfeitamente limpo, como o esperado de Midoriya, um jovem que admirava a limpeza e perfeição. - Katsuki sentia a água pelante passando pelo seu corpo musculoso porém fraco naquele momento. Ele sabia que não estava bem mentalmente, mas ele deveria ser forte, afinal, ele não queria que ninguém visse suas fraquezas, isso era inadmissível para ele. - Após terminar de se banhar, o mesmo desliga as luzes do banheiro olhando para o seu rosto cansado e com olheiras, apertando seu pulso para se recompor da tristeza, levantou sua cabeça dando um sorriso fingindo no rosto.(Seu pulso estava marcado com tanta força que havia usado.) Ele vestiu seu uniforme e tomou café com Midoriya que acariciava seus cabelos tentando animá-lo. Ele tinha falhado miserávelmente, mas ele mesmo que ele nunca saiba, havia expandido o seu espaço no coração de Bakugou.

Já que ele moraria agora em diante com seu melhor amigo, Midoriya,que era de classe alta, iriam todos dias juntos para o colégio com o vanquish preto comprado pelo próprio esverdeado. - Os dois se sentam com o grupo no refeitório conversando como tinha sido os últimos dias para ambos. - Katsuki não estava prestando atenção na conversa, mas ele com certeza estava mais feliz, ele não parava de sorrir até. O que deixou seu amigo muito feliz e carinhoso com ele. Mas a hora do almoço e do intervalo uma hora acabam, e assim começam suas aulas. Katsuki escrevia rápido, então não era difícil copiar o exercício de química no quadro negro.

"Se uma solução possui um pH equivalente a 4, pode –se afirmar que é uma solução ácida ou básica? Por quê?"

"É uma solução ácida, porque o pH das soluções ácidas varia de zero até sete." - Responde em seu caderno.

Com suas lições terminadas facilmente, ele apoia sua cabeça em sua mão olhando para fora com um olhar vazio. Bakugou era um cara inteligente, e química era uma das aulas que ele mais era especializado, por isso ele gostava quando podia apenas olhar para fora sem se preocupar por já ter feito tudo. - O mesmo ponhava seus cabelos para trás olhando para o portão vermelho que estava se abrindo calmamente. - Tsuyu entrava pondo seus cabelos a altura da cintura que voavam ao vento atrás da orelha. ;Ela tinha ganhado uma grande bronca por ter chegado atrasada, e foi mandada para o pátio até o primeiro tempo acabar. Seus olhos se encontraram com os avermelhados escuros de Bakugou. Ela parecia nervosa, e o mesmo só fez bico se virando para frente novamente. Katsuki não gostava da atmosfera que ela dava ao ambiente, e embora seja errado ignorá-la desse jeito mesmo depois de tudo.

"Ei Tsuyu! Você gosta mesmo de mim..?"

"Sim! Eu faria de tudo por você!"

Abriu as portas para um novo sonho de novo, Bakugou?

O loiro abria seus olhos devagar, ele estava nervoso e dava para ver que saía de si gotas de suor de tamanho nervosismo. A sala já estava vazia, ninguém tentou chamá-lo para a próxima a aula? Que grosseiros! - Tsc.. Eu dormi. - Pensava alto. - O eco deu para se ouvir nos corredores onde as luzes estavam com defeito. - Esse colégio parece um filme de terror.- Bakugou exclamava pegando sua mochila. - Fechando a porta, ele pode sentir atrás dele pequenos seios escorados em suas costas largas. Ele já sabia que era uma menina, e também sabia que era Tsuyu sentindo o cheiro de suas roupas. Ela parecia necessitada do mesmo, o que fazia ele se sentir constrangido.

-Acho que você já pode me soltar. - O loiro fala sem nenhuma expressão em seu rosto.

-Bakugou me perdoe... Eu te amo tanto! Por que você não entende isso! Caramba! eu penso em você toda hora idiota! - Bate os pés enxugando as lágrimas que escapavam de suas mãos.

-Tsuyu, você lembra de quando você disse que a pessoa certa pra mim estaria ao meu lado?

-S-sim! Eu lembro.. Eu não esperava que voc..

-Então por que você foi embora? Você me deixou sozinho Tsuyu. Você não ficou mais ao meu lado. - Sussurra suavemente no ouvido da jovem. - Então eu acho melhor você desistir disso.

A morena havia ficado paralisada caída em meio ao corredor. Katsuki andava normalmente com sua mochila apoiada em um ombro só,demonstrando nenhum sentimento pela sua amiga antiga. Ou nem amiga era mais. Caminhando por algum tempo pelo corredor sem rumo, ouviu uma risada familiar vindo de uma sala. Curioso, o mesmo olha cauteloso pela pequena janelinha que tinha no meio da porta. Seu coração disparou vendo Kirishima com Tsuyu conversando tão abertamente. - Puff, quem liga para esses insignificantes? - Pensa já olhando reto e continuando seu caminho. - Ele estava com desgosto, ele estava certo que eles haviam ficado juntos? Não dava para se dizer, mas sua mente estava inventado diversas conclusões precipitadas. Ele logo encontrou seu grupo, e todos estavam bem sorridentes, como sempre.

-Mano! Vamos ir a uma lanchonete hoje? - Kaminari diz batendo levemente no braço do amigo. - Vamos chamar sua nova amiga se quiser, a Momo né?

-Você é chato demais Merda! Vocês trazem ela, eu e o Midoriya encontramos vocês naquele café a esquina daqui.

-Você vai mesmo sair?! Até que enfim senhor! - Mina se agacha nós pés do loiro o zombando.

Após todas as aulas terminadas com sucesso, os amigos fizeram o que disseram e se encontraram na lanchonete que se encontrava perto do colégio. Eles pediram cafés expressos com seus nomes escritos através da espuma e riam sem parar com as brincadeiras de Hanta Sero e das conversas impróprias do pervertido do Kaminari. Tudo ocorria bem, porém quando deu o horário de Katsuki e Midoriya irem para Casa, o grupo completo do ruivo apareceu tomando atenção de todos que ali estavam e trabalhavam. - O loiro apenas olha para Midoriya rangindo os dentes sinalizando que eles tinham que ir embora naquele instante.

-Olá! - Grita a amiga de cabelos roxos para katsuki. Você é o Bakugou? Você é bonito mesmo como dizem. - Sorri guardando sua guitarra em sua capa. - Prazer, Jirou.

-Hu, prazer.

-Bem, é que sabe o Kirishima? Então ele tá todo apaix..

-Jirou! Te encontrei hehe. - Kirishima aparece cobrindo a boca da mesma com um sorriso nervoso.

-Desculpe não posso ficar aqui pra saber o queria. - Puxa Midoriya pelo braço. - Tchau pra vocês.

Fechando a porta com o "Fi fiu" do macaco que o irritava muito a cada vez que alguém passava, os amigos saíram suspirando aliviados por nada estressante ter acontecido. Os dois sabiam que quando Kirishima estar por perto, o peito de Katsuki doía o fazendo se sentir mal e intrigado com aqueles que chegam perto.

-Kacchan..eu sinto que você não tá nada bem. Eu queria saber se você podia me cont..

-Eu vi o Kirishima rindo com Tsuyu. Acho que eles já ficaram juntos, ou estão juntos afinal de contas. - Fala abertamente com seu companheiro de casa.

-E-Eu.. Não deveria ter perguntando..

-Eu disse que iria falar tudo para você de agora diante não disse? Eu vou comprir o que prometi. - Abraça Midoriya escorando seu queixo em seu pescoço delicado. - Obrigado por me ouvir, Deku.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...