História Amor Selvagem - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Visualizações 173
Palavras 3.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei..... Sei que demorei um pouquinho, foi mal. kkkk
Boa Leitura.

Capítulo 17 - Eu sou sua


 

Regina acorda com os raios de sol batendo em seu rosto, imediatamente seu sorriso surgiu ao lembrar da noite maravilhosa que teve com sua loira. Ela estava mais tranquila depois da conversa que tiveram. Emma ainda não havia dito que a amava, mas ter sua loira entregue ontem foi a resposta que ela precisava para saber que o sentimento era mutuo.

Emma dormia esparramada na cama e tinha um semblante tão tranquilo que fazia Regina se apaixonar ainda mais. A morena mirou os lábios rosados e delicadamente deslizou os dedos no local. Era incrível como essa loira marrenta estava a cada dia se tornando a pessoa mais importante em sua vida. Emma tinha uma doçura, uma sensibilidade que fazia questão de esconder de todos, mas para a morena era totalmente dedicada.

Assim que sentiu o toque nos lábios, Emma despertou, mas continuou com os olhos fechados para ver até onde sua morena iria. Em um movimento lento ela retirou o lençol que cobria seu busto e virou a cabeça para o outro lado para Regina não perceber que foi intencional.

Regina segurou a respiração por alguns segundos para não acordar a loira. Percebendo que ela ainda dormia a morena desviou o olhar para os seios de Emma. Ela nunca havia imaginado sentir atração por mulher, na verdade ela nunca sentiu atração assim por ninguém. Os seios de Emma eram tão bonitos, tão redondos e pequenos que pareciam um imã para os olhos da morena.

Regina olhou para o rosto de Emma que respirava lentamente e timidamente levou uma mão ao seio esquerdo da loira a deixando imóvel sobre o monte rosado. Era tão macio, quente igual a todo o corpo da loira, ela sentiu um calor passar por seu corpo e suspirou. Delicadamente começou a deslizar os dedos pela pele alva da loira gravando cada nova sensação, seu corpo estava começando a ter reações que jamais imaginou sentir.

Emma queria ver até onde sua morena iria, mas estava ficando difícil aguentar as caricias de Regina, a loira já estava toda arrepiada e não aguentando mais ela resolveu se revelar.

- Se aproveitando de mim enquanto durmo? – perguntou Emma com um sorriso nos lábios.

Ao ouvir a voz da esposa, Regina recolheu a mão e escondeu o rosto no travesseiro, tal ato fez Emma gargalhar.

- Não precisa ficar com vergonha, pequena. – disse Emma apoiando a cabeça em uma das mãos e acariciando os cabelos de Regina.

Mesmo sabendo que era normal pessoas casadas terem esse tipo de intimidade, Regina estava morrendo de vergonha e por isso continuou com o rosto enfiado no travesseiro.

- Morena, olha para mim. – pediu Emma enquanto acariciava os cabelos de Regina.

- Não Emma.

- Por favor, preciso ver seu rosto quando acordo. – disse Emma e Regina ficou em silencio.

Depois de muitos pedidos da loira, Regina olha para Emma que se encanta com o rosto vermelho da amada e sem dizer nada toma os lábios de Regina para si em um beijo apaixonado.

- Você fica linda envergonhada sabia? – disse Emma após o beijo.

- Para. – disse Regina fazendo bico.

- Mesmo que eu adore esse bico. – disse Emma dando um selinho na morena. – Agora eu quero ver seu sorriso. – Disse Emma e Regina negou com a cabeça. – Vamos morena, só um sorriso.

- Não Emma. – continuou seria por conta da vergonha.

Emma estava muito feliz pelos acontecimentos da noite anterior e por isso não parava de sorrir, foi então que teve uma ideia e com um sorriso travesso começou a fazer cosquinhas em Regina que no inicio resistiu.

- Para Emma. – pediu ela segurando a vontade de sorrir.

Emma percebendo que seu plano estava surtindo efeito intensificou seus movimentos e a morena começou a gargalhar pedindo para que a esposa parasse. A cada gargalhada de Regina, Emma sentia seu peito se aquecer e sabia que queria a morena para sempre em sua vida.

- Pa...pa...ra, Emma. – pedia Regina entre as gargalhadas.

- Só paro se você prometer acordar sempre sorrindo. – pediu a loira.

- Eu.... pro....meto. – mais gargalhadas.

Emma se perdeu por alguns segundos na felicidade da esposa e prometeu para si mesmo, naquele momento que faria de tudo para deixar sua mulher sempre dessa forma, sorridente, leve, feliz.

Quando as gargalhadas cessaram, elas ficaram se encarando por alguns segundos até que Emma não aguentou e deitou por cima de Regina beijando-lhe apaixonadamente. Sentir o corpo quente de Regina sob o seu era algo mágico, a pele quente tocando seu corpo, os gemidos que a morena soltava durante o beijo, as batidas aceleradas do coração de sua pequena a faziam delirar e completamente louca de tesão, Emma levou uma mão ao sexo de Regina e foi ela a gemer quando sentiu o quão molhada sua morena estava.

- Ahhh... Emma. – gemeu Regina segurando a mão da loira que estava entre suas pernas.

- O que foi, pequena? – perguntou Emma saindo de cima da esposa e a encarando.

- É que... – começou Regina envergonhada, mas sem desviar os olhos do corpo desnudo da amada.

- Quê? – perguntou Emma sorrindo ao perceber o que sua morena queria.

- Eu... quero sentir você... te tocar. – falou com o rosto vermelho pela vergonha.

- Eu sou sua, pequena. Pode fazer o que quiser comigo. – falou Emma docemente.

- Mas, eu não sei como.

Emma vendo a insegurança da morena, selou seus lábios carinhosamente e em seguida pegou uma das mãos de Regina e a levou para seu seio e pondo a mão por cima da mão de Regina começou a apertar de leve o local deixando a mão da morena livre para fazer o que quiser.

- Eu estou em suas mãos, morena. Faça o que tiver vontade. – disse Emma se deitando de costas para a cama.

Regina encantada com o corpo da esposa, agora acariciava os seios de loira com mais vontade. Em seguida deslizou a mão pelo abdômen definido de Emma que suspirava a cada toque.

A morena tinha um toque suave e mesmo que suas mãos estivessem tremulas ela estava levando Emma a loucura.

Regina deslizava suavemente seus dedos pela pele quente de Emma, se deliciando com a suavidade e calor que sua amada possuía. Ela também tinha o corpo tremulo, estar tocando uma pessoa dessa forma era maravilhoso e ouvir Emma gemendo a cada movimento a estava enlouquecendo.

Tomada pela curiosidade e lembrando do que sentia quando Emma lhe tocava o sexo, Regina levou a mão timidamente para o meio das pernas da loira e sentiu o corpo entrar em erupção ao sentir como era úmido o sexo da amada.

- Ahhh... Regina... – gemeu Emma de olhos fechados ao sentir o toque.

- É tão... molhado. – disse Regina adorando a sensação fazendo Emma sorrir pela descoberta da amada.

- Está assim por... sua causa...hummm. – gemeu Emma quando Regina começou a deslizar o dedo por seu ponto de prazer.

A morena iniciou movimentos rápidos por todo o sexo de Emma, era tão prazeroso sentir sua loira daquela forma que Regina não conseguia controlar suas investidas. Emma percebendo isso resolveu diminuir o ritmo de Regina.

- Vem cá. – chamou Emma pondo a mão na nuca de Regina a puxando para um beijo cheio de desejo.

- O que foi? Fiz algo errado? – perguntou Regina após o beijo.

- Não. Você estava perfeita. – disse Emma beijando o pescoço da morena. – Só não estava mais aguentando ficar sem seu beijo. – concluiu a loira tomando os lábios da morena para si em um beijo cheio de desejo.

O corpo de Regina estava sobre o de Emma que a apertava com força por conta do desejo que dominava seu corpo. Regina estava morrendo de vontade de proporcionar a Emma todo o prazer que a loira sempre lhe ofereceu, porém, estava receosa, não sabia como fazer isso direito. Emma percebendo a insegurança e o desejo de Regina resolveu ajuda-la. A loira ainda saboreando os lábios de sua pequena pegou uma das mãos de Regina e levou para seu sexo sedento pelo toque da amada.

- Hummm... – gemeu Emma ao guiar o dedo de Regina fazendo círculos em seu clitóris.

A morena continuou com os movimentos e gemeu o nome da amada ao perceber que o sexo de Emma ficava cada vez mais molhado a cada movimento seu.

- Amor... eu quero você dentro de mim. – gemeu Emma sem perceber com havia chamado a morena.

Tal tratamento não passou despercebido por Regina que a encarou sorrindo. Ela teria ouvido certo? Emma realmente a chamou de amor? Ou seria uma reação do desejo que sentia pela esposa?

Emma sentiu Regina parar os movimentos, mas continuou com o dedo no nervo inchado. A loira pensou que Regina estava assim por não saber o que fazer, afinal, era a primeira vez que sua pequena estava tocando alguém dessa forma.

- Faremos juntas. – disse Emma docemente levando sua mão para o sexo da morena que gemeu com o toque.

Emma começou a fazer círculos no clitóris da morena que gemendo imitou os movimentos da loira. Os gemidos preencheram o quarto, o cheiro do sexo inebriava as duas de tal forma que as estavam levando a loucura.

Não aguentando mais a vontade de ter Regina dentro de si, Emma levou o dedo a entrada encharcada de Regina que fez a mesma coisa e em seguida a penetrou de vagar se deliciando com a entrada apertada que sua pequena possuía.

- Regina... hummm... – gemeu Emma quando a morena a penetrou.

Fazia algum tempo desde que Emma permitira que alguém lhe possuísse, nem mesmo Lily teve esse privilegio, mas com Regina era diferente ela queria tudo com sua pequena e permitiria que Regina fizesse o que quisesse com ela.

As estocadas começaram lentas e deliciosas. Regina por estar em cima da loira começou a rebolar procurando mais contato, mas sem deixar de estocar a loira que tinha os olhos fechados enlouquecida. Continuaram assim até que seus corpos começaram a tremer. Emma sabia que não aguentaria por muito tempo, mesmo Regina não tendo experiência estava fazendo um ótimo trabalho.

- Emm... amor...haaa... hummm. – choramingou Regina escondendo o rosto nos pescoço de Emma e em seguida sentiu algo quente escorrendo por seus dedos e também se entregou ao orgasmo.

Retiraram as mãos dos sexos completamente encharcados e ficaram abraçadas enquanto respiravam com dificuldade.

Emma tinha um lindo sorriso nos lábios. Regina foi incrível a muito tempo ela não tinha ficado tão satisfeita, tão completa. Ela definitivamente pertencia a Regina Mills, sua Regina, sua pequena, seu amor.

- Pequena. – Chamou Emma acariciando as costas nuas de Regina. – Você está bem?

- Sim. – disse Regina erguendo a cabeça e olhando para Emma sorridente.

- Você foi perfeita. – disse Emma acariciando o rosto de Regina.

- Emma... – disse Regina seria.

- O que foi pequena? – perguntou Emma preocupada. – Há algo errado?

- Eu... quero... – disse Regina corando fortemente.

- O que minha pequena? – perguntou Emma deslizando os dedos pelas bochechas da amada.

- Eu quero sentir seu ... gosto. – A loira encarou Regina por alguns segundos, mas logo abriu um sorriso ao perceber o que sua menina queria.

- Ordene não peça, Regina. Eu sou sua, estou em suas mãos. – disse Emma completamente apaixonada e puxou a morena para um beijo cheio de amor.

Após separarem os lábios, Regina desceu pelo corpo da loira distribuindo suaves beijos pelo corpo da loira que suspirava com os toques dos lábios da amada. Ao chegar entre as pernas de Emma, Regina sentiu o corpo arrepiar e olhou mais uma vez para a loira que mordia o lábio inferior.

- Eu sou sua!- disse Emma incentivando a amada a continuar.

Mesmo com receio de não ser capaz de satisfazer sua amada, Regina levou os lábios para a vagina da esposa e lentamente deslizou a língua por toda sua extensão. Era quente, úmido, suave, delicioso. E por puro reflexo ela começou a deslizar a língua para cima e para baixo fazendo Emma gemer e movimentar o quadril em busca de mais contato.

- Morena... haaa... eu preciso de você dentro... humm... dentro de mim... humm. – pediu Emma enlouquecida.

E sem parar de chupar a loira, Regina penetrou Emma lentamente e começou a estoca-la de vagar.

Emma delirava e gemia sem controle, Regina a estava levando a loucura. Percebendo que seu ápice estava próximo a loira pediu para que Regina introduzisse mais um dedo.

- E seu te machucar? – perguntou Regina com receio.

- Não vai... por favor... eu preciso de mais... – implorou Emma.

E assim Regina fez, introduziu o segundo dedo e continuou com suas estocadas.

- Mais forte morena. – pediu mais uma vez Emma sentindo o orgasmo bem próximo.

Regina aumentou a força das investidas e sentiu o corpo da loira enrijecer. E após mais algumas investidas Emma gozou chamando o nome de Regina que saiu de dentro dela deitou por cima de Emma escondendo o rosto no pescoço de sua amada.

- Você tem o gosto bom. – sussurrou Regina contra o pescoço da loira.

Ao ouvir tal afirmação Emma gargalhou e apertou Regina mais contra seus braços.

- Não mais que o seu. – respondeu ela e Regina ergueu a cabeça sorrindo.

- Boba. – disse a morena envergonhada.

Emma se perdeu naquele rosto que não consegue mais passar um dia sequer sem ver. Regina era perfeita, doce, carinhosa, recatada, encantadora e Emma a amava cada dia mais. Ela passou um tempo daquela forma e Regina estranhou.

- Emma. – chamou a morena e viu a loira piscar algumas vezes. – O que você tem? – perguntou e viu Emma sorrir.

- Eu amo você. – confessou Emma e sentiu os batimentos da morena acelerar. – Eu amo você, minha pequena como nunca amei antes na vida. – disse Emma e passou os dedos secando algumas lágrimas que desciam dos olhos de Regina. – Por que tá chorando?

- É que... você não sabe como eu esperei para ouvir isso.  – disse Regina pondo mais uma vez a cabeça no pescoço da loira enquanto as lágrimas molhavam a pele da loira.

- Não chora meu amor. –pediu Emma acariciando os cabelos da morena. – Sabe que não gosto de te ver assim.

Ficaram ali abraçadas com Emma acariciando sua  morena que ela se acalmasse.

 

[SQ]

 

- Aqui está. – diz Espinola para Gold que olha para o rapaz que está ao lado do capitão. – Não é um órfão, mas é bastante esperto. – conclui o capitão.

- Como se chama? – pergunta Gold ao rapaz.

- Pedro fox. – responde o garoto que parecia assustado.

- Ele é irmão de um dos presos. – disse Espinola. – Eu disse a ele que se ficasse esperto poderia soltar seu irmão mais cedo.

- E se não trair? – perguntou Gold preocupado.

- Não! Ele não é tonto. – afirmou o capitão encarando o rapaz. – Além do mais, tem família e não quer que nada aconteça a eles. Não é?

- Não, chefe. – disse Pedro.

- Já sabe o que tem fazer? – quis saber Gold.

- Sim, patrão. – afirmou o garoto.

- Tem que ficar muito atento, por que Emma Swan é uma mulher muito esperta. – afirmou Gold.

- Já sei. – respondeu o garoto.

- Espero que consiga enfiá-la nessa prisão. – disse o capitão.

- Vamos tentar. Se não der certo pensaremos em outra coisa. – disse Gold ficando de pé. – Me procure essa tarde. Estou hospedado na casa dos Nolan.

- Sim, senhor. –concordou Pedro.

- Já entendeu? – perguntou Espinola assim que Gold saiu. – Se descobrir alguma coisa venha me dizer imediatamente. Está claro?

- Sim, chefe. – falou o rapaz com medo de que o capitão fizesse alguma coisa contra o irmão.

 

[SQ]

 

O sol estava quase se pondo deixando a paisagem da praia belíssima. Emma andava de mãos dadas com sua morena sentindo as ondas molharem seus pés. A loira sempre amou o mar, a areia quente sob seus pés, sempre amou a paisagem que aquele lugar lhe proporcionava, mas hoje em especial tudo a seu redor parecia mais belo que nunca.

Caminhar com sua amada sem nenhuma reserva, sem nenhuma insegurança ou duvida era o que estava causando tal sensação na loira.

Ela sempre sonhou com esse momento, em que estaria apreciando esse lugar ao lado da pessoa amada que ficaria consigo até seus últimos dias. Ter Regina por completo e ter se declarado para a morena fez seus sonhos de possuir uma família se tornar real.

- Por que está tão calada? – perguntou Regina.

- Estava pensando na vida, em você. – falou sorrindo.

- Espero que coisas boas. – brincou a morena.

- Como não seria? – disse Emma ficando de frente para a amada.

Ao fitar o sorriso da morena, Emma pôs os braços em volta da cintura de Regina e lhe beijou. O beijo começou calmo, carinhoso, cheio de amor, mas segundo depois já era um beijo urgente, de desejo. Emma era louca por sua esposa e ficar assim em contato com seu corpo fazia pensamentos luxuriosos invadir sua mente e por consequência disso a loira começou a apertar o corpo da amada enquanto devorava aqueles lábios que tanto gostava. Lentamente Emma deitou Regina na areia e se pôs por cima dela sem parar o beijo. Regina soltava gemidos baixos também entregue.

- O que está fazendo? – perguntou Regina quando sentiu a loira levar uma das mãos para dentro de seu vestido.

- Eu quero você. – sussurrou a loira.

- Aqui não Emma. – disse Regina segurando a mão da loira.

- Por que? – perguntou Emma fazendo um bico.

- Por que estamos na praia. Alguém pode aparecer.

- Ninguém vai...

- Não amor. –insistiu Regina e Emma sorriu pela forma como foi chamada.

- Tudo bem. – disse Emma se levantando a ajudando Regina a ficar de pé.

Regina gargalhou ao ver a cara de criança que levou uma bronca que Emma tinha no momento.

- Não fica assim. – disse passando a mão no rosto da amada. – Em casa eu serei sua como quiser. – disse a morena e Emma abriu um sorriso sapeca.

Sem dizer nada a loira pegou Regina no colo e foi em direção ao mar.

- O que está fazendo? – perguntou Regina.

- Preciso de um banho. Não sabe como eu fico quando tenho você em meus braços.

- Você não se atreveria. – disse Regina e viu um sorriso cínico nos lábios da esposa. – Emma, não faz.... – Ia dizendo, mas não pode terminar, pois, a loira se jogou na agua com ela nos braços.

A loira emergiu sorrindo, sabia que teria que lidar com a “ira” da esposa.

- Emma Swan! – disse Regina tirando os cabelos molhados do rosto. – Você me paga! – falou e tentou correr em direção a esposa, mas a agua dificultava seus movimentos.

- Só se me pegar, pequena. – disse a loira gargalhando e fugindo da morena.

Ficaram assim, como duas crianças sorrindo, gritando e jogando agua uma na outra. A felicidade estava transbordando naquele momento. Quem visse aquela cena ficaria com inveja, querendo compartilhar de um amor como aquele.

Enquanto corria, Emma desequilibrou e Regina a alcançou sorrindo.

- Agora você me paga. – disse Regina enlaçando o pescoço da amada.

- Pago o que quiser com todo prazer. – Falou Emma e em seguida capturou os lábios da morena.

Ficaram ali curtindo uma a outra e essa momento mágico por mais algumas horas, simplesmente compartilhando o amor que sentiam e transbordavam por todos os lados.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Comentem.
Fui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...