História Amor selvagem - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Bueno, bueno, bueno meu povo!

EU não me esqueci de vocês só tive uma prova MUY importante nesse domingo e não tinha condições físicas, temporais, psicológicas, cósmicas, etc etc etc de escrever esse capítulo fresquineo!

ESPERO que vocês gostem e o próximo capítulo será o último :S

MASSSS logo postarei outra fic do Naruto, só não amadureci a ideia ainda XD

Beijinhossss até os comentários :*

Capítulo 6 - Capítulo VI


Fanfic / Fanfiction Amor selvagem - Capítulo 6 - Capítulo VI

 Pov Naruto

 

Hinata descobriu a gravidez faz algum tempo, ela se encontrava com uma barriguinha pequena como quando você come muito lámen ou fica cheio de gases, mas não pude fazer essa comparação pois Sakura me socou quando falei pra ela que era isso que a sua própria barriga parecia, ela se setiu bem ofendida, então não falei a mesma coisa para Hinata, principalmente pelo fato dela estar tão feliz, não entendo o motivo da felicidade em ter um filho, falam que eu vou entender quando a criança sair de dentro da barriga dela, eu acho que será estranho, digo, não ter um filho mas...ter uma família, uma família que eu consegui conquistar.

 

Tivemos que nos casar faz alguns dias, assim que consegui uma casa para morarmos, com 4 quartos a pedido de Hinata, não entendi o motivo para tantos quartos se éramos só eu, ela e o bebê que estava a caminho, ou será que ela vai querer dormir sozinha depois? É melhor ficar quieto, tô certo....

 

-Posso saber no que esta pensando meu marido? -perguntou Hinata parada na cadeira da frente da minha, sorri para ela e olhei para a barriguinha que estava de fora, ela seguiu meu olhar e pareceu ficar triste com a situação- Você não queria não é? -ela passou a mão no ventre e sentou-se.

 

-Não esperava, só isso...e além disso, como pode sair uma criança dessa barriga tão pequenina? Minha barriga cheia fica maior que isso -ela riu e negou com a cabeça, escutei a chaleira chiar e Hinata fez que ia levantar- Não, pode ficar aqui, eu pego.

 

-Obrigada -ela disse docemente.

 

Me levantei e fui para a cozinha, lá peguei a chaleira para fazer o chá, coloquei a planta e levei para a mesa, juntamente com duas xícaras, servi para nós dois e sentei a sua frente.

 

-Eu nunca vou entender como você me ama -disse sorrindo e ela me olhou com seus lindos olhos cinzentos e sorriu- você é tão doce, gentil e maravilhosa Hinata -ela olhou para sua xícara e depois para mim.

 

-E eu não tenho nada a oferecer e você me ama Naruto -seu sorriso parecia...triste?

 

-Oi? -cocei minha testa- Você é a melhor pessoa da terra...até a Kurama concorda! -ela riu e negou com a cabeça- Você é -comecei a contar nos dedos- linda, inteligente, maravilhosa, gentil, forte, ágil, me aguenta e isso deve valer uns quinze pontos -ela riu e negou com a cabeça novamente - e me deu o melhor presente que alguém poderia me dar -seus olhos me encararam- virou minha família e a melhor parte é que ela vai aumentar.

 

-Se era pra me fazer chorar, conseguiu -e ela começou a soluçar, me levantei e fui até ela a abraçando, ficamos assim até ela conseguir parar.

 

[Alguns meses depois]

 

Vi o parto da Sakura sem querer, ela deu uma porrada bem dada no Sasuke e eu fui expulso da sala por  ter dado uma gargalhada da situação e tenho a certeza que se não tivesse saído eu teria morrido ou não poderia nunca mais ter filhos, pois a rosada me deu um olhar maligno.

 

Fiquei olhando para a barriga enorme de Hinata, sinceramente estava apavorado pelo fato dela poder explodir a qualquer minuto e eu definitivamente não sei se estava pronto para isso.

 

-Ai -ela resmungou baixinho

 

-Tudo bem? -ela me olhou se assustando- Te assustei? -ela sorriu

 

-Sim, esqueci que estava ai -dei risada

 

-Já teve uma época que você fazia isso -ela riu e fez careta de dor novamente- Hinata?

 

-Acho que o bebê esta entrando em lugares que não devia -ela riu e bateu rapidamente dois dedos perto do umbigo e fez outra careta de dor- Agora estou realmente achando que ele esta querendo vir ao mundo -ela me olhou sorrindo e depois fez uma nova careta.

 

-Vou chamar um médico -ela negou com a cabeça

 

-Mande um clone, as contrações estão pouco espaçadas, ele está vindo e esta com ....-ela mordeu o lábio e choramingou- pressa...

 

Mandei um clone correndo chamar um médico e fiquei ali ajudando Hinata, cada um fazia alguma coisa, um pegou os panos limpos, um pegou a água quente, o outro saiu a procura da tesoura para esterilizar e eu fiquei ajudando ela, tirei sua calça, a acomodei e segurei sua mão, ela apertou algumas vezes entre as caretas de dores, sua cara de sofrimento me deixavam em pânico completo e queria tomar sua dor para mim.

 

"Nem pense nisso, falam que é a pior dor que se possa ter e sobreviver" Kurama disse irritado "Que bom que você é um garoto"

 

-Não sou um garoto Kurama -Hinata me olhou com a testa franzida

 

-Está discutindo com a Kurama uma hora dessas? -ela perguntou apavorada 

 

-Não, eu vou ignorá-lo.

 

Hinata empurrou algumas vezes e logo um berro infantil invadiu todo o recinto, meus clones entraram em pânico e eu peguei o pequeno que berrava.

 

-Pulmões fortes -disse rindo e no mesmo instante chegou um médico que tomou conta da situação.

 

Assim que ambos foram limpos, o bebê foi bem enrolado e ficamos observando aquele pacotinho, Hinata já deitada na cama.

 

-Nós fizemos ele -ela passou o dedo indicador pelo pequeno rosto desenhando-o - Tão perfeito, tão nosso -beijou calmamente a testa do pequeno e eu sorri olhando-os atentamente.

 

-Você é perfeita -ela virou seu rosto para mim sorridente, mas parecia cansada- Dorme e descansa, eu cuido das coisas... -e assim ela fez, colocou o pequeno no meio da cama e fez carinho novamente em suas bochechas rosadas.

 

-Ele tem as marquinhas... -ela disse antes de sorrir e fechar os olhos- Meu Boruto...

 

[Alguns anos depois]

 

Boruto era bastante alegre e tinha energia para dar e vender, cresceu forte e saudável também, tinha cabelos loiros e olhos de um azul puro, todos diziam apenas que era uma cópia minha melhorada, o que causava muita raiva no pequeno.

 

Boruto aprontava bastante, creio que seja para chamar atenção de todos a sua volta, principalmente a minha e de Hinata, eu apenas ria, pois era muito mais atentado em sua idade e Hinata tendo a paciência de um anjo ela sempre o “castigava” com coisas simples, do tipo:

 

#Arrumar o que bagunçou.

#Ficar olhando pela janela os amigos brincando.

#Em festa ficar grudado a mim apenas para todos falarem que somos iguais (esse para ele estava sendo o pior de todos, não entendo o motivo)

 

Devo contar o choque que eu me encontrei quando descobri, ou melhor, como descobri que teria um segundo filho/a.

 

Tinha chego de uma missão que demorou mais ou menos um mês e assim que retornei para casa percebi que não se via Hinata ou Boruto em lugar algum, estranhei pois tudo estava quieto e escuro, subi as escadas escutando e bem atento, tentando não fazer nenhum tipo de barulho, conferi o nosso quarto e depois escutei algumas risadas vindas do quarto que deveria estar vazio, abri a porta com certa brutalidade e me assustando ao ver várias garotas me olhando e começaram a rir.

 

-Papai eu não quero um irmão! -berrou Boruto, o olhei tentando entender então olhei para Hinata que apenas sorria.

 

-Ah seu moleque, tão intrometido quanto o pai! -disse Ino brava e Boruto mostrou-lhe a língua e saiu correndo escada abaixo.

 

-Bom, era uma surpresa mas… Bom… -Hinata falava baixo- Bom, esse quarto não ficará vazio por muito mais tempo -sua cabeça pendeu para o lado ainda sorrindo e eu franzi o cenho, possivelmente fiz uma cara de não ter entendido muito bem pois a Sakura completou.

 

-Sexo, bebê, quarto cheio!

 

-OH -foi o único som que saiu dos meus lábios e logo vi todos os olhares voltados a mim, me julgando – Que foi?

 

-Não vai ficar feliz? Triste? Sei lá, alguma reação paspalho -disse Ino rindo.

 

-Oh – fiz o mesmo som e olhei para onde o Boruto correu e meu animo realmente despencou – Por favor venha igual a mãe -todas elas deram risada, ou melhor, gargalharam, apenas vi a cabeleira negra negando com a cabeça.

 

-Só você Naruto -ela riu e me olhou.

 

-Mas independente de qualquer atentado que possa ser, vou amar incondicionalmente como amo você e Boruto -andei até ela e me ajoelhei ficando na altura de sua barriga coloquei minha testa ali – Já te amo….

 

Apenas percebi que provavelmente falei algo fofo pois quando notei as mulheres no recinto estavam com lágrimas nos olhos ou chorando, estranhei e sai o mais rápido possível, inventando a desculpa que iria atrás de Boruto.

 

Himawari nasceu linda e graças a todos os céus, deuses, entidades cósmicas e tudo mais, veio tão linda, delicada,calma, fofa, etc, como a mãe, a única diferença que eu posso te dizer é que ela não é nada tímida, pelo contrário, faz amizades facilmente e gosta de chamar bastante atenção.

 

Mesmo Boruto tendo tido uma crise de ciúmes quando descobriu que teria um irmão ou irmã, ele é um excelente irmão mais velho e ama muito a pequena, assim como ela o ama, ambos são bastante unidos, mas nunca, em hipótese nenhuma irrite a pequena, pois recentemente descobrimos que ela ativou seu Byakugan e parece que é tão forte como a própria mãe pois fez com que eu e Kurama desmaiássemos com o golpe.

 

Ah, esqueci de contar, além da felicidade que possuo em casa agora meu sonho se tornou realidade, sou o Hokage, não é tão legal como eu imaginava, mas bem...consegui enfim alcançar esse tão sonhado sonho.

 

Estava divagando, deitado a sombra de uma árvore com Hinata fazendo carinho em meus cabelos enquanto nossos filhos brincavam de alguma brincadeira onde Himawari estava começando a ficar brava com seu irmão que estava tentando deixá-la brava.

 

Vai se arrepender de provocar sua irmã Boruto-Hinata disse um pouco mais alto que o normal e mesmo assim ele parou fazendo Himawari apenas o abraçá-lo. E assim Boruto levou sua irmã para os balanços e eu comecei a piscar de sono.

 

-Preciso te contar uma coisa -disse Hinata baixinho, tentei abrir meus olhos para olhá-la e ela estava sorrindo.

 

-Conte -sorri de volta.

 

-Acho que o quarto vazio pode ser preenchido em pouco tempo – me sentei e comecei a encará-la.

 

-Mais um? -perguntei tocando em sua barriga e ela fez sim com a cabeça.

 

-Bom, pelo menos estou com os mesmos sintomas das outras vezes não fui confirmas pois estou suspeitando só hoje….mas… -ela mordeu o lábio – Estou tão feliz com a possibilidade que precisava te contar.

 

-Estou muito feliz também -a beijei.


Notas Finais


Espero que não tenha ficado confuso, se ficou mil perdões!!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...