1. Spirit Fanfics >
  2. Amor sem aviso >
  3. Capítulo 12

História Amor sem aviso - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Capítulo 12


Alexia, Daryl e Glenn estavam juntos, procurando os amigos do Paul. Glenn estava na frente e Daryl e Alexia atrás, dando cobertura. Apareceram três zumbis e eles conseguiram dá um jeito numa boa. Entraram em uma sala e Alexia guardou a arma para ajudar um homem a se levantar, Glenn e Daryl continuaram com suas armas em mãos para proteger Alexia de qualquer coisa que aquele cara tente fazer.

---Estamos com o Paul. Vem, vamos dá o fora daqui.--- Alexia diz com calma.

--- Eu não posso ir. Tô procurando meu amigo. Ele tá perto, ele se feriu no acidente.--- O Homem diz com as mãos para o alto, com certeza com medo de levar um tiro ou uma facada.

---Vem logo. Um dos nossos pode ter encontrado ele. Vem.--- Alexia chama pela última vez sorrindo e o homem a acompanha consequentemente Glenn e Daryl também.

E estava certa, Abraham o encontrou, mas o confundiu com um zumbi e quase o matou, viu a tempo que o homem só estava machucado.

---Vambora, Ab.--- Alexia diz passando por ele.

Abraham ajudou o homem machucado a sair daquele lugar e entrar no trailer. Continuaram a viagem como se nada tivesse acontecido. Alexia descobriu que o nome do primeiro cara é Harlan e o ferido, Freddie.

Alexia ficou encostada no braço de Daryl, com os braços cruzados e os olhos semi-cerrados, enquanto Paul conversava com Freddie.

---Uma vez eu levei um tiro.--- Alexia diz um pouco sonolenta, mas completamente ciente de que estava acorda e falando.

---Eu sei, eu vi.--- Daryl diz olhando para o rosto sonolento dela.

---Não.--- Alexia diz com um sorriso. ---Foi antes disso tudo. Meu pai. Meu pai queria filhos homens, todos eles.--- Alexia começa a falar para distrair, não queria ter que dormir e ter pesadelos.

---E então?--- Normalmente Daryl não se interessaria, mas queria escutar ela falando e não queria um clima pesado de silêncio.

---Ele teve sete filhos, seis mulheres e um homem. Ele queria um engenheiro, um mecânico, um lutador de boxe, um dono de bar, um médico, um policial e um mestre de obras, pedreiro.--- Alexia ajeita um um pouco as costas no banco. ---Minha irmã mais velha virou engenheira, A segunda virou tri-campeã de boxe, a terceira teve o próprio bar no Texas, a quarta virou mestra de obras, meu irmão virou médico e eu policial.--- Alexia diz e deixa Daryl um pouco impressionado, mas ele já tinha esse palpite quando ela disse as profissões antes.

---Tri-campeã de boxe? Ela deve ter te ensinado algumas coisa.--- Daryl diz sorrindo.

---Algumas? Ensinou bastante. Como lutadora, ela não queria que eu perdesse uma briga, muito menos se fosse um homem. Todas elas me ensinaram alguma coisa, engenharia era um tédio, mas devo ter aprendido algo. Boxe? Eu sempre amei uma boa briga, me vestia de garoto quando criança pra ter mais moral nas lutas. Bar? Sei reconhecer uma boa bebida, tipos de homens e o que eles bebem, e aprendi como barganhar. Mestra em obras? Não sou tão boa como minha irmã, mas sei fazer algumas coisas. Médico? Acho que daria uma boa enfermeira.--- Alexia diz cada coisa que aprendeu e aos olhos de Daryl ela era uma mulher completamente incrível, aprendeu várias coisas e com toda certeza consegue se lembrar.

---É meio difícil de acreditar. Você parece tão... frágil.--- Daryl diz tentando não ofende-la.

---Frágil? Outra coisa que aprendi com o bar, aparência inocente e frágil sempre te dá uma vantagem.--- Alexia fala piscando para Daryl.

---Mas sobre o tiro que você levou?--- Daryl muda de assunto, não queria ter que falar sobre a aparência dela.

---Ah, o tiro. Como teve mais filhas mulheres, ele nos ensinava a caçar. Meu irmão nunca foi bom com armas, ele acabou me acertando bem no ombro.--- Alexia diz sorrindo, como se pra ela fosse uma história hilária, de fato foi porque no dia do acontecido ela não estava chorando, estava achando super engraçada a cara de preocupação do seu irmão.

---Você é louca. Só pode.--- Daryl diz com um sorriso e balançando a cabeça.

---Pessoas loucas são divertidas, pessoas normais são um pé no saco.---Alexia se espreguiçando quando nota que o trailer atolou.

---Atolamos.--- Rick diz mais reclamando do que avisando.

---Não se preocupa. Já chegamos.--- Paul diz e desce do trailer, assim todo mundo vai descendo de um por um. ---É ali. É a Hilltop.--- Ele diz fazendo todos olharem para a grande junção de troncos, formando um grande muro.

Todos seguem Paul. Alexia estava confiando completamente em Paul, mesmo ele tendo lhe apontado uma arma, hoje em dia é necessário apontar uma arma para virarem amigos.

---Parados aí.--- Escutam um guarda no muro dizer. Todos apontam as armas para a direção e Paul tenta controlar a tenção.

---Jesus, mas o que é isso?--- O mesmo guarda pergunta.

---Abra o portão, Kal. O Freddie tá ferido.--- Paul responde tirando os olhos dos alexandrinos e olhando para os guardas. ---Desculpem por isso gente, eles ficam ansiosos parados ali o dia todo.--- Paul diz como um reclamação da preguiça de seus amigos.

---Se entregarem as armas, a gente deixa entrar.---

---Então vamos ficar aqui fora, porque não vamos entregar nem uma arma.--- Alexia diz com as mãos no bolso.

---Pessoal. Essa gente é de confiança. Eles salvaram a gente hoje.--- Harlan fala saindo lá de trás e vindo um pouco pra frente, pra que pudesse ser visto.

--- Eu não vou correr o risco. Fala para o seu amigo Gregory vim aqui.--- Rick diz se aproximando um pouco de Paul.

---Não.--- Paul responde de imediato. ---Não viu o que aconteceu? O vou deixar vocês ficarem com suas armas. Nossa munição acabou meses atrás. Eu gostei de vocês. Eu confio em vocês, então confie na gente.--- Paul diz sério e encarando Rick.

---Acho completamente justo. Queremos uma negociação, nada mais do que a confiança de ambos os lados para garantir o negócio.--- Alexia comenta.

---Isso mesmo, querida.--- Paul diz se virando. ---Abra o portão, Kal.--- Paul diz e é obedecido de imediato.

Hilltop não tinha muitas casas, mas parecia ter muito aforecer. Tinha comida e animais de fazenda, já era um bom começo. Paul dá uma breve explicação sobre o local e abre as postas da casa Barrington para que entrassem.

---A maioria dos cômodos foi convertidos para moradia. Mesmo os que não eram quartos.--- Paul diz um pouco mais a frente.

--- As pessoas moram aqui e nos trailers.--- Rick pergunta olhando ao seu redor.

---Queremos expandir.--- Paul responde.

---Quando tal Gre...--- Alexia é interrompida pela Porto, do que suspeitava ser um escritório, sendo aberta.

---Jesus. Você voltou.--- Um homem um pouco velho fala saindo da sala. ---Com convidados.---

---Pessoal, esse é o Gregory. Ele mantém as coisas pelos trilhos por aqui.--- Paul diz.

---Eu sou o chefe.--- Gregory fala meio se vangloriando.

---Eu sou Rick, temos uma comunidade... ---Rick é interrompido por Gregory.

---Por que não vão se limpar?--- Gregory sugere, deixando todo mundo um pouco irritado e desconfiados.

---Não precisa. Temos uma comunidade pra isso.--- Alexia diz cruzando os braços.

---Jesus vai mostrar onde podem se lavar, e podem voltar aqui quando estiverem prontos.--- Gregory continua, ignorando o comentário de Alexia. ---É difícil manter esse lugar limpo.---

---Tá, claro.--- Rick diz com um sorriso que claramente dizia " Se não tivéssemos em crise eu correria seu pescoço agora".

---Venham comigo.--- Paul diz subindo as escadas e todos o seguem.

---Você e Meggie vão se lavar primeiro e falar com aquele cara.--- Rick diz segurando a arma.

---Não quer cortar a garganta dele, né?--- Alexia comenta.

---É, não quero. Não agora.--- Rick responde. ---Vocês duas tem conversa boa. E eu escutei que você sabe barganhar, Alexia.---

Com foi dito, Meggie se lavou rápido e logo depois Alexia. Antes de conversarem com o velhote, decidiram esclarecer o que iam conversar e como e entraram na sala.

---Gregory?--- Meggie diz entrando.

---Natalie e Amélia, certo?--- Gregory diz olhando para a porta.

---Meggie.--- Ela responde sorrindo.

---Alexia.---

---Passei perto.--- Gregory diz se levantando.

---Nem. Um. Pouco.--- Alexia diz pausadamente.

---Direto ao ponto. Gosto disso. Entrem, vamos conversar.--- Gregory diz fechando a porta.

Gregory se senta em sofá. Alexia e Meggie se sentam em umas cadeiras de frente para Gregory.

---Jesus me disse que vocês salvaram o Dr. Carson. Obviamente, médicos são um artigo raro hoje em dia então quero agradecer.--- Gregory diz.

---Foi meu marido e Alexia que salvaram ele.--- Meggie diz cortando a fala de Gregory.

---Muito bem. E esse lugar, o que ele tem a oferecer? --- Alexia cansou de conversa e foi direto ao ponto.

---Está aqui desde o começo?--- Meggie aproveita pra perguntar.

---Isso mesmo.--- Gregory responde Meggie. Alexia respirou fundo, entendeu agora como Rick se sentiu.

---Mas como... Como conseguiram sobreviver aqui?--- Meggie diz sorrindo abertamente.

---Está olhando para o responsável. Sou bom nisso. Eu não me prendo aos detalhes. Onde vocês moram é diferente de hilltop?--- Gregory diz.

---Só é diferente.--- Meggie responde.

---Como alimentam todo mundo? Jesus disse que vocês têm terra para plantio, mas não plantam.--- Gregory diz.

---Começamos recentemente, decidimos fazer isso depois de um incidente.--- Alexia diz cruzando os braços.

---O que exatamente?--- Gregory pergunta finalmente para Alexia.

---Tomate, pipino, o começo, é claro que temos mais.--- Alexia responde o encarando.

---Mas vocês têm armas, devem ter um bom arsenal.--- Gregory diz.

---Ah, é um ótimo arsenal. Podemos acabar com uma pequena ameaça.--- Alexia lança uma indireta para Gregory que fica meio sem jeito e resolve ignorar.

---Enfermaria? Abastecida?--- Gregory diz se apoiando de um lado da cadeira.

---E a sua meu cara Gregory, está?--- Alexia retruca.

---Estamos aqui para fazer trocas. Tem bastante pra isso?--- Meggie reforça a resposta de Alexia.

---Viram o que tem aqui. Viram o que construímos.--- Ele diz gesticulando as mãos. ---O Jesus me falou que sua reserva de comida está precária agora. Se as pessoas não comerem vira um caos. Eu vou ser bem claro.--- Ele se ajeita mais para frente. ---Vocês não tem porcaria nenhuma. Eu quero ajudar, sou um cara legal. Nas não posso dá as coisas de graça.---

---Pense com a cabeça com a cabeça de cima. Para de dá em cima de uma mulher casa.---Alexia começa. ---Vocês não tem munição, qualquer ataque nosso ou de qualquer outro todos morrem, inclusive você.--- Alexia diz com um sorriso forçado.

---Quem te garante isso?--- Gregory pergunta.

--- Vocês tem pouca medicação. Precisam de coisas, e nós também.--- Meggie responde.

---E aí, vão trazer analgésicos e uma caixa de balas?--- Gregory pergunta, sarcástico.

---Idiota, nossas comunidades podem se ajudar. Podem se manter juntas.--- Alexia diz o fazendo se levantar.

---Obrigado, Natalie e Amélia. Foi um bom papo.--- Ele diz indo para a mesa. Alexia e Meggie levantam juntas o seguindo.

---Podemos nos ajudar.--- Meggie insiste.

---Estamos bem. E vocês?--- Gregory insiste na sua resposta.

---Armados até o dente e cheios de pessoas.--- Alexia diz puxando Meggie para fora daquela sala.

Se reuniram com os outros em outra sala, e contaram o que conversaram, o que usaram como troca e a decisão de Gregory.

---Queremos fazer trocas, o Gregory quer. Mas não precisamos de munição agora.--- Paul começa a falar depois de Meggie e Alexia terminarem de contar.

---Como assim?--- Rick levanta a cabeça.

---Os muros são fortes. Acabamos de trazer mais medicamentos. O Gregory quer o melhor acordo.--- Paul explica.

---É. A gente quer umas coisas também.--- Daryl diz.

---Precisamos de comida. Temos muita gente com fome lá.--- Alexia diz dividindo a cadeira com Rick, costas coladas, pareciam primos ou coisa do tipo.

---Viemos até aqui e vamos conseguir.--- Rick diz.

---Eu vou falar com ele. A gente vai dá um jeito.--- Paul responde olhando para os dois. ---Circunstância mudam. Estamos indo bem agora, e vocês também vão ficar. Eu vou fazer ele entender isso. Podem me dá uns dias?--- Paul pergunta com um olhar que passava confiança.

---Podemos. Sua palavra é válida.--- Alexia diz sorrindo de canto.

Todos olham para a porta da frente sendo aberta por um homem e depois olham para Gregory que sai de sua sala.

---O que foi?--- Gregory pergunta para o homem que entrou na sala.

---Eles voltaram.--- O homem diz um pouco nervoso. Gregory da um aceno para Paul e acompanha o homem para fora. O grupo se olha e acompanha também, aquilo foi curioso até demais.

---Ethan, o que aconteceu com os outros? Cadê o Tim e a Marsha?--- Gregory pergunta enquanto se aproximava de um cara meio estranho.

---Estão mortos.--- O tal Ethan responde, deixando Gregory surpreso.

---Foi o Negan?---

---Sim.---

---Tínhamos um trato.---

---Ele disse que não era o suficiente. Mandou pouca coisa?--- Um cara de camisa vermelha pergunta.

---Não.--- Gregory respondeu.

---Ainda estão com o Craig.--- A mulher avisa.

---Falaram que o deixariam vivo e devolveram pra nós...--- Ethan diz se aproximando de Gregory. Alexia levantou uma suspeita, então deixou logo uma mão na arma. ---Se te dessemos um recado.---

---Pode falar.---

---Eu sinto muito.--- Ethan diz colocando a mão no ombro de Gregory o deixando confuso e enfiou uma faca na barriga de Gregory.

Todos correram pra ajudar Gregory, mesmo ele sendo um canalha. Rick luta com o Ethan e Abraham do cara de camisa vermelha. Alexia ficou com Jesus e Meggie segurando Gregory. Viu Daryl quebrar o braço do cara que tentava enforcar Abraham.

---Ei! Pra trás! Se alguém tentar me deter ele vai matar meu irmão.--- Ethan diz com uma faca no pescoço de Rick.

---Larga ele.--- Michonne diz segurando o cabo de sua espada. Tanto ela com os outros se assustam quando Rick fura o pescoço dele com o dedo e o joga de lado.

---Porra...--- Alexia diz indo até eles.

Todos começaram olhar para aquela cena horrível. Enquanto o cara de camisa vermelha chamava pelo o amigo. A mulher deu um soco em Rick e Michonne a derrubou facilmente no chão.

---Larguem as armas.--- Um cara com uma lança diz para Rick, o mesmo apontava uma arma. Paul correu para ficar entre os dois.

---acabou.--- Paul diz um pouco ofegante. ---Ethan era nosso amigo. Mas não podemos negar que ele foi um covarde e que nos atacou. Ele fez isso. É eles o impediram.--- Paul fala acalmando um pouco as pessoas.

---O que eu posso fazer?--- Rick pergunta.

---Guarde sua arma. Você já fez muito--- Paul diz e Rick abaixa a arma. --- E fique sabendo que as coisas não são tão simples quanto parecem. Só me dê um tempo.---

Harlan e Paul vão até Gregory que ainda estava vivo.

---Tá tudo bem com você?--- Alexia pergunta colocando a mão no ombro de Daryl.

---Tá.--- Daryl diz colocando a mão em cima da dela.

---Que bom. Mas já sabia disso, você é uma homem muito forte. Mas o barulho de osso quebrando não foi legal.--- Alexia diz sorrindo.

---Furar o pescoço de alguém foi?--- Daryl pergunta arqueando a sobrancelha.

---Foi interessante. Me lembrou os filmes que eu assistia quando criança.--- Alexia diz fazendo Daryl rir um pouco.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...