1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Sincero >
  3. Juras de amor

História Amor Sincero - Capítulo 1


Escrita por: SURTOS_afins

Notas do Autor


Espero que gostem😁💕

Me desculpem os erros, boa leitura 💕

Capítulo 1 - Juras de amor


Fanfic / Fanfiction Amor Sincero - Capítulo 1 - Juras de amor

E naquela varanda sobre as estrelas eles se olham, e ela o pergunta – você vai voltar pra mim não é mesmo...? – uma lagrima desce pelos seus lindos olhos, e sorrindo ele limpa sua lágrima, olha nos olhos dela e segurando em seu rosto sorrindo, ele diz – logico que sim...- ela sorri -...você ainda vai se tornar a senhora Hodgins...nos terremos uma filha linda, que com certeza... será bela como a mãe...- ela faz uma feição de duvida e diz – eu não me lembro de ninguém me pedindo em casamento...- eles sorriem e ele se ajoelha, ela coloca uma mão sobre a boca e a outra ele segura, e sorrindo ele se declara – eu Claudia Hodgins estou aqui, diante de você e desse lindo céu estrelado te pedindo com todo o meu amor, Cattleya...você aceita ser minha amiga, minha amante, minha confidente, minha parceira...você aceita ser a razão da meu vida e da minha existência? e o mais importante, você aceita ser a minha esposa? – lagrimas de felicidade desciam de seus olhos – espero que esteja chorando de felicidade...no momento, eu não tenho as alianças...não...pera...- ele pega uma caixinha em seu bolso e a abre -...agora sim, e então? – ela sorri– você já tinha planejado tudo? – o sorriso dela...iluminava mais do que aquela noite regada de estrelas. Ele concorda sorrindo e ela diz a resposta que ele mais desejava escutar na vida– sim, sim, sim...mil vezes sim... e sabe porque? – ele se levanta e a puxa para seus braços, sorrindo de orelha a orelha – eu imagino que seja...por que você me ama – ela sorri – é exatamente isso, por eu te amo...mais eu acho que nossa filha ou filho será completamente igual o pai – ele sorri e segura no queixo dela, fazendo-a olhar em seus olhos – eu te amo...- eles se beijam, e colando suas testas ela diz - eu também te amo.

 

 

 

 

 

Os olhos se encontram novamente e dessa vez, cheios de amor, desejo, carinho, felicidade e tristeza. Aquela poderia ser a ultima noite que se amariam, e fariam aquela noite...ser inesquecível.

Ele se afasta um pouco e pega a aliança dela e pede a mão dela – por favor futura senhora Hodgins – ela estica a mão para ele e colocando sua aliança ele diz – e com essa aliança, eu Claudia Hodgins prometo te amar, e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza até os meus últimos segundos de vida– e ele finaliza com um beijo em sua mão. Ela pega a mão dele e colocando a aliança, olhando diretamente nos olhos dele ela se declara – eu Cattleya Baudelaire, a futura senhora Hodgins...- eles riem -...prometo te amar, e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza até os últimos segundos da minha vida– e juntos durante um beijo fogoso para oficializar aquele momento eles dizem – eu...te amo – ela pula em seu colo e ele a aguara, ele a carrega para dentro de casa, ele a leva para o quarto e a deita sobre a cama com delicadeza....eles se amaram, e os lençóis e a lua que os iluminava pelas enomes janelas, viraram testemunhas daquela linda noite de amor.

Quando acordou Cattleya passa sua mão do seu lado mais não tinha ninguém, e sorri se lembrando da noite passada, ela vê penas e pétalas de rosas sobre a cama e segurando os lençóis sobre seus peitos ela sorri e respira fundo, se sentia realizada mesmo que essa felicidade estivesse com os dias contados, que  ela aproveitará cada segundo. Ela veste a camiseta dele que estava jogada no chão e resolve ir atras do cheiro incrível que vinha da cozinha, chegando na cozinha ele estava fazendo o café da manhã, e ela não pode deixar de sorri.

 Ele estava fazendo panquecas, ele sabia que Cattleya se deixasse só comeria panquecas. Ele sente alguém o observando e sorri, parando fazer tudo e apoiando as mãos sobre a mesa e correndo ela o abraça por trás, o cheirando e dando beijos em seu pescoço e eles sorriem. Ele se vira rapidamente a puxando-a e a colocando em cima da mesa, fazendo ela gargalhar, olha no fundo dos olhos dela, e ela rápidamente cruza suas pernas atras dele o prendendo e o puxando para mais perto e ele negando, sorri acariciando o rosto dela e diz depois de dar um selinho demorado nela – bom dia...- ele a beija novamente -...minha rainha – ela sorri ainda com os olhos fechados e diz – bom dia...amor da minha vida – eles dão mais um beijo ele a abraça afundando seu rosto no pescoço dela, se inebriando com o cheiro natural de rosas que exalavam da macia e bela pele dela e de seus belíssimos cabelos, ele respira fundo enquanto ela fazia desenhos imaginários sobre suas costas e sorrindo ele diz – eu tenho que terminar nosso café da manhã...- sorrindo ela concorda e diz depois de dar um beijo sobre sua testa – eu arrumo a mesa... – e eles dão outro beijo e terminam com vários selinhos. Ela resolve arrumar a mesa da varanda onde foi o inicio de tudo, seria o inicio de outra fase da vida deles e ela sorri observando a mesa pronta e a linda vista do sol que já se fazia presente naquela linda e perfeita manhã. Ela senta com uma das coxas sobre a mureta e sorri sentindo a brisa sobre o seu rosto que levava levemente o seu cabelo. Enquanto ela estava distraída Claudia sorri e arruma as  panquecas, torradas, uma geleia, o café e até mesmo a flor que tinha colido mais cedo de seu jardim, que ficava perto do balanço favorito de Cattleya que dava de observar todo o lago e o por do sol. Ele finaliza a mesa e olha pra ela...que ainda estava na mesma posição, ele não sabia que poderia se apaixonar ainda mais...mas vela ali, com sua camiseta, ombros desnudos e com os cabelos ao vento...e com um sorriso que parecia ficar mais belo a cada segundo, ele não precisava de mais nada para ser feliz...ter ela ao seu lado, era a melhor felicidade que ele tinha em sua vida. Ele a abraça por trás e ela beija seu braço, e juntos eles vão para a mesinha com o seu lindo café da manhã. Comendo e sorrindo ela pergunta – orquídeas roxas? – ele também sorri – sim...- e as acariciando ela diz – são belas – ele a observa e diz- não mais que você - ela o encara apaixonada e diz – eu te amo – e sorrindo ele diz – não mais do que eu...- ela gargalha jogando sua cabeça para trás...e ele pode jurar que jamais se cansara de ver essa cena.

 

Após o café da manhã eles resolvem ir comprar as coisa para o almoço e oficializar seu casamento no cartório, e logo em seguida eles passam por um fotografo e ela insiste – vai por favorzinho...para você levar pra guerra, e logico que eu também quero uma fotografia nossa – o senhorzinho chega perto deles e pergunta – o jovem casal não gostariam de tirar uma fotografia ? – ela faz uma carrinha de choro pra ele e ele cede – esta bem...- ela sorri e eles se posicionam – no três. – quanto ele falou três,  ela se vira rapidamente aproximando seus rosto  do seu marido – prontinho – ela sorri com o resultado, e Claudia sorri corado coçando a cabeça. Agora oficialmente casados eles partem para casa e juntos entre risadas e beijos eles preparavam o almoço. 

Pela tarde juntos eles caminhavam pelo jardim e o por do sol logo começaria, ele leva um vinho e duas taças – vem logo...- ela diz o puxando e deixando um beijo sobre os lábios dele, ela sai correndo na frente sorrindo e de braços abertos dá duas voltas e corre ate o balanço e apenas a observando ele sorri e vai atras dela.

 

Ela observando aquele lindo por do sol e o lago que parecia estar mais belo ainda para aquele momento ele enche a taça dela – e agora, brindaremos a nossa felicidade...- ele da um selinho demorado nela e cola suas testas e ela completa ainda de olhos fechados curtindo aquele momento -...e ao nosso amor – os olhares se cruzam e eles brindam, e ali de mãos dadas com sua cabeça dela escorada no ombro dele eles esperavam o por do sol com uma gostosa brisa...que carregava as folhas do outono.

Os dias se passaram e o dia havia chegado, o dia que ele iria partir para longe do amor da sua vida, e que o amor da vida dela a deixaria. No porto,  a frota da marinha do irmão do melhor amigo de Claudia se encontrava, e seus pensamentos não paravam: será que ele sabe...será que ela sabe...que eu estou sangrando por dentro?. Ela pensa – eu não quero chorar – e ele também não ficava para tras em seus pensamentos- eu estou me quebrando por dentro por ter que ficar longe de você... E em voz alta o suficiente para que ele ouvisse ela diz de cabeça baixa– só....- lagrimas começaram a descer de seus lindos olhos e ele a abraça beijando sua cabeça e acariciando seus cabelos, ela soluçava com seus rosto escondido no peitoral dele – só..não...quebre a sua promessa – única coisa que ele queria, era tirar a dor que ela está sentindo e tomar para ele. Ele segura em seu queixo fazendo-a olha em seus olhos e diz – eu te amo...e eu nunca, nunca...vou te decepcionar- eles se beijam e só queriam que aquele beijo, nunca mais acabassem. Eles se afastam e ele se despede de seus pais – Hoghins ...- Gilbert o chama, já estava na hora. E ele diz antes de ir – cuidem dela para mim, até eu voltar...eu amo vocês – Cattleya coloca a mão sobre a boca e Mary a abraça.

E ao partir daquele porto Claudia só pensava em uma coisa: eu vou voltar vivo...o mais rápido possível. E ela só conseguia imaginar a volta dele, mesmo tendo se passado apenas minutos que ele tinha partido. E segurando firme seu colar ela pensa olhando aquele barco se distanciando: eu vou te esperar, e tempo que for preciso...eu só preciso que você volte pra mim. Ela sente alguém tocar em seu ombro e ao olhar para trás, era sua sogra Mary – vamos querida – ela concorda e olhando uma ultima vez para aquele barco que quase já não se via, Mary a leva para casa.


Notas Finais


Continuo? 👀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...