1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Sobrenatural >
  3. Vilão do Lodo Parte 2

História Amor Sobrenatural - Capítulo 48


Escrita por:


Notas do Autor


E aqui temos a parte 2.
Espero que gostem. Nos vemos nas notas finais.

Boa Leitura...

Capítulo 48 - Vilão do Lodo Parte 2


Natsu:On

Ao fim de um tempo, saltando e correndo em direção à fumaça, cheguei no local onde a mesma se encontrava e me deparei com uma multidão e uma monte de gosma no meio da rua. Atrás da multidão, olhei em frente e pude ver, lá no meio da rua, junto daquele desconhecido, uma silhueta verde.

Era ele, meu irmãozinho. Esbocei um sorriso por o ver e ele só aumentou quando vi que o mesmo estava batalhando com aquilo. No entanto, em meio ao combate, alguma coisa de errado aconteceu. Meu irmão foi brutamente jogado no chão e quando o mesmo se levantou, pude ver o vilão pronto para o atacar.

Nesse mesmo instante, meus punhos arderam em chamas e os meus olhos ficaram dilatados por ver tal cena diante mim. E fiquei ainda mais fulo, quando ouvi aquele grito.

Izuku: Ah!

Num movimento, saltei por cima da multidão e corri até aquele monte de merda, invocando já um dos meus feitiços.

Natsu: Punho de Ferro do Dragão de Fogo!

Com o punho em chamas, aproximei-me do vilão e acertei-lhe mesmo e cheio. Ele ficou imobilizado pelo ataque e então, olhando para o Izuku, vendo a mão acima dele, corri até ao mesmo e peguei nele ao colo, dando em seguida um salto para trás.

Ficando de pé, após descer do salto, olhei para o meu irmão eu se encontrava de olhos fechados. O mesmo parecia um bebé no meu colo... Tão fofo. E com a visão diante de mim, esbocei um sorriso.

Natsu: Ora, ora, ora... - Pude ver o mesmo abrir os olhos, me encarando - Eu fico fora por oito anos e parece que cheguei mesmo a tempo da disputa - Quando vi que o mesmo me encarava, nossos olhos se encontraram, e então, sorri ainda mais - Izuku, me desculpe por ter demorado tanto tempo – Dos seus belos olhos, saíram pequenas lágrimas e então, pude ver um sorriso nos seus lábios.

Izuku: Não... Eu sempre soube, que você voltaria para mim – Abracei-o, passando as mãos pelo meu pescoço e encostei o meu rosto no seu peito – Natsu.

Vendo o mesmo se encolhendo no meu corpo, sorri, juntando a minha cabeça à sua, passando conforto.

Natsu: Izuku... - Nesse mesmo instante, fui interrompido pelo tal vilão de gosma.

Vilão de Gosma: Mas que momento tão lindo. Deixem-me dar um final feliz nele.

Nesse mesmo instante, aquela coisa tentou me atacar. Saltei mais uma vez, fugindo do seu ataque e então, recuando, encarei-o com fúria nos olhos, pousando o meu irmão no chão.

Natsu: Que coisa é aquela?

Izuku: É um vilão com uma singularidade de lodo. Seu corpo é meio que impossível de agarrar, mas acho que o consegues ferir.

Natsu: Hum... - Bati um punho na palma da outra mão, deitando fumo – Bom saber – Nesse instante, reparei numa silhueta loira – Ei, aquele não é o merdinha do Bakugo?

Izuku: É sim. Ele está sendo possuído pelo vilão. Nós temos de o ajudar.

Natsu: Pff... Tem mesmo de ser?

Izuku: Sim, tem.

Natsu: Okay - Nesse mesmo instante pude ouvir alguém atrás de nós.

???: Vocês estão doídos!? Voltem aqui!

Ao ouvir isso, olhei para trás com uma expressão neutra, causando arrepios a todo o público e heróis no geral. Em seguida voltei-me para o Izuku, esperando pelo plano.

Natsu: E então? Qual que é o plano?

Izuku: O plano? - Olhei para ele, já tendo em mente o que fazer – O plano é você atacá-lo, enquanto eu trato de um assunto pendente. Apenas me proteja.

Natsu: Faço isso com a minha vida. Sempre o fiz e sempre o farei.

Izuku: Bom saber – Dei as costas para o vilão, pegando no cachecol, pronto para o meu próximo passo – Diverte-te, Natsu.

Natsu: Haha... - Me virei para ele, colocando as mãos na cintura - Você não mudou nada. Gostei.

Sorrindo, voltei-me para o super vilão mais uma vez, invocando o fogo nas minhas mãos, corri em direção àquela coisa, pronto para bater nele.

Natsu: Vamos lá! - Aproximando-me dele, soquei de novo a pele do mesmo, com o punho.

Vilão de Gosma: Vais arrepender-te disso!

 

Izuku:On

Em meio à batalha, de costas para a mesma, e com o cachecol nas minhas mãos, olhei acima do ombro, vendo o Natsu dar um trote naquele bastardo.

Sorri e então sentei-me no chão e com o cachecol tapei os meus olhos e ouvidos. Respirei fundo e então, usando os meus poderes, entrei no vazio.

Vazio:On

Abri os olhos, vendo que estava neste lugar mais uma vez e então, diante de mim, pude ver o homem com quem eu queria falar. Aproximei-me dele e ficando diante o mesmo, me pronunciei.

Izuku: All Might?

All Might: Hã? O que... - Olhava em volta, mas não vi ninguém. E então bati de leve no meu ouvindo – Ah, estou a ficar maluco.

Izuku: Não, não está - O mesmo se assustou e então começou a falar comigo.

All Might: Mas o que... Quem é você?

Izuku: Você já me conhece. Sou o Izuku Midoriya.

All Might: Jovem Midoriya... - Olhei para o campo de batalha, vendo-o sentado no chão - Mas como...

Izuku: Isso não é importante. Preciso que você nos ajude.

All Might: "Nos?"

Izuku: A mim e ao meu irmão. Você conseguiu destruir o corpo dele, pode fazê-lo outra vez.

All Might: Estou exausto. E vocês não deviam ter feito o que fizeram. Foram irresponsáveis.

Izuku: Eu o fiz, pois queria corrigir o meu erro. Foi por minha causa que ele escapou, eu só estou ajudando a capturá-lo. E o meu irmão entrou a meio da luta para me salvar. Nós apenas agimos por...

All Might: Instinto.

Izuku: Sim. Isso mesmo. Por favor, All Might, ajude-nos.

Olhei para ele, vendo e ouvindo o mesmo suspirar. Minhas esperanças caíram então suspirei, terminando com isto.

Izuku: Você disse que não se pode ser um herói sem uma singularidade. Mas, de que serve ter uma, se não a usarmos para lutar pelo bem.

All Might: ...

Izuku: Eu tenho de ir. Tenho de ajudar o meu irmão.

All Might: Ah, jovem...

Nesse mesmo instante, levei a minha mão ao meu rosto, retirando o cachecol, cortando a conexão.

Izuku:On

De novo, de volta ao meu corpo, suspirei, sentido o sangue descer pelo meu nariz. Coloquei de novo o cachecol no meu pescoço e então fechei os meus olhos, pensando um pouco nessa conversa.

E em meio aos meus pensamentos, pude ouvir a voz do meu irmão, gritando como um alerta.

Natsu: Izuku!

Vilão de Lodo: Já te apanhei!

Ouvi o som do lodo ao se esticar, vindo na minha direção. Nesse mesmo instante, abri os meus olhos, ativando a minha telecinese, parando a mão que ficou bem perto do meu rosto.

Vilão de Lodo: Outra vez!

Virei lentamente o meu rosto, vendo a mão bem perto de mim e então, lentamente me levantei. Ficando de pé, com o sangue escorrendo pelo meu nariz, pude ver o meu irmão preso numa das mãos de lodo.

Levantei o meu braço e então me focando na mão, comecei a remover o lodo, soltando o Natsu.

Vilão de Lodo: Mas como é que ele...

Nesse mesmo instante, senti uma leve fraqueza nas minhas pernas. Caí no chão, deixando de usar os meus poderes. E então, pude ouvir de novo aquele idiota.

Vilão de Lodo: Devias ter quebrado o outro também!

Olhei para o braço que estava perto de mim e então o mesmo elevou-se, pronto para me atacar. No entanto, pude ver o meu irmão cortar o mesmo com um punho em chamas.

Natsu: Não toque no meu irmão! - Fiquei em frente ao Izuku, me posicionando para batalhar.

Vilão de Lodo: Estou farto de vocês os dois! - Nesse mesmo instante, lancei vários braços de lodo na direção deles.

Natsu: Não!

Olhei os braços e pude ver alguns deles se aproximando a uma velocidade extrema. E quando notei, eles agarraram o meu irmão, e empurraram o mesmo contra o chão.

Izuku: Natsu!

Usando de novo a telecinese, desfiz os braços e então corri em direção ao meu irmão. Agachei-me ao lado dele, pegando-o e colocando o mesmo no meu colo.

Natsu: Merda...

Olhei para o super vilão, vendo o mesmo reunir os braços e formar uma mão gigante, mesmo acima de nós. Olhando para a mesma, arregalei os olhos, enquanto sentia a minha raiva espalhar pelo meu corpo.

Vilão de Lodo: Adeus, irmãozinhos!

???: Eles vão morrer em vão! Sãos uns suicidas!?

Izuku: Eh... AAAHHHHH!!

Olhei para cima e gritei com todas as minhas forças. E o resultado foi que os vidros dos prédios em nossa volta foram quebrados pelo meu poder, deixando os cacos agora caírem no chão.

Quando me recuperei olhei para o super vilão, na minha frente e diante mim, estava o All Might, agarrando a mão do super vilão que estava meio desfeita.

All Might: Sou mesmo patético - Olhei para o jovem, vendo o mesmo esboçar um sorriso.

Izuku: All Might... - Olhei para o meu irmão, vendo que o mesmo já estava bem. Ele se levantou, fincando sentado.

Natsu: O que é que eu perdi?

All Might: Vocês os dois... Obrigado.

Eu e o Natsu nos entreolhamos com uma expressão confusa. Voltando para o All Might, o mesmo se virou para o vilão, nos dando um aviso.

All Might: Segurem-se a alguma coisa.

Nesse mesmo instante, Natsu me abraçou, me mantendo preso ao seu corpo. Olhando para o All Might, o mesmo parecia estar preparando algo.

All Might: Jovem Midoriya... Esqueci-me de te dizer... - Levantei o punho, me livrando das mãos de lodo – Os profissionais sempre arriscam as suas vidas! - Agarrei no braço do estudante com força.

Vilão de Lodo: All Might!

All Might: Detroit Smash! - Agarrando o garoto, soquei o super vilão e com a pressão de ar, o mesmo se desfez.

Vilão de Lodo: Ahh...

Nesse mesmo instante em que o All Might o socou, uma grande brisa de vento formou-se nesta rua. Fechei os meus olhos me agarrando ao meu irmão, o mesmo que nos matinha firmes no chão.

Quando o vento sessou, abrimos os olhos e então, olhando para o céu, o mesmo ficou nublado e então começou a chover. Eu e o Natsu olhamos para o All Migth que se mantinha em pé e ao lado dele, estava Katsuki deitado no chão.

Em meio a este momento de vitória, sentindo a chuva molhar as minhas roupas. Pude ouvir a voz do meu irmão.

Natsu: Incrível.

Izuku: Sim.

 

Natsu:On

Olhei para o meu irmão e então, vendo que este momento de luta acabou, sorri, chamando pelo mesmo.

Natsu: Izuku... - Ele me olhou e o mesmo pegou no meu rosto, sorrindo – Voltei.

Izuku: Sim... - Nesse mesmo instante abracei-o pelo pescoço, deixando as lágrimas caírem nos meus olhos – Estou tão feliz, por te ter de volta.

Natsu: Eu também. E desta vez, ninguém nos vai separar – Afastei-me e agarrando no seu rosto dei um beijo na sua testa – Eu te amo, Izuku – Sussurrei, vendo o mesmo corar.

Izuku: Haha... Tolinho... - Olhei-o nos olhos, vendo aquele sorriso – Eu também te amo, Natsu – Sussurrei, voltando a abraçá-lo.

Depois de tudo o que aconteceu, os policiais começaram a limpar a área. Apanharam todos os restos do super vilão, colando-os em sacos do lixo. E fizeram bem, é onde ele pertence. Ao lixo.

O clima voltou ao normal e agora, eu estou diante algumas pessoas que estão me perguntavam coisas sobre os meus poderes. Acho que o Izuku disse que são jornalistas. Mas a maioria deles, estava entrevistando o All Might.

E em meio às várias perguntas, ouvi uma que me chamou a atenção.

Jornalista: Me diga, porque entrou no meio da luta? E como fez aquilo tudo?

Natsu: Oh, bem... Na verdade...

Nesse mesmo instante, ouvi alguém berrando. 

???: Sério, tens noção do limite do quão imprudente você seja!?

Olhei para trás, me deparando com uma cena que me causou raiva. Meu irmão estava de pé, olhando para os heróis, levando um sermão. Enquanto o outro idiota ao lado recebia elogios. Ele nem sequer fez nada.

Natsu: Com licença, preciso de resolver uma coisa.

Aproximei-me do cara com cabelo branco e do homem árvore e então, ao ficar ao lado do mesmo, dei um soco na cara dele.

Natsu: Deixem o meu irmão em paz! Ele conseguiu fazer muito mais do que qualquer um de vocês!

Izuku: Natsu, para! - Agarrei no braço impedindo-o de fazer outra estupidez – Por favor! Você acabou de voltar, não faça nada que te mande de volta.

Natsu: Izuku...

???: Esse seu irmão quase cometeu suicídio! Entrar no meio da luta sem mais nem menos! É de doidos! - Afirmei passando a mão pelo meu rosto.

Natsu: Poupem-me... - Apontei para o loiro ao nosso lado com uma expressão neutra – E aquele idiota, fez alguma coisa? Ele até recusou a ajuda do meu irmão. A batalha já poderia ter acabado mais cedo se ele não tivesse sido imprudente.

Katsuki: Imprudente!? Eu fiz mais do que você imagina seu merda! E o que está fazendo aqui!? Você não tinha sumido de vez!?

Izuku: Basta! - Com isto, uma das lâmpadas das ruas foi quebrada por mim. Voltei a sangrar, mas em vez de me importar com isso, olhei para o meu irmão - Natsu, vamos para casa.

Natsu: Vamos.

Aproximei-me dele. Limpei o sangue com o meu cachecol que o mesmo tem em volta do seu pescoço e em seguida peguei no mesmo, colocando acima do ombro como um saco de batatas. Em seguida saí dali sem nem dar mais explicações.

Izuku: Ei! Que é isto!? Eu consigo andar!

Natsu: Ah, Izuku... Não seja mau com o seu irmão.

Izuku: Ah... - Corei com o jeito que ele falou. E com isso tapei o meu rosto - Você...

Natsu: Hahahaha!

Deixando os idiotas para trás, adentrei uma rua, indo para nossa casa. E enquanto isso, carregava o meu irmão, me lembrando de vários momentos que passamos juntos.

 

Continua...


Notas Finais


Não sei se amanhã posto capítulo. Tenho trabalhos da escola.
Mas vou ver o que posso fazer.
Até ao próximo capítulo. BYEE!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...