História Amor Tekila - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - 15 - O amor de nós dois!


MARIA - É porque ele é meu anjo. Eu sonhei e papai do céu falou que um anjo vinha me conhecer. É ele, papai, é ele o anjo...

E naquele segundo enquanto as mãos inocentes daquelas meninas deslizavam na barriga de Inês, as lágrimas não foram polpadas, e os olhos dela cruzaram os de seu amor. Ele estava emocionado como ela, o amor deles era tão valioso que poderia que podia curar a morte e salvar uma família da dor...

Durante quase uma hora Inês e Victoriano ficaram no quarto conhecendo e se encantando com aquelas meninas tão lindas que apesar do início um pouco tímido depois tinham se soltado. Inês seguia rindo muito mais relaxada depois que percebeu que as meninas tinham conquistado Victoriano para sempre.  Ele demonstrava claramente estar caidinho por ela que beijavam, abraçavam e pegavam no bigode dele.

Enquanto Frederico e Cristina observavam falando apenas quando as meninas faziam alguma referência, Inês e Victoriano dominavam aquele momento conhecendo suas pequenas. Era uma alegria que nem parecia que era uma sala de hospital, eles e as meninas pareciam se conhecer toda a vida.

Para Inês era fácil entender aquela relação de amor porque ele era um homem de muitas mulheres, tinha três filhas. O carinho e o cuidado que Victoriano tinha com as três era muito valorizado por sua esposa e percebendo o modo como ele estava conversando com as meninas, sabia que já tinha se apegado a elas.

MARIA - Tio Victoriano, o senhor tem cavalos como na fazenda do meu pai? - Maria perguntou com os olhinhos brilhando de felicidade porque ela amava cavalos estava morrendo de saudades da fazenda e de correr livre pelos campos.

CAMILA - Papai tem um monte de tavalo, eu subo axim, e pulo e fico em chima. - Camila foi logo dizendo e sorrindo enquanto agarrava Inês. - Eu bem quelia uma famila nova. - disse toda amorosa e Frederico zangou de brincadeira.

FREDERICO -  Veja bem, Cristina que nós temos ali naquela cama duas meninas vendidas que só estão interessadas em ser mimadas pelos tios. Quem vê assim até pensa que a gente não cuida direito ou não dá carinho essas duas vendidas!

No mesmo momento que ele terminou de falar, Camila olhou de modo sério como se aquela revelação fosse a coisa mais incrível do mundo. Os pais sabiam que ela era uma menina de sangue quente e não deixava passar nada.  

CAMILA - Eu num xô vendida, eu xô compada!!! Compada, papai!- ela disse rindo e todos gargalharam.

VICTORIANO - Tenho, sim pequena, tenho muito cavalos!- ele disse sentindo Maria deitar a cabeça no peito dele. - Eu tenho todas as raças e você vai poder ver, porque eu vou te levar pra cavalgar comigo assim que você sair daqui....

Maria suspirou e olhinhos brilharam enquanto Camila foi se soltando de Inês e indo até ele de pé em cima da cama.

CAMILA - E eu? Podo? Podo tamém?- ela disse batendo palmas assim que Victoriano agarrou ela beijando e fazendo cócegas. - Ai que mizando na opa.- ela disse sorrindo tanto que Inês a puxou de volta para ela.

INÊS - Pronto, te salvei!- ela sorriu e Camila se agarrou nela gargalhando. Inês olhou as duas e sorriu beijando.- Agora precisamos ir...

Camila fez que não com a cabeça e Maria fez cara de choro.

VICTORIANO - Mas amanhã vamos voltar!!! Vamos voltar e fazer uma bagunçada!!!- ele disse quando sentiu que elas queriam chorar.

MARIA - Promete?- ela disse segurando a mão dos dois, uma de cada.

Inês fez que sim com a cabeça e abraçou as duas.

CAMILA - Taize um pesente pa mim e pa Malia? - ela disse toda inocente.

Todos riram e Cristina corrigiu na mesma hora.

CRISTINA - Fila, não pode pedir presente.

Camila olhou eles e depois abraçou a irmã.

CAMILA - Eles que gotalam de nós mamãe, quem gota num dá pesente? Então, eu num pedi, só falei! - ela sorriu e Victoriano soltou uma gargalhada.

VICTORIANO - Viremos com presente!!! Vamos comprar com o dinheiro de sua tia, mas vamos fazer um combinado.- ele olhava nos olhos delas duas, o brilho que tinha ali nem se podia explicar.

 As duas abraçaram Victoriano e Inês mais uma vez e mesmo que os dois tivessem no coração a ideia de que seria uma visita só para conhecer as meninas tudo aquilo tinha ido por água abaixo. Era uma visita para se apaixonar pelas sobrinhas e nunca mais se separar não importava o que acontecesse.  Estavam apaixonados. Inês se aproximou de Cristina e as duas se olharam.

Inês pegou a mão de Cristina e colocou em sua barriga, as duas trocaram um olhar tão intenso quanto o que sentiam no coração naquele momento. Eram mães e fariam qualquer coisa para salvar a vida de seus filhos, para dar felicidade e alento.Uma mãe é capaz de tantas coisas especiais que simplesmente nem é possível definir com palavras.

INÊS - Eu vou preparar todas as coisas e consultar o meu médico e depois que tiver todos os resultados, eu vou voltar a conversar com você sobre isso. Não é nada fácil para mim, mas quero que saiba que vou estar aqui a disposição e sempre vou fazer tudo que tiver ao meu alcance para que as coisas saiam bem e tudo der certo.- sorriu linda como ela era.- Eu sei que você está muito nervosa e que tem pouco tempo, vou fazer tudo o mais rápido que puder, prometo!

Cristina deixou a lágrima rolar porque aquela mulher não tinha nenhuma necessidade de correr estava fazendo por amor a ela, por amor a filha dela, uma pessoa que nunca tinha visto, que nunca tinha conhecido com quem nem tinha conversado antes. E ela teve de novo no seu coração a certeza de que o mundo ainda estava cheio de pessoas de luz, pessoas dispostas a ajudar o outro sem interesse algum. Cristina sabia agora que nem tudo estava perdido.

CRISTINA - Eu nunca vou conseguir agradecer a você tudo que vai fazer pela minha filha e pode ter certeza de que assim como eu serei eternamente grata a você por tentar estar disponível para ajudar numa situação tão complicada como essa. Também vou estar o resto da minha vida disposição sua, do seu marido, da sua família.-apertou as mãos dela com amor. - Eu quero estar na vida de vocês com as minhas filhas porque eles dois são irmãos e vai ser importante conviver mesmo que a gente não tenha começado do jeito certo.-ela deu um meio sorriso demonstrando que sabia.-  Acho que podemos acertar isso e mudar, recomeçar todos juntos e felizes como uma grande família.

Inês sorriu de volta, elas duas estavam começando, era bom ter alguém com quem contar também.

INÊS - Pode ter certeza, Cristina, que isso é tudo que eu mais quero a minha família unida e feliz.

As duas se abraçaram, se despediram e por fim, Frederico chegou diante de Victoriano e deu um abraço forte no irmão, um abraço de uma vida. Tinha desejado ter perto dele alguém com quem fazer planos e para poder confiar, um irmão, um amigo. Victoriano sentia uma coisa diferente sempre tinha sido um homem sozinho e agora tinha dois irmãos. Frederico sorriu depois do abraço e disse com o coração cheio de amor.

FREDERICO - Eu posso ser seu escravo o resto da vida depois do que vai fazer pela minha filha e eu quero que me deixe ficar perto de Emiliano, quero dar atenção ao meu sobrinho e ser o tio que ele merece.- disse sorrindo.

VICTORIANO - Se o meu filho quiser, eu vou permitir e você não tem só ele tem mais três potrinhas que vão adorar ter um tio que as ajude a fazer todas as coisas erradas que elas adoram.- disse baixando a guarda para o irmão, tinham começado do jeito torto, mas ele queria resolver.

FREDERICO - Eu vou amar, quero conhecer eles todos, e descansar...- ele suspirou e olhou eles.

Eles sorriram mais uma vez e se despediram e despediram-se das meninas de novo e Victoriano deu a mão a Inês andando no corredor e sorrindo porque ela tinha dado à Vida a ele de novo. Ela sorria linda, cheia de vida como ela sempre era.

VICTORIANO - Eu te amo muito, Inês, te amo acima de todas as coisas...

Inês abriu um largo sorriso para que ele disse enquanto caminhava na direção do carro. Eles sempre estavam assim, juntos e felizes. Tinham chegado ali cheio de dor e agora, eram só esperança.

INÊS - E eu, então, meu amor e eu, como eu te amo!!!! Como eu te amooooo! - ela sorriu agarrando ele e beijando na boca empurrando ele contra o carro.

Victoriano sorriu e a beijou mais...

VICTORIANO - Minha gravidinha quer amor, quer safadeza?

Ela apenas riu e beijou ele na boca. Ela queria tudo com ele, tudo com seu amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...