História Amor Tekila - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias A Madrasta
Tags Césarévora, Lasamazonas, Parejatekila, Victoriaruffo
Visualizações 5
Palavras 1.835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Literatura Feminina, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 18 - 18 - A vida seguindo...


MARIA - Olha, Ca, Tia Inês comprou bonecas!!! Olha que linda...- ela disse beijando a boneca de cabelos longos e rosa.- Obrigada, tia, adorei a visita, nem precisava dos presentes.- ela agarrou Inês junto com a boneca e o urso.

INÊS- Foi um prazer, minha princesa!!!!- ela beijou mais ela.

CAMILA - Percisava sim, que eu quelia pesentes e amor e calinho e todo mundo aqui...- ela enumerava e ele agarrava mais ela fazendo ela rir.

Naquele momento quando os olhos de Inês e Victoriano cruzaram um do outro, só ouve risos, amor e cumplicidade. O amor deles era tão forte quanto a alegria daquelas meninas.

Foi uma noite memorável. As meninas tinham necessidade daquele carinho e de atenção porque o ambiente hospitalar era muito hostil para duas crianças tão pequenas ainda. A cada palavra que elas diziam e a cada momento que sorriam, Victoriano sentia em seu coração uma alegria tão grande que ele nem sabia explicar o motivo de estar assim.

Depois de brincarem muito e da enfermeira passar para a ronda e verificar que a pequena Maria nunca tinha estado tão bem como naquele momento, os dois estavam sentados com Camila dormindo nos braços de Victoriano e Maria adormecida em sua cama agarrada ao urso.

Inês tocou o rosto de seu amor e mais uma vez teve certeza do homem perfeito que ele era. Apesar de todas as coisas que tinha acontecido estava ali do lado dela fazendo o que achava que era certo. O amor deles era tão bonito tão puro que traria ao mundo uma criança para salvar outra. Inês alisava sua barriga e olhava para ele quando começou a falar. Era tão bom ser apoiada e ver a felicidade no rosto daquelas meninas.

INÊS-   Acho que elas estão tão felizes que dormiram de cansadas. Me lembre quando Emiliano era bem pequeno e brincávamos com ele. Você sempre foi um pai maravilhoso para o meu filho e ele te ama sabendo que você é único pai que ele quer. Te ama como um louco. -ela alisou o rosto dele com amor.

VICTORIANO - Ele é o meu filho, ele sempre vai ser a luz dos meus olhos, eu tenho tanto amor por nosso filho, tanto orgulho dele ter se tornado um homem de bem. Eu não quero nada da vida além da felicidade de nossa família!- ele disse com amor.

INÊS - Eu sei que tem orgulho de nosso filho, tem ciúmes dele também!!! Muitos ciúmes!- ela sorriu vendo ele beijar Camila que agarrou ele enquanto dormia. - Nem gostou de saber que Frederico quer a companhia dele. Ele é tio dele, amor, tio e quer ele bem perto!

VICTORIANO - Meu filho anda comigo, não anda com outro peão não!- ele disse com o rosto tenso. Estava dizendo a verdade.

Inês riu de modo suave estava sempre tentando entender o jeito que o marido pensava. Victoriano era o homem mais ciumento que ela tinha conhecido na vida e quando se tratava dela, das filhas ou do filho não tinha discussão sobre isso. Era ele com ciúmes e quem estivesse na frente que aguentasse.

INÊS -Meu amor, eu tenho certeza que ele vai ser um bom tio para o nosso filho. Desde que chegou só vi Frederico fazer coisas boas e tentar ser seu amigo. Eu entendo que você esteja nos protegendo, mas assim como ele baixou a guarda e nos deixou ficar com aquilo que ele mais ama no mundo numa noite como essa , você precisa também baixar a guarda.

VICTORIANO -Eu adoro essas meninas, Inês, quero elas na nossa casa, andando nos cavalos, quero elas duas bem perto de nós. Essa daqui parece muito comigo. - Disse isso olhando o rostinho de Camila que era tão linda e tão sapeca quanto ele.

INÊS -Vai ficar tudo bem, meu amor, você vai ver, vamos poder levar as meninas na nossa casa, dar uma festa, vai dar tudo certo. Vamos ser uma enorme família agora!!!

Inês deitou sua cabeça no pescoço de seu amor e ficou ao lado dele amorosa, fiel e inteira. Era tudo que ela precisava, o amor dele e sua fidelidade.

LONGE DALI...

Victória estava nua na cama e sentia que Heriberto demorava para vir ao quarto, sabia bem que ele a estava evitando. Estava andando pela casa com o celular na mão a um tempo e depois ela o viu se enfurnar no escritório sem dizer mais palavra alguma. Os meses tinham sido complicados e ela o viu chegar com o rosto tenso.

HERIBERTO - Você ainda está acordada?- disse com impaciência e deitando na cama, já estava de pijama.

VICTÓRIA - Eu estou sim, tinha esperança de fazer amor com meu marido. Esperança de ser amada nessa cama!- ela fez dengo e ele a agarrou beijando muito e sem palavras ele agarrou Victória sorrindo logo depois com ela gemendo.

Os dois começaram a rir e ele a soltou.

VICTÓRIA - Não ria de mim,  Heriberto, estou carente de atenção, você sabe bem que eu preciso do seu amor!!!! Preciso e muito do seu amor!!!! E agora qualquer beijo e eu estou gozando.- ela riu para ele com o rosto cheio de amor.

O amor de Victória por Heriberto era tão bonito e tão intenso. Era um casamento sempre permeado de ciúme e de muitas complicações, mas o amor estava presente em todas as coisas que diziam um ao outro. Ele tinha mudado muito desde que a filha estava presa aquela cadeira de rodas. A impotência de poder devolver a mobilidade a sua menina o transformava em um homem completamente soturno e silencioso.

Victória tinha aguentado firme as mudanças de Heriberto diante de todos os problemas que os dois tinham. De uma única vez tinha perdido a alegria dos olhos da filha e também a do marido. Estavam lutando há tanto tempo para que as coisas fossem de novo bonitas e simples como deveriam ser. Ela não queria estar sozinha e nem merecia não ser amada como ele sempre tinha amado até ali.

HERIBERTO - Eu te amo, me perdoe por estar distante!- disse com o rosto sob tensão.- Eu estou com tanto medo que estou deixando você abandonada.- ele começou a beijar ela no corpo todo tirando sua camisola e em seguida ficou nu. 

Foi tão rápido que quando eles estavam um no outro, conectados, se beijando e sorrindo, ela disse ao sentir ele estocar dentro dela.

VICTÓRIA - Preciso de você em mim, Heriberto... preciso de você comigo!- ela sorriu e tocou seu amor.

HERIBERTO - Estou aqui, meu amor e não vou a lugar nenhuma sem você...- ele sorriu se movendo em busca do mesmo prazer que ela queria , era um amor para toda a vida, um amor para todo sempre!!!

MESES DEPOIS...

Inês segurou a mão de Victoriano olhando em seus olhos enquanto sentia a barriga mexer de modo vertiginoso. Estava na hora de ver filho que eles tanto tinham esperado. A vida sempre mostra que através do amor podemos superar tudo e era isso que os dois sentiam enquanto caminhavam naquele corredor de hospital para que o bebê mais lindo e amado do mundo nascesse.

Na sala de espera uma família enorme e ansiosa por muitos motivos, pela saúde do bebê e por todo procedimento que Heriberto faria junto a equipe médica obstetra dela. Victoriano tinha exigido que outros três médicos estivessem presentes, os meses tinham se passado, mas ele não confiava em Heriberto e queria com sua esposa, médicos da confiança dele.

Inês concordou com tudo! Com as questões que ele queria e exigiu porque só assim ele ficaria calmo. A pediatra já tinha informado que a coleta era simples e não causaria danos ao bebê ou a Inês, mesmo assim, Victoriano queria saber detalhe por detalhe.

Heriberto estava pronto para assim que a coleta fosse feita estar orientando a cirurgia imediata de sua filha assim como acompanhar a cirurgia de Maria. Estavam todos os pacientes internados naquele hospital. Inês tinha autorizado que fizessem a doação a Fernanda também, mas as duas não tinham se visto muitas vezes não... apenas duas e a menina era bem triste. Muito diferente de Maria que naqueles dois meses quase tinha morrido, mas estava tão feliz!!!

"As células-tronco são células com capacidade de autorreplicação e diferenciação e dão origem às células adultas que constituem os tecidos e órgãos do nosso corpo. No cordão umbilical, podem ser encontrados dois tipos de células- tronco: as do sangue (chamadas hematopoéticas), que dão origem a todas as células do sangue, e as do tecido (chamadas mesenquimais), que dão origem a cartilagens, ossos, músculos, tendões e gordura.

Cada uma dessas células tem uma capacidade específica de se transformar em outras e, assim, ser usada no tratamento de doenças específicas. . O uso das células-tronco do sangue do cordão umbilical no tratamento de doenças sanguíneas foi estabelecido há mais de 25 anos, sendo atualmente utilizado no tratamento de mais de 80 doenças, principalmente leucemias, falência medular, anemias, doenças de metabolismo e imunodeficiências.

As células do tecido começaram a ser utilizadas pela ciência mais recentemente do que as do sangue e elas ainda não chegaram à prática médica, mas as pesquisas em diversos centros investigam seu uso no tratamento de doenças extremamente comuns na nossa população, como diabetes tipo 1, diabetes tipo 2, cirrose hepática, infarto do miocárdio, esclerose lateral amiotrófica, doença de Alzheimer, autismo, câncer de mama queimadura e lesões esportivas.

Além disso, um importante ensaio clínico demonstra que a célula-tronco do sangue do cordão umbilical é capaz de se expandir em até 12,2 vezes, quando colocadas em cultura junto com células-tronco mesenquimais. Isto contribuiu para a recuperação 37,5% mais rápida da medula óssea em tratamento."  http://www.cordvida.com.br/blog/confira-o-passo-a-passo-da-coleta-das-celulas-tronco-do-cordao-umbilical/ 

Os dois se beijaram e ela foi levada em sua maca com os olhos de Victoriano nela. Heriberto passou por ele disse com o coração cheio de gratidão.

HERIBERTO - Obrigada por devolver essa chance a Maria e a minha filha...- ele disse o olhando.

VICTÓRIA - Você está ajudando a salvar duas vida, Inês é mesmo uma mulher maravilhosa.- ela disse chegando e abraçando o cunhado.

HERIBERTO - Eu preciso ir.- disse depois que Victoriano o olhou com atenção e se afastou indo para o centro cirúrgico.

VICTORIANO - Meu filho...- ele disse sorrindo para Victória.

Os dois voltaram a sala de espera e Frederico abraçou ele chorando.

FREDERICO - Você é o melhor! Obrigada por salvar a vida de minha filha! Inês e você podem pedir o que quiserem, eu sou escrevo de vocês!- ele riu emocionado e Victoriano sorriu.

VICTORIANO - Apenas vamos ser uma família, é isso que minha esposa quer e é isso que seremos!!!

E Inês sorriu tocando sua barriga, era a hora, a hora de ser mãe de novo... O coração acelerou e ela segurou a mão de Heriberto.

INÊS - Eu quero meu marido aqui comigo, chame Victoriano...- e em seguida ela foi amolecendo com a anestesia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...