História Amor vampiro jovem. - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias As Irmãs Vampiras
Personagens Dakaria Tepes, Personagens Originais
Tags As Irmãs Vampiras, Daka, Murdo
Visualizações 111
Palavras 1.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláá meus caros leitores, hoje eu estava inspirada e consegui fazer mais um capitulo para vocês! Eu espero que gostem e eu peguei algumas ideias de diferentes lugares e espero que gostem!

Capítulo 25 - A história de Tomás


"1ª parte do plano concluída!" E sorrio para mim mesmo.

Draco off

Tomás on

Eu estava deitado no telhado observando as estrelas e Murdo aparece do meu lado. 

-E aí? Ele perguntou.

-Sei lá. E você?

-Eu... não consigo parar de pensar no que fiz. Ele diz encarando a lua.

-Sei.

-Eu acho que o que eu fiz foi errado... 

-Imbecil? Completo.

-É.

-Olha, eu sei que não foi sua culpa, você estava fraco. E outra, a própria Daka deixou. 

-É mas não parece certo, mesmo assim. 

-Eu te entendo, você fez uma coisa que faz você se sentir culpado por interferir na vida da outra pessoa, porém...

-Porém...? Ele questiona.

-Porém isso foi melhor para você e com isso você ajudou alguém que você amava.

-Nossa, rolou algo assim com você? Ele perguntou e um flashback rolou em minha mente.

Flashback on

Eu estava vendo um carro pegar fogo e olhava para a bebê  dentro dele gritando por socorro. Com certa relutância pego a pequena humana e a levo para longe antes do carro pegar explodir. Eu olhava para a menina que chorava inconsolavelmente e eu por um momento me sentira mal pelo que fizera.

Flashback off

-Tomás? Murdo me chamou e eu volto para a realidade. 

-O caso Helen. 

Ele olha surpreso e depois diz:

-É mesmo.

-Que caso Helen? Crânio apareceu de repente e perguntou em pé no telhado.

Eu olho para a lua de novo e digo:

-O caso que mudou completamente a minha vida. 

Murdo faz um sinal para que eu sente e o Crânio também o faz.

-A minha família é uma das famílias mais antigas do mundo, ela que ajudou a formar a sociedade vampira como ela é hoje. É claro que os humanos não aceitaram isso completamente de bom grado, porém, como os vampiros podem facilmente mata-los enquanto dormem, eles baixaram a bola. Por vários séculos, a família Steinbrück tem controlado os humanos depois de propor um acordo de paz, e assim se passaram vários séculos até 12 anos atrás. 

-O que houve 12 anos atrás? Vitor perguntou.

-A família Steinbrück era quem controlava os humanos e fazia com que eles nos deixassem em paz, mas a Helen, que seria a nova herdeira dessa responsabilidade, resolveu que não queria que os vampiros continuassem a existir, e que se o povo quisesse eles deveriam comandar uma rebelião e queimar todos eles no sol. Claro que minha família como uma das fundadoras é responsável pela guarda real e a proteção do nosso povo informou isso a família real que tomou a decisão que deveríamos matar a família Steinbrück e apagar a memória de todos os humanos sobre a existência de vampiros. Então pediram auxílio a família Quastion para apagar a memória de todos os humanos.

-A minha família? Crânio perguntou.

-Exatamente. 

-Mas por que eu não fui informado de nada?

-Nessa época você estava desenvolvendo o soro alimentício. E graças a você não é preciso se alimentar de sangue se você não quiser, seus pais não iriam atrapalhar uma pesquisa tão importante.

-Mas e agora que eu voltei? Por que ninguém me contou isso? 

-Isso é com você e sua família. Digo e Murdo dá uma pequena risada.

-Continua, Tomás. Murdo diz.

-Continuando... 

-A família Quastion desenvolveu um aparelho que combinado com a hipnose vampira, iria apagar a mente de todos os humanos que tivessem qualquer lembranças com vampiros que não fossem casados com eles. E quanto a minha família...

-Ficou encarregada de matar a família Steinbrück. Completou Murdo. 

-Isso aí. Só haviam 5 membros vivos da família Steinbrück, e nós planejamos um acidente de carro para mata-los. Porém... meu pai me escolheu para executar essa tarefa para eu provar que era mais que um mulherengo que não faz nada a não ser ficar nas costas deles. Eu tinha feito tudo certo, desviei a família até uma área deserta onde não havia testemunhas humanas e usei minha magia para fazer o carro derrapar e girar no ar. O carro era preto e estava coberto de chamas, só que quando eu ia embora, além de escutar os gritos da família eu escutara um choro de um bebê. Eu... 

-Você a salvou? 

-Isso mesmo. Eu tirei a menina do carro e a levei para cá, onde tinha uma senhora viúva que era estéril e tinha vontade de ter uma criança. Eu a deixei na porta mas eu coloquei junto ao cesto um bilhete que dizia: "Cuide da pequena Helena, ela tem um grande futuro pela frente", e fui embora.

-Nossa, que história. Vitor disse impressionado. 

-Mas o que houve depois? Vitor perguntou.

-Depois disso... eu fui aclamado como um grande herói que salvou as futuras gerações de vampiros. Recebi presentes, roupas, garotas... mas eu não estava feliz. Eu estava recebendo tudo aquilo a troco da morte de uma família e supostamente a morte de uma bebê. Então deixei minha casa e me juntei a Krypton Krax e ao meu melhor amigo de infância o Murdo. Aí eu estava ganhando dinheiro, fama e garotas pelo meu próprio esforço e charme. 

-Mas e a Helena? Você não voltou para vê-la? Vitor perguntou curioso.

Eu paro para pensar e logo respondo.

-Eu voltei aqui umas 3 vezes para ver como a senhora a estava tratando e deixei uma quantia de dinheiro para que ela pudesse somar ao salário dela e poder dar conforto a menina. Porém na terceira vez eu tinha certeza que se não parasse logo, eu iria me apegar muito a ela e gostaria que ela ficasse comigo. E eu como sendo um vampiro completo que matou a família dela e mudou completamente o destino dela, acho que não seria bom para ela. Deixei uma pequena tornozeleira para quando ela ficasse mais velha e nunca mais a vi. Termino e continuo encarando a majestosa lua, que mesmo com a escuridão da noite, não reduzira seu esplendor. 

-Tomás...

-Fala aí, Crânio. 

-Eu não imaginava que você tivesse uma história dessas. 

-É. Eu vivi muitos anos! Digo ironizando o "muitos anos".

-Você está pensando em encontrar essa tal de "Helena" de novo? 

-Na verdade, acho que a encontrei.

Tomás off

Daka on


Notas Finais


E aí, pessoal? Eu estava relendo alguns antigos comentários e vi que o Tomás era um dos personagens favoritos de vocês, então... acho que deixei vocês felizes!!😄 Continuem comentando porque além de me servir de inspiração, me dá um animo a mais para eu continuar a escrever e assim poderemos ter um contato mais próximo!😄
Beijos vampiros
SakuraDaka


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...