História Amor Verdadeiro: A Linhagem Incestuosa Está Longe De Acabar - Capítulo 5


Escrita por: e AnaNanami

Postado
Categorias Vampire Knight, Vampire Knight Guilty
Personagens Akatsuki Kain, Hanabusa Aidou, Haruka Kuran, Ichiru Kiryuu, Kaname Kuran, Maria Kurenai, Personagens Originais, Rima Toya, Ruka (Luca) Souen, Sara Shirabuki, Sayori Wakaba, Senri Shiki, Shizuka Hiou, Takuma Ichijou, Yagari Touga, Yuuki Kurosu, Zero Kiryuu
Tags Ai Kuran, Kaname Kuran, Ren Kuran, Yuuki Kuran
Visualizações 30
Palavras 1.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Despedida


Fanfic / Fanfiction Amor Verdadeiro: A Linhagem Incestuosa Está Longe De Acabar - Capítulo 5 - Despedida

*Aí on*

Despertei meio... Como podemos dizer? Estranha. Mas tanto faz. Ninguém se importa comigo além da mamãe e do papai.

Me estiquei um pouco, sentia que o meu corpo estava destruído, doía tanto. Minhas costas doíam mais nada, que saco! É uma chatice ter problema das costas.

Tomei banho, relaxando na banheira por minutos. Escovei os dentes e coloquei um short jeans curto escuro, uma blusa vermelha com detalhes brancos, calcei um chinelo mesmo, estáva cansada, com dor, e para variar preguiça.

Ninguém sabe o motivo correto, mas, a minha saúde e mais fragilizada, por algum motivo, mas os meus pais não me contam e ficam se esquivando do assunto.... É como se fosse... Um pecado? Ou Proibido?

Não sei... Acho que o maior pecado é o que eu cometo, me apaixonei pelo meu irmão gêmeo, Zero Ren, sei, nome estranho não? Mas o meu também é, Miyuki Aí, mas todos me chamam de Aí. Raramente me chamam de Miyuki.

Ren me chamava, quando eu era um "bebê", ou quando queria algo comigo, eu sentia saudades daquela época.

Eu irei contar um segredo, o verdadeiro motivo para que eu o ame tanto, não sei bem se foi por isso, mas depois desse dia, toda vez que eu o via, o meu coração disparava, as vezes eu ansiava pela mesma sensação... Até hoje é assim....

Sinto muito, se alguém souber dos meus pensamentos... Irá descobrir que... Quando eu tinha uns cinco aninhos, assim como o Ren, estavamos brincando de verdade ou desafio, a bobona aqui, -eu- escolheu desafio, ele me desafiou a fazer igual aos casais dos filmes.

Resumindo, nos beijamos, meu primeiro beijo, no início foi totalmente estranho, mas depois até que ficou mais... Quente e gostoso...

Mas na época eu não sabia disso, eu não tinha os meus pensamentos sujos...

Incluindo que, depois desse dia, até nós dois fazermos sete anos, ficávamos nos beijando, escondido dos nossos pais.

Como nós foi éramos dois "demônios" de crianças, nós dois espionados nossos pais...


Flashback Aí on

— Zero... - Nessa época eu o chamava dessa forma.

— Sim? - ele sussurrou no mesmo tom que eu, nós devíamos estar dormindo.

— Vamos ver o papai e a mamãe, eles ainda estão na cozinha - avisei.

Eu não tinha visto eles subindo até agora. Mas só tinha dois lugares onde eles estariam, ou na fonte, ou na cozinha. Se eles estivessem na sala estariam assistindo algo, e iriamos ouvir.

— Vamos ver Miyuki - ele também me chamava assim, quando queria algo de mim, e isso era...

Senti os lábios de Ren nos meus suavemente. Depois do selinho nos afastamos e sorrimos inocentemente um para o outro.

Saímos da cama, dormíamos juntos e agarradinhos, nesta época ainda tinha inocência.

Descemos as escadas nas pontinhas dos pés estávamos descalços, andamos até a cozinha, onde os nossos pais estávam se beijando, eu sabia! O que mais eles fariam além disso? Claro, sozinhos.

Quando o papai se separou da mamãe, ela estava ofegante e vermelha, depois ela falou: — Kaname eu já lhe avisei, isso é demais para o meu auto controle! - mamãe falará.

— E eu novamente lhe digo: só para o seu? - papai deu risada — Porém... - ela fez mistério.

— O que Kaname? - mamãe perguntou.

— Yuuki, sabia que ainda tem dois seres pequenos que ainda pensam que eu sou idiota? - ele perguntou.

— Quem? - mamãe perguntou.

— Aí, Ren... O "Show" já acabou - falará o papai se virando e nos olhando, estávamos atrás do balcão, o papai tem a visão de raio x? — Pena que chegaram tarde... - papai sorriu sarcástico para a mamãe, que corou até o último fio de cabelo.

Eu e Ren saímos, os nossos pais nos olharam.

— Já eram para estarei dormindo... - minha mãe cobrou.

Não sabíamos o que falar, por isso sorrimos sapecas.

— Mas... Aí, minha princesinha? - meu pai me chamou.

— Sim papai? - corri e pulei nos braços dele, papai me segurou, e olhou nos meus olhos.

— O primeiro beijo só pode depois do casamento. - papai falou. Minha mãe deu uma grande gargalhada, tanto que engasgou com o ar, ela ficou tossindo e rindo ao mesmo tempo. Papai arqueou a sombrancelha para ela. Mas continuou a fala: — Na minha época - ele mentiu e falou como se fosse um velho — o primeiro beijo só podia depois do casamento - meu pai explicou.

— Por que? - confusa, eu inclinei a minha cabeça para o lado.

— Se não os monstros vêem lhe pegar... E depois... Eles devoram todos os seus órgãos! - papai mentiu. Mas eu me assustei nesta época, claro que eu não contei sobre os meus beijos escondidos com o Ren, mas foi um bom traumatismo. Do mesmo jeito não parei, sempre que possível, eu e Ren nos beijávamos.

Éramos discretos, com medo dos monstros virem nos pegar.

Flashback Aí off

Aqueles eram bons tempos, mas hoje, eu não durmo mais com o Ren, ele vive dizendo que é perigoso, como não sou mais inocente, já pensei que ele iria me violar, mas ele nunca fez isso, e eu mal entro no quarto dele.

....

*Um dia depois*

Eu já estáva indo para casa juntamente dos três. A tia Maria nos levava de carro, ela ficava falando sobre as histórias dos nossos pais, mas nada com conteúdos para maiores, o único maior aqui e o tio Ichijou e a tia Maria, o Yukito também já é de maior.

Mas o engraçado era que ninguém prestava atenção, Yukito estava encarando a janela, a minha cabeça estáva deitada no ombro dele, enquanto eu queria chorar por ver o Ren ensinar a Mary a jogar o PSP dele.

Quando chegamos na minha casa, que era a mais próxima do que a casa da Yukito, afinal ele morava sozinho, mas os pais e a tia Maria sempre o tratam como criança, por isso ele não vai sozinho. Por mais que ele quisesse.

Dei-lhe um beijo na bochecha, Yukito fechou os olhos aproveitando a sensação, depois sai do carro, dei o tchau para os meus tios e o Yukito. Depois eu entrei em casa, sozinha, o Ren estava com a Mary, e os dois me esqueceram novamente.

... Nem quero imaginar como vou suportar ver os dois juntos...








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...