História Amores Imperfeitos - NejiHina - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Neji Hyuuga
Tags Casamento, Drama, Hentai, Hinaneji, Hinata Hyuuga, Naruto, Neji Hyuuga, Nejihina, Romance
Visualizações 431
Palavras 2.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus cheirosos!

Perdão pela demora, mas eu não abandonei vocês. Eu amo escrever essa história, só estou meio enrolada nessas últimas semanas.
Enfim, hoje teremos casamento e já aviso que nunca tinha feito um capítulo do tipo, por isso não sei se ficou bom ou não. Rs Mas o que vale é a intensão, não é mesmo?

Boa leitura!

Capítulo 6 - Sim


Se Hinata achou seu dia cansativo, para Neji a tarefa também não foi simples. Ouviu Guy-sensei e Rock-lee choramingarem algo sobre a primavera da juventude florescer no coração de jovens amantes e outras coisas sem sentido ou utilidade.

Então levou o convite aos companheiros de equipe de Hinata e teve que escutar mais coisas idiotas do Inuzuka, que prometeu acabar com sua raça caso fizesse Hinata sofrer... Mas Neji simplesmente o ignorou, morreria antes de deixar que algo acontecesse com sua noiva.

Então teve que entregar o convite a seu rival e amigo. Assim como todos os outros, Naruto pareceu surpreso. O Uzumaki não esperava que Neji e Hinata firmassem um compromisso, mas não questionou sobre os motivos por trás do casamento... Na verdade, Naruto até desconfiava dos sentimentos do Hyuuga por Hinata... Via a forma como Neji se sacrificava pela prima e sabia que faria o mesmo por Sakura. A princesa Huuga estava segura ao lado de Neji e isso o deixava tranquilo.

– Cara, nem acredito que vai se casar... Quer dizer, nunca te imaginei casado e com filhos, mas estou feliz por você e pela Hinata, espero que sejam felizes.

Sendo muito sincero, nem o próprio Neji se imaginava desta maneira, mas essa seria sua realidade dentro de poucas semanas. Casar com Hinata e fazer o possível para vê-la feliz.

– Hm... Obrigado, Naruto.

Agradeceu e se despediu do Uzumaki que sorriu assentindo. No caminho, perto da loja de ferramentas ninjas, Neji encontrou novamente sua companheira de equipe, que correu para alcança-lo assim que saiu do estabelecimento.

– Neji, espere.

Ela pediu pouco antes de alcança-lo, vendo-o girar o copo para escuta-la sem pronunciar qualquer palavra.

– É, oi... E-eu, recebi o convite do seu casamento... Hinata trouxe a algumas horas atrás.

A voz de Tenten não passava de um sussurro desconsertado. Soube pelo próprio Neji sobre o casamento, mas ainda tinha uma centelha de esperança de que fosse algum tipo de piada estupida. Contudo, a maior surpresa foi descobrir que a noiva era Hinata, a prima de Neji.

Como aquele relacionamento foi acontecer?

– Hm, acabei de entrega-los ao sensei e ao Lee também, eles parecem mais empolgados do que eu.

Disse de maneira descontraída, vendo sua companheira esboçar um breve sorriso, imaginando a empolgação de seu sensei com a notícia. Entretanto, seu semblante voltou a expressar algum tipo de dúvida.

– Éh, Neji...

Chamou hesitante, vendo-o erguer uma sobrancelha, curioso com o embaraço de sua companheira de equipe. Tenten parecia desconfortável e isso era algo que quase nunca acontecia, sempre foi determinada e muito bem articulada, não fazia seu tipo perder as palavras.

– Sim?

Involuntariamente a Mitsashi morde o lábio escolhendo suas próximas palavras. Em sua mente, a dúvida que lhe atordoava parecia estupidamente infantil, mas precisava de uma resposta e por isso obrigou-se a perguntar:

– Na-nada vai mudar entre nós, certo?

Questionou insegura sobre a resposta do companheiro. Mas aparentemente, Neji não a compreendeu e franziu o cenho em confusão.

Do que exatamente ela está falando?

– O que quer dizer com isso?

Mesmo sem a intenção, acabou intimidando sua companheira com o timbre de voz e o olhar confuso.  

– D-d-depois do casamento, nós ainda seremos um time, certo?

Esclareceu, vendo a expressão do Hyuuga normalizar.   

– Claro que sim, Tenten... Continuaremos sendo amigos, companheiros de equipe... Isso não vai mudar depois do casamento, eu prometo.

Afirmou vendo-a assentir lentamente associando suas palavras.

Tenten temia que coisas comuns ao lado de seu parceiro deixassem de existir depois da cerimônia. Ela não queria perder a amizade e a companhia tão agradável de Neji, não queria que nada mudasse entre eles... Ou será que queria?

Droga, estava tão confusa nos últimos dias.

Balançou a cabeça espantando os pensamentos inúteis.

– B-bom, fico feliz... Não queria perder meu parceiro de treino.

Justificou vendo Neji exibir um breve sorriso com a preocupação da companheira.

– Não vai perder, isso não vai mudar nada entre nós.

Garantiu sendo gentil com sua companheira de equipe. O Hyuuga gostava de Tenten, ela era uma boa amiga e uma boa parceira de treinos, não abriria mão dessa amizade. Contudo, Tenten precisou forçar um sorriso de satisfação, que era quase tão bom quanto os que Sai distribuía... Era isso que ela queria, certo?

Nada iria mudar entre eles. Absolutamente nada!

Então por qual motivo não conseguia se sentir feliz com isso?

Antes que tivesse uma resposta, foi tirada de suas indagações internas por Neji, que aparentemente estava se despedindo.

– Preciso ir, nos vemos no casamento.

Disse com o ar naturalmente cansado. Estava exausto de andar por konoha o dia inteiro distribuindo convites e escutando as mesmas perguntas dezenas de vezes.

– C-certo... Nos vemos lá, boa noite Neji.

Respondeu sem qualquer empolgação. Não sabia o que estava lhe acontecendo, só sabia que não conseguia ficar totalmente feliz pelo amigo e isso lhe perturbava.

...

Os preparativos do casamento tomaram dias e mais dias dos noivos... As últimas duas semanas passaram tão rápido que quase não tiveram tempo de conversar ou ver seus amigos.

No dia da cerimônia, duas servas da família secundária foram até Hinata prepara-la devidamente para o casamento. Banhos e perfumes, cremes e massagem... Esse tipo de coisa que noivas convencionais fazem para ficar radiantes no dia e na noite de núpcias.

Contudo, ainda não se sentia muito confortável em pensar sobre esse assunto... Em menos de doze horas teria que dividir a cama com Neji e nem ao menos sabia como agir.

Deu um longo suspiro em lamento. Devia ser a noiva mais desajeitada que já pisou em konoha... Mas não queria muito pensar sobre o assunto, tinha que repassar seu voto de casamento para fixa-lo na mente.

Poucos minutos depois, Hanabi adentrou o quarto e perguntou-lhe sobre a roupa que escolheu para a cerimônia.

Sem qualquer empolgação, Hinata apontou para a peça que estava em cima de sua cama.

O tecido do kimono era de um branco acetinado, amarrado por uma faixa lilás na altura da cintura. Não tinha estampa alguma, nem parecia incrivelmente deslumbrante, mas era bonito.

Não quis prender os cabelos, preferiu deixa-los soltos como de costume, sem qualquer ornamento ou enfeite... Não pensou sobre a maquiagem, mas Hanabi praticamente lhe ordenou que usasse algo para realçar sua beleza... Então, sob nenhuma pressão, passou um batom levemente rosado e algo para destacar os cílios negros da Hyuuga.

Hanabi ajudou Hinata com a maquiagem e posteriormente ajudou-a com as amarrações do kimono, quando finalmente estava pronta, a primogênita de Hiashi olhou-se no espelho conferindo o resultado de horas de trabalho. Não parecia deslumbrante, mas estava realmente bonita.

Quando as serviçais deixaram-nas a sós, Hanabi ousou elogiar a beleza de sua irmã:

– Você está linda, nee-chan.

Disse admirando a irmã que esboçou um singelo sorriso de agradecimento.

– Obrigada Hanabi.

Agradeceu simplesmente sem qualquer empolgação aparente.

– Todos chegaram?

– Acho que sim, tou-sama está recebendo os convidados no pátio principal.

Respondeu ingenuamente, sem entender a quem Hinata referia-se quando disse todos.

– V-viu o Naruto-kun?

Questionou hesitante, constrangida pela pergunta. Só então Hanabi compreendeu o que de fato Hinata queria saber com a pergunta anterior.

– Ele está lá fora, junto com a companheira de equipe e o Iruka-sensei.

 Disse sem qualquer intenção, vendo o semblante da irmã ganhar um ar sôfrego semelhante ao de lamento.

– Entendo, obrigada irmã.

Sussurrou visivelmente cabisbaixa. Hanabi detestava vê-la desta forma, lastimando-se, triste e abatida. Hinata definitivamente não merecia isso!

– Sabe... Eu admiro sua coragem, admiro o que está fazendo por nosso clã. Você é realmente muito gentil e prestativa nee-chan, é uma mulher incrível, e, pessoas como você não deveriam sofrer.

Disse chamando a atenção de sua irmã mais velha que se surpreendeu com o elogio repentino.

– Mas o Neji-niisan também não merece isso. Ele não merece olhar para você todos os dias e pensar que você trocou sua liberdade pela dele, sei que isso o deixará infeliz.

Afirmou com uma convicção e seriedade espantosas para uma garota de quinze anos.

– Se o Naruto está feliz com a Sakura-san, por que não se permite ser feliz também? Por que não dá uma chance para o nii-san?

O olhar de Hinata cresceu em espanto pelas as palavras de sua irmã. Não tinha uma boa resposta para dar. Talvez estivesse se apegando a lembrança de Naruto porque era doloroso seguir em frente, admitir que o perdeu... Mas não se deu conta que ao fazer isso, poderia ferir Neji no processo.

– E-eu não... Nunca quis magoa-lo.

Afirmou atordoada, perdida em lembranças das últimas semanas ao lado do primo.

– Eu sei nee-chan, não estou te culpando, sei o quanto se importa com o nii-san. Apenas tente ser feliz e sei que ele também será.

Completou esboçando um sorriso para a irmã que assentiu pensativa.

Hinata achou que ao aceitar o casamento, estaria salvando a todos, principalmente a Neji. E quando disse sim, começou a se lamentar por perder qualquer chance que lhe restava com Naruto, mas no fundo a Hyuuga sabia que o Uzumaki estava bem ao lado de Sakura, era isso o que ele sempre quis... Só não conseguiu desapegar do sentimento que nutria pelo shinobi e isso lhe fazia mal. Mas agora, refletindo sobre as palavras de Hanabi, percebeu que lamentar só fazia Neji se sentir mais culpado com toda aquela situação.

– Céus, quando minha irmãzinha cresceu tanto?

Questionou espantada com o amadurecimento de sua pequena irmã. Hanabi apenas abriu um grande sorriso com a indagação da Hyuuga.

– Nosso avô diz que um grande líder sempre sabe as palavras certas. Olhamos através das entrelinhas e isso nos diferencia dos demais.

Repetiu astutamente as palavras do ancião vendo Hinata sorrir de forma divertida.

– Certo, grande líder, diga a nosso pai que estou pronta.

Zombou da maneira como a irmã se intitulava. Mas antes que a futura líder chegasse à porta, foi parada pela a voz melodiosa de Hinata.  

– Hanabi.

Chamou vendo a irmã cessar os passos e lhe olhar com curiosidade.

– Arigato.

Agradeceu pelos conselhos e pela amizade da Hyuuga que lhe sorriu com doçura antes de deixar o quarto para chamar seu pai.

Poucos minutos depois, Hiashi apareceu para acompanha-la até o templo. O líder dos Hyuuga sorriu para a filha e elogiou-a pela beleza, dizendo o quanto estava parecida com sua mãe. Aquelas simples palavras, de alguma forma, aqueceram o coração de sua primogênita, que agradeceu emocionada.

Quando saiu da casa principal, ficou surpresa pela quantidade de pessoas no pátio da recepção. O clã inteiro lhe felicitava e lançava olhares fraternos e apaixonados em sua direção...  Foi impossível não sorrir de volta, mesmo que seus sorrisos fossem breves e contidos.

Alguns de seus amigos estavam do lado de fora, como Kiba, Akamaru, Shino, lee, Shikamaru, Ino, Sai,  Tenten, Naruto e Sakura.

O Uzumaki sorria feliz pela Hyuuga que lhe retribuiu o sorriso fraterno.

Desejava a felicidade de Naruto, mas decidiu que não sofreria mais por ele... Faria o possível para ser feliz ao lado de seu futuro marido.

Caminhou ao lado de seu pai até a sala de espera ao lado do templo e finalmente encontrou com Neji. O Hyuuga tinha os cabelos presos um pouco mais acima que o habitual. Não usava bandana ou faixa na testa e sua vestimenta era preta com uma hakama cinza. Mesmo que ele estivesse de costas, Hinata podia dizer que estava bonito com aquelas roupas. 

Quando Neji finalmente avistou a noiva, seu coração disparou no mesmo instante.

Ela está ainda mais bonita do que de costume.

Tinha a face levemente corada e um sorriso tímido nos lábios rosados, indicando o constrangimento pelo olhar intenso que Neji lhe lançava... Passaram quase duas semanas sem se ver e não tinha percebido o quanto sentia falta daquele sorriso, daquele olhar terno e gentil que a Hyuuga lhe lançava.

– Acho que nunca vi uma noiva mais bonita que você!

Confessou estendendo a mão para sua noiva.

– Obrigada. Você também está muito bem com essas roupas.

Retribuiu o elogio de forma convencional vendo-o assentir brevemente. Ele simplesmente não conseguia parar de olha-la. Hinata estava diferente... E não se referia só à estética, algo nela parecia mudado... Talvez fosse imaginação, mas, ela parecia mais serena... Mais receptiva, talvez.

– Está pronto?

Hinata perguntou tirando-o de seu transe interno, referindo-se ao casamento que estava prestes a começar. Mas Neji apenas assentiu beijando a testa da Hyuuga em sinal de carinho e tomando sua mão para que juntos, caminhassem em direção ao salão onde a cerimonia iniciaria.  

A cerimônia começou com a apresentação dos noivos e um breve discurso do líder espiritual e de um dos anciões do clã. Os familiares mais próximos do casal estavam dentro do templo enquanto os demais esperavam na recepção, do lado de fora. Guy e Kurenai-sensei estavam entre os amigos que puderam presenciar a cerimônia juntamente com o Rokudaime-hokage. Era impressionante a empolgação e emoção do sensei de Neji com o matrimônio, mas o Hyuuga se concentrava apenas em Hinata, a mulher que amava mais que a própria vida! A mulher com quem iria dividir a vida! 

Olhando nos olhos perolados e gentis de sua noiva, Neji expressou seus votos:

– Eu prometo a você que farei o possível para torna-la feliz a cada dia, honrarei meu compromisso com você e com nosso clã... E reitero meu dever de protegê-la com a vida. Hinata, eu... Eu sou seu servo.

A última frase saiu quase inaudível e provavelmente, apenas a Hyuuga tenha lhe escutado. Aquela foi uma confissão sincera, era servo de seus sentimentos por sua noiva... Um servo por escolha.

Surpresa, Hinata entreabriu os lábios admirada com a confissão. Queria perguntar o que aquela frase significava, mas foi orientada a prosseguir a cerimônia e expressar seus votos.

– N-nós éramos dois lados de uma mesma família e agora somos um só... Hoje firmamos nossa união, mas nosso laço existe muito antes de tudo, antes de nossas vidas... Eu te prometo ser uma boa esposa, prometo-te minha fidelidade e afirmo a todos que juntos, traremos grandes conquistas para o nosso clã.

Mesmo que tentasse não se envolver, o olhar de Neji ganhou um brilho novo com as palavras de sua noiva. O discurso era político, mas foi no resquício de pessoalidade que o shinobi se apegou. Os laços que os uniam antes mesmo que nascessem... Os laços do destino!

A cerimônia prosseguiu até trocarem as alianças e então, para selar a união, era permitido um beijo entre o casal.

Neji poderia depositar um beijo fraterno na testa, como fez antes da cerimônia, mas surpreendentemente não foi o que escolheu fazer.

Inclinou seu corpo para frente e aproximou seus rostos, tocando os lábios de sua noiva com cautela, surpreendendo-a com a atitude inesperada.

De início, Hinata ficou imóvel, mas não o afastou... Entretanto, a reação não durou muito tempo, quando sentiu a face aquecer e os lábios formigarem em ansiedade, a Hyuuga fechou os olhos e entreabriu os lábios consentindo o beijo de seu noivo.

Para o azar de ambos, que estavam apreciando a sensação, beijos explícitos não são permitidos nessas ocasiões, então tiveram que se separar antes que aprofundassem o ato. 

O olhar que trocaram depois do beijo tinha curiosidade e afeto, mas também tinha algo que Hinata não sabia explicar. 

Em poucos minutos, todos dentro do templo já cumprimentavam o recém-casal pela união. Depois de um mês desgastante finalmente estavam casados e por alguma razão, aquilo era motivo de alívio para ambos. 


Notas Finais


Beijoouuuuu! Não foi um beijão mais ta valendo, temos tempo para isso.

Parece que a conversa com a Kurenai, Sakura e Hanabi (que deu o golpe de misericórdia) fez bem para a Hinatinha. Será que ela finalmente passará a enxergar esse homão chamado Neji?
Sim, né Hinatinha? Porque já tem outra de olho no teu bofe e se bobear perde.

Ah, Tenten, eu sei que está confusa, mas o nome disso que você está sentindo é paixão, meu bem. Tá apaixonadinha pelo gatão do Neji (Não te julgo por que também estou)

Uffa, quanta coisa.

Espero que tenham gostado do capítulo e perdão novamente pela demora. Só para vocês terem ideia de como estou vivendo perigosamente, estou postando esse capítulo do trabalho. Oremos para que não seja descoberta. :\

Até a próxima. XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...