1. Spirit Fanfics >
  2. Amores Roubados >
  3. Não me impeça

História Amores Roubados - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura !

Capítulo 5 - Não me impeça


Narração de Lidja

Gregory me olhou de uma maneira totalmente distinta, parecia um cachorro abandonado pedindo um pouco de comida, eu nunca o havia visto assim. Soltei o ar pelo nariz e tentei fechar a porta, mas ele colocou o braço entre ela e a parede não permitindo que eu terminasse a ação, logo ele empurrou a porta me fazendo recuar de imediato e adentrou no apartamento. Suas ações estavam intensas, de repente ele veio em minha direção me prensando contra a parede, arfei quando meu corpo se chocou contra a parede e sua respiração roçou em minha pele.
_Porque minha namorada está me tratando como um qualquer? - Enquanto aquelas palavras saiam de sua boca ele invadia meu espaço vital de forma desconcertante, tentei me desfazer mais ele apoiou às mãos espalmadas sob a parede, e deixou os braços levemente flexionados criando uma espécie de sela me limitando aquele lugar. Puxei o ar dos pulmões, e soltei devagar pela boca, resolvi responder à sua pergunta, afinal que mal teria falar verdade? 
_ Não sou mais sua namorada, você se tornou um qualquer, então saia daqui agora!  - Mantive um tom compacto na voz, era a única hora que eu não poderia vacilar. Greg riu sarcástico, retirou as mãos da parede e foi até a porta, mas não saiu e sim a trancou. - Essa não, isso não vai acabar tão cedo! - pensei enquanto ele se locomovia até o sofá, ele olhou-me por cima do ombro, talvez esperasse alguma reação diferente da minha parte, no entanto eu continuava encostada na parede acompanhando apenas com o olhar seus movimentos. Ele sentou no sofá, passou os dedos entre seus cabelos lisos, que escorriam por sua testa e me olhou quase que me devorando, o que não era muito do seu feitio. 
_ Eu não vou sair, mas você vai sair de onde você está e sentar aqui do meu lado, é claro que ainda sou seu namorado, não me lembro de ter terminado. Vem cá, você sempre reclama que não te escuto, pois bem a hora é essa, quero escutar você - Sua voz rouca e aveludada se mantinha em tom calmo, ele me fitou e deu batidinhas com a mão no lado vazio do sofá, exalava altivez por cada poro de seu corpo, se encontrava muito à vontade diante daquele situação que para ambos era novidade.  
Caminhei em sua direção, ele despontou um sorriso de canto - Maldito você precisa ser tão lindo assim, droga de sorriso - pensei. Sentei ao seu lado como ele pediu, vou tratar disso como ele está tratando, vou entrar no jogo.  Ele sentou- se de forma que pudesse me fitar diretamente, fiz o mesmo e em segundos estávamos frente a frente, ele aproximou seu corpo ao meu e eu não recuei – Parece que o jogo começou, tenho que ser firme. Lidja mantenha o foco! - Tenho que admitir que não o esqueci, e muito menos o sentimento que carreguei por ele durante 3 anos , sei que não dá melhor forma possível, mas foram 3 longos anos da minha vida ao lado de uma única pessoa , isso eu não poderia esquecer em uma semana . Reconheço também que sofri bastante, com sua falta de atenção e desleixo para com nossa relação. Não sei o que aconteceu com ele, geralmente ele nunca sentava e esperava eu falar, porém ele continuou calado, apenas me olhando atento. Tivemos várias brigas durante nossa relação  e eu sempre ameacei terminar o namoro, ele me prometia com veemência e nunca mudava seu jeito, no entanto dessa vez existia um particularidade, eu supostamente terminei sozinha, devolvi suas roupas coisa que nunca havia feito, também nunca havia excluído fotos de redes sócias e nem passado uma semana sem me comunicar com ele, talvez ele tenha se tocado que agora é definitivo e enfim se mexeu.

_ O que quer que eu fale? Que eu não amo mais você? Que eu terminei com você há uma semana e que nada me fara volta atrás? Pois bem vamos lá – Eu... Fui interrompida, ele colocou a mão esquerda sob minha boca, e como o dedo indicador da direita fez um sinal de negação, umedeceu os lábios passando a língua entre eles devagar, abaixou cabeça e balançou de um lado para o outro.

_ Não, não é isso. Você precisa dizer que aquele show todo não passou de bobagem e que você não vai mais ficar fugindo de mim. Passei uma semana tentando te encontrar e cadê você? Estava me evitando para que eu sentisse sua falta, certo? Pois bem, olha – Ele apontou para si mesmo - Eu estou aqui, eu senti sua falta, pisei no meu orgulho e ego por você, eu mudei por isso eu vim até aqui! Retirei sua mão do meu rosto devagar – Ele enlouqueceu? – disse para mim mesma em pensamento.

_ Eu não sei o que você está tentando ou querendo fazer vindo aqui com esse discurso todo, eu simplesmente não acredito em você. Ninguém na face da terra muda assim de uma hora para outra, e sim eu estava lhe evitando, porque não quero mais estar com você, por isso peço novamente que vá embora- Disse afastando-me um pouco, o sofá se tornava pequeno em meio a cena diferente que se formava ali naquela sala relativamente escura, que era pequena demais para tantos sentimentos controversos. Coloquei minhas pernas flexionadas sobre o sofá e as segurei com os braços - Será que ele ainda tem algo a dizer? - pensei enquanto fitava fixamente no teimoso.

_Sabe o que quero agora? - Ele me olhou, franzi a testa e estreitei o olhar, ele continuou – Quero te beijar, beijar cada centímetro desse corpo! - Engoli em seco, que espécie de fala é essa? – Mas você precisar para de me evitar e de fugir de mim - Assim que terminou de falar ele retirou meus braços, abriu caminho entre minhas pernas e se inclinou sob meu corpo. Coloquei as duas mãos sob seu peitoral, cerca de 3 cm separava minha boca da sua , eu tinha que pará-lo , sentia a pulsação acelerada de seu coração contra minha mão, nunca o vi tão decidido a me provocar como naquele momento – Mantenha-se firme, você não pode fraquejar agora- O cheiro do seu perfume invadia minhas narinas como um chamado, sua boca ali tão próxima me atraia como um imã. Morde o lábio inferior, e olhei de lado, Gregory segurou com a ponta do indicado e polegar meu queixo, e forçou-me a olha-lo nos olhos.

_Porque você está resistindo? Estou vendo curiosidade em seus olhos, quer tanto quanto eu saber o que acontece depois. Então não fique se fechando para mim como se eu já não a conhecesse. Eu quero fazer.... - O interrompi, ele me observou com um ar de dúvida.

_ O que você quer fazer comigo? - Disse praticamente me derretendo, vamos pagar para ver.

Ele esboçou um sorriso sacana meio de canto, colocou seu rosto colado na lateral do meu e sussurrou:

_ Quero te virar do avesso, te devorar no bom sentido é claro, desfrutar de você. Eu vou te bagunçar toda. Mas você sabe que eu sou muito impaciência e pouco gentil - Ele deslizou a língua próxima a minha orelha fazendo um arrepio subir pela minha espinha, depois depositou um selar na linha do meu maxilar. Inclinei minha cabeça para trás, ele segurou em minha nuca e começou a distribuir cupões fortes em meu pescoço, sua outra mão foi até o zíper do meu casaco e começou a abri-lo, rapidamente coloquei minha mão sobre a dele.

_ Não me impeça! – Ele abdicou do meu pescoço e disse intimidador, suas palavras soaram como uma ordem, então retirei minha mão e o deixei livre, naquele instante lhe entreguei o controle sobre mim, mesmo que não devesse, eu fiz.


Notas Finais


Então é isso...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...