1. Spirit Fanfics >
  2. AmorOffline.com >
  3. Capítulo 4

História AmorOffline.com - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oie gente! Desculpem! Cheguei mais tarde hoje! Provavelmente a partir de agora estarei postando de dois em dois dias ou dia sim e dia não, porque preciso escrever e revisar os capítulos e essa não é a única fic que estou trabalhando!^^ enfim! Capítulo prontinho pra vocês! Um beijo e boa leitura.😘
Obs:não sejam leitores fantasmas please💕

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction AmorOffline.com - Capítulo 4 - Capítulo 4

Capítulo 4
“Ofereça vinho e... espere”
       Havia se passado um mês desde que comecei no trabalho, chamamos de laboratório, já que, afinal de contas é como se fosse mesmo, criando homens ideais. Mas o nome original é AmorOffline.com, que é o nome do site que leva as clientes a encontrarem o catálogo, com nossos rostos e todo necessário para sermos candidatos a namorados de aluguel.
      Aprendi tudo que precisava, desde etiqueta à mesa até as mil formas de tratar uma dama, tudo que fosse necessário e até o desnecessário para estar pronto pra lidar com qualquer que fosse a garota.
         Meu guarda-roupas também  teve mudanças radicais, cada homem do laboratório tinha um guarda-roupa próprio todas as peças essências de moda, e havia o ateliê que era o lugar onde Yoruich tirava as fotos ajustava qualquer peça de roupa que pudéssemos precisar, ela era como uma chefe ali, acima dela estava somente o Kisuke, mas tinha minhas dúvidas quanto a isso, mulheres fortes tendem a comandar até o mais macho dos homens, e pelo que sei, todas são. 
          No dia que tirei as fotos com Yoruichi me senti um artista, foi bom, tudo ficou leve por um dia inteiro ao ponto de me fazer esquecer, mesmo que por algumas horas, que minha realidade era outra.
         No fim das contas hoje terminaria o prazo de treinamento e seria incluso no catálogo para começar a trabalhar, mas teria que passar pelo último teste, não bastando tudo que já havia aprendido, aprendi até rastreamento e sobrevivência na selva, fora o treinamento de artes marciais, aulas de escapismo, culinária, aulas de canto, dança, entretenimento e até circo estava incluso. Todos diziam que era importante ter um currículo diverso nesse emprego, mas não imaginei que seria tanto assim.  Agora esperava passar no teste para todo esforço valer a pena.

           ***
   21:20 horas
          Estava na estrada do restaurante Bistro's esperando Yoruichi, ela seria meu par da noite, teria que ter um encontro perfeito com ela. Era noite de gala no lugar e por isso usava um terno cinza, alinhado como deveria.
            Nervoso não seria a melhor palavra para me descrever naquele momento, diria estar tenso, mais tenso que o normal, ultimamente meu corpo tem sido um posso de estresse e não é pra menos, mas hoje estava tenso pela mulher que teria que agradar. Yoruichi mostrou ter uma casca bem dura de lidar no último mês, boa parte do meu treinamento foi passado pela mesma e pontualidade foi uma das coisas que ela mais me cobrou. Agora, no entanto era a mulher que não havia chegado, o jantar que iniciaria as oito, estava prestes a acontecer as nove e vinte até então, ou simplesmente não aconteceria.
            -Está elegante!- A voz sensual da mulher soou atrás de mim me  trazendo de volta e fazendo minha pele arrepiar, olhei para mesma que usava um vestido dourado como a cor de seus olhos e com um decote aberto em "v" que me tirou o fôlego por um instante, era um vestido tão chamativo quanto a morena, parecia ter sido feito para ela, como se o artista houvesse pensando nela, caia como uma luva.
               A morena chamava a atenção, sua beleza e elegância eram difíceis de não notar, seu cabelo roxeado estava num coque frouxo com alguns fios soltos que a deixava com um ar selvagem e realçavam seus olhos dourados e seu jeito felino.
            -Está...está encantadora! - Disse a mesma que sorriu satisfeita, estendi o braço para a mesma e seguimos juntos para entrada do lugar.
            -Boa noite, tem reserva? - Um homem de terno alinhado e bem afeiçoado perguntou com um sorriso receptivo.
             -Sim, está em nome de Kisuke! - Disse ao mesmo que conferiu o nome no caderno em cima da mesa a sua frente -Sim! Kisuke, está aqui! Sejam bem vindos! - Abriu a porta alta de vidro para entrarmos, um outro homem nos dirigiu até a mesa onde puxei a cadeira para mulher se sentar. Cavalheirismo vinha incluso de berço, essa parte não precisei aprender.
             -Está indo bem Kurosaki. Estou me deliciando com você- Me encarou mordendo o lábio me fazendo ficar sem jeito.
             -O-Obrigado - Respondi sem fitá-la.
             -Depois de comermos aqui, gostaria de me divertir, tem alguma ideia de lugar onde podemos encontrar algo divertido? - Sorriu de canto. Por quê sentia que sua proposta de "Diversão" era algo indecente?
              Fiquei confuso por alguns instantes, o teste seria apenas um jantar, tinha que me sair bem para passar, mas sua proposta foi no mínimo instigante, ela estaria fazendo isso como parte do teste ou apenas queria se "divertir " comigo? Na dúvida decidi seguir o que a mesma dissesse, sempre mantendo certa distância física para não haver confusão com ela ou meu corpo.
               -Tem um boliche! - Disse rápido depois de pensar no lugar- Gosta de boliche!?-Perguntei enquanto a mesma pegava uma taça de água na mesa. 
              -Adoro bolas! - Disse bebendo o líquido enquanto eu tossia tentando me recompor de suas palavras. Ela sabia seduzir não poderia negar.
              -Boliche então. - Disse sorrindo vermelho tentando me recompor do engasgo.
              -O menu. -Um garçom trouxe dois cartões grandes de capa dura com um desenho prateado e o nome do restaurante em uma letra cursiva.
              -Não irei precisar obrigada! - Disse devolvendo o seu para o garçom me deixando confuso, não iria comer?
             O garçom saiu e ela me olhou sorrindo divertida, me sentia um pedaço de carne e isso me assustava.
               -Então querido- Riu sensualmente -Eis uma parte importante do teste-Disse calma me olhando nos olhos enquanto seu dedo indicador alisava a borda da taça com uma calma que me assustava. -Escolha a comida, mas advirto! -Cessou o roçar no cristal e sua feição fechou -Se errar, não precisará nem terminar o jantar! -Sorriu cinicamente no fim.
      Céus! Estou apavorado! O que eu escolhesse iria definir tudo! Mas o que deveria escolher? Se me lembro bem! Ela havia dito, durante o treinamento, quando me ensinou sobre técnicas de leitura feminina, acredite, tive que aprender, Yoruichi dizia que deveríamos estudar a parceira –“Sempre deixamos pistas”, mas quais foram as pistas dela? O vestido? A forma de falar? como saber?
          Pensei por alguns instantes enquanto mantinha o menu na frente do rosto para tapar a visão da mesma sobre mim, não queria que visse meu desespero, precisava desse emprego, com o salário eu poderia finalmente me estabilizar e requerer a guarda de karin.
        Acabei optando por seguir meus instintos, pediria uma entrada simples, apenas alguns aperitivos para manter a conversa quente, o prato principal seria o prato da casa, era um tipo de filé mingnom  feito com especiarias e um purê de beterraba ao vinho, Yoruichi iria gostar, já que sendo uma mulher como ela seu paladar apreciaria o gosto, e por fim pediria um vinho tinto e para sobremesa uma torta de chocolate com maçã, que esperava ser o arremate para o ânimo da mulher a minha frente.
           Chamei o garçom e disse tudo ao mesmo o entregando o menu em seguida. Yoruichi me encarava com um sorriso sedutor, parecia satisfeita, mas não sabia se podia confiar, ela poderia estar apenas interpretando uma cliente, esse era o combinado, mas parecia tão natural que chegava a duvidar qual seria a verdade.
           Não demorou pro garçom trazer o vinho, serviu meu copo primeiro e esperou que eu aprovasse o mesmo, que logo o fiz e o mesmo preencheu as taças em seguida.
             -Mora nesta cidade há muito tempo? - Iniciou bebericando da taça do líquido avermelhado.
              -Desde pequeno. -Respondi sentindo o gosto da bebida alcoólica descer a garganta.
              -Nunca quis sair daqui? - Sua pergunta soou quase como se ela soubesse, eu pensei em dizer que tudo que queria era fugir desse lugar com Karin, mas lembrei que a mesma havia dito que a verdade deve ser dita apenas aos de "verdade" num trabalho onde tudo, inclusive você é uma mentira, não há por que falar verdades “Saiba mentir suas verdades” era o lema.
            -Fiz muitas viagens por muitos lugares durante a adolescência, mas Karakura é meu lugar! - Disse a mesma que assentiu positivo. -Não me vejo morando em outro lugar por enquanto -Menti.
             Novamente o garçom surgiu com os aperitivos de entrada e serviu a mesa com uma porção de pãezinhos folheados a tira gosto.
              -O prato principal chegará em breve! - Disse antes de se retirar novamente.
          Começamos a comer a entrada enquanto conversávamos de assuntos diversos antes da refeição mais importante. O prato principal foi servido e continuamos a refeição conversando sobre muitas coisas, Yoruichi era uma companhia muito boa, além de muito inteligente, me instigava em como a mesma começou a trabalhar no laboratório, alguém com suas capacidades deveria no mínimo trabalhar para a CIA ou coisa do tipo.
           A mulher me analisava e não passou despercebido, analisava com atenção cada detalhe da comida servida, quando a mesma se retirou para ir ao toalete percebi que levou consigo algo que arriscaria dizer ser um bloco de anotações, mas não perguntaria, seria deselegante e não saberia perguntar de qualquer forma. Aproveitei para frisar tudo que havia feito até agora, tentando achar algum erro que pudesse me comprometer ou algo que tenha esquecido, mas não conseguia pensar me nada e isso me agoniava, suava frio. A mesma voltou pouco tempo depois com a calma de um felino para atacar sua presa, sempre que podia me olhava nos olhos me deixando desengonçado e sem fala com tal atitude.
        -Como está o vinho? –Tentei puxar assunto.
         -Como deveria estar? -Me encarou. Engoli em seco
         Um silêncio se instalou e a sobremesa chegou rápido, depois disso apenas o tilintar dos talheres era ouvido.
           Quando já terminava sua sobremesa, Yoruichi ergueu sua taça de vinho fazendo um brinde.
       -Tuchê! - Disse sorrindo.
        Não havia entendido a primeiro momento o que aquilo significava, mas brindei.
       -Tuchê! -Encostei a taça ouvindo o eco do cristal soar.
        Terminamos a sobremesa e ficamos conversando por algum tempo, rimos e nos divertimos bastante, depois pedi a conta ao garçom.
        -Aqui está senhor!-O mesmo fala enquanto me entregava uma folha com uma máquina de cartão de crédito, verifiquei o valor e quase engasguei, tudo havia custado setecentas e vinte pratas, era o cúmulo do luxo, por sorte não seria meu dinheiro ali, com esse jantar eu iria a falência, peguei o cartão que Urahara havia me emprestado e passei na máquina, digitei os números e logo uma nota fiscal foi emitida validando tudo, a nota fiscal ficaria com Yoruichi junto com o cartão, ela precisava comprovar o jantar para Kisuke.
             Fomos para fora dali, e um manobrista trouxe o carro o estacionando na frente, entregando as chaves do mesmo para Yoruichi logo em seguida.
         -Você dirige querido! - Sorriu me passando as chaves, por um instante havia esquecido que dirigia.
           Peguei as chaves de sua mão e abri a porta para mesma entrar.
         -Muito obrigada! - Disse se sentando pouco antes de eu fechar a porta e entrar do outro lado. Dei a partida no veículo e saímos dali.
          -Pronta pro boliche? - Perguntei a mesma que acenou negativo com a cabeça.
          -Não. estou cansada! Me leve de volta! Já foi suficiente - Sua feição ficou séria.
            Aquilo me confundiu, seu semblante sedutor deu lugar a uma carranca séria e impenetrável, me questionei se haveria feito algo, ou ela apenas estava fora da personagem, optei por não pensar muito sobre isso e prosseguir.
          Voltamos para o laboratório, estacionei o carro e abri a porta pra mesma que desceu rápido. Ainda estava confuso, mas permaneci atento, poderia estar em teste ainda, era difícil saber o que Yoruich faria.
           -Parabéns Ichigo! você passou -Disse calma tirando os saltos dos pés- Foi muito bem hoje - Falou enquanto respirou aliviada- Só toma cuidado com vinho e direção ok?!-Advertiu.
          -Ok! - Respirei aliviado e a mesma sorriu tranquila antes de entrar.
           Voltei para casa cansado e feliz.
          -Consegui!- Disse a mim mesmo comemorando.


Notas Finais


Foi isso gente! Bjos e até o próx 😙😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...