História Amy Rodrigues - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Linkin Park
Personagens Brad Delson, Chester Bennington, Dave Farrell, Joe Hahn, Mike Shinoda, Rob Bourdon
Tags Chester Bennington, Linkin Park, Mike Shinoda
Visualizações 13
Palavras 3.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olár

Lá vem ela com mais um capítulo!
Estamos na casa do Chester, será que vai rolar algo entre Amy e ele? Leiam e descubram!
Sim, o capítulo tá gigante, perdoem e não desistam ASUDHKJDHSAKDJ

ENJOY <3

Capítulo 11 - Beneath My Skin.


Fanfic / Fanfiction Amy Rodrigues - Capítulo 11 - Beneath My Skin.

Amy Rodrigues

    Já passavam-se das 5:00 PM quando chegamos na casa de Chester, que como você pode imaginar, era uma casa estupidamente grande e aconchegante. Quando chegamos em seu portão, ele tirou um molho de chaves do porta-luvas e apertou o botão, para que abrisse o portão da garagem da grande mansão. Adentramos com o carro através do portão, e fomos seguindo, passando por um grande jardim lindo, cheio de flores. Ele realmente tinha muito bom gosto para as coisas, isso porque eu não vi nem 1% da casa dele ainda. Bem, ele estacionou o carro em frente da porta da frente de sua casa, logo depois parou o carro e sinalizou para descermos, e assim eu fiz.

- Vem, vamos entrar. - ele pegou na minha mão e foi me puxando para dentro de sua casa, com um sorriso tímido em seu rosto. Eu nem consegui raciocinar direito então já fui acompanhando ele para dentro de casa.

   Sua sala de estar era gigante, sofá e poltrona claras, cor creme, um largo tapete felpudo, cor prata. Vários quadros coloridos e alguns me chamaram a atenção, até porque eram os do Linkin Park dos cds que ganharam ouro, diamante e platina.

- Que sonho ver isso de perto. - eu disse sorrindo enquanto olhava um quadro do Hybrid Theory.

- Você nunca tinha visto esses quadros que eles dão pelo cd vender bastante? - ele chegou perto de mim enquanto me perguntava.

- Não…  é maravilhoso. Eu fico muito orgulhosa de ser fã de vocês, não são todas as bandas que conseguem chegar nesse patamar! - eu não tirava os olhos do quadro.

- E eu tenho certeza que, com a sua ajuda, nós vamos chegar ainda mais alto. Você tem um grande talento, sereia. - ele se aproximou e me deu um beijo carinhoso na testa.

- Vem, vamos ali na cozinha tomar um suco, está muito calor, e quero te mostrar a casa. - lá ia ele me puxando pela mão novamente, parecia até uma criança querendo mostrar seus brinquedos. Eu sorri com esse pensamento.

Fomos até a cozinha e lá pairava uma mulher de meia idade, loira e que me deu um sorriso muito simpático quando fomos apresentados. Seu nome é Mariah e, pelo que eu entendi, era a governanta do Chaz. Parei para imaginar que como ele era uma pessoa ocupada, certamente precisava de alguém para colocar essa casa em ordem. Pedimos um suco de laranja, ela nos serviu, pediu licença e nos deixou sozinhos.

- Você mora aqui sozinho? - perguntei curiosa enquanto bebia meu suco.

- Sim. Como não tenho mulher, filhos e nem nada, vivo aqui sozinho, apenas com a companhia de Mariah, que trabalha há muitos anos para mim. - ele contou.

- É muito aconchegante sua casa, achei linda essa cozinha toda em preto e branco. Você tem muito bom gosto! - ele sorriu.

- Obrigado. Você precisa conhecer meu homestudio, fico praticamente o dia inteiro lá cantando e compondo, quando estou à toa em casa. Vamos lá pra cima? - levantou-se da cadeira onde estava sentado e tornou a me puxa pela mão. Se quiser levar a gente para o seu quarto, eu que não ia reclamar, A SRTA FIQUE QUIETA, CONSCIÊNCIA!

    Subimos as escadas da bela mansão rumo ao homestudio que ficava no andar de cima. Atravessamos o largo e comprido corredor rumo a famosa porta, até que chegamos na frente da mesma, e ele logo foi abrindo-a com um largo sorriso no rosto. O estúdio da casa de Chaz era lindo: piso de madeira, poltronas pretas e vermelhas, paredes claras, muitos quadros de fotos enormes pelas paredes. Havia fotos dele com fãs, com os outros meninos… tudo era aconchegante naquele lugar e me transmitia sentimentos bons. Estar ao lado dele era bom, diferente do Mike que só me fazia ficar mal.

- Aqui é lindo. Eu moraria dentro desse estúdio se eu pudesse, é extremamente acolhedor! - Eu sorria pra ele e ele sorria de volta.

- Eu também amo ficar aqui, é o lugar que mais me traz paz. - ele se dirigia até o piano.

- Enquanto caminhávamos até aqui, notei um monte de portas. Quantos quartos tem nessa casa? - me aproximei dele no piano.

- Oito. - eu abri a boca em forma de 0 pelo tanto que estava chocada. - calma HAHAHA - ele gargalhava. - Os meninos gostam de dormir aqui as vezes, e é bom cada um ter sua privacidade, não acha? - ele me deu uma piscada.

- Claro, só não estou acostumada com casas grandes, a minha só tem um quarto singelo HAHAHA.

- Eu sou bastante folgado, adoro espaço mesmo HAHA - ele de repente elevou a mão na cabeça, para coçar a sobrancelha e reclamou na mesma hora - que dor! - fez uma cara feia.

- Acho que você se empolgou rindo da minha casa e acabou coçando seu corte, agora está saindo um pouco de sangue. Vamos, onde tem os primeiros socorros dessa casa, eu vou te ajudar com isso.

- Amy, não precisa não foi nada e.... - eu o interrompi.

- Chester…. - coloquei as mãos nos quadris, e ele riu.

- Aqui tem um banheiro, ali - ele apontou para uma porta escura - tem uns curativos ali.

Assenti com a cabeça e rumei para onde se encontrava os curativos que Chester me indicou. Entrei naquele banheiro do estúdio que era compacto mas muito arrumado, com muitos detalhes de dourado. Ele realmente tinha bom gosto. Cacei entre os armários e achei uma espécie de bolsa que tinha um símbolo de cruz vermelha. Got it! Achei! Voltei para onde Chester estava, que me olhava de forma tenra.

- Pronto, agora posso te ajudar com isso - eu sorri e abri a bolsa, já pegando líquidos limpantes de feridas e esparadrapos. Comecei a limpar sua sobrancelha e ele reclamou.  

- Aí chega, tá bom já! - ele se afastou.

- Não seja criança, Chester! Ou eu vou ter que te obrigar! - pisquei pra ele, que em resposta levantou a mão em forma de paz.

 Enquanto eu ia limpando o machucado ele me olhava, pensativo.

- Sereia, o que aconteceu entre você e o Shinoda? Você estava muito nervosa quando encontrei vocês… - ele sussurava.   

MERDA MERDA MERDA, eu sabia que ele ia perguntar isso.

- Chaz… aconteceu uma coisa no restaurante… - eu também estava receosa.

- O que? - sua voz estava em um timbre tenso.

- Na hora que fui ao banheiro…eu dei de cara com ele e… - eu continuava limpando seu machucado, mas fiz uma pausa e olhei no olhos dele já sentindo os meus olhos ficarem pesados.

- O que aconteceu? - ele arqueava a sobrancelha.

- A gente transou dentro do banheiro. - quando Chester ouviu minha confissão, se levantou com raiva.

- ELE TE ESTUPROU? EU VOU MATAR AQUELE INFELIZ! - deu um soco no piano.

- Não Chaz! você entendeu errado, eu também quis… - sua expressão não era mais furiosa, mas ele continuava incrédulo no que acabara por ouvir.

- Amy, o que você tem na cabeça pra cair nas garras dele assim? Eu já tinha te alertado! - ele andava impaciente pelo cômodo.

- Eu sei, mas as vezes a gente não controla! Se uma mulher te agarrasse e já fosse te beijando, você também não resistiria, nem vem! - eu o olhei de cima a baixo e ele veio em minha direção.

- Claro que me controlaria! E eu conheço bem quem eu me envolvo. - ele parou bem na minha frente, me encarando.

           Por mais que ele tivesse razão de estar bravo comigo em relação a Mike, eu não podia me dar por vencida e tinha que mostrar pra ele que não é fácil se controlar. Pois bem, em um movimento rápido, peguei ele pela nuca e juntei nossas bocas. Sim. Eu o beijei. Eu beijei Chester Bennington na BOCA e o pior nem foi isso, o pior é que ele retribuiu aquele beijo. No começo ele ficou totalmente assustado pela minha investida, mas depois começou a me retribuir o beijo. E eu que fiz isso no impulso para lhe dar uma lição, comecei a diminuir o ritmo e começamos um beijo lento. Aos poucos ele pediu passagem com a língua e eu me deixei levar. QUE BEIJO! Ele passou a mão pela minha nuca e segurou nos meus cabelos enquanto nos beijávamos. Enquanto com Mike tudo era de 0 a 80km/h em cinco segundos, com Chaz era tudo calmo e sereno.

          Poucos segundos mais tarde nos separamos do beijo, e eu senti meu rosto ficar vermelho. Ele me olhava bem calmo, mas confuso.

- Chester, eu…. olha me desculpa eu estava com raiva dessa situação toda e eu só quis demonstrar…. olha me perdoa eu não sei o que tá acontecendo comigo - meus olhos se encheram de lágrimas - eu não quero atrapalhar a vida de vocês, mas…. - eu comecei a chorar e não falei mais nada.

- Não precisa se desculpar. - ele veio em minha direção e me abraçou. - você tem razão, às vezes não da pra resistir, como aconteceu agora comigo… - ele procurava as palavras certas - mas esqueça, ok? - eu assenti - e em relação a Mike, ele gosta de foder com todas. Já vi muitas passarem pelo que você está passando, por isso eu te alertei, mas talvez seja tarde já. - ele pegou um lenço que estava dentro da bolsa de medicamentos e secou meu rosto que se encharcara de lágrimas.

- Chester, eu não quero gostar dele, eu nunca fui de me envolver com ninguém assim…. e por mais que ele faça essas coisas comigo, eu gosto dele…. por favor não brigue comigo, mas eu não quero gostar dele… - voltei a chorar e abraçá-lo e ele retribuiu.

- Eu sei como se sente, não é fácil gostar de alguém que a gente acabou de conhecer… mas as vezes acontece, não é errado… mas o que ele faz com você é horrível, vocês têm que tentar se entender pelo bem de vocês e da banda. - ele me fitava sério.

- Eu vou tentar me acertar com ele. Obrigada pelos conselhos, você além de um ídolo maravilhoso, é um amigo muito bom, me sinto bem ao seu lado. - forcei um sorriso.

- Obrigado. Eu gosto de você sereia, você é especial pra mim, você só merece o melhor. E eu posso falar uma coisa? - ele sorria.

- Claro que pode! - o fitei.

- Você beija bem. Mesmo que de brincadeira, esse beijo melhorou bastante meu dia, hahahaha - ele me piscou. QUE HOMEM. - Agora vamos cantar, vem.

           Chester se sentou no piano e eu o acompanhei. De repente começa a tocar Breaking The Habit no piano e aos poucos começa a cantar. Vou em seu embalo e começo a cantar junto, nossas vozes se misturam e só sobra afinação. Não posso negar, aquilo melhorou meu dia. Chester é uma pessoa muito alto astral, apesar de tudo que aconteceu hoje, ele sorria enquanto cantava, e minha tristeza toda se esvaiu da minha alma aos poucos. E sobre o beijo… era só pra demonstrar a minha opinião, mas cara… que boca era aquela? Ele sabe deixar uma mulher feliz apenas com um beijo, quem dirá… enfim. Ficamos lá cantando até altas horas e quando me dei por mim já se passava das 10:00 PM.

- Chaz, tá muito tarde! Vou pra casa, amanhã tenho que estar cedo aqui novamente. Acho que vou indo. - fui pegando minhas coisas.

- Calma - ele me segurou pelo braço - está muito tarde mesmo, e você veio aqui e cuidou do meu machucado, cantou comigo… vamos pedir algo pra comer? - ele perguntava.

- Tá muito tarde e eu nem sei se ainda tem uber na rua, melhor eu ir e… - ele não me deixou terminar.

- Dorme aqui em casa.

- Não, a gente não deveria… - eu estava visivelmente nervosa.

- Sereia, tem muitos quartos nessa casa, você não precisa dormir comigo né HAHA - ele debochava e com razão, olha o que eu insinuei!

- Desculpa, eu não quis dizer isso hahaha - eu ri sem jeito - bem, eu estou com fome e cansada… acho que vou aceitar o convite!

- Vem, vamos lá pra baixo então - e lá veio ele me arrastar pela mão novamente.

           Descemos até a sala e ele ligou pedindo pizzas e umas cervejas, e enquanto esperávamos a comida chegar, jogamos um pouco de videogame e ríamos muito. Mariah não se encontrava mais na casa naquele horário então estávamos sozinhos. Instantes mais tarde nossa comida chegou e devoramos a pizza de uma vez. Como já falei antes, eu sou fraca para bebida, bebi duas cervejas e estava vendo unicórnios dançando.

- Chaz, acho melhor eu ir me deitar, eu estou mais tonta que o normal, hahahaha - fui me levantando.

- HAHA poxa só tomou duas e está assim? Que lástima! - ele balançava a cabeça.

- Idiota! - lhe dei um soco no ombro - me mostra o caminho antes que eu durma aqui na sala. - eu andava cambaleando.

- Vamos por aqui! - ele ria da minha situação enquanto me guiava pro andar de cima.

- Entra, pode ficar aqui. Tem banheiro, toalhas limpas e roupa de cama limpa também, pode ficar à vontade, qualquer coisa pode me chamar. - Ele me deixou sentada na cama e foi se retirando do quarto.

- Chaz… ahn - eu o chamei e ele recuou. - eu não tenho roupa de dormir e tals.. será que tem alguma camisa sua que você não use que possa me emprestar? - ele arqueou uma sobrancelha e deu um sorriso malicioso. Meu deus o que eu falei?  

- Tenho sim, já te trago, mas já te aviso que melhor só usar minha camisa dentro deste quarto. - ele me fitava.

- Mas porquê isso? - quem arqueava a sobrancelha era eu agora.

- Lembra daquela nossa conversa de hoje à tarde sobre resistir a outra pessoa? Então, melhor evitarmos algumas coisas HAHAHA - ele ficou um pouco sem graça - bom, já volto.

           Ele saiu do quarto e eu fui ao banheiro tirar minha maquiagem que já se borrava pelo rosto. Meu deus minha cara estava horrível! ou eu estava meio bêbada também e não estava enxergando direito, não sei. Poucos segundos depois Chester voltou ao quarto, deixou sua camisa em cima da cama e se despediu de mim. Pelo que ele me disse, os rapazes ficaram de chegar as 9:00 AM e já se passavam das 11h30 PM. Resolvi tomar um banho, tirei minha roupa e entrei no chuveiro, deixando a água quente cair no meu corpo. Durante o banho pensei em tudo que aconteceu no dia de hoje e era quase que impossível não ficar triste. Transei com Mike, briguei com ele, beijei o Chester e agora to dormindo na casa dele, a rainha dos vocalistas gostosos! Vá dormir consciência!

          Saí do banho e fui pro quarto me vestir. Chester havia deixado uma camisa sua que era do LP ainda por cima, e tinha uma foto bem bonita dele com a banda. Resolvi por vestir e, não sei se ele fez de propósito, mas assim que peguei a camisa, senti o cheiro dele… aquele cheiro do seu perfume estava impregnado em sua camisa e me fez delirar de imaginar que hoje a tarde o beijei…. mesmo assim meu coração ficava pesado, apesar do Mike ser um desgraçado, eu sinto falta do seu toque…. que confusão! Resolvi me deitar, talvez o efeito da bebida esteja me afetando.

    Dormi mal sonhando com Mike e Chester brigando, saindo no soco até a morte, foi horrível! E isso me fez despertar assustada. Demorei alguns minutos para entender que não estava na minha casa e sim na de Chaz. Era por volta das 3:33 AM e eu não conseguia voltar a dormir, então decidi me levantar e tomar um copo d’água para tentar me acalmar. Saí pela porta daquele quarto rumo a cozinha, mas quando estava no corredor, escutei uma pequena melodia vindo do homestudio. Seria Chester tocando a essa hora? Resolvi seguir a música e então reconheci, estava cantando breaking the habit novamente. A porta estava entreaberta e pude observá-lo sentado ao piano enquanto cantava a melodia dolorosa. Lembrei-me que ele disse em uma entrevista uma vez que quando foi gravar essa música, chorou várias vezes. Será que estaria triste? Não sei, mas a bela visão me fez suspirar. Ele estava apenas com uma calça folgada e sem camisa, pude observar suas belas tatuagens e seus músculos definidos. Definitivamente ele era muito gostoso. Deixei-o cantar, não queria o atrapalhar e nem que se preocupasse comigo que estava acordada, então rumei até a cozinha.

    Com muito cuidado, abri a geladeira e peguei uma garrafa d'água e resolvi tomar. Como Chester forçava muito a voz, sempre deixava várias garrafas d’água separadas para tomar, tomara que ele não brigue comigo por tomar uma delas. Me sentei no banco do balcão da cozinha e fiquei olhando a lua através da grande janela que ali tinha. Era uma visão linda. De repente, ouvi um barulho atrás de mim e ele reclamava algo em meio de palavrões.

- Que droga! eu sempre esqueço dessa mesa aqui no canto e sempre bato meu pé nela. - ele reclamava enquanto eu ria - o que está fazendo aqui, sereia? Eu te acordei?

- Não! Eu estava sem sono e resolvi descer para tomar água. Escutei você cantar, mas não quis te perturbar, então vim até aqui. - dei de ombros.

- Você ficou linda nessa camisa… - ele me olhava de cima a baixo.

- Obrigada - senti meu rosto corar - ela é bem bonita.

- E ficou mais linda ainda em você, se quiser, é sua. - ele sorriu e eu também. - Sabe Amy - ele se aproximou - eu também fiquei sem sono, não consegui parar de pensar em... você - ele e todo o seu tronco despido sentaram-se do meu lado.  c a r a l h o.

- Chester eu… - desviei o meu olhar do dele e ele pegou meu queixo com sua mão quente, para que eu olhasse.

- Eu gosto bastante de você, mesmo sabendo que você não goste de mim na mesma proporção, e me preocupo com você. - ele fez uma pausa - Sei que sente algo pelo Shinoda, mas como eu já te disse, tome cuidado, eu não quero te ver magoada.

- Eu sei, eu não queria gostar dele, mas eu sou uma pessoa que só se envolve quando está muito apaixonada e eu me deixei levar e - ele me interrompeu com seus lábios.

    Sim, ele me beijou novamente, PUTA QUE PARIU.

lá vamos nós de novo, Amy!

 


Notas Finais


Não me batam USAHDAUDHUAHD

Será que rola um hot com o Chester no próximo capítulo? Ou vai ficar por isso mesmo?
No próximo vocês descobrem!

See ya soon!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...