História Amy Rodrigues - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Linkin Park
Personagens Brad Delson, Chester Bennington, Dave Farrell, Joe Hahn, Mike Shinoda, Rob Bourdon
Tags Chester Bennington, Linkin Park, Mike Shinoda
Visualizações 35
Palavras 2.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olar!
Voltei com mais um capítulo aqui.
A Amy finalmente está se recuperando, mas um clima sombrio das memórias de Chester são o que movem esse capítulo.
Espero que gostem

Enjoy!

Capítulo 32 - Chester's Past.


Fanfic / Fanfiction Amy Rodrigues - Capítulo 32 - Chester's Past.

Chester Bennington

Tomei o tanto de fôlego que pude para começar a contar a sereia um pouco do meu passado, um passado sombrio que pouquíssimas pessoas sabiam, pessoas apenas de confiança, mas chegou a hora dela saber também. Ela me olhava meio aflita quando sentei na beirada de sua cama e a olhei profundamente nos olhos.

- Bem, sereia.. - fiz uma pausa - o que você sabe sobre o meu passado? Digo, como fã? - ela me fitou confusa.

- Chaz, sei que você teve uma infância difícil, com traumas… - ela mediu as palavras e continuou - e que teve muito problemas com drogas e bebidas.

- Pois é… foi e é ainda extremamente difícil lidar com meus traumas até hoje. - Eu contrai os lábios pelo sentimento de raiva e dor que percorria meu sangue. - Em relação a minha vida amorosa, você sabe de algo?

- Sei que foi casado com a Talinda, fora isso não sei de mais nada… Por quê? - ela arqueou uma sobrancelha e eu respirei fundo mais uma vez.

- Por incrível que pareça, eu só tive duas namoradas na vida, a Talinda e… - eu engoli seco - a Samantha.

- Entendi… - ela falava confusa - Mas por quê nunca se foi dito nada sobre a Samantha? Não que eu queira ser invasiva, mas parece ser um assunto importante pra você. - Ela me fitou.

- E é… sabe Amy, Samantha e eu namoramos por longos anos na minha adolescência e próximo a vida adulta - fiz uma pausa e continuei - e eu nunca falei dela em nenhum entrevista porque… - meus olhos começaram a marejar - ela morreu.

- Chaz… - ela passou sua mão quente sobre a minha e a apertou de leve. - não precisa falar sobre isso…

- Não, eu preciso sim! - passei uma das mãos sobre a minha cabeça raspada - sabe Amy… tivemos uma briga.. ela estava com ciúmes de uma mulher que eu nem conheço e eu a deixei sozinha em casa e saí com o carro para um bar e bebi até quase desmaiar. - Eu contava pausadamente, tomando fôlego e coragem para terminar,  enquanto a sereia apenas me observava em silêncio. - Em resposta, ela tomou uma cartela inteira de antidepressivos, juntamente com uma garrafa de vodka que tínhamos guardada. Como você pode imaginar, ela teve uma overdose…. - as lágrimas desciam do meu rosto mais rápido do que eu poderia controlar. - Eu não pude salvá-la, eu estava preocupado demais enchendo a cara enquanto ela estava morrendo, AMY! ELA SE ENGASGOU COM O PRÓPRIO VÔMITO EM CIMA DA CAMA E MORREU! - Minha voz soava nervosa e cheia de dor, era terrível relembrar aquilo.

- Chaz… - os olhos de Amy se encheram de lágrimas - por favor, não se maltrate mais, não foi sua culpa…

- FOI! Se eu não tivesse sido um filho da puta com ela, talvez hoje ela estaria viva….. - minha voz que estava estridente, se tornou um mero sussurro triste. - A minha sorte, apesar de tudo isso, foi o Linkin Park entrar em minha vida… conheci meus amigos e me tirei daquele buraco escuro e perturbador que eu havia me colocado. Até hoje tenho pesadelos com ela, Amy. Por isso que eu fiquei tão mal quando te encontrei desmaiada, eu me vi passando pela mesma situação!

- Me desculpa Chaz… eu não quis causar nada na sua vida, eu… - eu a interrompi.

- Eu sei, me desculpe também, não estou te culpando por nada, apenas fiquei muito preocupado. - Esfreguei as costas das minhas mãos nos meus olhos - Quando conheci a Talinda, acreditei que seria tudo diferente e estava sendo até ela simplesmente me largar pra viver com outro cara. - Fitei um ponto vazio. - então voltei a beber e me afundar nas drogas, cheguei até a tentar suicídio…. mas sempre a coragem me faltava, eu sabia que era errado e que um dia eu iria ser feliz… - me levantei da beira da cama de Amy e me coloquei ao seu lado. - Aí te conheci e rapidamente comecei a me sentir mais feliz… - fiz outra pausa profunda e continuei, era difícil pra mim falar aquilo. - eu me apaixonei muito rápido por você, mas vi que você também sentiu o mesmo, só que pelo Mike…

- Chaz… - ela revirava os olhos, acho que tocar no nome dele não era boa coisa. - Melhor falarmos de outra coisa…

- Ok - dei um beijo nas costas de sua mão e continuei - só quero que você saiba que eu sempre estarei aqui por você, e que não quero mais te ver sofrer. - eu sorri fraco pra ela e ela retribuiu.

- Eu sei, Chaz e eu agradeço por isso, eu queria agradecer ainda mais, mas eu não consigo, me perdoe por isso. - seus olhos claros estavam com as cores apagadas e um olhar de descontentamento se formou neles. - Hã… Chaz - passou a mão de leve em seus cabelos azuis - o Shinoda apareceu por aqui?

- Sim, mas foi embora. - eu disse de uma vez jogando as palavras. - Não era uma boa hora. - ela assentiu e concordou, se deitando na cama, pensativa. - Está cansada?

- Um pouco, mas não queria ficar sozinha. - ela me deu um leve sorriso.

- Eu vou passar a noite aqui, vou falar com seu médico. - Fui prontamente falando e indo em direção a porta.

- Não Chaz, vá pra casa, estou bem. Odeio hospitais, mas não quero te incomodar! Basta chamar a enfermeira, por favor.

- É um prazer cuidar de você, deixa comigo! - eu sorri pra ela e saí procurando pela enfermeira.

Sem muita dificuldade, achei a tal de Carla que me deixou ficar com Amy no quarto, com a condição de deixá-la descansar e eu prontamente concordei. Voltei ao quarto e avisei a sereia, que ficou bem feliz de saber que não ia mais ficar sozinha. Alguns minutos mais tarde vi que ela estava com sono e a deixei descansar, eu também estava exausto e então me aconcheguei em uma das poltronas, pegando no sono logo em seguida.

Mike Shinoda

Cheguei na mansão, que logo quando abri a porta, fui quase que ovacionado pelos meus amigos de banda.

- Até que enfim você apareceu né? Estava aonde? - Dave se aproximou de maneira bruta.

- Por aí. - Não tive muito o que falar.

- “Por aí” - Joe me imitou revirando os olhos. - Quase que acontece uma tragédia por SUA culpa e você estava por aí! Nossa Michael, você já foi melhor.

- Ei, eu não tinha como saber o que ia acontecer! Me deixem em paz! - fui me direcionando pelas escadas, mas logo Rob me puxou pelo braço.

- Você nos deve uma explicação. Que porra que está acontecendo aqui? - Nunca vi Rob falar daquele jeito, ele estava nervoso.

- O que querem que eu diga? Tá, eu transei com ela algumas vezes, mas era só sexo! Eu não tenho culpa se ela não entendeu. E vocês não tem que se meter na minha vida! - Eu estava já perdendo a paciência.

- Mike, você nunca vai amadurecer? - Brad surgiu da cozinha. - O que aconteceu entre você e a Anna tem que ficar no passado, já está na hora de mudar esse seu jeito de MOLEQUE! - Brad começou a falar mais alto.

- Não se metam na minha vida! - eu subi as escadas mais uma vez, mas agora ninguém me impediu.

Entrei no meu quarto e tranquei a porta, logo seguindo para o banheiro, eu precisava de uma ducha fria. Embora eu seja extremamente orgulhoso, eles tem razão, eu tinha uma parcela de culpa nisso, ela podia ter morrido por minha causa! Mas eu não posso mudar quem eu sou, eu não posso mais me envolver com as mulheres da forma que elas querem, eu nunca mais vou fazer isso, não quero ser enganado novamente! Meus pensamentos me destruiam enquanto eu estava debaixo da ducha fria, e logo algumas lágrimas de meu rosto se misturaram com a água. O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO? Eu não quero me preocupar com ela, não quero nada sério com ela, mas também não quero me afastar. Eu preciso pelo menos pedir desculpas a ela!

        * * *

Amy Rodrigues

Finalmente lá pelas 2:00 PM o Dr. Bob me liberou para ir pra casa, segundo ele, como foi apenas um susto, me receitou tomar bastante líquido e descansar. Chester passou a noite no quarto comigo, ele realmente era um amor de pessoa e eu não sabia como agradecer tudo isso… Ele chamou um uber pra gente e logo fomos para casa. Ao abrir a porta, fui recebida com rosas e balões por todos, inclusive por ele. Brad foi o primeiro a vir correndo me abraçar e claramente retribuí na mesma hora. Depois dessa pequena festa da minha chegada, Jeff passou pela porta principal igual um furacão.

- O QUE ACONTECEU? - Ele gritou desesperado e com raiva ao mesmo tempo. - EU NÃO POSSO DEIXAR VOCÊS SOZINHOS POR UM DIA QUE A MÃO DE UM É CORTADA, AS PESSOAS QUASE MORREM… O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM VOCÊS? - Ele estava visivelmente puto.

- Calma Jeff, está tudo bem. - Chester disse enquanto sorria. - A Amy teve uma complicação com remédios e teve que ser hospitalizada, mas foi apenas um susto, já está tudo bem.

- Eu estou vendo que está tudo bem, mas tinha tanta mensagem no meu celular hoje pela manhã que eu fiquei atordoado!

- Se você tivesse deixado seu celular ligado ontem a noite, você já tinha pegado as informações na hora certa! - Dave retrucou e Jeff revirou os olhos.

- Eu durmo, diferente de vocês que parecem crianças, vivem se metendo em confusão! - ele virou para mim em seguida. - O que aconteceu aqui?

- Eu tomei remédios para dormir e acabei desacordada, Chester me encontrou no quarto desmaiada e me levou pro hospital com Brad. - Eu sorri sem graça.

- Certo, mas algo aconteceu aqui, né? - ele insistia - Essa história está muito mal contada! - Ele arqueou a sobrancelha e olhou para nós todos, que engolimos seco.

Jeff de maneira alguma podia saber sobre o que estava acontecendo, já bastava os outros membros sabendo.

- Nada demais, eu estava com muita dor e quis dormir logo e deu no que deu hahaha - dei de ombros e ele me fitou por um momento, depois relaxou a musculatura do rosto.

- Bem, vou acreditar na sua versão então só porque vejo que está bem, mas eu vou querer saber de tudo depois! Agora vim aqui também para avisar que os shows foram deixados para semana que vem, então essa semana vocês vão descansar e tentar não fazer besteira, pelo amor de deus! - ele passou a mão pela testa que descia uma gota de suor. - Cuidem dessa moça aqui, eu preciso ir porque vou terminar de resolver essa questão dos shows para passar pra vocês. - Todos assentimos. - Eu me comunico com vocês pelo grupo, até mais. - se despediu e saiu.

- Aiai esse Jeff! - Brad balançou a cabeça em reprovação .

- Será que eu poderia dar uma palavra com a Amy? - Mike disse e logo depois foi repreendido por olhar de todos.

- Hoje não Shinoda, quem sabe outra hora. - Eu disse e dei um belo sorriso pra ele. Estava na hora de ele sofrer um pouco de remorso pelo que me fez passar. - Eu vou descansar um pouco, muito obrigada pela recepção, acho que ganhamos uns dias de folga HAHAHAHA - eu ri e todos me acompanharam.

- Quer ajuda? - Chester e seu perfume maravilhoso se aproximaram de mim.

- Não precisa, Chaz, você já fez muito por mim. Eu consigo me virar sozinha! - Pisquei pra ele e ele me retribuiu.

Acenei para todos e subi para descansar um pouco. Peguei meu celular e vi várias notificações de fãs me desejando melhoras, pelo jeito as notícias correm né? Recebi uma mensagem de Kimmy desesperada quando soube pelos jornais que a amiga dela quase foi dessa pra melhor, mas a tranquilizei explicando bem por cima a situação. Eu sentia muita falta da minha amiga, ela sempre foi o meu braço direito e essa distância me chateia às vezes, não via a hora de voltar pra casa e me encontrar com ela.  Eu me encontrava bem naquele momento, mas não queria dar de cara com o Mike, ele me fez muito mal, ele tem que pagar!. Acho que depois de toda essa minha experiência de quase morte eu deva enterrar esse sentimento de uma vez por todas.


Notas Finais


E esse passado do Chester? TADINHO MEU
Já referente ao Maico: nada novo sob o sol UASHDUHDUSAHDUA
No próximo capítulo vamos acompanhar a melhora e/ou piora da Amy!

See ya soon!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...