1. Spirit Fanfics >
  2. An (almost) impossible love >
  3. Primeiro capitulo

História An (almost) impossible love - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, tudo bem com vocês? Espero que sim.

Pessoal, vou dizer a vocês que essa é minha primeira fanfic homossexual, então tentarei o meu melhor.

Me perdoem se tiver erros ortográficos, espero que gostem da fic.

Estou aqui pra dizer também que perdoem pelos cap ser curto, vou tentar aumentar no próximo.

Espero que gostem, boa leitura (◍•ᴗ•◍)❤

Capítulo 1 - Primeiro capitulo


Fanfic / Fanfiction An (almost) impossible love - Capítulo 1 - Primeiro capitulo

Não sei descrever o que se passa comigo, enquanto a plateia vai a loucura, a espera dos jogadores, e delirantes ao som das músicas que são tocadas para distrair o povo.

Em baixo deles, onde é a quadra de basquete, estou eu, sentado, tremendo, nervoso pra caramba. Quem diria que hoje seria minha estreia? Nossa, toda essa euforia misturado com o medo e ansiedade, me deixam com uma carga pesada em meus ombros.

Será que sou bom? Será que irão gostar de mim? Eu realmente mereço estar aqui? É tão complicado, por mais que meus colegas e o treinador digam que sou ótimo, e que meu lugar é estar ali, ainda tem alguma coisa, que me impede de ver esse lado.

— oi... — uma voz rouca chega até meus ouvidos, me fazendo ter um leve susto.

Me direciono para o lado que escutei a voz, vendo um homem muito bonito. Seus cabelos estão pintados de uma cor bem diferente, é até engraçado, mas o pior, combinou com ele. Uma parte do seu cabelo estava rosa, e a outra, eu não sei dizer que cor que é, mas parece um sorvete. Seus olhos da cor castanho claro, que penetram minha alma. Sua boca, ha... sua boca chama muito a atenção de qualquer um, é grande, e formada, imagina receber beijos dessa boca? Oh céus!

O corpo dele todo definido, com curvas que dá pra notar ao longe. Ele vestia uma blusa branca maior que si, usava uma jaqueta jeans por cima, uma  calça jeans azul meio escuro, e usava um tênis cinza. Essa combinação, combina bem com esse Deus, porque um ser humano com tamanha beleza não existe.

— Oi — minha voz quase nem sai, me empreciono por ter conseguido me escutar.

— posso me sentar aqui? — aponta pro lugar vago ao meu lado, eu rapidamente digo um "sim" com a cabeça, o vendo se sentar ao meu lado. — você é tímido né? — da um pequeno riso. — meu nome é Kim Taehyung. — estica sua mão.

Então o nome desse Deus é Kim Taehyung, lindo, combina com ele.

— e o seu? — tira-me de meus pensamentos.

— meu nome é Jeon Jungkook. — seguro em sua mão, o cumprimentando, porém, logo separo as mãos.

— belo nome, combina com você. — acho que meu coração errou a batida com esse sorriso, e com esse elogio.

— obrigado, o seu também. — digo a ele, que sorri. — o que faz aqui? Bem, aqui são pros jogadores, e você não parece que vai jogar. — tomo coragem para dizer alguma coisa, que faz nascer, novamente, um sorriso nos lábios do garoto.

— meu amigo, ele joga nesse time, você deve conhecer ele, é o Jimin. — aponta pro mesmo, que brincava com os outros do time.

— ah sim... Park Jimin. — sorrio minimamente.

— hoje vai ser sua estreia né? Jimin me disse, e o que parece, você joga bem. — ele já ouviu falar de mim? Nossa...

— não acho que jogo bem, no máximo um mediano. — minhas inseguranças não me deixam ver se sou realmente sou bom em algo, não importa o que façam ou digam, nunca serei bom em nada ao meu ver.

— pare já com isso! Se você está no time, é porque você é bom! — me adverte.

— está bem, não falo mais nada. — levanto as mãos, em sinal de rendação.

O apito do treinador é ouvido, eu olho para o garoto ao meu lado, me levantando.

— preciso ir. — me curvo, correndo até meus colegas.

— torcerei por você! — meu coração quase para ao ouvir essas palavras, esse garoto só me impressiona, isso que o conheci a quinze minutos.

...

O jogo terminou, e adivinha? Sim! Ganhamos, fiz três cestas e a cesta da vitória! Estou muito feliz!

Durante o jogo inteiro, eu escutei a voz de Taehyung, torcendo por mim e por Park, de vez em quando, torcia por outros jogadores.

— parabéns Jungkook, eu disse que te trazer pro time era o melhor a se fazer. — diz o treinador animado.

Caminho até os bancos, me sentando nos mesmos, eu estava morto, aí como quero a minha cama!

— você foi muito bem, fez a cesta da vitória! — diz Kim, se sentando ao meu lado, enquanto pego uma garrafa d'água.

— obrigado, me esforcei muito nesse jogo. — digo após ter bebido mais que a metade da garrafa, muita cede.

— eu percebi, ah... E quase perdi a voz gritando por você e Jimin. — comenta brincalhão.

— Ei! Taehyung, não vem? — Jimin grita Kim, que faz careta.

— já vou! — grita de volta. — não quer vir? — me olha animado.

— pra onde? — só tenho um lugar que quero ir hoje, e é minha cama, estou exausto!

— Jimin dará uma festa, pra comemorar a vitória, por que você não vai? — com esse homem, como faço pra negar? Simples, não fui convidado.

— ah Kim, eu não fui convidado. — mentira não é.

— oh Jimin! — ele grita o amigo, que logo se aproxima, ficando ao lado do mesmo. — Jeon Jungkook está convidado a sua festa, não é mesmo? — olha pro amigo esperançoso.

— é claro que que está, foi ele que fez a cesta da vitória. Mandou super bem Jeon, está convidado para todas as festas. — sorri gentil.

— obrigado, e obrigado por dizer essas coisas, mas , eu tenho muita coisa pra fazer, e não poderei ir pra sua festa hoje. — desculpa Kim, mas eu realmente, não sou de socializar com esse pessoal.

— ah... Tá bom, tchau Jeon, nos vemos por aí — Jimin sai arrastando Taehyung, que acena um tchau.

Eu queria ter ido, mas não acho que eles queiram mesmo ser meus amigos. Taehyung, o cara gentil que conheci a pouco, pode até ter me convidado de bom grado, assim como Jimin, mas e o resto da galera? Será que eles me querem junto deles? Não tô a fim de ser humilhado perante eles, nem ferrando. Prefiro ir pra casa, onde eu tô bem seguro, sem ninguém pra me importunar.

{...}

— finalmente em casa! — me jogo no sofá. — finalmente poderei ir dormir, assistir série, sem ninguém me perturbando. — me levanto do sofá, indo para a cozinha.

Vou até o armário, pegando um dos copos de vidro, vou até a geladeira, pegando uma das garrafas de água, enchendo o copo até a metade. Guardo a garrafa, indo até a torneira, terminando de encher o copo, bebendo do líquido, nem muito gelado, nem muito quente.

Agora, parando para pensar, estou só, tudo bem. Mas e se tivesse alguém comigo? As vezes, um amigo faz falta, mas, minha timidez, não me ajuda. Será que algum dia eu terei com quem compartilhar essa casa?

Vocês devem estar se perguntando: "cadê seus pais?". Eu digo, não moro com eles. Aqueles dois me expulsaram de casa, após descobrir que sou Gay, homofóbicos, é isso que eles são! Bem, pelo menos, eu tenho uma casa para morar, e eles pagam tudo, menos comida, aí é por minha conta, e é por isso que trabalho na biblioteca.

{...}

Estava jogado em minha cama, com os meus preciosos salgadinhos e refrigerante, que são meus melhores amigos no momento. O que estou assistindo? Nem eu sei direito, só sei que tem haver com basquete.

Uma memória vem a minha cabeça, e era aquele anjo, ou melhor, aquele Deus grego. É a décima vez que imagino como seria se ele estivesse aqui, não seria bom? Seria maravilhoso! Mas eu nunca me aproximaria dele nesse ponto, nem sei se ele é homossexual, ohhh esse mundo é mal.


Notas Finais


Sabe, estou muito insegura sobre essa fanfic Vkook, mas espero que tenham gostado.

Desculpa qualquer erro, se cuidem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...