1. Spirit Fanfics >
  2. An Angel In The Hell >
  3. Desavenças

História An Angel In The Hell - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oi oi oi!
FOGO NO PARQUINHO, MINHAS CARAS! EM TIDO CANTO TEM BRIGA!
Adoro!
Bom capítulo pra vocês
Beijinhos de vento,
Kay

Capítulo 11 - Desavenças


Yoongi estava parado 5 passos a frente do laboratório, onde, minutos atrás, Taehyung e Namjoon usaram projeção astral para atrair Yiyeol e apagar a memória dela.

Eles (os demônios e os anjos) estavam usando o laboratório como um pequeno esconderijo para magia, já que, em meio a tantos humanos suas assinaturas ficariam subentendidas em tantas emoções. E, Por Deus (E Lúcifer), eles precisariam usar muita magia.

O cheiro de caramelo e baunilha atiçou os sentidos do alpha, que se virou rapidamente dando com os olhos (semicerrados) em uma Kayssa de punhos fechados ao passar por perto. Ele correu para ficar em frente a porta.

— Que porra... Sai daí. - ela disse entre os dentes.

— Sai você, já disse que não é pra vir aqui. - os dois tinham colunas eretas e se encaravam nos olhos.

— Você não pode balançar seu maço de dinheiro e usar as propriedades escolares quando bem entender! - os olhos de um mel brilhante o fuzilaram. — Então, sai da minha frente!

— Eu não vou sair! Puta que pariu, garota, tem outros lugares pra você! - ele cerrou os dentes, mas Kayssa parecia muito determinada, tanto é que deu um pisão com as próprias botas de combate nas dele. — EU MANDEI VOCÊ SAIR! - praguejou, jogando a garota contra a parede.

Ela piscou algumas vezes, um tanto quanto assustada, mas voltou a sua feição nervosa e entreabriu os lábios.

— O que vai fazer?! Vai me bater?! - estufou o peito, tentando se afastar das mãos fortes do alpha.

Yoongi rosnou, ele poderia muito bem jogá-la numa vala temporal ali mesmo e só trazê-la de volta quando finalmente soubessem o que estava acontecendo entre os 4 reinos.

Eu não vou te bater, caralho! - usou a voz de alpha e percebeu que as pupilas da garota se comprimiram, talvez ela estivesse escutando. Então ele a soltou e empurrou de volta para o corredor. — Saía daqui!

— VAI PRO INFERNO! - ela praguejou, chutando a canela do dinj antes de sair dali.

— Eu vim de lá. - ele murmurou, segundos depois sendo abordado por um Geonhak que o puxou para dentro do laboratório.

— O que diabos você pensa que tá fazendo?! - o anjo rugiu. — Achei que também estivesse tentando mantê-la a salvo, merda!

— E TÔ TENTANDO! - ele apontou a magia condensada nas paredes, os sigils de fortificação e vigilância por todo o laboratório — Sua maldita afilhada pode ver isso! Acha que ela vai saber lidar?! Pois eu acho que não! Por isso ela não pode vir aqui, não até terminarmos isso!

— Ela vai tentar! - Geon disse por cima dos gritos do Min — Vai tentar voltar e você sabe que sim!

— Tem que manter ela longe! Ontem foi a súcubo, amanhã pode ser uma horda de límbios! - o anjo estava olhando os sigils, os demônios realmente estavam tentando. — CACETE, GEONHAK, ME ESCUTA!

— Eu tô ouvindo. - deu de ombros. — Em quanto tempo isso vai ficar pronto?

— Precisamos de localizações, precisamos saber se o Limbo sabe.

— Não sabe, não tem uma parte da Kay que não esteja escondida nos mais profundos níveis de sigils para proteção.

— Talvez... - o esverdeado revirou os olhos. — Talvez você tenha que voltar.

— O que?! - o azulado arregalou os olhos.

— Não agora, agora tá tudo sob controle, mas, uma hora ou outra ela vai precisar.

O anjo pigarreou, talvez tudo estivesse mesmo diferente. Os demônios na Terra, trabalhando junto aos anjos, a profecia perto de se realizar, ou até Jimin se mostrando para Luísa. O mundo estava mesmo diferente.

— Eu tenho que ir, vou fazer o que puder pra ela não voltar até tudo estar pronto. - ele se virou, desenhou o sigil da invisibilidade e saiu.

(...)

Kayssa, Simyeong, Keran e Pang estavam escoradas na porta vendo a execução da prova de Luísa, essa em questão, estava um pouco agitada com os ingredientes, mesmo assim trabalhava habilmente para mantê-los sob controle enquanto os professores passavam pela sala.

Você tá indo bem, calma. - disse o anjo da guarda, imaterializado, alisando os cabelos da ruiva enquanto ela fervia a calda da sobremesa.

Foram as 3 horas mais demoradas da vida da ômega, ela era puro stress.

Mas quando tudo acabou os professores estavam maravilhados com a refeção de Luísa, dizendo coisas maravilhosas sobre o talento da garota. Jimin batia palmas e as meninas lá fora também.

— Você foi ótima! - Keran abraçou a garota assim que ela saiu da sala. — Viu a cara deles?! Aposto que perderam até a noção da realidade.

— Claro! Eu tava morrendo de medo, Ran, como você passou por isso com tanta calmaria?

A delta deu de ombros e sorriu.

— E vocês? - Luísa perguntou, olhando Simyeong e Kayssa — O que vão fazer em Jornalismo?

— A Kay vai tirar Yiyeong do poder do jornal - a ômega riu de nervoso e escondeu os olhos verdes escuros envergonhados. — A gente sabe que você vai.

~ No apartamento dos demônios, mais tarde

— ME DEIXEM SAIR! - a gamma gritou, esmurrando o aço da porta e quase a derrubando, porém a magia celestial e demoníaca era muito mais forte que a dela. — SEUS FILHOS DA PUTA! EU VOU MATÁ-LOS

— Experimente - Namjoon rosnou, apoiado a parede do lado da porta — A gente... Eles, eles não querem matar você, Jung, por mim já teríamos feito-

— EU TRANSEI COM VOCÊ

Nesse momento, a porta do apartamento foi aberta por Seokjin, que ficou boquiaberto com o grito da sucubu, e olhou abismado para o demônio do desejo. Esse por sua vez, correu para se explicar, mas o anjo já estava se afastando em direção a sala.

— Jin, escuta... Eu... - Namjoon seguiu ele e o parou.

— Você não me deve satisfações sobre sua vida sexual, demônio. Mas... A sucubu? A sucubu que tentou sugar a energia da Kayssa?!

— EU NÃO SABIA! Foi antes, antes das aulas começarem, antes da nossa aliança, foi assim que eu cheguei!

— Você deveria escolher melhor, se não quiser matar nenhum de nós, Kim Nam-Joon. - o ômega se afastou alguns passos

— Seokjin, não... - o alpha segurou suas mãos e os dois tiveram ali um tremendo déjà-vu — Eu não quero matar nenhum de nós, eu juro.

— Só... Só olhe suas garotas nos olhos da próxima vez. - ele forçou um riso e largou a mão do demônio. — Acha que Yiyeong está fraca o suficiente?

— Ela quase quebrou a porta alguns segundos atrás. - deu de ombros. — Podemos drenar as forças dela de novo, mas... Tae, Seok e Min não estão aqui, acho que foram interceptar alguma coisa com Geonhak e Jimin. Vai ter que ser nós 2.

— Eu nunca fiz isso antes, eu não dreno forças, eu auxílio na criação da vida. - Namjoon percebeu o desconforto de Seokjin e segurou sua mão novamente.

— Tô aqui, não vai precisar fazer o trabalho pesado sozinho.

O ômega suspirou de alívio, então se concentrou na porta de aço, em poucos segundos a porta sumiu e os dois entravam dentro, Yiyeong estava contra uma das paredes com um olhar feroz, mas de nada poderia adiantar, eram forças celestiais e demoníacas contra apenas uma sucubu.

— Vamos deixar ela ir depois? - o anjo perguntou, tendo como resposta só um aperto em sua mão, logo, eles começaram os sigils de drenagem.

~ Na rua da casa de Kayssa

— Você fez o que?! - Jimin apontou Yoongi — Se ela te odiar vai protege-la como?!

— Vocês são os anjos da guarda aqui! - Yoongi apontou ele e Geonhak — Ela pode ver, e se queremos mantê-la segura ela não pode saber!

— Ele tem razão - disse Taehyung — Nós queremos proteger essa garota, então, o que fazemos no laboratório pode ajudar.

— Tá, Tae, ta! - Jimin levantou as mãos — Mas, hostilidade não vai ajudar nada, hyung

— É melhor assim - ele deu de ombros

— E a sucubu? - perguntou Geonhak — O que fizeram com ela?

— Não somos límbios pra apagar memórias nesse nível, mas podemos deixar ela tão fraca que não vai mais conseguir algo contra ela. - disse Hoseok — Vocês estão de acordo?

Os dois anjos assentiram

— Eu tenho que voltar, a Lu vai fechar a Dear Bakery logo. - o ruivo olhou os outros — Vê se não vão fazer besteira

— Não vamos - Tae e Seok disseram em uníssono

— Hm - foi a resposta de Yoongi — Também vai, Kim?

— Vou atrás de uma pedra de proteção antes, Kay tá com Jungkook na biblioteca

— Tarak-sin? - foram Jimin e Yoongi.

— Não sou filho de arcanjo para ter um tarak-sin, mas vou achar algo tão forte quanto.

— Vou contigo - Yoongi disse, então todos seguiram seus caminhos 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...