1. Spirit Fanfics >
  2. An endless cycle (Yoonmin) >
  3. Time is the enemy of haste

História An endless cycle (Yoonmin) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Time is the enemy of haste


Fanfic / Fanfiction An endless cycle (Yoonmin) - Capítulo 2 - Time is the enemy of haste

Em  uma outra vida, devemos ter feifo algo muito grave para sentir tanta saudade....


•○•○•○•○•○•○•

2020, Coréia do Sul

Daegu


O trem abriu as portas em sua última parada, respirando fundo e segurando a alça de sua bolsa e a mala próxima à seus pés, Park Jimin saiu do vagão sentindo um frio na barriga e um peso enorme saindo de suas costas. 

Finalmente estava livre da pressão de seu pai para ser o melhor em tudo e de ser o filho perfeito para sua mãe. Agora, poderia ser ele mesmo e cometer erros, como um ser humano comum. 

- Jimin! 

O garoto sorriu ao escutar à voz escandalosa de seu melhor amigo,Kim Taehyung. Aos olhos do Park,Taehyung era um garoto sortudo por ter conseguido se livrar dos pais logo que completou à maioridade. 

Talvez ele devesse sentir - se mal por pensar assim dos próprios pais, mas qualquer pessoa sensata via o quanto eles forçavam os limites dos garotos. 

- Taetae! 

Sem ligar para o local onde estavam, Jimin soltou a bolsa no chão e amparou o corpo que se chocou contra o seu de forma desajeitada. Rindo sem motivo nenhum, os dois rodopiaram algumas vezes antes de se separar. 

- Como foi a viagem? 

- Cansativa, não é fácil ficar três horas dentro de um metrô. 

- Acredite, eu sei como é.- O garoto de cabelos loiros sorriu compreensivo, mas logo jogou um dos braços pelos ombros do amigo e o puxou para fora da estação. - O importante é que finalmente estamos aqui, não é?

***

- O apartamento não é grandes coisas, mas dá pro gasto. - Comentou Taehyung enquanto pegava a bolsa do amigo do porta - malas e esperava que ele pegasse a mala. - Você vai adorar!

- Qualquer coisa é melhor que aquele inferno que meus pais chamam de casa.

- As brigas pioraram? 

Os dois amigos entraram no prédio e foram até o elevador, Jimin viu Taehyung apertar o número 13 e as portas metálicas se fecharam. 

- Já estava ruim, aí eu falei que ia me mudar. - Jimin encostou - se na barra de ferro que tinha na lateral. 

- Eu imagino o escândalo que fizeram: "Meu filho está abandonando a própria família" - Riram da péssima tentava de Taehyung imitar a Senhora Park.

- Eles cortaram meus cartões por alguns dias, até que se arrependeram e liberaram tudo de novo. - Jimin suspirou e jogou à cabeça para trás. - Eles acham que eu não sou capaz de arranjar um trabalho descente e me sustentar sozinho. 

Quando o elevador chegou no andar onde ficava o apartamento que Taehyung dividiria com Jimin, as portas se abriram de novo e os dois saíram. O Park o seguiu até pararem na porta 1313, Jimin sempre sentia - se estranho ao escutar ou ver aquele número. O loiro girou a chave na fechadura e a abriu de forma dramática, dando espaço para Jimin entrar primeiro. 

O rapaz já tinha visto fotos do lugar, afinal Taehyung pediu a ajuda dele para escolher já que ele dizia que iriam morar juntos assim que possível. Mas a sensação de lar que o pequeno apartamento trouxe não podia ser sentido apenas por imagens,as cores pastéis das paredes davam uma sensação calma para quem entrasse. Passeando pelos cômodos,encontrou seu quarto e um sorriso feliz enfeitou seu rosto, agora Jimin tinha um refúgio e um lugar onde poderia se sentir seguro. Nem o próprio quarto em sua casa em Busan o deixaram com a sessão de estar protegido. 

- Fui eu que diz o design,as cores estão do jeito que imaginei que você iria querer e os móveis são sobre medida... - Taehyung foi interrompido por um par de braços que o apertaram em um abraço apertado. 

- Eu te amo, Taetae. 

- Eu também te amo, Chim. - Taehyung sorriu e acariciou os cabelos negros do amigo, sabia por porque ele estava tão emocionado. -A gente finalmente pode recomeçar do zero aqui, podemos ser quem a gente quiser, Jimin. 

Jimin continuou andando pelo apartamento decorando cada parte dele, era tão confortável ficar ali que não se importaria de nunca mais sair dali. O tapete que cobria quase toda a sala era tão fofinho que o Park ficou quinze minutos jogado no chão só para sentir a textura, o sofá ficava de frente para a TV na parede, enfeitada por uma estante com livros e filmes. Dali dava para ver a cozinha separada por uma bancada de mármore e cadeiras altas.

Taehyung trabalhava em uma empresa de design de interiores, então por mais que o apartamento fosse pequeno, o Kim faria o lugar parecer divino com toda a decoração feita com seus mínimos detalhes e um "toque de Kim Taehyung". 

- Falta quanto tempo para você terminar a faculdade mesmo? - Perguntou o Kim naquela mesma noite após ajudar Jimin à arrumar suas coisas no quarto. 

- Falta três meses. - Os dois se jogaram bo sofá. - Preciso arranjar um trabalho até lá, não quero usar nenhum real dos meus pais. 

- Não se preocupe com isso, Jimin. - O sorriso diabólico no rosto de Taehyung não podia ser boa coisa. - Seu amigo aqui já cuidou de tudo. 

- O que você aprontou, Taehyung?

- Nada demais... - O garoto revirou os olhos diante das sobrancelhas arqueadas do outro. - Te arrumei um emprego onde trabalho. 

Jimin engasgou.

- O que? Que trabalho? 

- Não é nada com que você deva se preocupar, meu caro.

- Taehyung...

- Olha só! Hora de jantar!

- Kim Taehyung! Não foge,não! 

O ruivo seguiu o amigo até a cozinha e ficou insistindo para que ele contasse o que estava aprontando, mas o Kim era irredutível e se negou a contar.

- Se lembra do Hoseok? - Perguntou Taehyung enquanto entregava o prato servido para Jimin.

- Aquele seu amiguinho que você não parava de falar toda vez que eu te ligava? 

- Ciumes não combina com você, Chim. Mas enfim, ele tem uma boate no centro da cidade e a gente devia ir lá. 

- Qual é, cara! Acabei de chegar na cidade e já quer me arrastar para festas? 

- Não finja que nunca foi em a uma boate.

Jimin riu da expressão de tédio de Taehyung, eles eram amigos a muito tempo para saber cada segredo um do outro, inclusive as noites em que fugiam para ir à festas. Os pais do Park não podiam nem imaginar as coisas que o filho já aprontou. 

- A gente pode ir, depois que eu descobrir em que emprego você me meteu e acostumar com a faculdade.

- Aish! Não sei pra que escolher uma área tão demorada assim.

- Ser fotógrafo não é tão fácil assim, e também, já está no último ano, não seja dramático. 

- A minha demora o mesmo tempo que a sua!

- Mas você consegui entrar logo que completou o ensino médio. 

Aquela discussão demorou mais alguns minutos, Taehyung mudou o assunto para como era libertador viver por conta própria e fazer as próprias escolhas. 

Quando cada um foi para seu quarto, Jimin encarava o teto sem conseguir pegar no sono. Finalmente conseguiu sair da casa dos pais, se formaria na faculdade que tanto lutou para começar. Apesar dos anos em que foi obrigado a ser quem não era, agora Jimin iria viver a vida como queria. 

E não seria seus pais a fazê - lo mudar de idéia. 

***


Pela décima vez no dia, Jimin revirou os olhos ao atender o telefone e escutar a voz do melhor amigo pedindo que ele fosse até sua sala.

- O que você quer, Taehyung? 

- Hey, não é assim que se deve tratar o seu chefe. 

- O meu chefe está atrasando meu serviço. 

Taehyung riu da cara raivosa do amigo e se Jimin não estivesse realmente precisando do emprego e do dinheiro, teria o estrangulado assim que o Kim disse que ele seria o recepcionista. 

Não que o cargo fosse ruim, mas é que Jimin não é uma pessoa que gosta de obedecer ordens. 

- Eu preciso da sua opinião. - O Kim chamou o amigo para se aproximar com um movimento do dedo indicador. - Qual dessas duas cores combina com os móveis? 

Jimin apoiou - se na mesa de Taehyung para ficar perto do computador onde tinha a planta de uma sala. As cores em que o Kim estava em dúvida era entre azul - piscina ou lilás. 

- Azul - piscina, porque os móveis são bege.

- Boa escola, Chim.

Jimin revirou os olhos, sabia que o amigo estava abusando de sua paciência apenas para provocá - lo, Taehyung não precisava de sua opinião quando era ele que trabalha com aquilo. Voltou para a recepção e se concentrou em atender as várias ligações que recebia, transferindo - as para as pessoas que eram solicitadas. 

- Desing de interiores,Kim's company, em que posso ajudá - lo? - Jimin atendeu mais uma ligação.

O ruivo ficou ocupado o resto da tarde e ainda tinha aula no período noturno já que foi o único horário que conseguiu quando pediu transferência. Mas por mais que fosse uma correria, gostava de saber que poderia ajudar Taehyung nas despesas e ainda poderia pagar os últimos meses da faculdade. 

Na faculdade, todos com quem tinha conversado - mesmo que fossem eles quem vinha o chamar para conversar - eram legais e estavam bem dispostos a mostrar a faculdade para ele naquelas duas semanas. Jimin era gentil com todos, mas chegava a ser chato a atenção que chamava por onde passava.

- Quer que eu te busque na faculdade hoje? - Perguntou Taehyung enquanto esperava Jimin pegar suas coisas para ir embora. 

- Eu agradeceria. 

- Sem problemas.

- As pessoas já me perguntam se você é meu namorado, sabia? - 

Taehyung riu e acompanhou Jimin até o ponto de ônibus, por mais que ele insistisse em levar Jimin todo dia e buscá - lo, o amigo reusava dizendo que não se incomodava em pegar ônibus de vez em quando. 

- Eu deveria te beijar pra parecer mais real?

- Vai nessa - Debochou Jimin empurrando Taehyung de leve, rindo. 

- Você deveria comprar um carro logo, Jimin. Não é seguro ficar esperando ônibus tão tarde, sem contar que suas aulas não tem um hora exata para acabar. 

- Eu penso nisso depois - Jimin viu o ônibus se aproximando. - Te vejo depois. 

Os dois amigos se despediram, Taehyung voltando para a empresa que ficava em frente ao ponto onde Jimin pegava o ônibus e o ruivo entrando no transporte público. 

Não demorou para entrar no ritmo das aulas na faculdade, sabia que os períodos de provas estava quase chegando por ser seus últimos meses estudando. Sem contar que seus colegas viviam o lembrando de que era só chamá - los quando precisasse de ajuda. 

Com a cabeça encostada na janela, Jimin suspirou e ficou observando a paisagem do lado de fora, as pessoas caminhando apressadas como se estivessem atrasadas e não evitou pensar que se não tivesse ido contra seus pais, provavelmente tornaria - se uma daquelas pessoas.

***

- Então... - Jimin desviou o olhar de seu notebook para Taehyung que entrou na cozinha e ocupou a cadeira à frente. - Hoje é sábado.

- Eu sei? 

- E não temos nada para fazer hoje. 

- Talvez *você* não tenha, mas eu tenho e muita.

Taehyung fechou a cara e num movimento rápido, fechou o notebook e afastou de Jimin, que deu um pulo de susto. 

- Faz duas semanas que você chegou e ainda não comemoramos! Não adianta tentar me convencer, nós vamos a boate do Hoseok. - Taehyung ergueu a mão para Jimin, antes que ele pudesse argumentar contra. - Hoje.

Sentindo - se derrotado, Jimin balançou a cabeça concordado e ignorou o ataque do amigo pegando seu notebook novamente. 

Fez mais alguns parágrafo do trabalho antes de parar para comer alguma coisa.

Antes que podesse dar continuidade, Taehyung surgiu do além e tirou o objeto de seu alcance. 

- Vamos, já deu seu tempo. - O loiro puxou Jimin até o quarto do mesmo. - Se arruma, saímos as onze.

E fechou a porta do quarto.

- Olha que filho da puta. - Resmungou. 

Jimin abriu a porta de seu guarda - roupa e analisou as poucas opções já que só usava preto e branco na maior parte do tempo. Fez uma nota mental de comprar mais roupa antes de pegar uma calça jeans, uma camisa social preta e uma cueca deixando tudo sobre a cama. Foi até o banheiro sabendo que provavelmente Taehyung não devia nem ter escolhido a cueca ainda. 

O água quente relaxou os músculos tensos por ficar tempo de mais na mesma posição, Jimin estava tão focado em se formar que nem se deu conta de que estava esquecendo qual era a real intenção de ter se mudado. 

- Jimin! - Foi despertado de seus pensamentos por Taehyung gritando na porta. - 'To querendo tomar banho antes de amanhecer o dia! 

O ruivo revirou os olhos e desligou o registro, saindo do box com toda a calma do mundo e enrolando - se no roupão. 

- Você deveria ter feito faculdade para ser ator. - Resmungou Jimin dando espaço para Taehyung. 

- Era minha segunda opção. 

Depois que Taehyung fechou a porta, Jimin foi para seu quarto se arrumar. Se bem conhecia o amigo, sabia que ele não voltaria cedo para casa. 

Afinal, precisava mesmo relaxar.

***

- Já estamos chegando? 

- Mas que porra, Jimin! - Esbravajou o Kim. - Já é a décima vez que você pergunta isso, caralho. 

- Se você me respondesse não precisava ficar perguntando!

- SÓ FAZ QUINZE MINUTOS QUE SAÍMOS!

Jimin cruzou os braços e fez a sua melhor expressão de tédio que conseguiu, Taehyung respirou fundo e se concentrou em dirigir. Mas o Park não conseguia ficar parado e logo começou a mexer no rádio do carro, trocando de música sem que ela tocasse por um minuto. 

- Jimin, pelo amor de Deus, por tudo o que é mais sagrado...

- Amém. 

- .... Para quieto!

Antes que Taehyung sentisse vontade de empurrar Jimin para fora do carro em movimento, ele avistou o letreiro vermelho néon "Darkness". Estacionou o carro em uma das poucas vagas ainda disponível, o mais próximo da entrada possível já que a idéia era não ir embora tão cedo. 

- Escuridão? Sério? - O Park ergueu uma sobrancelha enquanto esperava Taehyung falar com um dos seguranças, a fila para entrar na boate estava enorme. - Cadê a criatividade nisso? 

Jimin olhou na direção de seu amigo com as mãos cruzadas na frente do corpo, ele mostrava um cartão para o cara que balançava a cabeça concordando com seja lá o que Taehyung dizia. O ruivo olhou ao redor e perguntava mentalmente se valeria à pena mesmo ele ter vindo ali. 

- Sozinho? 

Jimin olhou para trás de onde veio a voz masculina deparando - se com um homem de cabelos vermelhos e sorriso bonito. Ele usava um terno vermelho, uma camisa preta e uma calça jeans - Jimin nem escondeu o olhar de cima à baixo. Era alguém que se olhava duas vezes.

- Não, meu amigo está falando com um dos seguranças ali. - Apontei para Taehyung na entrada. 

- Kim Taehyung? - Perguntou o cara com um sorriso de canto. 

- Conhece ele?

- Digamos que o Kim é um cliente vip.

Taehyung olhou para trás e quando reconheceu o homen parado ao lado de seu amigo, sorriu e correu até eles.

- Hobi! - Abraçou o cara que riu com o entusiasmo dele.

- Taehyung. 

- Jimin, esse é Jung Hosoek. - Apontou para Hoseok enquanto se apoiava em seu ombro. - Hobi, esse é Park Jimin, meu amigo de Busan.

- Ah, claro! Bem que achei que já te conhecia de algum lugar. - Sorriu mais ainda para o Park.

- Tae fala bastante de você, Hoseok.

- Para mim também, Jimin. 

Os dois se encararam com pequenos sorrisos nos lábios, Taehyung apenas segurava o riso. 

- Vamos entrar? - Interrompeu o Kim.

- É claro. 

Jimin seguiu Taehyung para dentro da boate, sentindo a presença de Hoseok atrás de si. Quando estavam em um corredor onde já se podia ouvir a música eletrônica e um pouco de fumaça no fim do corredor, Jimin sentiu uma mão no meio de suas costas. 

- Espero que a gente se esbarre por aí, Park Jimin. - Sussurrou perto do ouvido do Park.

- Não vou embora tão cedo. - Inclinou - se para trás para que o Jung o escutasse. 

Taehyung começou a descer a escada lateral no fim do corredor e Hosoek se despediu e foi para o outro lado, Jimin deu uma última olhada para ele antes de voltar a seguir o amigo. 

- Cadê o ciumes agora, Chim? - Zombou o loiro.

- Era antes de saber o homem da porra que ele é! 

Jimin não soube dizer se Taehyung riu ou disse alguma coisa, já que a música começou a ficar alta de mais. Desceram os últimos lances de escadas. Alguns feixes de luzes passava pelo o que parecia ser fita encobrindo a entrada, a fumaça começava a ficar mais densa a partir dali assim como o ar abafado. 

Passaram pelas fitas e por estar à um tempo sem ir para uma festa, Jimin sentiu um incômodo em seus ouvidos

Com um pouco de dificuldade, Taehyung e ele conseguiram chegar até o bar, as pessoas estavam tumultuadas na pista de dança perto do DJ então os bancos ali estavam quase todos desocupados. 

- Vai querer o quê? - Perguntou Taehyung elevando a voz para que Jimin o escutasse sobre a música. 

- Tequila. 

- Vai começar bem, hein. - O loiro riu.

- A idéia não é se divertir? - Jimin sorriu e o sorriso do amigo de volta mostrou que ele entendeu o recado. 


***

Jimin parou de contar quantos copos já tinha tomado depois do décimo. Taehyung já tinha dançado com quase todo mundo na pista de dança e beijado cinco pessoas diferentes - dois rapazes e três garotas. 

Naquele exato momento, ele estava sendo paquerado por outro garoto e o fato dele estar rindo sem motivo nenhum mostrava que já nem sabia mais o que estava fazendo. Jimin estava apoiado no balcão do bar com um copo de uísque na mão, olhando ao redor. Não tinha ficado com ninguém ainda, até mesmo dispensou alguns quando resolveu ir dançar com Taehyung. 

Por algum motivo, não estava com clima para aquilo. 

- E ai? Já está bêbado?

Jimin sorriu quando reconheceu a voz de Hoseok. Virou - se para o amigo de Taehyung, ele se aproximou e ficou na mesma posição, encostado com um braço no balcão, próximo para que pudessem conversar. 

- Talvez. 

- Que bom, estava torcendo para que você não tivesse ido para casa ainda. 

- Por que? - Perguntou Jimin tomando mais um gole de sua bebida mantendo contato visual com o outro. 

- Me interessei. 

- É? - Sorriram um para o outro. - E porque você acha... 

Então Jimin o viu.

Ele parecia ser dois ou três anos mais velho que si, o cabelo loiro e roupas sociais. As luzes coloridas deixavam sua pele quase fantasmagórica, ele falou alguma coisa para o barman e sentou - se no último banco do bar, esticando os braços e juntando as mãos. De repente, Jimin esqueceu o que estava falando e todo mundo ao redor pareceu ter sumido, a música era só um barulho de fundo. 

Foi quando aquele cara passou a mão no cabelo que ele notou Jimin.

O Park viu a expressa dele mudar por alguns instantes, mas não deu tempo para decifrar o que era já que o cara pegou a bebida que o barman deixou na sua frente, pagou e deu as costas para Jimin, quase correndo dali.

Quando o ruivo se livrou da hipnose que eram aqueles olhos negros, a música voltou a soar alta em seus ouvidos, Hoseok balançava a mão na frente do seu rosto e o chamava pelo nome.

- Park? Está... Tudo bem? 

- Ahn? Claro... Desculpa, acho que o álcool deve estar batendo. 

- Eu imagino que sim.

Hosoek riu e Jimin acompanhou, tentando ao máximo se concentrar na conversa que ele começou com o de cabelos vermelhos mas sua mente já não estava mais ali. 

E sem ao menos conhecer o dono de seus pensamentos, o resto da madrugada não foi mais a mesma. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...