1. Spirit Fanfics >
  2. An incomparable feeling - Taekook. ABÔ. >
  3. Capítulo 5.

História An incomparable feeling - Taekook. ABÔ. - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Volteiii, espero que gostem desse capítulo ❤
Provavelmente, o capítulo ficará pequeno depois desse kk, eu não tenho confiança na minha capacidade de escritora de horas vagas.

Bem, espero que ignora os erros, 0 coragem de corrigir. Mas depois juro que irei retirar todos os errinhos.

Capítulo 5 - Capítulo 5.


Fanfic / Fanfiction An incomparable feeling - Taekook. ABÔ. - Capítulo 5 - Capítulo 5.

Capítulo 5.

— Jungkook... 

Taehyung sentiu seu estômago embrulhar, e seu coração acelerar como louco. O cheiro demasiado fresco, de pinheiros invadiu suas narinas, e sua cabeça começou a girar. Está indo tudo rápido de mais. 

O alfa lhe olhou surpreso, e sorriu. 

Jimin estava ainda ali, meio em choque. Ta, ele sabia que iria voltar algum dia, mas foi realmente rápido e apenas esses dias falando dele, a conhecidencia foi grande dele ser o novo vizinho do seu melhor amigo. Então, pegou na mão de Taehyung, o que fez seu amigo lhe olhar. 

— Vamos, Jiwoo está lhe esperando. — Jimin disse, e acariciou os dedos longos do ômega ansioso. 

Taehyung concordou rápido. 

Em passos apressivos, Jimin e Taehyung foram em direção ao Jeon, mas passaram pelo alfa sem trocar olhares. 

Jungkook queria muito correr e abraçar o namorado que tanto sentia falta.. Bem, se acha que ainda é namorados. Mas, o empresário em sua frente, falando sobre contas e mercadorias para ser levadas, não lhe permitia sair dali, seria muita falta de disciplina mandar o homem importante parar de falar, para que ele possa conversar com o seu vizinho. Estavam tão pertos, Taehyung estava ali. 

Kim antes de abrir a porta, olhou Jungkook pelo cantos dos olhos, se arrependendo já que o mesmo ainda estava com olhar sob si. Seu corpo ainda tremia. Então rapidamente, abriu a porta e entrou junto a Jimin. 

[...]

Após um banho e vestir uma roupa confortável, deitou-se na cama, cobrindo-se até a cabeça. Se sente fraco demais. 

Não seria como imaginou, "quando eu vê-lo irei enchê-lo de socos". Na verdade, nada foi assim, nem mesmo Jimin, que é um barraqueiro não se intrometeu. Taehyung agora sabe muito bem o que sua mãe lhe dizia " O que você pensa, não corresponde o pedido do coração ", a mesma simplesmente lhe disse tudo quando estava em um momento sensível na gravidez, e estava certo que mães não mentem. 

Quando entrou em sua casa, tentou demostrar o máximo que não se afetou por algo, Jiwoo não sabe de nada sobre o pai e claro que se ela perguntasse o porquê de chegar com aquela expressão confusa e surpresa, não iria dizer "ah filha não é nada não, seu pai é o nosso vizinho e eu estou quase enlouquecendo por dentro por ter visto ele de novo", puff, claro que não diria isso. Então apenas agiu normalmente e entregou as coisas que comprou para a mesma, e em seguida, preparar algo para comerem. 

E após um tempo dos quatro juntos na casa, todos subiram para terminar o dia. 

Assim, Taehyung está ali, espremido de baixo das cobertas, com a mente cheia de coisas. Não conseguia dormir de jeito nenhum. 

Com o quarto em silêncio, ouviu as batidas na porta, então apenas disse para a pessoa entrar. A porta foi aberta de vagar, e em seguida fechada, os passos lentos puseram-se presente, logo sentiu a cama afundar. Pelo cheiro já sabe que é Jimin. 

— Ei... — Park puxou de vagar a coberta e Taehyung não impediu. Jimin ao ver o amigo com a carinha sonolenta e tristonha, suspirou. — vem cá, levanta. — segurou pelos ombros do Kim o fazendo sentar-se, mas apenas para permitir também se sentar e encostar o tronco na cabeceira da cama, e logo fez o amigo deitar novamente, mas agora em seu colo, – próximo ao joelho, por conta da barriga grandinha. 

Taehyung soltou um resmungo manhoso ao sentir o carinho em seus cabelos. 

— mamãe me fazia carinho assim, quando eu estava cabisbaixo. — murmurou Jimin, fazendo Taehyung sorrir. Lembra-se muito bem da Tia Park. — vamos, não fique assim, amanhã você vai pegar o cachorrinho e irá sair com a gente! Vamos ao parque de diversões, e nos divertir muito, afinal é por isso que o parque tem esse nome. — Kim concordou e se virou, ficando de barriga para cima, olhando o teto. 

— Ahh.. E claro, irá sair com o bonitão do Hoseok, você vai ficar bem, e muito bem. — Jimin continuou com um sorriso travesso, Taehyung rapidamente soltou uma risada e se retirou do colo do amigo, ficando deitado na cama, de costa para o mais velho. 

— não seja bobo — o ômega mais novo disse envergonhado. 

Jimin soltou uma risada fraca e se levantou, dizendo em seguida:

— Vim ver como você está, vou ir para o quarto, Yoongi está me esperando. — afirmou.

— Tá bom. Não se preocupe, estou bem. — sorriu sem mostrar os dentes. 

— Certo. Boa noite, durma bem TaeTae. — deixou um beijo na testa do amigo e andou até a porta. 

— Boa noite Jiminnie.— desejou. 

Jimin saiu do quarto em seguida, fechando a porta. 

Taehyung suspirou e ficou em silêncio. Ficou assim por um tempo, mas em seguida levantou devagar, colocou as pantufas e o roupão vermelho. Irá beber um pouco de água. 

Apesar de não estar tão tarde, o restante da casa deve estar dormindo, por isso o silêncio. 

Não demorou muito, porque não queria ter o perigo de acordar alguém, entao apenas foi até a cozinha pegou uma garrafinha d'água e voltou ao quarto. Ficou um tempo no seu computador, escrevendo o contrato de modelo. Sempre deixa um tempo para pensar, em como virou alguém tão influente na mídia coreana, afinal, é o único país que faz sucesso é o seu e o Japão. 

Arrastou seu dedo pelo touch do notebook, descendo a página de notícias. Queria se conter, mas clicou no noticiário falando sobre o Jeon. 

Xingou-se mentalmente por ser tão bobo e idiota, mas não pode evitar. Nunca consegiu evitar. 

" Jeon Jungkook volta para a Coreia depois de 8 anos. " — está escrito. 

" Jeon Jungkook, o novo empresário responsável pela enorme mercadoria da Coreia, EUA e China, herdado pelo seu pai, volta para o país natal depois de um tempo. Não sabe-se o porquê da decisão repentina, já que havia informado de ter um contrato de longos 15 anos na América do Norte. "

— quinze anos? — Taehyung arregalou os olhos. Sua cabeça girou, lhe dando dor na cabeça, levou suas mãos e puxou o cabelo levemente, respirando fundo e soltando aquele ar sofrego. 


Deixou de ver as notícias ao receber uma notificação avisando que teria que ir à empresa de manhã , por um proposta, assim que respondeu fechou o notebook e resolveu dormir, mesmo com os pensamentos lhe assombrando, como se fosse fantasmas dos filmes de terror. Mas, apesar de demorar, pegou no sono. 



No dia seguinte, Taehyung acordou e sem demora nenhum foi ao banheiro, e fez o que sempre faz como rotina. Desceu em rumo à cozinha, pegando uma fruta e um copo d'água, não teria tempo para tomar um café logo, então irá comer algo quando terminasse a reunião. 

Pegou a chave em cima do balcão e pegou a carteira e o celular. Antes de sair, deixou uma mensagem ao Jimin, avisando que saiu mais cedo, e que poderia deixar a escolha de Jiwoo para ir à escola. Enviou e pegou a blusa, se retirando do AP. 

Ao fechar a porta, se assustou ao ouvir a do lado abrir. Ficou apressivo e ansioso. 

droga, como isso pode sempre acontecer? — questionou em pensamentos, já começando a caminhar. 

— Taehyung? — a voz lhe chamou. 

Parou e olhou para trás, virando um pouco seus ombros, mas não estando completamente de frente ao homem que tanto conhecia. 

Jungkook estava com o cabelo separado no meio, dando visão de sua testa, e usa um terno preto e gravata azul. Tinha um olhar sério, mas não de um modo agressivo. 

Engoliu em seco, dando-se de conta que estava encarando de mais. Rapidamente se deu de ombros, e voltou a andar. 

— Não, não, Taehyung! Espera. — ouviu a voz grave lhe chamar mais uma vez, e ao olhar o mais novo estava fechando a porta de um modo desajeitado. — que droga de chave! — xingou, e o mais velho ficou surpreso. 

Assim que conseguiu finalmente fechar, olhou ao ômega que tinha um olhar cheio de questionamento. 

— Espera por favor, eu preciso falar com você. — Jungkook se aproximou. 

Tae mexeu a mão com pressa e arrumou a desculpa mais óbvia:

— Desculpa, e-eu preciso ir, estou atrasado. — avisou, arrumando a blusa em seus ombros. — é bom lhe ver, Jeon. — disse sério, dando de ombro e andando rápido, para se afastar do alfa o mais urgente possível. 

Jungkook iria gritar mais uma vez, mas se conteve, ainda terá tempo de conversar. Olhou o seu relógio de pulso, também está atrasado para uma reunião. 

[...]

Taehyung já chegou no lugar combinado, podia ver Hoseok parado na porta e o sorriso do mesmo assim que o viu sair do carro. 

— Desculpe ao atraso. — Taehyung pediu, andando ao lado do amigo de trabalho. 

— Tudo bem, os convidados ainda não chegaram. Vamos esperar eles junto ao CEO, Gucci é uma empresa grande, você está tendo muita sorte nessa oferta. — Hoseok lhe afirmou, segurando sua mão. 

— Não seja assim, acho que nem irei passar. Existem muitos outras pessoas, mil vezes mais bonitas. — opinou rindo de nervoso. 

— Você sabe muito nem que é muito bonito, tenho certeza que será o primeiro na lista. — sorriu confiante,  deixando o outro corado. 

— obrigado. — agradeceu tímido. 

Hoseok bateu na porta da sala, e logo entrou. 

— com licença. — pediu, chamando por Taehyung, parando em frente ás cinco pessoas presente. 

Abaixaram o tronco, dando um levo sorriso. 

— Esse é o nosso modelo, senhor. — Hoseok apresentou o ômega. 

O homem de terno, não muito velho, mas aparentava ter acima de quarenta anos, se levantou, curvando o tronco como cumprimento, e Taehyung fez o mesmo. Logo deram a mão. 

— Me chamo Taehyung, Kim Taehyung. — sorriu ao afastar a mão e abaixar a cabeça em cumprimento para os restante de pessoas. Em seguida, se sentou, reunindo-se ao restante. 

— Sou JungSun, CEO responsável pela Gucci na Coreia. — Sorriu. — e esses são nossos aliados, e minha empresária. — apresentou o restante. 

Todos ali deram os nomes. 

Taehyung estava ansioso, queria poder terminar com isso, nunca esteve reunido com pessoas importante. 

Enquanto Hoseok conversava de assuntos que Taehyung não entendia, Kim pediu permissão para responder a ligação do seu amigo. Assim que foi permitido, levantou-se e se retirou da sala, atendendo a chamada. 

— Alô? 

— " Como assim você vai ter uma reunião com a Gucci e não me falou, Kim Taehyung?! " — Jimin questionou indignado. 

— Desculpa, eu recebi o pedido tarde e você provavelmente estava dormindo, não seria nada legal eu entrar no seu quarto gritando. — riu. 

— " Tá legal, mas e ai, como é? "

— Os convidados não chegaram ainda, não começou a reunião. Mas irei te ’ conta tudo! — respondeu animado. 

— " É para você aceitar, hein! Você sempre gostou da marca, é sua chance, nem que seja para seduzir o CEO".— brincou rindo e Taehyung fez careta. 

— você é tão desnecessário. — revirou os olhos. 

— " Ah, para. Irei lhe esperar. E com certeza você não tomou café, porque eu te conheço, então coma alguma coisa! "— gritou. 

— Tá, tá. Não vou ficar sem comer, não se preocupe. Agora, preciso voltar, tchau, te amo. — disse sorrindo. 

— " Tchau, também amo você."

Taehyung riu e desligou o celular, antes de entrar, Hoseok estava na porta. 

— que bom que voltou Taehyung! — Hoseok disse, segurando pelos ombros. 

— nossos convidados chegaram? — perguntou, enquanto ele lhe arrastava para dentro da sala. 

— Sim! Finalmente, né? Meu Deus, eu não acredito que vou conhecer ele. — Hoseok riu. 

— deve ser uma pessoa muito importante. — Insinuou. 

— e é! 

Taehyung poderia ouvir as risadas de três pessoas de dentro da sala, entrou na sala com Hoseok ainda segurando seus ombros. 

Seu corpo gelou. 

— Aqui está o meu modelo, Jeon. — Hoseok afirmou. 

Jungkook olhou-lhe e sorriu. 

— isso só pode ser brincadeira. — Taehyung murmurou. 

— Huh? O que disse? — Hoseok cochichou em seu ouvido, mas negou. 

— Não é nada... 

Jungkook se aproximou abaixando a cabeça e lhe deu a mão para comprimentar. 

Taehyung ficou encarando os dedos longos e ossudos do alfa. Levou as mãos lentamente e encaixou na do mesmo. Se arrepiou com o calor vindo dele, saudade do toque, queria poder chorar, e xinga-lo ali mesmo. Encarou o rosto amorenado que tinha um sorriso simples, mostrando a pequena convinha na lateral dos lábios. Sentiu o polegar de Jungkook fazer um pequeno carinho nas costas de sua mão, o que lhe fez afastar rapidamente. 

— É bom lhe ver também, Taehyung. — falou tirando olhares curiosos das pessoas ao redor. 

— vocês se conhecem? — uma mulher que não estava reunida antes, perguntou. Taehyung supôs ser a outra convidada. 

— Sim. É uma longa história. — Jeon respondeu sentando-se. 

— certo. — a mesma arrumou o cabelo para atrás da orelha. — Olá Taehyung, me chamo Jeon Jinhee. — a mesma sorriu. 

"Jeon? , Jungkook casou-se? " Pensou, não evitou em se sentir chateado. Taehyung ao olhar direito para a mulher, enquanto cumprimentava, é a mesma que apareceu em várias entrevistas com Jungkook. Uma beta muito bonita, seus olhos castanhos escuros, igualmente ao seu cabelo longo. 

— Prazer é todo meu. — sorriu simples, separando a mão e voltando a sentar. 

— Ótimo vamos começar! 

Os assuntos começaram com pequenas propostas para Taehyung, já que pela opinião de todos, o ômega é o mais belo das inúmeras pessoas que se candidataram. Isso fez o mesmo ficar com vergonha, mas agradecer com um sorriso aberto e tímido. O que mais lhe deixou desconfortável foi Jungkook lhe olhando e elogiando junto aos outros membros da reunião. E Taehyung pensará como ele poderia ser tão noção em lhe puxar o saco com sua suposta esposa. 

só pode ser esposa... Afinal, Jungkook nunca me disse sobre ter alguma irmã, e em seu dedo tem uma aliança, que sem noção. — pensou, revirando os olhos 

e o que acha Taehyung? Aceita nossa proposta? — o CEO perguntou. 

— ahh... Não sei, eu, preciso pensar. — sorriu nervoso, respondendo com receio. 

— Pensar? — Hoseok arqueou a sombracelha. 

— sim.. Foi muito rápido.. Preciso pensar. — repetiu, olhando ao Jeon. 

— está bem, irei dar-lhe o tempo. — Sun disse batendo o dedo na mesa. 

— obrigado. — agradeceu. 

Terminaram a reunião e Taehyung despediu-se de todos, apenas ficou Jeon na sala, quando iria se retirar da sala junto com as outras pessoas, ouviu a voz tão bem conhecida chamar-lhe :— Taehyung. — Tae parou, junto ao Hoseok, olhando o alfa. 

— eu estou indo. Irei deixar vocês conversarem pessoalmente — Jung segurou o rosto do ômega e sorriu, dando um selar na testa do mesmo. — até mais. — sorriu, se afastando do ômega e olhou ao Jeon, curvando-se. — Até mais senhor Jeon. — e se retirou da sala. 

Taehyung e Jungkook se entre-olharam   em silêncio. 

— O que você quer? — perguntou sem animado na voz. 

— Quero conversar. — respondeu sorrindo. 

— ótimo. Seja rápido. — Taehyung cruzou os braços. 

— Não aqui, vamos á uma lanchonete. — convidou, pegando a maleta. 

— Sério isso?! Diga logo o que quer, eu preciso ir para minha casa resolver meus assuntos Jeon. — o Omega não queria ficar mais nenhum seguindo ali. 

— Você realmente está me ignorando. 

Travou com a afirmação do mesmo. 

— C-Claro que não. 

— Está sim, eu te conheço Tae... Eu preciso falar com você, eu sinto sua falta, eu quero explicar o que aconteceu. Por favor. 

Taehyung olhou de relance aos olhos escuros e grandes do homem que tanto gostou. Abraçou seus próprios braços por cima da camisa social branca e mordeu os lábios. "Eu sinto sua falta" não acredita nisso, não quer acreditar, afinal, quem iria embora por longos anos e voltar assim, sem ao mesmo dar notícias. 

— Esquece... Eu não quero ouvir nada. — sua voz saiu em um fio. 

Iria se retirar, mas não pôde ao ser segurado pela mão. 

— por favor. — Jungkook lhe pediu. 

Seu suspiro agora foi de redenção, apenas concordou com a cabeça, vendo o sorriso grande do alfa. Passou longos anos e nunca mudou, Jungkook continua aquela pessoa insistente, de péssimas palavras, do sorriso que sempre lhe deixou mole por dentro, e a mesma pessoa que foi o ponto fraco de Taehyung, nunca conseguia dizer não a ele. 

— Não quero ir a lugar cheios, vamos para minha casa — Taehyung respondeu, saindo da sala. 

— certo. — Jungkook respondeu sorridente, dando um pulo e andando ao lado de Taehyung. 

Quando ambos chegaram fora do local, Jungkook abriu a porta do seu carro para oferecer carona ao seu amado, mas o mesmo negou mostrando sua chave. 

— eu tenho meu próprio carro. — seu rosto ainda era sério. 

Os dois andaram em seus próprios carros, e foram em direção ao apartamento onde vivem. 

Taehyung queria muito que sua filha esteja na escola e que não precisa dar satisfação agora sobre a menina ao Jungkook, porque com certeza o mesmo saberia que é sua filha, afinal, ele mesmo contou sobre a gravidez e o cheiro e aparência da mesma é parecida com seu segundo pai. 

Assim que pararam o veículo no estacionamento, entraram no elevador. 

O silêncio estava um encomodo, o clima entre os dois é completamente desconfortável para ambos. Jungkook continua sorridente por ver o ômega novamente. 

Ouviram o aviso do elevador ter parado e saíram, seguindo em frente. Taehyung pegou a chave do bolso, e parou na porta, com Jungkook logo atrás. 

— Eu tenho... Visita, espero que não se encomoda — avisou abrindo a porta e dando passagem para ele entrar. 

— De jeito nenhum, a casa é sua Tae. — respondeu. 

Taehyung concordou com a cabeça e pediu para ele o seguir, chegando na sala. Retirou o sapato, ficando apenas de meia, Jeon repetiu seu ato. 

— Eu... Bem, quer dizer, você quer algo para beber? — Kim parou, olhando em volta,  não tinha ninguém na casa? 

— Não, obrigado.— negou — Eu quero começar a explicar logo Taehyung, não quero essa tensão entre a gente. Você sabe que eu-

— Jungkook. Por favor, não diga nada que eu possa querer me arrepender em querer lhe ouvir! — interrompeu. 

— o que seria? Que eu gosto de você? Na verdade, que eu amo você. — foi direto. 

Taehyung está sem reação. Mas riu sem humor. 

— como você pode? — questionou. 

— o quê? 

— "o quê" Jungkook? Sinceramente eu não estou te entendendo. Você me aparece com uma esposa, e depois vem me dizer que me ama depois de oito anos?! Você é sem noção. — não evitou em gritar. 

— calma, ei, "esposa"? Onde você tirou isso? — ficou confuso. Tentou buscar pelas mãos do ômega, mas o mesmo lhe negou o toque. 

Taehyung franziu a sombracelha, confuso, e sentou-se no sofá. 

— aquela mulher.. Hoje? 

Jungkook riu alto, e Taehyung ficou muito mais confuso. 

— Jin Hee? — Tae concordou. — Não, Taehyung, ela é minha irmã. — respondeu. 

Kim sentiu o rosto esquentar, ficou envergonhado com o engano. 

— você nunca me disse que tinha uma irmã... — escondeu o rosto na palma da mão. 

— porque eu descobri uma semana depois de ir para a América. Meu pai me apresentou ela, e me disse que é irmã por parte dele. — concluiu. — Eu nunca lhe trairia. — sua voz saiu baixa. 

Taehyung não evitou em rir um pouco agora, de vergonha e nervoso. 

— Eu não acredito em você, você realmente ficaria oito anos sem fazer nada? — Taehyung questionou indignado. 

— Unhum, eu sou um alfa fiel. — sorriu em flerte. — Eu já disse que amo você Taehyung. — ele se aproximou, ficando em joelhos entre a perna do ômega, e segurou a mão do mesmo. 

— mas... Eu.. — calou-se.

— Você o quê? Não me ama mais? — questionou,olhando nos olhos castanhos e apressados do Kim, com nervosismo. 

Taehyung não sabe. Não quer perdoá-lo ainda. Ele ao menos disse o motivo desse desaparecimento. 

— Não Jungkook... Eu não te amo mais... — respondeu, desviando o olhar. 

— Você está mentindo. Para de brincar. — Jeon riu, mas parou ao ver que o mesmo ainda não disse nada. — Taehyung... Olha para mim. — levou sua mão trêmula até o rosto amorenado, e o puxou com delicadeza para o olhar. Os olhos castanhos estavam brilhando, lágrimas. 

— Você realmente acha que eu iria lhe esperar por oito anos sem saber nada? Jungkook, eu não consegui aguentar um sentimento que só me machucava. — confessou, engolindo as palavras ao ver as orbes do alfa também cheio de lágrimas, ele piscou várias vezes e puxou o ar, se afastando. — e você ainda não me disse, por que me deixou  jungkook? Por quê? 

— Não foi culpa minha. — disse baixo. 

— ah claro que não, foi culpa do seu pai? Vai colocar a culpa nele agora? — Kim riu. 

— Foi, foi culpa dele. Você acha mesmo que eu queria isso? Você sabe muito bem como era meu pai, você sabe o poder que ele tinha sob mim, ele me afastou de você, e droga, eu deixei isso. — falava desesperado, puxando os cabelos. 

— Jungkook... 

— eu odeio tudo isso, odiava ele, odeio o que me tornei. Que droga, eu perdi você. — se lamentou. 

— Jungkook pare... 

O alfa riu sem humor, fungou. Iria dizer algo a mais, mas a porta foi aberta e as risadas invadiu o local. 

Não demorou muito para Jiwoo chegar na sala e olhar o pai e o vizinho no local. Jimin chegou logo atrás junto ao marido e ambos arregalaram os olhos confusos. 

— Taehyung... O que.. - — seus olhos pousaram no rosto do alfa. — Jungkook? O que está acontecendo aqui?! — perguntou confuso. 

— Jungkook? Quando você voltou? — Yoongi questionou. 

— o nome dele é Jungkook? — Jiwoo perguntou. 

— Calma, são muitas perguntas. — Jeon reclamou perdido. 

Jiwoo olhou o homem e sorriu, e Jungkook sentiu o corpo se arrepiar. 

— Você é o Vizinho bonito! Eu disse papai que ele é bonito! — Jiwoo riu animada, apontando o dedo para o alfa, deixando o pai constrangido. 

— Pai? — Jungkook estava mais confuso ainda. — Taehyung você... 

— Jungkook por favor, conversamos outra hora... Agora eu preciso descansar, irei sair com minha família. Entao... Se não for encomodo. — Taehyung o interrompe, segurando os ombros da filha. 

Jungkook levantou as mãos como rendimento e concordou, indo em direção à porta. Yoongi olhou todo mundo e acompanhou o amigo que não via há anos. 

— Jiwoo, vá para o quarto... Tome banho, logo iremos ao parque. 

— Oba! Okey! — em menos de minutos, a pequena Kim correu escada á cima. 

— o que foi isso?! — Jimin questionou indignado pelo que viu. 

— nada de mais... 

— "nada de mais" uma ova! Você vai sim me contar, porque não quero ver você encrencado com esse coraçãozinho ai, Taehyung por favor, não-

— ele... Veio se explicar, mas não terminou tudo. Acho que foi um engano, tudo. — voltou a sentar-se no sofá, jogando a cabeça para trás, e balançou as pernas choramigando, parecendo uma criança ao perder o pirulito. 

— Eu estou perdido com tudo isso. 

— imagina eu?! — suspirou. 

Estava impregnado o silêncio, mas Jimin começou a falar novamente:

— Esta bem! Vamos tirar essa tensão. Vou chamar o Yoongi, que deve ter isso atrás daquele carinha e vamos relaxar em um banho e ir ao parque. Esfriar a cabeça meu amigo. — Jimin se levantou com dificuldade, cutucando a testa do amigo e indo em direção a porta. 

— esfriar a cabeça. — murmurou. 

Realmente precisa disso. 






Notas Finais


E ai, o que acharam? Qual motivo vocês acham que o nosso Kookie foi embora, huh? Deixe o questionamento aiii.
Obrigada pelos favoritos, e os comentários, me deixou muito feliz Aaaaa🌹❤❤
Vocês são de maaaais.

Aqui o link do grupo! Por favor, não me deem vácuo aaaAAaAaaA ;-;

https://chat.whatsapp.com/GgZpX9aHeZEL0GEQJ2YHF9

Fiquem a vontade!! São bem vidas.

E uma coisa muito importante, não sei vocês, mas estou super preocupada com o vírus, então vamos nos cuidar por favoooor. Cuide de suas vovós, irmãos pequenos, e cuidem de VOCÊS, para cuidar de todo mundo.
Obrigada ❤❤

Até o próximo capítulo, me desculpe os erros, estou sem tempo de corrigir aaaa. Não ficou grande coisa, mas foi feito com muito amor e carinho <3
Beijo onde quiserem :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...