História An ômega in my life (Sterek) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Allison Argent, Claudia Stilinski, Decaulion, Derek Hale, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jennifer Blake, Jordan Parrish, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Paige, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski
Tags Amor, Derek, Drama, Romance, Sterek, Stiles, Teen Wolf
Visualizações 621
Palavras 4.377
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drabble, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah! 💙❤️
Vorrteeiii!

Demoro mais chego! 😂😂😂😂😂
Não tenho muito o que falar já que vcs sabem o pq tô demorando, é difícil trabalhar, estudar, terminar os animes e escrever 😓😬 Maaaasss, eu consegui terminar esse cap imenso.

Eu não revisei o capítulo, muito provavelmente vcs vão achar erros e me perdoem de coração por isso, é que eu estava ansiosa para postar e sabia que não podia demorar mais 😘❤️

LEIAM AS NOTAS FINAIS💙


Boa leitura ❤️

Capítulo 12 - Capítulo X - Parte 1


Fanfic / Fanfiction An ômega in my life (Sterek) - Capítulo 12 - Capítulo X - Parte 1

Capítulo X - Parte 1

Quem quer que fosse que estivesse vindo em ofensiva contra a matilha Hale deveria estar subindo com muita força e vontade, mas o líder já imaginava quem seria, achou que a investida tinha demorado tempo de mais para acontecer. Precisava se preparar e acabar de vez com aquela maldita escória que insistia em querer atrapalhar sua vida.

- Deucalion. – Derek rosnou ao olhar para um dos mensageiros que corria até ele. – Ele deve querer você.

Stiles sentiu o mundo rodar.

- Oh, céus. – Murmurou segurando com ambas as mãos o braço do alfa.

Joshua e Scott apareceram de um dos lados sendo guiados por Isaac, pareciam tão atônitos e afoitos quanto qualquer um dos outros membros da matilha. Stiles notou que antes mesmo que parassem, ambos os olhares se pregaram nas mãos dos dois unidas e a forma como Derek se projetava com o corpo na intenção de esconder o ômega, mas nenhum deles disse coisa alguma. Achavam que aquela era uma situação que poderiam resolver se saíssem vivos daquilo.

 - Preciso que os idosos e crianças sejam mantidos num lugar seguro e todos que possam lutar se agrupem em equipes separadas. – Derek olhou para Stiles e depois encarou Malia que tinha acabado de chegar. – Onde está Lydia?

- Ajudando os outros a se abrigarem na cabana de Deaton.

O líder balançou a cabeça, precisava ficar a par do que estava acontecendo ao redor da matilha, mas antes disso tinha que colocar Stiles em segurança, se fosse mesmo a matilha de Deucalion querendo uma briga, o ômega não podia estar desprotegido. Se virou para o castanho e segurou seus ombros com força olhando atentamente dentro dos olhos âmbar amedrontados.

- Preciso que vá ficar com Lydia, vou mandar que alguns homens fiquem com você e os outros, não saia de lá nem que seja obrigado, entendeu? – Antes de confirmar o castanho ainda deu uma leve olhada para os irmãos, ambos encaravam fixamente os dois, olhares sombrios, mas silenciosos. Derek lhe deu uma leve chacoalhada. – Entendeu?

- Eu... Entendi. – Sussurrou. – E você?

O alfa o soltou, endireitou os ombros e assumiu uma pose de líder-alfa, que ele conhecia tão bem, olhando por sobre o ombro. O som do berrante foi ouvido novamente, o inimigo estava ainda mais perto.

- Eu vou lutar. – Olhando para o lado, fez um gesto com a mão para o cachorro negro, passou uma mão apressada por seu pelo e se abaixou. – Quero se fique com Stiles, não o deixe de modo nenhum, entendeu?

O ômega podia jurar que Black parecia entender cada palavra e quando foi empurrado em sua direção não se deteve em se esfregar minimamente nas pernas bambas do castanho.

Stiles olhou os irmãos mais uma vez.

- E vocês?

- Vamos ficar, Derek deve precisar de ajuda.

Scott arregaçou as mangas da camisa.

- Vá se abrigar Sti e não saia de lá, lembre-se que você odeia sangue.

Por alguns segundos o ômega ficou encarando os irmãos até ser direcionado para a maior cabana da matilha, não se conteve em olhar para trás e contemplar os três homens que caminhavam numa direção diferente da sua e que o fazia temer pelo futuro e suas consequências.

(...)

- Quero todos os flancos protegidos e cada grupo de prontidão em um ponto. – Derek ordenou em alto e bom som. – O restante vem comigo. Protejam uns aos outros, lutem como um só, vinguem-se, estraçalhem... Não tenham dó de mandar cada alma aos salões de Plutão!

Gritos de concordância e bravura foram ouvidos antes que cada alfa, beta, homem ou mulher, saíssem correndo em direção ao seu ponto designado. O líder passou os olhos pelos lados, viu Ethan, Liam, Jackson, Aiden, Jennifer, Allison, Jordan, Peter, Matteo, Vinny, Kira e mais quatro homens, além dos dois Stilinski, esperando suas ordens, se admirou que o alfa de olhos ônix e postura rígida quisesse permanecer por perto.

Mas não questionou, reconhecia em Matteo um excelente lutador.

- Allison e Aiden, reúnam mais alguns homens e façam a segurança dos que estão na cabana de Deaton. – Com um balanço de cabeça viu os dois saírem apressados e olhou para o restante do grupo. – Vamos.

Segundo o menino trazendo a mensagem dos homens que faziam a patrulha e que tinham tocado o sinalizador, Deucalion liderava um grupo maciço vindo do norte, provavelmente mais de cem guerreiros, todos reunidos e centralizados ao redor do seu líder, marchando contra os Hale, aparentemente num desafio dentro das regras entre as matilhas, jogo limpo. Mas aquele desgraçado não agia de forma limpa, muito menos avançaria numa ofensiva contra os Hale se não tivesse certeza de que venceria, por isso Derek tinha distribuído grupos de homens para se posicionar e impedir que fosse pego num segundo ataque por suas costas.

Conhecia Deucalion, sabia como sua cabeça funcionava e por precaução tinha enviado Aiden e Allison. Precisava manter os idosos, ômegas e as crianças seguras, evitar qualquer possibilidade de chagarem a Stiles e dar um basta na ameaça do inimigo, estava farto. Respirou fundo passando os olhos uma última vez pelas pessoas correndo de um lado ao outro, tentando identificar aquela sensação de que tinha se esquecido de alguma coisa.

Foi ladeado por Scott e Joshua na esquerda e Peter na direita, o trio respirando fundo e prontos para qualquer coisa que estivesse por vir.

- Esse é o cara né? – Scott se virou para o outro alfa. – O que sequestrou meu irmão?

Derek estralou o pescoço.

- Assim que o ver vai reconhecê-lo.

Dizer que não estava preocupado e apreensivo seria um mero eufemismo. Sabia que tinha se fortalecido nos últimos anos, sabia que sua matilha era forte e que lutariam até que desfalecessem, mas ainda sim, era a mesma matilha que levou a morte da sua mãe e família, foi Deucalion que matou Paige, ele, o maldito que não deveria nem respirar mais. Não deixaria que tomasse mais nenhuma vida dos seus e muito menos que pusesse as mãos imundas em Stiles.

Se antes já não permitiria, depois de ter partilhado o que partilhou com o ômega , da forma que o teve em seus braços, jamais deixaria que Deucalion se aproximasse em mais de dez metros de Stiles. Nem que sua vida dependesse disso. Já havia perdido uma vez e não estava disposto a perder novamente. Esperou muito tempo para que aquele acerto de contas acontecesse, deixou que o tempo trouxesse o infeliz até diante de si, por que sabia como ele era, a ganância dentro de si o deixava louco por sempre querer mais e mais.

Essa seria a sua destruição.

- Ninguém se move sem uma ordem minha, entenderam? – Perguntou ao saírem dos limites da matilha e encarar cada um dos que o seguia.

Quase noventa homens e mulheres, o restante estava posicionado ao redor da matilha e com os olhos bem abertos no caso de alguma surpresa, dentre eles quem realmente o preocupava eram os dois alfas estrangeiros, que ele não poupou de acompanhá-lo já que imaginava que iriam querer vingança caso houvesse um confronto de fato. Eles se olharam antes de balançar a cabeça com certa resignação.

- Tudo bem, desde que eu possa arrancar a cabeça dele. – Joshua murmurou.

Scott concordou, não por que queria obedecer a um alfa desconhecido, mas porquê sabia de alguma forma que aquela era a sua oportunidade de se livrar da maldita consciência pesada e matar o maldito que havia dado inicia aquilo tudo.

Podiam ver ao longe, caminhando entre as árvores o grupo imenso do inimigo, cem homens e mais uma dúzia e meia de mulheres, podia ver alguns jovens de mais para lutar, mas que mesmo assim empunhavam armas e marchavam confiantes contra os Hale. Derek sabia que Deucalion não tinha apenas aquela quantidade de lutadores, faltavam ainda algumas dezenas, duas ou menos, e essa confirmação deixava claro que o homem tentaria algo muito sujo.

Era óbvio que tentaria. Sem se importar em tirar os olhos dos que vinham à sua frente, o alfa se virou para Liam.

- Vá avisar Aiden que uma possível emboscada está vindo, que ele fique atento.

O beta balançou a cabeça e saiu em disparada, os olhos dos irmãos de Stiles o seguindo.

- Conhece esse alfa? – Scott perguntou encarando com os olhos estreito o grupo se aproximar.

- Mais do que gostaria. – Murmurou cruzando os braços.

De fato, assim que puseram os olhos em Deucalion, souberam quem era ele. Imediatamente seus pelos se eriçaram e cada músculo dos seus corpos se tencionou na expectativa de uma luta e vingança serem alcançadas nos próximos minutos. Apesar de um embate ser algo que acabaria causando baixas em ambas as matilhas, Derek também esperava conseguir atingir seu punho na cara de Deucalion tanto quando pudesse e no fim mandá-lo para ser julgado no submundo por cada maldita maldade que já havia feito em vida.

No inicio, a arrogância e prepotência de Deucalion o deixava embasbacado, mas conforte o tempo passava e suas dores o deixavam pensar com clareza, o alfa percebei que o maldito não tinha limites, não havia nada que o fizesse se tocar que estava absolutamente errado e que as consequências dos seus atos viriam em algum momento. Então, depois de cinco anos, dez meses e quinze dias sem ver o desgraçado, ali estava ele, parado na sua frente, tão poucos metros os separavam, com um sorriso presunçoso no rosto.

Seu sangue esfriou. A parte animalesca guardada a sete chaves dentro de si ameaçou as barreiras das grades que a prendia, queria sair, quebrar cada osso do corpo de Deucalion com ele ainda respirando e olhar em seus olhos enquanto pronunciava o nome de cada um dos que ele havia retirado de seus braços. Derek nunca tinha lutado diretamente com ele, quando emboscou Paige o alfa estava na matilha seguindo ordens de Thalia e quando atacou a matilha, no segundo gesto leviano, ele estava debilitado e sofrendo por sua perda.

Deucalion não conhecia sua força, mas passaria a ter ciência do que era pisar no território dos Hale pela terceira vez e o afrontar. Se viu com o maxilar travado e cada pedaço de si o empurrando para dar um basta em toda aquela palhaçada, sua irritação cresceu ao pensar que as coisas estavam voltando a dar certo, Derek tinha decidido que iria viver, deixaria toda e qualquer dor para trás e seguiria em frente, poderia ter Stiles e a partir disso construiria um futuro para ambos. Mas então, quando tudo voltava a se resolver, o vento do inverno não parecia tão frio e seu coração conseguia distinguir cores diferentes do usual preto e branco, o mesmo homem que destruiu sua vida uma vez aparecia querendo repetir a dose.

- Derek Hale, há quanto tempo. – Sua voz fez com que um rosnado escapasse dos lábios de cada um dos alfas à sua frente.

- Como ousa pisar nas minhas terras e vir até aqui Deucalion? – Autoridade, sua voz pingava autoafirmação, quem quer que ouvisse aquele timbre teria certeza que se tratava de um alfa forte e destemido.

Se ele estivesse prestando atenção teria notado que, pelo menos, duas ou três dúzias dos homens que seguiam Deucalion trocaram o peso de pé, duvidosos. Derek não era mais o menino arrogante e sem miolos que havia provocado quem não devia. Tinha passado a medir consequências, analisar planos e sabia que se em algum momento tivesse a chance de vingar todo o mal que haviam lhe feito, ele abraçaria a oportunidade como um velho amigo.

Então ali estava ela.

- Você tem uma coisa que me pertence.

Um rosnado baixo e ameaçador veio de Scott, Joshua tinha um sorriso cínico, mas por trás de toda a pose ele fervia, céus, imaginava cada membro do alfa desgraçado sendo arrancado com a fúria das suas mãos, Peter e Isaac os observava de perto, apenas um segundo era necessário para que atravessassem aqueles dez metros e se afundassem numa briga mortal. Derek olhou de relance para os irmãos de Stiles, ambos pareciam estar sendo segurados por uma força invisível, os cheiros era uma mescla de ódio e vingança queimando por todos os lados, mas ainda continuavam parados, respeitando o alfa, respeitando a ele.

- Não há nada para você aqui.

O sorriso no rosto de Deucalion morreu, ele assumiu um olhar sério e compenetrado.

- Quero meu ômega, o terei nem que tenha que arrancá-lo dessa matilha. – Rosnou.

Derek sempre soube que haveria uma briga, mas naquele instante, quando ouviu a frase possessiva vinda do desgraçado sentiu sua ira triplicar e jurou, pelo sangue dos ancestrais que corria em suas veias, que Deucalion não sairia das suas terras vivo. Mas então, quando estavam prontos para iniciar uma briga feroz, Deucalion deu um passo para o lado e o grupo que o acompanhava se abriu revelando duas outras pessoas amarradas e amordaçadas.

Não estavam machucados, sujos e aparentemente cansados, mas sem um arranhão que pudesse ser visto, apesar de o homem não se sustentar de pé, levando ele a mulher ao chão assim que foram soltos pelas mãos dos dois alfas que os mantinham eretos.

Os olhos se arregalaram diante do cenário a sua frente e ambos os prisioneiros gritaram, o som foi abafado, mas mesmo assim chegaram como agulhas na espinha dos dois Stilinski. Só então os dois tiveram que ser segurados.

Diante da reação dos dois alfas e da semelhança daquela mulher, os cabelos e a forma do rosto. Por Júpiter e todos os deuses juntos, que ele se perdeu no que teria que fazer. Com os olhos arregalados ele encarou Joshua e Scott que eram mantidos no lugar por Peter e Isaac, ambos tão ferozes e cheios de raiva que destroçariam qualquer um se fossem libertados.

Eram seus pais.

Eram os pais de Stiles.

- Você não sabe onde está se metendo Deucalion. – O avisou tornando seu olhar ainda mais mortal. – É melhor soltá-los...

O alfa de olhos sombrios gargalhou caminhando e se abaixando ao lado da mulher.

- Ora, não foi tão difícil pegá-los, estavam naquela velha cabana sem graça, sozinhos, já que todos os filhos tinham ido embora... – A provocação causou uma onda de rosnados e movimentos em Joshua enquanto o irmão olhava tudo com uma fúria concentrada. - Não é, Claudia?

Scott teria avançado com toda a sua força e, mesmo sabendo que machucaria Isaac, teria se libertado, mas seus olhos se focaram nos azuis do pai, ele tremia, estava curvado e, muito provavelmente, deveria ter tomado uma surra. Mas ainda sim encarava o filho com uma seriedade contida, parecia falar com ele.

- Eu quero o ômega, poderá ficar com esses dois se quiser. – Deucalion cuspiu ignorância.

Com os olhos cravados nos do filho, John movimentou a cabeça.

Não.

Scott perdeu os eixos por um momento. A respiração ruidosa, Joshua se balançava querendo sair e Derek rosnava encarando o inimigo com uma fúria que deixaria até o mais destemido dos deuses preocupado. Mas o primogênito dos Stilinski continuou parado, encarando o pai que não deixou de olhar em seus olhos por um segundo, apenas para ter certeza de que o filho tinha entendido o que fazer.

- Não. – Disse quando encontrou sua voz e se virou para Derek. – Sem troca, proteja Stiles.

- Porra... – Joshua murmurou parando a tentativa de escape e encarando o irmão.

Certo. Ele não sabia o que fazer, reconhecia que jamais entregariam Stiles, mas também sabia que não poderiam deixar que John e Claudia estivessem mais um dia nas mãos daquele homem. O que chocou foi a resposta firme do irmão, a forma com que se recuperou de um modo estranhamente rápido.

Derek balançou a cabeça confirmando. Não haveria qualquer troca, mesmo que o próprio Derek tivesse que conter os dois e acorrentá-los, não deixaria Deucalion encostar mais um dedo que fosse em Stiles e também não permitiria que os pais do ômega sofressem mais um arranhão. Mas era bom saber que pouparia esforços com a concordância de Scott, mesmo não precisando dela.

Deucalion bufou rindo.

- Você me conhece Derek, te venci duas vezes e nem precisei encostar um dedo em você, o que acha que posso fazer agora que te tenho em minhas mãos novamente?

O alfa juntou as sobrancelhas.

- Você matou toda a minha família, dizimou com pessoas boas apenas porque queria expandir seu maldito território, isso não é mérito. – Fechou o punho com força o suficiente para todos os dedos estralarem. – Se acha que vai sair das minhas terras com Stiles ou ao menos andando, está redondamente enganado, por que eu sou Derek Hale e o meu rosto será a última coisa que verá nessa terra.

Deucalion ia rir, mas não o fez, justamente por sentir o peso daquelas palavras e o impacto que tiveram em seus homens, a brisa fria que soprava enquanto subia ao encontro da matilha, que mantinha escondido o precioso ômega, parou de movimentar as folhas, o barulho da floresta tinha cessado e isso o fez olhar brevemente ao redor. Derek sabia o que ele estava procurando e se preparou, ele tinha a mesma sensação, parecia, ainda que fosse louco pensar, que os próprios deuses tinham parado para ver aquela disputa.

(...)

Silêncio.

Os filhotes estavam todos reunidos com os idosos num dos cantos da cabana. Melissa auxiliava a ômega que tinha acabado de ter seu bebê, Lydia dava água para uma menininha que chorava pela mãe e Stiles segurava um menino de cinco dias nos braços trêmulos sentindo o focinho morno de Black tocar em sua perna.

O animal estava deitado ao seu lado, obedientemente em silêncio e de olhos abertos, como foi instruído de não sair.

Ele queria saber o que estava acontecendo, sentia nas tripas a ansiedade e isso não era nada confortável. Sua mão descia e subia batendo confortavelmente na coxa do pequeno enquanto seus olhos percorriam cada pessoa dentro da cabana, se sentiu estranho sem poder fazer nada, olhou para o vão da porta onde Malia estava com Aiden, Theo e mais alguns homens de olhos abertos e atenção voltada para qualquer movimento suspeito.

Se colocou de pé e caminhou até estar próximo a alfa e poder obter resposta.

- Malia? – Sussurrou.

Ela se voltou com uma careta.

- Ninguém pode sair, principalmente você, podemos ser atacados a qualquer minuto. – Ela olhou em volta e depois encarou o ômega. – Derek acredita que vai ter outra ofensiva além daqueles que estão com Deucalion.

Ele arregalou os olhos apertando a criança com um pouco mais de força do que o necessário e vendo o bebê se remexer nos seus braços.

- Pelos deuses! – Espiou pela fresta da porta tentando ver se havia algum tipo de movimento. – Por isso está tão quieto?

Liam passou a cabeça pela porta e encarou o castanho, mas antes que pudesse pronunciar qualquer palavra o som da batalha soou alto e potente, fazendo com que a grande maioria das ômegas e filhotes ali dentro se encolhessem. Os idosos as embalavam e cantavam velhas cantigas na intenção de distrair os pequenos do que realmente acontecia do lado de fora. Urros eram grutais, o choque de corpo contra corpo e de metal contra metal, xingamentos e frases obscenas, mães e pais eram ofendidos com palavras desonrosas e, mesmo que pudesse parecer impossível, o ômega podia jurar que ouvia a carne ser cortada e o sangue escorrer.

Sentiu um arrepio na espinha quando imaginou que no centro de todo aquele horror estavam Derek e seus irmãos, lutando contra um monstro impiedoso e sem escrúpulos, que o queria ainda por cima. Pelos deuses... Quando se livraria de todo aquele carma de perseguição e horror?

Viu Jordan arrastar Liam para dentro e colocá-lo na guarda da porta dos fundos juntamente com um alfa que se chamava Mallo, o castanho viu a careta de um companheiro para o outro e os protestos do beta ao ser deixado.

- Eu não sou uma criança, sei lutar como qualquer um! – Rosnou segurando o braço do companheiro. – Não ouse se colocar em perigo e me deixar aqui dentro!

Jordan o olhou nos olhos, o rosto vermelho.

- Não podemos correr o risco, sabe muito bem o que aconteceu da última vez que Deucalion atacou a matilha. – Num gesto sutil tocou o peito de Liam e então fechou os dedos sobre a camisa. – Dessa vez você fica.

O loiro bufou.

- Eu não morri, posso muito bem...

- Se você morrer, eu morro. – As palavras foram ditas com determinação. – Fique.

- Céus, homem! – Rosnou segurando com força a mão que ainda estava agarrada à sua camisa. – Volte com um arranhão, que desejará ter morrido na batalha.

Stiles observou a pequena disputa e sentiu seus músculos doerem quando perdeu a capacidade de respirar corretamente. Toda a matilha estava lutando, se arriscando, apenas por que ele era alguém que despertava a ganância dos alfas. Por que Deucalion era ambicioso o suficiente para deixar que pessoas inocentes de ambas as matilhas fossem mortas por um desejo pessoal inconcebível.

A batalha parecia ter se espalhado por todos os lados, num frenesi de gritos e golpes. Stiles tentou chegar até onde Lydia estava sem tropeçar em ninguém ou acordar o filhote, precisava fazer alguma coisa, se manter conversando ou até mesmo poder surtar com um conhecido, já que se permanecesse onde estava ouvindo o que acontecia do lado de fora teria um aneurisma.

- Você está pálido Stiles. – Melissa comentou quando fixou os olhos nele. – Dê o filhote para Liza e se sente, sim?

O ômega balançou a cabeça, mas não se negou a entregar a criança.

- Precisam de ajuda?

A mulher suspirou se colocando ereta e olhando o jovem.

- Não há muito que fazer, precisamos ficar calmos e esperar que tudo se resolva. – Stiles notou que ela não falava aquilo especificamente para ele e sim para a ômega que bebia uma caneca de água num único gole. – Tudo ficará bem.

Lydia estava sentada ao lado de uma senhorinha, ela segurava com força um taco de basebol e se negava a dar o objeto para a ruiva acenando com força negativamente. A idosa não precisaria necessariamente largar o taco, precisava apenas aceitar o chá que lhe era estendido e se acalmar parando de tremer e insistir que deveria estar lutando. Ao ver a ruiva suar frio e tencionar os lábios, Stiles se abaixou e olhou para a mulher de anos avançados e sorriu tentando parecer carinhoso.

- Está tudo bem com a senhora?

A velhinha o olhou parecendo exasperada.

- Nossa matilha está sendo atacada, acha que estou bem? – Ela apertou ainda mais as mãos ossudas contra o taco. – Queria eu estar lá fora e poder ajudar a defender a minha família.

Ele inclinou a cabeça com os olhos estreitos.

- Eu também queria poder estar lá fora lutando.

- Você? Mais é um ômega! Apesar do meu filho parecer gostar muito de você. – Riu com certa fragilidade.

Stiles encarou Lydia numa pergunta silenciosa, de quem a mulher estava falando? A ruiva deu de ombros pouco modesta antes de murmurar “Matteo” e receber um olhar da senhora.

- Sabia que não sou surda, não é minha jovem? – E então, como se desistisse da ideia de se levantar e bancar a amazona, ela apenas deixou o taco de lado e estendeu as mãos para a caneca de chá. – Ah, me dê isso logo, vou congelar e não posso esquentar meu sangue no campo de batalha, que lastima...

Continuou murmurando incoerências ao bebericar o liquido turvo e que já deveria estar morno. Ela não parecia ser demente ou estar com a mente em estado letárgico, era apenas uma senhora que o tempo havia passado e lhe deixado de certa forma fragilizada. Quando o ômega fez menção de se levantar e seguir o caminho de volta para onde Black estava deitado, com os olhos azuis fixos em si, Stiles sentiu os dedos aquecidos da idosa segurar seu pulso com força.

Bem, pelo menos firmeza ela ainda tinha.

- Me chamo Odette, - Empurrou o taco em sua direção com o dorso da mão que segurava a caneca. – fique com isso, pode precisar mais do que eu.

Ele abriu a boca para recusar, mas acabou cedendo, seria uma boa coisa para sua paranoia se firmar de que teria algo para tacar na cabeça de algum homem de Deucalion, caso eles aparecessem. Com um sorriso pequeno se levantou, a mão firme no cabo de madeira sentindo seu peso e testando calmamente se teria a capacidade de movê-lo caso necessário. A parafernália do lado de fora o fazia temer pela segurança dos seus. Principalmente por Derek, ele já havia sofrido tanto, perdido coisas que nunca poderia reaver.

Ele não podia se machucar. Sua mente não conseguia imaginar a possibilidade de que poderia perdê-lo antes mesmo que tivessem a oportunidade de ter alguma, ainda não se conheciam completamente, não tinham partilhado mais do que sentimentos conflitantes e poucos toques. Precisava de mais, por Júpiter que precisava sentir o calor do toque do alfa, seu cheiro e seu gosto, céus, precisava dos beijos dele. Não sabia dessa necessidade antes de tê-la experimentado, mas uma vez sentida, seria impossível se ver sem.

Seu coração estremeceu pela linha de pensamentos que cruzava sua mente. Não podia pensar assim, mesmo que fosse impossível imaginar outra coisa já que o tinham trancado dentro daquela cabana como alguém frágil e indefeso, ele não era indefeso, tinha até mesmo quebrado o nariz de Peter com uma cabeçada! Queria poder fazer algo mais do que conversar com velhinhas e segurar filhotes, era por sua própria liberdade que estavam lutando.

Ele devia participar!

Estava se aproximando de Black quando ouviu seu rosnado baixo. Stiles estreitou os olhos achando que o animal o tinha estranhado, mas no segundo seguinte o cachorro se colocou de pé e passou a rosnar baixinho olhando para a parede, onde minutos atrás ele estava encostado. Sua mão se firmou no bastão e, por puro instinto, sugou o ar.

Stiles sentiu muita coisa. Fraldas sujas, xixi, medo, apreensão, ansiedade, revolta, sangue e um cheiro podre, leve, tão sutil que passaria despercebido por muitos, mas ele sabia que se havia algo aguçado no seu corpo, era seu olfato, então, quando levantou um braço pedindo atenção, ele sabia muito bem o que Black tinha notado.



Notas Finais


Aaaah! Tô roendo minhas unhas! 😢😢 O QUE SERÁ QUE VAI ACONTECER?!

Der, quebra a cara dele! Imediatamente 😒👌

Hihihihi, vcs sabem que eu escrevo muito né?
(Quem viu o prólogo pela primeira vez deve tá me achando uma tremenda enganadora né? Ksksksksksksksks)

Mas vamos lá...
Okay, deixar eu dizer uma coisinha. Esse capítulo originalmente estava com quase 8 k por isso eu dividi (E eu ainda tô ajeitando a segunda parte, colocando umas coisas e adicionando cenas, então ele vai ficar um pouquinho maior!) Como dividi o cap, a segunda parte vai sair no domingo a tarde ou durante a noite, não posso prometer o horário, MAS SAI NO DOMINGO!

Isso eu posso prometer😂😂😂

Agora me digam, façam suas teorias, apostem no que vem por aí, mortes, traumas e reencontros...!

Comentem, amo responder aos comentários❤️😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...