1. Spirit Fanfics >
  2. Anata no mondai wa nandesuka? >
  3. CAPITULO 80: Um olhar vazio...

História Anata no mondai wa nandesuka? - Capítulo 80


Escrita por:


Capítulo 80 - CAPITULO 80: Um olhar vazio...


# Jin-ho *Yusuke

O escritório de Sakura Mui ficou brevemente em silêncio, pois todos naquele local tentavam processar o que a mulher tinha dito, principalmente Jin-ho que caiu sentado em uma poltrona próxima incrédulo.

# "C... Como assim?! eu tinha certeza que aquela moça arrogante era a responsável.." Mentalizou colocando a mão sobre a testa, enquanto a sua chefe tentava conter as lágrimas.

Então Uchida foi em direção a ela, e começou a preparar mais um copo de água com açúcar, afinal o mesmo nunca tinha visto a sua superior naquelas condições, de fragilidade e tristeza...

- Se acalme... - Murmurou, entregando o líquido doce.

E mais uma vez, Sakura voltou a chorar se debulhando em lágrimas, com o copo de água em mãos, e o olhar de seus subordinados voltados para ela.

"Eu sinto muito..." Essas palavras percorreram a sua cabeça, trilhões de vezes naquela madrugada.

Neste instante yusuke que estava próximo do sul coreano olhou para ele, de cabeça baixa em silêncio, com a mão sobre a testa, apoiando aqueles fios de cabelos negros, e depois para os demais perdidos na situação, até que a sua íris azul atravessou o estado deplorável daquela mulher preocupada e arrependida.

* "O que você quer fazer?"

# "Eu quero salvar o Kei!"

* "Se é isso que você quer, não fique sentado  como se tivesse perdido o rumo, por que eu jamais vou deixar algo assim abalar o seu coração"...  A aura dominante, tinha ficado mais forte do que nunca, e sem pensar duas vezes o loiro foi na direção da mulher.

* - Se você está arrependida de algo, pode dizer isso a ele pessoalmente, por que continuar chorando não vai trazê-lo de volta, então. - Neste instante yusuke levou a sua mão no queixo da moça, e forçando para cima fez ela olhar bem dentro dos seus olhos cristalinos.

* - Então começe a contar exatamente o que aconteceu... - Essa atitude deixou todos dentro da sala de boca aberta, e ao mesmo tempo fez Sakura cair na real, Pois todos estavam ali para ajudar, e só poderiam fazer qualquer coisa, quando tudo estivesse claro para eles.

- Você... tem razão... eu vou contar o que aconteceu, então por favor ouçam....

°

°

°

Naquela noite o clube fechou com um clima ruim, graças a pequena confusão com a mulher de vestido branco, Hani Mably lá Blanc, e isso fez com que Sakura questionasse a sì mesma sobre a profissão de Kei dentro do seu estabelecimento, pois essa não seria nem a primeira nem a última vez que o jovem passaria por isso, ou lidaria com pessoas estranhas devido a posição de hoster.

E a medida que os dias foram passando isso foi ficando casa vez mais claro para ela, principalmente depois da atitude do Sul coreano em afrontar aquela decisão descabida, então sem mais delongas, ela esperou seu sobrinho se despedir de Jin-ho depois do incidente, e chamou o rapaz para uma conversa no salão principal do clube.

- Sente-se.. nós precisamos conversar! - Disse ela se acomodando em uma cadeira, e assim o  menino obedeceu sem entender direito.

- E.... Eu sinto muito por hoje tia! - Afirmou cabisbaixo, já imaginando a possível bronca que iria tomar.

Mas a situação era um pouco mais profunda do que isso, e como uma tempestade de concreto aquelas palavras secas resoaram contra os ouvidos dele.

- Eu vou suspender as suas atividades dentro do clube. 

" O que?! "

Essa frase foi um choque pro ruivo, que rebateu no mesmo instante com os olhos arregalados.

- M... Mas tia eu... eu já disse que sinto muito não vai acontecer de novo! - Um sorriso desconfortável se formou nos seus lábios finos.

Até que ele percebeu que a sua tia continuava séria, e não parecia estar brincando ou lhe dando uma simples bronca pelo ocorrido.

- Eu já tomei a minha decisão... não vou permitir que você continue trabalhando aqui, em vez disso você deve estudar, tenho certeza que é isso que a sua mãe quer! 

Neste instante Kei fechou o punho e bateu sobre as suas coxas respondendo.

- Eu já te devo muito.. e não pretendo ficar nas suas costas como um sanguessuga.. se eu não posso ajudar como um hoster, me ponha como garçom ou pra limpar os banheiros! 

" Eu não quero ser um fardo, e também não quero ficar distante do pessoal... do Uchida e do Jin-ho senpai..." O semblante do rapaz ficou triste, enquanto a cabeça dele parecia estar distante.

Ver o seu sobrinho com aquela expressão cortou o coração da mulher, mas ela já tinha tomado a sua decisão, e caso o menino fosse o seu filho, não era esse o futuro que ela iria querer para ele.

"Você é tão bonito, tão jovem, prefiro mil vezes te dar a oportunidade de ser alguém, por que hoje eu vi como fui irresponsável", a mesma estava se referindo ao incidente.

- Eu já disse que as suas atividades no clube acabaram... e o melhor pra você é estudar e se tornar alguém pra sua mãe se orgulhar, não um garçom que serve mesas, ou um acompanhante... - insistiu Sakura.

E no mesmo instante Kei se levantou da cadeira alterado...

- Não sei por que você fica falando dessa mulher... quando sabe tanto quanto eu que ela me jogou fora... - Sua voz soou fria, e Sakura não mediu esforços para defender a irmã na mesma hora.

- N... Não diga isso, a Himiko é a sua mãe! e ela só quer o melhor pra você! 

- O melhor pra mim ou o melhor pra ela? por que o meu padrasto  parece ser mais importante... - O japonês mudou da água pro vinho, como se esse assunto fosse a sua ferida mais profunda.

- Kei não diga isso... - Sakura também se levantou da cadeira ficando frente a frente com o menino, e ele continuou.

- Tão importante, que a minha "mãe" não pensou duas vezes em me jogar pra você tia, e agora o que sobrou foi um peso morto pra você ser responsável.

- Ryota.... pare...

- Ou então pra você jogar fora também....

- Ryoota pare! - Gritou.

(Claaap....) , Neste instante a mão de Sakura acertou o rosto do garoto, e o som do shoque percorreu o salão, seguindo de um silêncio momentâneo e doloroso.

Foi então que a mesma colocou a mão sobre a boca, e tremendo Sussurrou.

- Eu ... Eu sinto muito, me desculpe... 

Já Kei, ouviu as palavras da sua tia, e com o rosto vermelho, sorriu para ela, com as pálpebras fechadas, e a expressão doce dele, dando as costas logo em seguida e sumindo pela entrada principal do sakurai....

°

°

°

- E foi isso que aconteceu... Por minha culpa ele... foi embora... por que eu sou uma tia horrível, e acabei batendo nele... - Sakura contou a todos o que tinha acontecido, com os olhos avermelhados de tanto chorar, pois a mesma estava extremamente arrependida de ter dado aquele tapa...

E de fato ela não devia ter feito aquilo, mas a coitada também era humana e ficar entre os problemas de família nao era uma tarefa fácil.

# - Não chore mais... ele vai voltar, por que eu vou trazê-lo de volta. - Pronunciou Jin-ho se levantando da poltrona na mesma hora, e dando um sinal para yusuke, que se direcionou a sua esposa.

- E.. Eu vou com vocês! - Gritou a mulher, que foi cortada na mesma hora.

# - Não é necessário... Uchida.. e os demais fiquem com ela, eu voltarei logo, por que ele não pode ter ido muito longe. 

- Pode deixar! - Respondeu Uchida, confiando essa tarefa ao melhor amigo, que saiu pela porta em seguida acompanhado do seu "guarda costas".

----------

Enquanto isso, Kei Ryota parecia anestesiado caminhando sozinho pela madrugada, como se a sua alma estivesse distante dali, tão distante que o mesmo não parou de caminhar por cerca de uma hora e meia...

"Eu me sinto um pedaço de lixo descartável.. por que por mais que eu tente dar o meu melhor... ela me joga fora.... foi sempre assim desde que eu era pequeno."

- Kei... a sua tia concordou em te hospedar em Tokyo... e eu quero que você vá, por que a relação entre você e o seu padrasto não pode continuar como está, e eu não quero desistir do meu casamento, então prepare as malas.....

"Dói...", Os olhos puxados do garoto, estavam vazios, e ele continuou perambulando até que três homens o pararam na calçada, todos com uma expressão maliciosa.

- Ei garoto! o que está fazendo sozinho a essa hora einm? - Perguntou um deles, com um sorriso duvidoso no rosto, olhando o menino de cima a baixo.

- "........" - E o ruivo se manteve em silêncio, enquanto o homem passava o braço por cima de seus ombros, e os demais jogavam piadinhas.

- Acho que ele é mudo, ou então não confia na gente hahaha. 

- Não digam isso, afinal somos caras tão legais, e eu vou demostrar para ele! - Retrucou o homem que se apoiava em Kei.

Então o mesmo se aproximou do ouvido do garoto, e com uma voz doce Murmurou.

- Seu rosto é bonito hmm... do tipo que me faz querer te pagar uma bebida, o que você acha? - Os olhos de ambos se cruzaram.

"Eu não bebo álcool... Há Dane-se" Mentalizou respondendo.

- Ok.....- O olhar dele tinha ficado tão vazio, que os batimentos cardíacos praticamente ficaram em silêncio...








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...