1. Spirit Fanfics >
  2. And If I Remember? >
  3. ...Five...

História And If I Remember? - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


E como prometido o Cap tá grande...aproveita bolinhos.

Boa leitura...🐰

Capítulo 6 - ...Five...


Fanfic / Fanfiction And If I Remember? - Capítulo 6 - ...Five...

Anteriormente...


- obr- -fui interropido com um taehyung chegando perto de mim. e quando percebeu quem estava a nossa frente fez uma cara nada boa.

- o que você está fazendo aqui?!


Atualmente...


- é bom te ver também, taehyung.

- felizmente não posso dizer o mesmo Chung-oh - taehyung fala com um olhar desafiador, e eu não tava entendendo nada, o Taehyung conhecia o Chung-oh?

- como assim taehyung, você conhece ele?

- infelizmente sim, Jimin ele fez alguma coisa com você? - diz taehyung chegando mais perto de mim, checando se estava tudo bem.- olha aqui Chung-oh não é por que o jimin sofreu um acidente e perdeu a memória que você vai se aproveitar disso, fique longe dele - taehyung estava quase estava quase batendo no Chung-oh.

- Taehyung, já chega ele não fez nada ok? nós só estávamos conversando só isso - digo puxando ele pra trás,ele apenas suspirou.

- tudo bem jimin, taehyung nunca foi com a minha cara mesmo.

- não se faça de sonso você sabe muito bem o porquê eu te odeio Chung-oh- taehyung fala quase indo pra cima do homem a minha frente, mais eu o impedi.

- bom eu já vou indo, tome cuidado jimin as pessoas que dizem te amar na verdade não passam de uns mantirosos - diz ele se afastando, eu fico sem reação com o que ele disse,eu realmente não tô entendendo nada.

- jimin olha aqui pra mim - Taehyung fala puxando(não muito forte)minha cabeça para olha-lo - não acredite nele ok? ele só fez mal a você eu não posso entrar em detalhes,mas se caso ver ele novamente só o ignore ou ligue pra mim ou pro jungkook - eu apenas assenti. Estava sem reação,as palavras que ele disse realmente mexeram comigo.

Eu e Taehyung estávamos voltando para o apartamento, o clima estava até que agradavel mas nos meus pensamentos não estavam tanto assim. Eu estava intrigado com o que o Chung-oh disse, como assim estavam mentindo pra mim? Deve ser mentira,pelo o que o Taehyung me disse ele é um homem perigoso e só quer o meu mal, ah isso tá tão confuso.

- bom aqui está o seu príncipe sã e salvo - Taehyung fala pro jungkook quando chegamos no apartamento, e eu coro quando diz isso, aigoo eu não gosto de ficar assim.

- oh vocês chegaram, que bom que o meu príncipe está bem - jungkook disse dando uma piscada, aigoo - tae, por que não fica pro jantar? eu acabei de fazer lasanha.

- eu até ficaria se eu não tivesse um encontro com o yoongi, hoje é nosso aniversário de namoro - Taehyung diz dando um sorriso apaixonado.

- devia nem ser de namoro e sim de casamento, vocês tão a muito tempo juntos.

- ah meu caro, isso só depende do Yoongi - diz taehyung dando uma piscada - é eu já vou indo gente, e jimin estava com saudades de passar o tempo com você.

- apesar de não lembrar de como era nossa amizade, eu também gostei de passar o tempo com você, mais eu tô meio que cansado então eu vou subir pra tomar banho e bom descansar um pouco, deculpe não te acompanhar até a porta.

- Ta tudo bem jiminie, e jungkook eu posso falar com você? - oras o que o Taehyung queria com jungkook? Não gostei disso, fiz um pequeno bico - ei, ei esse bonitão aqui só é seu ok.

Eu apenas dei de ombros,não ia admitir que estava com ciúmes, eu olhei para jungkook e ele estava com um sorrisinho no rosto, eu revirei os olhos indo pro meu quarto.

Eu tinha acabado de tomar banho, fui até o closet para colocar o meu pijama, e quando eu estava colocando o pijama acabei lembrando do diário e quando acabei de me vestir, fui até a gaveta peguei a chave e o diário e logo depois o abri.

" Bom logo depois daquele dia da boate, não só o Chanyeol mas o Taehyung tambem, insitiram pra eu dar um voto de confiança pro jungkook, e eu aceitei fazer isso(na verdade fui obrigado pelo taehyung ou então ele não pararia de me pertubar). Taehyung era um amigo e tanto mas as vezes dava vontade de bater naquele rostinho bonito dele,mas eu realmente sou muito sortudo em ter taehyung como meu melhor amigo ele apareceu em um momento da minha vida delicado, eu tinha acabado de descobrir que o meu pai não tinha morrido na forma que me contaram"


[Seul 11/11/2004 19:00 PM]


Eu estava no meu quarto lendo um livro qualquer só pra passar o tempo, até que deu uma fome e resolvi ir na cozinha fazer alguma coisa pra comer. eu estava andando no corredor indo para escada até que eu ouvi vozes vindo do escritório,eu até ignoraria se o assunto não fosse a morte do meu pai, fui chegando perto do escritório sem fazer barulho e vi minha "mãe" e outra mulher que eu não conhecia.

- parece que seu plano não deu muito certo - diz a mulher dando um gole no seu whisky. Como assim plano? - você matou Chon mas não conseguiu a herança dele - sinto meus olhos lacrimejarem, eu não acredito nisso, a minha "mãe" matou o meu pai por dinheiro,na verdade ela nem é minha mãe eu que a considerava como uma até por que ela cuidava de mim, me colocava pra dormir,me dava carinho,mas tudo isso era uma grande mentira,ela fazia tudo isso pelo dinheiro. Sempre foi pelo dinheiro.

- oras essa Olívia, óbvio que deu certo! O Chon tá morto não tá? Uma parte do meu plano deu certo, e o pirralho tem muito amor pela sua querida mãezinha - diz ela dando aquele sorriso nojento, eu tenho ódio de mim mesmo por te amado uma mulher assim e ainda ter nomeado como minha mãe - obviamente quando aquele menino tomar a maior idade vai passar tudo para o meu nome.

- Chon descobriu né, o seu caso com o - a mulher cujo eu nao conhecia nao terminou de fala por que eu havia entrado com tudo naquela sala. Eu estava com muita raiva de Yuna.

- f-filho o que você tá fazendo aqui meu amor?

- como você pode ser tão hipócrita Yuna? Eu não sou seu filho você sabe muito bem disso, c-como voce pôde matar o meu pai? Você é uma pessoa desprezível, Yuna! Eu te odeio com todas as minhas forças.

- e-eu vou indo Yuna - diz a mulher que estava do meu lado.

- filho você entedeu errado e-eu não matei o seu pai, eu o amava filho!

- Para! Para com isso, você nunca o amou você só se aproximou da gente por causa do dinheiro,não foi? - ela não diz nada só fica em silêncio e isso me dava mais raiva ainda - não diz nada porque sabe que é verdade, você é uma falsa desumana, como você pôde tirar a pessoa mais importante de uma criança de 5 anos? Você sabe o quanto me destruiu quando falaram que o meu pai estava morto, o meu pai era o meu herói, o meu tudo - eu acabei me ajoellhando no chão - e você tirou isso de mim, eu só não te expulso daqui por que o meu pai te deixou 25% dessa mansão, então pequena parte dessa mansão é sua, mais não se engane "mamãe" eu não vou te dar a minha parte da herança quando eu me tornar maior de idade!-digo já de pé e limpando as minhas lágrimas - o dinheiro que eu autorizava você pegar, voce não toca mais! Se quiser dinheiro trabalhe, você é jovem Yuna talvez rodar sainha na esquina deva te dar alguma grana.

- hora seu garoto isolente me respeite eu ainda sou responsável por você.

- é engraçado você fala de respeito justamente comigo - digo dando um sorriso debochado - escuta bem Yuna eu só dou respeito quem me dá respeito, e bom você só fingiu que me respeitava não só a mim como ao meu pai, então você não tem e nunca terá moral pra falar de respeito comigo - digo bem perto dela, ah se eu fosse mulher, Yuna não taria com esse rosto todo cheio de pó compacto - como o meu pai pôde te amar? - digo saindo de perto dela e indo até a porta pronto pra sair - e só mais uma coisa Yuna, reza, mas reza mesmo pra eu não encontrar provas que foi você que matou o meu pai, porque eu vou procurar até o último segundo da minha vida e se eu encontrar - dou um sorriso - pode ter certeza que voce vai conhecer como é o luxo da cadeia, afinal não é disso que você gosta? - digo por fim saindo daquela sala.

Eu tava literalmente destruído, eu não acredito que Yuna teve a coragem de fazer isso. Eu estava indo para um lugar onde eu sempre ia,(logo depois que meu país morreu), quando tava triste ou até mesmo alegre aquele lugar me trazia paz. Eu fui até uma praça lá tinha várias árvores lindas,o meu pai sempre me levava lá ele gostava da natureza. Eu sentei num banco que tinha na praça.

- Papai eu sinto tanto a sua falta, me desculpa por não ter percebido o tipo de mulher que Yuna era.Mas eu prometo papai, que eu vou descobrir como ela matou o senhor e vou colocá-la na cadeia papai, eu prometo!- eu estava deitado de lado no banco lembrando de cada momento que o meu pai esteve no meu lado.

-Ei! Tá tudo bem com você? - me levanto rapidamente do banco e limpo minha lágrimas, e quando olho a pessoa a minha frente,vejo um garoto que parecia ter a minha idade.

- não é dá sua conta - digo cruzando os braço e olhando pro lado oposto do menino que estava em pé a minha frente.

- ou,ou calma ae pra que tanta agressão meu filho, eu só queria saber se você estava bem, mas já que não é da minha conta eu vou indo - o garoto estava se afastando, ok, eu fui grosso com ele sem motivo.

- ei garoto, me desculpe e-eu só descobri uma coisa, que me deixou triste - digo correndo até ele.

- e resolveu descontar a sua frustração e sua tristeza em qualquer pessoa que apareceu na sua frente?

- é - oras já tô me arrependendo de ter pedido desculpa a esse garoto.

Ele suspira e olha pra mim, e balança a cabeça pro lado e pro outro - eu sou Kim taehyung prazer, e sabe as vezes desabafar com alguém alivia o que te deixa frustrado.

- eu sou jimin, Park jimin - suspiro - e tudo bem eu conto o que aconteceu - eu sei é estranho fala uma coisa pessoal sua pra uma pessoa que acabou de conhecer, mais eu senti que podia confiar no taehyung.

" é bom não...eu não fui muito simpático na primeira vez que nos virmos, mais era o meu jeito..poxa, mais a minha intuição estava certa,eu podia sim confiar no meu taetae".


Eu fecho o diário tentando assimilar as coisas que eu acabei de ler, a minha madrasta matou o meu pai.

-Jimin - levo um leve susto quando jungkook entra no quarto.

- Jungkook, me abraça por favor me abraça - estico os braços e ele me abraça com uma expressão de surpresa e preocupada.

- o que foi meu amor? - ouvir aquele apelido me deu um conforto tão grande e me aperto mais ainda ao abraço - oh jim-

- não jungkookie tá tudo bem, eu confesso que gosto quando você me chama assim - ele parece se surpreender quando eu digo isso e devagar desfaz o abraço,mais o seu rosto fica centimetros perto do meu, a sensação de estar tão perto assim do Jungkook era tão boa, senti que ele estava se aproximando cada vez mais do meu rosto - é jungkook e-eu ,e-eu..desculpe - digo virando meu rosto, eu estava com vergonha com tudo que aconteceu comigo eu acabei esquecendo como se beijava.

- ei, ei tudo bem meu anjo, tudo no seu tempo ok - jungkook fala beijando minha testa - agora me diz o que te deixou tão aflito.

- jungkook eu não queria fala sobre isso desculpe.

- tudo bem anjo, mas jimin - ele mudou sua expressão normal pra uma de sério e isso me deu um arrepio - taehyung me disse que você encontrou um homem chamado de Chung-oh - eu apenas assenti - você tem que me prometer que se esse cara se aproxima de você, você vai me ligar ou vai apenas ingnora-lo - mesmo confuso eu apenas assenti, mais eu ainda vou tira esse assunto a limpo afinal, o que foi que Chung-oh fez de tão mal?

- vamos comer meu bem, a lasanha deve tá esfriando.




Notas Finais


Eita..eita..

O que será que o Chung-oh fez de tão mal???

~~

Primeiro eu quero muito agradecer a @Lovelinessa por tá divulgado a minha fanfic,e se caso tiver algum escritor que está lendo a minha fic e que quer divulgar a sua fanfic é só chamar ela no Twitter por esse @ que coloquei 👆 ou ir no meu perfil lá Vai estar o link❤

E bolinhos não esquecem de colocar sua ☆ ,isso me dá muita motivação pra escrever..amo vocês..❤🥰👉👈

~~


É isso amores..

🌸votem,compartilhem é comentem🌺


Até o próximo..🐰🐥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...