História Androide J095 - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Ggvk, Minsuga, Minyoon, Sugamin, Yoonmin
Visualizações 61
Palavras 1.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Científica, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, amores!
Desculpe a demora... estive tão ocupada agora que criei meu filho sigh
Vou colocar o user do meu projeto nas notas finais.

Sem mais delongas!
Boa leitura<3

Capítulo 2 - Primeiro Capítulo;


Fanfic / Fanfiction Androide J095 - Capítulo 2 - Primeiro Capítulo;

Jimin era um androide estranho. Não que Yoongi fosse um entendedor nato da área; o assunto, em si, era quase um tabu para todo mundo. Mesmo assim, Yoongi considerava o comportamento dele um tanto questionável.

Era curioso, na verdade. Jimin parecia tão dedicado ao seu trabalho, chegava a ser cômico quando ele ficava desesperado, procurando por algo que o deixasse mais alto para alcançar os armários, o topo da geladeira, etc.

Quando terminava seus afazeres, ele se sentava no chão da sala, onde havia sido desembalado, esperava cinco minutos e ia atrás de Yoongi, querendo mais trabalho. Ele ficava frustrado e confuso sempre que que ouvia um “nada” vindo da boca do patrão. O incomodava de um jeito que fazia Yoongi rir.

Aquela sexta-feira em particular estava péssima. Não para o dono da casa, que trabalhava em um escritório limpo, cheiroso e organizado. Mas, para Jimin, que não tinha o que fazer, estava um verdadeiro saco de estrume.

Oras! A cama estava feita, as janelas estavam limpas, não tinha louça para lavar. Demorariam a secar as roupas que pendurou no varal e já tinha ouvido Yoongi dizer oito vezes que não precisava fazer coisa alguma. Oito vezes!

Sem aguentar mais, o androide se levantou e seguiu em direção ao escritório, se aproximando devagarinho do dono, receoso. E se ele dissesse “não” a si mais uma vez? Deveria o abordar de outra forma. Que forma?

— Está com fome, Yoongi? — Arriscou.

— Não. — O moreno demorou um pouco para responder. — Você está? Não precisa me esperar, viu? Pode ir comer.

— Não, não estou. —  Negou.

Ficaram os dois em silêncio mais uma vez.

Jimin torceu os dedos em nervosismo, sem saber se poderia ou não manter uma conversa com o humano. Ele ficaria bravo? Em seu manual de instruções, vinha dito que o recebedor do androide deveria especificar se queria ou não que eles estabelecessem uma relação doméstica. Teria Yoongi esquecido de ler aquela parte?

— O que você está fazendo, Yoongi?

Yoongi se surpreendeu. Ele e o androide, até então, nunca tinham tido uma conversa. Falavam apenas sobre tarefas e desejos do Min, nada além. Às vezes conversavam uns minutinhos a mais, quando Jimin parecia indeciso com que roupa vestir — infelizmente Yoongi estava sem grana e os dois estavam dividindo as vestimentas. Tirando isso, mais nada.

— Trabalhando.

— No quê? — A resposta veio rápida.

— Uma música.

— Você é músico? — Jimin usou um tom mais entusiasmado.

— Compositor.

— Legal. — Murmurou, concentrado em espionar os materiais ali deixados.

J095 se aproximou mais um pouco, encarando a folha de papel sobre a mesa. De alguma forma, aquilo deixava o rapper contente. Mesmo que ele fosse um robô, tal comportamento o fazia sentir que seu trabalho era apreciado.

— Qual tipo de música? — Questionou, apoiando os dedos na mesa.

— Hip-hop… Rap. Meio trap. E indie.

Jimin soltou um riso pela primeira vez.

— Você bugou o meu sistema. — Lamentou com certo humor.

— Ah, foi mal. — Coçou a nuca. Deveria ser ruim, ter seu sistema bugado. — Eu e meu grupo temos dois álbuns. Você pode ouvir, se quiser.

O androide sorriu, o fitando. Yoongi constatou que ele tinha um dentinho mais torto, era adorável. O acastanhado tinha o rosto lindo e jovial. Androides eram sempre tão atraentes assim?

— Posso ouvir? E ler essa letra, também? — Os olhinhos brilhavam.

Yoongi assentiu. Por qual motivo negaria, afinal?

— Toma aqui. — O estendeu o headset, esperando que ele o encaixasse na cabeça. — Eu vou abrir os lyric videos no YouTube e você lê, tá legal?

— Aham.

O Min procurou o canal do grupo no YouTube, clicando na playlist que condizia com o primeiro álbum. O nome era Prologue, com as faixas: Cypher pt. 1 até a pt. 4, Mic Drop e uma chamada DDaeng.

Um som surpreso escapou por entre os lábios cheinhos de Jimin, que parecia gostar do que ouvia. Segundo ele, dos cyphers, seu favorito era o quarto. Mesmo assim, sua faixa favorita era DDaeng, segundo ele a mais intensa.

— Intensa? — Questionou o compositor.

— É… Acho intenso. As músicas falam sobre pessoas que odeiam vocês, não falam?

— Não exatamente a nós, mas a todos. — Deu de ombros. — Mas, sim. Com foco na gente.

— Acho essa a mais forte, então. — Deu de ombros. — Posso ouvir o outro?

— Pode…

Naquela hora, ficou um pouco receoso. Deixou que ele ouvisse desde Daydream até Base Line.

— Eu gostei! — Exclamou. — Vocês são talentosos. As letras são profundas. O som é bom. Acho que é meu gênero favorito de música, Yoongi.

Ele riu.

— É o único que você já ouviu, Jimin. — Retrucou, desanimado. — Claro que você vai gostar.

— De acordo com a minha análise facial, você se sente triste. — O moreno tirou o aparelho de si, o deixando sobre a mesa. — Por quê? Te incomoda, a minha presença aqui, Yoongi?

— Não é isso. — Riu nasalado. — É só que… Hope World não nos trouxe a fama que eu esperava, sabe?

— Acho que, Yoongi, o mais importante não é o retorno quando se faz o que gosta. Só o fato de se fazer o que gosta, já é um retorno, não é? — Um sorriso gentil fez com que as bochechas esmagassem os olhos menores. — Você ganhou mais um fã agora, também.

Aquilo fez Yoongi se sentir inspirado. As palavras de Jimin foram gentis consigo, o deram motivação para continuar.

— Quer ouvir a demo de duas músicas do nosso próximo álbum?

— Quero.

 

(...)

 

Era segunda-feira e, como em todas as segundas, era dia de reunir o grupo para que conversassem sobre a proposta do álbum novo, trabalhassem juntos e, no resto da semana, cada um trabalhasse sozinho.

Desde a conversa que tivera com Jimin sobre sua música, acabou se sentindo bem. Se sentia mais animado para compor suas músicas, como se as coisas fizessem sentido novamente. Namjoon até mesmo se assustou quando recebeu uma mensagem, às 6h da manhã, de Yoongi mandando-o não se esquecer do compromisso de hoje.

Já se passava das 14h e o grupo estava reunido, adentrando a casa de Yoongi para que trabalhassem após uma passada amigável no Subway.

— O Jimin tá aí? — Hoseok cochichou excitado, como se fosse um segredo.

— Sim.

— Ai meu Deus, eu quero tanto conhecer ele! — Choramingou, se agarrando ao Kim. — Ele deve ser a coisa mais coisinha desse mundo… Aliás, por que você nunca nos mandou foto da fuça dele, hein?

— Porque seria estranho.

— Ingrato. Nós pagamos metade daquele robô. — Namjoon se pronunciou, sendo o primeiro a entrar assim que a porta foi aberta.

Meh, sabem como é… Valeu, mas não ligo. — Se sentou no pequeno degrau de madeira, tirando seus sapatos junto aos amigos. — Só não assustem ele, tá legal? Eu esqueci de avisar que você vinham hoje.

— Tá bom. — Hoseok garantiu. — Jimin? Cadê você, bebezinho?!

Ao ouvir o chamado, o Park se levantou de trás do sofá, apoiando o queixo no encosto.

— O que você tá fazendo aí? — Yoongi soltou, franzindo o cenho.

— Esfregando o carpete. — Justificou. — Tem uma mancha de vinho aqui.

Hoseok fitou Yoongi com uma expressão totalmente animada.

— Ele é tão fofinho. — Choramingou, se levantando para que se aproximasse. — Oi, Jimin! Eu sou o Hoseok.

— Olá. Meu nome é J095, mas você pode me chamar de Jimin. Sou o androide de Min Yoongi. — Respondeu robótico, sorrindo ao final.

Iti Malia.

Namjoon e Yoongi se entreolharam, risonhos, logo acompanhando o Jung. Os três se sentaram no sofá limpinho, felizes. Hoseok e Namjoon se sentiam incrivelmente bem vendo Yoongi assim, com um sorriso no rosto, o ar não mais mórbido. Era esperançoso.

— Chama o Jimin pra ficar com a gente. — O Kim falou.

— Por quê? — Riu, confuso.

— Porque sim. Chama logo.

O Min suspirou derrotado, apenas assentindo antes de convidar o androide para que se juntasse ao grupo. A princípio, Jimin pareceu… confuso, como se aquilo fosse algo completamente fora do padrão. Mesmo assim, não ousou negar um pedido do dono, se sentando no cantinho.

Ele tinha ambas as mãos sobre o colo e olhava de um integrante ao outro, curioso.

— Yoongi nos contou que você gostou das nossas músicas. — Namjoon o dedurou, sorrindo simpático. — Você gostou mesmo ou ele está tentando nos fazer de otários?

— Você não deveria falar assim do Yoongi. — Jimin o defendeu sem nem pensar antes. — Ele não faria isso com vocês. Mas… eu gostei, sim. É agradável de se ouvir, realmente me agradou.

O trio sorriu, mesmo que tenham ficado um pouco constrangidos com a observação sobre não tratarem Yoongi daquela forma a qual foi tratado. Mesmo assim, ouvir um elogio era sempre bom.

— Qual a sua favorita, Jimin?! Qual é?! — Hoseok exclamou, se pendurando no dono da casa para que se aproximasse mais do androide.

Ddaeng. É isso? — Tombou a cabeça para o lado, tentando lembrar. — O estilo oriental do início, aquela musiquinha… Me deixa inquieto.

— Inquieto como? — Foi a vez de Yoongi indagar, sem compreender.

— É o que vocês humanos chamam de “vontade de dançar”. — As bochechas gordinhas tomaram um pigmento rosado. Naquele instante, Yoongi entreabriu a boca em pura surpresa, jamais o vendo assim antes. — É… dançante.

O Jung comemorou com um grito histérico, fazendo uma dancinha boba com Namjoon. Isso fez Yoongi rir, jogando uma almofada em ambos para que logo o fizesse com que eles se sentassem, negando com a cabeça em uma desaprovação falsa.

A tarde seguiu assim: animada e contagiante, rendendo boas risadas dos presentes ali. Pena que Jimin preferia ficar quieto grande parte do tempo, isso quando não se levantava e se oferecia para trazer um copo d’água aos presentes, coisas assim.

Quando Namjoon anunciou a ida dos dois e se despediram todos, a casa se tornou silenciosa outra vez. De certa forma, era reconfortante.

Yoongi foi ao seu quarto, tirou as meias, colocou uma blusa de frio. Em seguida, pegou um livro, seu par de óculo e se sentou na cama, pretendendo descansar ao se dar um momento de lazer para que, mais tarde, voltasse a trabalhar o que precisava fazer.

Leu dois capítulos até que fosse interrompido por um Jimin com o rosto vermelho, vermelho, a pose encolhida após bater na porta.

— Os amigos do Yoongi são legais.

Sorriu.

— É… Eles são, Jimin.


Notas Finais


Vão amar o @taekookdocx<3

Buye~!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...