História Androids are a threat? - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Carlos Ycaro "Ycro" Gabryel, Detroit: Become Human, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Leon Martins, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Luiz Felipe (Luiz 1227), Maria Luiza Ramos (MoonKase), Matheus Neves "Pk Regular Game", Nilce Moretto, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rodrigo "Saiko" Ximenes, TazerCraft, Thiago Cruz Alves "TerrorBionic", Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Carlos Ycaro "Ycro" Gabryel, Connor, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Kara, Leon Martins, Luiz Felipe "Luiz 1227", Markus, Matheus Neves, Mike, MoonKase, Nilce Moretto, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rodrigo "Saiko" Ximenes, Thiago Cruz Alves, Thiago Elias "Calango"
Tags Capbit, Cayr, Cellps, Jvtista, L3ddy, Mitw, Moonvia{lívia}, Pklanxinim, Rezen1227, Starhiro, Sycaro, Tawum, Voidalan
Visualizações 159
Palavras 7.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá Vampirinhos,aqui é a Nick e sejam bem-vindos a uma capvídeo{capítulo e vídeo}. E não,eu não estou gravando ^^{mas bem que eu queria}

Quem não entender algumas coisas,me digam pois irei esclarecer algumas coisinha à vocês. Novamente,não liguem para a minha criatividade ^^

Mas,sem mais enrolação,vão ler ^^

Capítulo 4 - MeiaUm and Cellbit?


          ~ Pac

10 de Janeiro de 2039

08:38

- Sa-Saiko?!? - pergunto encostando no ombro do mesmo - Saiko,acorde! - o balanço de leve - Saiko! - grito batendo em seu rosto,o fazendo acordar na hora - Finalmente! - reclamo vendo Saiko olhar para trás de mim.

- Quem são eles,Tarik? - pergunta olhando para mim,depois volta à olhar para trás de mim.

- Tarik? - sussurro baixo,mas acho que Saiko ouviu - Esses são.....Mikhael,Felipe e Cellbit! - aponto para cada um,vendo-os sorrirem para Saiko - O que você faz aqui? - pergunto me levantando,o ajudando a levantar.

- Peperson.....espera,Peperson está aqui? - grita numa pergunta.

- Não,não está! - respondo tentando o segurar,mas ele é pesado demais e acaba caindo em cima de mim - Aí! - reclamo baixo,vendo que Saiko estava bem perto de mim.

- Wow,wow,wow! - começa o estudante Mikhael - Estamos atrapalhando o casalzinho aí? - pergunta sorrindo de lado.

- N-não somos um casal! - falo empurrando Saiko de leve.

- Desculpe,Tarik! - fala chamando minha atenção,sorrindo malicioso para mim e me faz corar - Você é tão fácil! - fala se levantando com a ajuda da parede - Parecia até o Ycaro! - sussurra mas eu pude ouvir,sorrio animado - Você não ouviu nada,tá? - fala fingindo estar bravo.

- Vou fingir que eu não ouvi! - falo suspirando - Mas como está ele? - pergunto indo até ele,o ajudando novamente a andar enquanto o mesmo segurava na parede.

- Não estou o vendo muito! - responde tristonho - Mas ainda bem,pois não aguentava um burro do meu lado! - sorri enquanto soltava da parede.

- Você o conhece,Pac? - pergunta estudante Mikhael.

- Pac? - sussurro surpreso - Por que todo mundo estão me dando nomes estranhos?? - pergunto alto,quase fazendo Saiko cair - Desculpe! - dou Saiko para o Felipe levar,pois estava ficando pesado demais.

Suspiro,indo até as escadas,descendo-as sem pressa alguma e me jogo no sofá,suspirando em seguida e fechando meus olhos.

- O que deu em mim? - sussurro numa pergunta - Eu nunca fui de..... - suspiro novamente.

- Ei,por que você deixou um cara desconhecido em meus braços? - pergunta o estudante Felipe,enquanto descia as escadas junto de todos.

- Desculpe,eu só..... - tento responder sua pergunta mas quase não sai nada - Eu sinto muito! - me levanto,fazendo uma reverência e indo até Felipe,pegando Saiko e o colocando sentado no sofá.

- Você não era assim,Tarik! - começa Rodrigo - Muito menos desobediente! - olha para mim,me fazendo suspirar.

- Eu não sou desobediente! - grito olhando para baixo - Eu só.....não aguento ser perseguido pelo Peperson! - volto a olhar Saiko,bravo - Estudante Mikhael,tem algum quarto que eu possa ficar? - olho para o mesmo.

- Tem um quarto de hospedes lá em cima,não é aquele lugar que você encontrou esse aí! - responde olhando sério para Saiko,me fazendo rir baixo.

- Eu vou des-can-sar! - grito separadamente olhando para todos,fazendo muitos ficarem com medo - Tenham um bom dia - suspiro indo até as escadas,parando no primeiro degrau - Só não mata o Saiko,estudante Mikhael! - sorrio voltando a subir as escadas,procurando pelo tal quarto de hospedes.

Encontro um quarto vazio,só tem caixas dentro e isso me incomodava. Entro devagar,olhando para cada canto mas escuto um barulho de porta batendo,olho para trás,vendo a porta fechada. Corro até ela,tentando a abrir mas falhando,estava trancada.

- T-tem alguém aqui? - pergunto olhando para todo canto,desconfiado.

- Não tenha medo! - começa uma voz,me fazendo assustar - Não estamos aqui para te assustar! - sinto alguém atrás de mim.

- Espera.....você disse estamos? - pergunto olhando para trás mas não vendo ninguém - Que-quem são vocês? - pergunto finalmente.

- Sou Alice! - fala uma criança,aparecendo em minha frente.

- Sou Kara! - fala uma mulher aparecendo ao lado da garota.

- E eu sou Luther! - fala uma voz grossa,aparecendo um brutamonte ao lado dos duas.

- Vocês...... - começo,me afastando um pouco - Vocês são androides? - sinto a porta atrás de mim,eu estava encostado na porta.

- Sim,somos androides! - responde Kara - Mas não estamos aqui para nos apresentar! - vejo ambos sorrirem.

- Estamos aqui para te avisar! - completa Luther,parando de sorrir e ficando sério.

- Você tem que tomar cuidado! - começa a criança,chamada de Alice.

- Pois um ser humano pode te atacar novamente! - continua Kara,enquanto a mesma me olhava brava - Mas ainda não sabemos se vai ou não te atacar - acrescenta sorrindo,tirando sua bravura de seu rosto.

- E esse humano,você conhece muito bem! - completa Luther,enquanto vinha até mim,sorrindo logo em seguida - Agora temos que ir! - sorri olhando para as garotas - Vamos,garotas? - sinto um vento vim até mim,fazendo os três sumirem e a porta abrir,me fazendo cair para trás.

- O que foi.....? - começo mas não consigo terminar,enquanto eu ia para trás,até encostar na parede.

Ouço passos apressados vindo,olho para o lado,vendo todos ali até mesmo o Saiko. Olho para frente,vendo que nenhum dos três estão ali,mesmo eu os vendo sumirem.

- Eu....não sabia desse lugar! - pisco algumas vezes,tentando entender se é ou não um sonho - Androides não sonham? - pergunto sem nexo - Ou sonham? - olho para o lado,fazendo essa pergunta a todos.

- Algo aconteceu com ele! - fala o androide do estudante Felipe - Algo muito sério! - completa vindo até mim,mas eu o paro,fazendo-o ficar parado ao meu lado.

- Eles ainda estão ali? - pergunto apontando para minha frente,depois volto a olhar o androide ao meu lado - Eles ainda estão ali? - pergunto aumentando minha voz,fazendo o androide ficar confuso.

- Quem são eles? - pergunta se ajoelhando ao meu lado.

- Me diga se eles ainda estão ali! - grito olhando para minha frente.

- Quer que eu veja se tem alguém ali? - pergunta e eu concordo - Tá mas se acontecer algo comigo,você pagará! - fala enquanto entra na sala mas a porta,atrás de si,não fechou e isso me deixou mais confuso ainda - Não aconteceu na..... - é interrompido por mim,entrando na sala.

- Quero..... - começo mas sou interrompido por uma porta batendo,olho para trás,vendo a porta fechada e eu sorrio com o resultado - Eu preciso saber de uma coisa! - começo tentando encontrar os três,mas não vejo nada além de Cellbit tentar abrir a porta.

- Com quem você está falando? - pergunta Cellbit desesperado,vindo até mim - Está maluco? - olho para ele e eu sorrio.

- Por favor,preciso saber de duas coisas! - começo,voltando a procurar os três pelo meu olhar - Eu quero fazer algumas perguntas! - olho para os lados,sentindo um vento vier e os três aparecerem - Finalmente! - sussurro,tendo certeza que ninguém ouviu.

- Que-quem são e-eles? - pergunta Cellbit se escondendo atrás de mim.

- O que você quer saber,pequeno? - pergunta Kara,vindo até mim e bagunça um pouco de meu cabelo.

- Aquele ser humano que vocês comentaram,ele vai machucar alguém? - pergunto olhando sério para eles,vendo-os sérios também - Ele está ligado ao meu passado? - olho para trás,vendo Clellbit todo encolhido em meu ombro,o que faz meu ombro pesar mais do que está pesando agora - Esse humano,vocês conhecem? - continuo a perguntar - Esse ser humano,é o Peperson? - completo vendo os três rirem.

- Vamos responder em ordem! - começa Alice,sorrindo de leve - Provavelmente sim,e talvez seja alguém que é perto de você! - aumenta seu sorriso.

- Está e não está! - fala Kara,sorrindo também - Você nunca o viu mas ele já te viu,muitas vezes! - explica sorrindo mais abertamente.

- Não,nós só sabemos dele por causa de um amigo nosso! - continua Luther,enquanto mexia com seus mãos,tentando explicar melhor com elas - E o nosso amigo pediu para avisar seus amigos também! - sorri com seus olhos fechados.

- Felizmente,não é ele! - completa Alice,rindo baixo - Mas não sabemos como ele está agora! - arqueio minha sobrancelha - Sabemos que ele foi muito perto de você,mas não sabemos o por que dele ter ido embora ou se quem o obrigou a fazer isso! - tira minha dúvida.

- Ele é o Ycaro?? - pergunto tentando encaixar algumas pessoas com essas informações - Mas ele é burro demais para machucar alguém,além de ser muito inocente sobre isso! - coço minha nuca,tentando encontrar alguém ideal.

- Eu acho que você não lembra dele! - fala Kara sério,mas volta a sorrir novamente.

- Por que vocês estão sorrindo? - pergunto caindo de joelhos,pois Cellbit pesou meu ombro demais - Cellbit!! - grito tirando seus braços de meu ombro,alongando-o de leve,escutando alguns estralos vindo dele.

- Porque é divertido ver como você se rebela sem ter ajuda e nem passar sobre a quarta parede! - responde Alice,vindo até mim - Quero que continue assim! - sussurra para só eu ouvir mas parece que alguém ouviu além de mim.

- Continuar assim? - pergunta Cellbit se levantado,me puxando pelo meu pescoço - São eles que estão fazendo você ficar assim? - pergunta irritado.

- Não..... - falo sentindo um vento forte e a porta se abre,vendo todos ali,parados olhando para nós.

- Hein? Me diga! - grita me fazendo rir.

- E o que isso tem haver contigo? - pergunto sorrindo de lado - E muito menos com eles! - tiro sua mão - com força - de meu pescoço,indo até a porta - Por gentileza,podem sair da porta? - pergunto bravo,todos obedecem,saindo da porta e eu vou para o quarto que Mikhael tinha comentado.

Entro no quarto,batendo a porta com força - trancando-a - e me jogo na cama,suspirando alto.

- O que deu em mim? - sussurro olhando para cima,pensando no que os androides tinham falado - Pessoa que eu conheço? - pergunto baixo me virando de bruços - Quem é essa pessoa? - pergunto dando um bocejo alto,adormecendo em seguida.

          ~ Mike

08:40

- O que você fez? - pergunta Saiko e eu juntos,nos entreolhamos bravos,voltando a olhar o androide.

- Quis..... - começa o androide surpreso e confuso ao mesmo tempo - Eu não sei o que eu queria fazer! - suspira saindo de perto de nós,descendo as escadas.

- Nossos androides estão estranhos! - falamos todos juntos,menos o androide que veio junto com Cellbit.

- Eu vou falar com o Pac! - falo indo até o quarto que o mesmo bateu a porta,encostando na maçaneta,a puxando para baixo mas parecia que estava trancado - Pac! - grito batendo na porta,tentando encontrar alguma brecha perto da porta e não encontro - Deve estar dormindo! - sussurro saindo de perto da porta,indo até os outros - Cadê o Felps? - pergunto olhando ao redor.

- Ele desceu! - responde o androide,sorrindo e vai até as escadas,descendo as mesmas.

          ~ Felps

08:40

- Cellbit,espera! - grito correndo até o mesmo,já que o mesmo estava indo até a porta da frente - Cellbit,pare! - grito novamente e o mesmo para,sem olhar para trás - O que aconteceu dentro daquele quarto? - pergunto chegando perto de Cellbit,o mesmo ainda estava parado - Ei,por que está parado? - pergunto pegando em seu pulso,o fazendo virar para mim.

- Você mandou......eu parar de andar! - responde abaixando seu olhar - Então não quis o desobedecer! - suspira.

- Você pode se mexer quando quiser! - começo,pegando em seu queixo,o forçando a me olhar - Mas nada que passe dos limites,Cellbit! - sorrio,vendo-o sorrir levemente - Ou melhor,Rafael Lange! - completo,fazendo-o arregalar os olhos - Eu tinha pesquisado sobre androides antes,eu já planejava te encontrar! - solto seu pulso e seu queixo,deixando-o me olhando arregalado.

- Ra.....fa.....el? - pergunta com os olhos arregalados ainda.

          ~ Cellbit

08:42

- Ra.....fa.....el? - pergunto vendo um flash back desse nome.

~ Memoria de Cell On ~

O pequeno androide corria atrás de seu dono,encostando no mesmo,dizendo......

- Eu te peguei,André! - grita o androide,fazendo André - por impulso - pegar no braço de Rafael,puxando-o e fazendo os dois caírem.

- Não me dê mais esse susto,Rafael! - grita André - ou,para seus amigos,MeiaUm - e começa a rir.

- Mas foi você que...... - começa o androide mas é interrompido pelo mordomo de André,já que o mesmo era rico.

- Desculpe-me por interrompe-los,senhor André! - começa o mordomo,fazendo ambos as crianças se levantarem - O seu pai está te chamando e chamando seu androide para conversarem na sala de estar! - sorri para ambos os dois - E ele disse para serem rápidos! - completa voltando para dentro de casa.

- O que será que seu pai tem a nos dizer? - pergunta o androide ansioso,começando a andar e André indo atrás.

- Olha! - começa André,chamando a atenção do androide - Seja o que for que ele fale,quero que não me esqueça! - vai até o androide,vendo-o com a testa franzida - E que nunca,nunca deixe de ser quem é agora! - puxa o androide para um abraço longo,sendo retribuído pelo Rafael.

- Por.....por que você está falando isso? - pergunta o androide,mas o seu dono não fala nada,só o puxa para dentro da casa pelas portas dos fundos.

- Cadê aquele moleque? - grita o pai de André,sendo tranquilizado pela mãe de MeiaUm.

- Pai,chega..... - começa o Felipe mas para ao olhar ao redor,a sala estava cheia de caixas - Mos.... - suspira surpreso.

- Filho,vem sentar aqui! - fala a mãe de Felipe - Você também,Rafael! - bate de leve ao lado dela,já que André se sentou ao lado de seu pai.

- Filhão,queremos dizer que nós vamos nos mudar! - fala o pai de André,fazendo a criança levantar rápido pois a mesma estava com raiva - E nós vamos devolver Rafael para a CyberLife! - completa fazendo o androide se levantar também.

- Não! - grita André correndo até Rafael,protegendo o mesmo - Não deixarei que o leve de volta! - grita olhando para Rafael,vendo-o chorar mas o mesmo não dizia nada,só estava parado sem dizer uma sequer palavra - Já está usando o pacote que te comprei? - sorri abraçando Rafael,sentindo as lágrimas de Rafael caírem sobre seu ombro e logo as lágrimas de André desceram também.

~ Memoria de Cell Off ~

Sinto uma lágrima descer sobre minha bochecha,que logo se tornaram várias. Olho para o gangster Zaguetti,vendo-o surpreso com minha atitude.

- Eu..... - começo mas não consigo continuar,então eu caio de joelhos no chão,ainda chorando - Ele...... - tento novamente mas não consigo terminar minhas frases - Gangster...... - novamente falho ao tentar falar.

- Acalme-se! - fala gangster Zaguetti,se ajoelhando em minha frente,colocando suas mãos em meus ombros - Você quer me contar algo? - pergunta me ajudando a levantar.

- Sim.....mas.....não agora! - respondo pausadamente pois meus soluços me atrapalhava ao falar.

- Vou te levar para casa! - fala me pegando no colo,mas eu nem liguei para isso.

|~*~| Quebra de Tempo |~*~|

08:47

- Chegamos! - fala gangster Zaguetti,me acordando - Opa,te acordei? - pergunta me colocando no chão.

- Não! - respondo sarcástico,sorrindo de lado - Cadê o Alan? - pergunto olhando ao redor,tentando encontrar ele pela casa.

- Ainda está na casa do Mike! - responde me fazendo o olhar sério - Eu pedi para Mike trazer o Alan para casa! - coloca suas mãos em sua frente,tentando se proteger,o que me faz rir.

- Tudo bem,então! - falo me sentando no sofá,colocando minha cabeça para trás - Senta aqui! - peço com os meus olhos fechados.

- Vai contar o que tem para me contar? - pergunta fazendo uma parte do sofá afundar.

- Vou! - respondo abrindo meus olhos,dando um longo suspiro - Antigamente,eu tinha um dono! - começo,sorrindo em meio a minha tristeza - Seu nome é André Felipe - entorto minha cabeça para o lado,vendo uma ilusão na minha frente - Eu e ele vivemos juntos,desde os primeiros anos de André - sorrio olhando aquela ilusão brilhar,na ilusão estava eu e ele brincando numa floresta - Mas o pai dele resolveu se mudar! - suspiro vendo a ilusão mudar,aparecendo a parte da mudança.

- Para onde e por que? - pergunta chamando minha atenção mas volto a olhar a ilusão.

- Estados Unidos! - respondo para onde eles foram - E ainda não sei o motivo dele fazer isso! - respondo o por que - Talvez só fizeram isso para me mandarem de volta para a CyberLife - vejo a ilusão aparecer André e sua família,ambos estavam tristes.

- Por que essa expressão? - pergunta pegando em meu queixo,me forçando a olhar-lo.

- Tem uma ilusão em minha frente! - respondo tirando seu mão de meu queixo,voltando a olhar a ilusão - Está aparecendo tudo que eu devia saber mas eu não estava lá com eles! - sorrio mas desmancho o mesmo - Continuando......onde eu tava? - pergunto a gangster Zaguetti.

- "Mas o pai dele resolveu se mudar!" - repete o que eu tinha dito - Estava nesta parte! - sorri olhando para frente.

- Ah,obrigado! - sorrio para ele,voltando a olhar para frente,sério - Enfim,depois que ele revelou isso,André enlouqueceu e quase partiu para cima de seu pai! - suspiro e a ilusão mostra André tentando avançar em seu pai mas eu o impedia - Ele tentou me proteger mas já estava tarde demais para voltar atrás! - a ilusão muda para o Elijah Kamski me desmontando e me colocando dentro de seu carro. Sinto uma lágrima cair de meus olhos,só por causa daquela ilusão.

- Ei,acalme-se! - fala gangster Zaguetti limpando a lágrima que caía solitariamente.

- Elijah Kamski resolveu não resetar meu sistema pois já sabia que eu fazia parte da família e que não queria deixar André triste,por isso que me fez ficar maior! - sorrio vendo Elijah Kamski conversar comigo,perguntando algumas coisinhas mas não dá para ouvir a ilusão - Ele também já sabia que André comprou um pacote de humano para mim! - sorrio vendo - pela ilusão - o André Felipe me dar um pacote,super feliz ele estava ao me dar aquilo - Então ele foi super gentil comigo,como se não importasse com divergentes! - sorrio completando a história.

- Divergentes? - pergunta gangster Zaguetti,fazendo a ilusão ir embora mas antes,um androide saiu da mesma,me fazendo assustar.

- Quem......quem é você? - pergunto me levantando,tentando ir até ele mas o mesmo se afastava.

- Meu nome é Connor! - responde sorrindo e chegando mais perto de mim,ficando cara-a-cara comigo - Você quer se encontrar com seu amigo novamente? - pergunta cruzando os braços,ainda sorrindo - Quer saber como ele está? - continua a perguntar,andando de um lado ao outro - Ou quer esquece-lo? - pergunta me lembrando da ordem de André.

- Eu nunca vou esquece-lo! - falo confiante - E sim,quero saber tudo sobre ele novamente - sorrio confiante.

- Você quer saber de uma coisa? - pergunta parando de andar,ficando de frente comigo novamente - Ele já tem um outro androide! - me faz arregalar os olhos.

          ~ Jv

10 de Janeiro de 2039

08:40

Acordo com alguém me puxando,era Batista tentando me acordar calmamente.

- Desculpe te incomodar,mas eu poderia dormir contigo? - pergunta baixo.

- Pode! - respondo no mesmo tom. 

Ele sobe na minha cama,ficando perto da parede e encosta sua cabeça em meu ombro,para pegar um pouco do travesseiro que estava comigo.

- Aconteceu algo? - pergunto assustando Batista,pois senti que o mesmo deu uma leve levantada - Desculpe te assustar! - olho para o lado oposto,olhando para a cama dele.

- Tive um pesadelo! - responde pegando um pouco do meu cobertor,cobrindo-o.

- Quer falar sobre isso? - pergunto escutando uma fungada longa - Eu acho que isso é um não! - respondo minha pergunta,rindo baixo e voltando a dormir,enquanto lá fora chovia.

          ~ Batista

1o d3 J4n31r0 d3 2o39

0000 0100:0010 0110

Acordo num lugar estranho,estava tudo preto e eu não conseguia ver nada,só uma silhueta que vinha teletransportando-se lentamente.

- Que lugar estranho! - sussurro me assustando quando a silhueta chegava mais perto e mais perto a cada momento.

Saio correndo para o lado oposto da silhueta,procurando algo ou alguém para me tirar daqui. Vejo uma luz branca ao longe,corro até a mesma,ultrapassando-a.

~ Sonho Off ~

Acordo respirando ofegante,como se eu tivesse sido sufocado por alguém. Me sento tentando lembrar quem era aquela silhueta.

- Não pode ser! - sussurro me levantando rápido e indo até a porta,abrindo-a,procurando se tinha alguém aqui além de mim e de Jotinha. 

Vejo uma única pessoa andar perto dos dormitórios masculinos,uma única garota. Ela me olha e vem correndo até mim mas eu fecho a porta,trancando-a.

- Que inferno! - sussurro indo até Jotinha,cutucando-o levemente mas o mesmo não acordou - Jotinha! - chamo-o mas também não me ouviu.

Resolvo o puxar devagar,para não o derrubar,já que androides são fortes. Continuo a puxar,o fazendo acordar.

- Desculpe te incomodar,mas eu poderia dormir contigo? - pergunto baixo,tentando parece ingenuo.

- Pode! - responde e eu subo em sua cama,ficando ao lado da parede e encosto meu rosto no seu ombro - Aconteceu algo? - pergunta me assustando - Desculpe te assustar! - fala virando seu rosto para o lado oposto do meu.

- Tive um pesadelo! - respondo pegando seu cobertor,me encobrindo também.

- Quer.....? - começa mas eu não ouço mais nada,só o sono vindo de fininho e me atacando de mansinho.

0000 0100:0010 1000

Abro meus olhos,vendo que eu estava naquela maldita mansão do assassinato mas dessa vez,a mansão estava diferente. Ela estava mais colorida e mais alegre. Acho que ela encontrou um androide para si,para anima-la,já que seu pai morreu por minha causa.

- Batista? - escuto alguém perguntar,resolvo seguir a voz - Aqui! - fala novamente,e eu encontro a pessoa com a voz.

- Quem.......são vocês? - pergunto vendo uma pessoa morena e um loirinho ao seu lado,ambos estavam de mãos dadas.

- Sou Markus! - responde o moreno,sorrindo enquanto alisava a mão do loiro.

- Sou Simon! - fala o loiro,sorrindo que nem o tal de Markus - Se eu fosse você,eu não entraria nesta mansão! - encosta na parede da mesma,fazendo-a apodrecer onde ele tocou.

- Pois se você entrar,nunca mais sairá! - completa Markus,olhando para a mansão apodrecendo aos poucos.

- Mas...... - tento falar mas suspiro no lugar - Ela está bem? - pergunto olhando pela janela - que tem aqui perto -,olhando ela rindo.

- Sim,ela está! - responde Simon - Mas talvez a mãe dela volte depois do que você,sem querer,fez! - completa pegando em meu braço - ainda de mãos dadas com Markus - e me leva até frente a casa.

- Ela conseguiu um androide novo! - começa Markus,me fazendo o olhar,já que olhava a casa - Mas ela ainda sente sua falta! - mordo meus lábios,tentando não chorar - Quer ver como ela está agora? - pergunta abrindo a porta,entrando junto ao Simon.

- Quero! - respondo entrando e a porta fecha atrás de mim.

- Cadê meu androide?? - grita uma voz feminina ao longe.

Corro até a voz,encontrando ela conversando com sua mãe e ambas estavam bravas.

- Eu disse.....cadê meu androide??? - grita novamente,quase indo para cima de sua mãe,mas eu a impeço,pegando em sua mão - Felipe? - pergunta virando para trás - É você mesmo? - pergunta apertando minha mão.

- Malena? - pergunto sentindo lágrimas caírem de meu rosto - Me desculpe por fazer aquilo! - grito vendo-a surpresa com minha atitude - Eu não queria..... - sou interrompido por ela,me abraçando.

- Não é sua culpa! - fala me acalmando - Eu sei que foi sem querer e que você era muito próximo à ele! - aperta mais o abraço - Você.....não sabia o que estava fazendo! - desfaz o abraço,passando seu braço no meu pescoço,deixando-o ali mesmo.

- É tudo minha culpa! - falo olhando para ela - Ele morreu por minha causa!! - abaixo meu olhar - Eu.....não queria fazer.....isso! - soluço olhando minhas mãos,vendo-as desaparecerem aos poucos - Parece que meu tempo está acabando! - olho para ela,vendo-a surpresa - Só para dizer..... - começo sorrindo para ela - Não moro mais nesta cidade! Me mudei para o Japão! - fecho meus olhos.

- Olha,eu vou chegar lá! Então me espere! - abro meus olhos,vendo-a sorrir.

Olho para mim mesmo,vendo-me todo transparente. Olho para trás,vendo os dois androide ali.

- Vocês que fizeram isso? - pergunto indo até eles,sorrindo em meio as minhas lágrimas - Obrigado! - agradeço fazendo uma reverência - Eu sempre quis conversar com ela antes da mãe dela ter me expulsado de casa! - sorrio fraco.

- Nós não temos tempo! - fala Markus,pegando em minha mão - com a sua livre -,puxando eu e Simon para fora. Chegamos no lado de fora,vendo a mansão apodrecer por completo e eu me ajoelho por impulso.

- Me fale que essa mansão não apodreceu na vida real! - falo olhando para trás.

- Não sei se você sabe mas a mansão pegou fogo! - começa Simon,me fazendo o olhar surpreso - O novo androide deixou a casa pegar fogo e ele se sentia culpado - sorri olhar Markus - Então o levamos com nós! - completa vindo até mim,soltando da mão de Markus - Olha! Ela e sua mãe estão vivas mas parece que Malena fugiu de casa,pois não aguentou sua mãe! - coloca suas mãos em meus ombros,me ajudando a levantar.

- Quando você conversou com ela agorinha,ela já tinha fugido e está num hotel de Seul! - pronúncia Markus,apontando para a mansão apodrecida.

Um tipo de visão saí da mansão,mostrando Malena acordando surpresa e suada. Ela chorava baixo mas tinha certeza que eram lágrimas de alegria por me ver. Ela deve estar confusa demais.

- Agora temos que ir! - fala Simon,dando um beijo em minha testa - Quero que saiba que sempre estaremos no seu sistema,não importa aonde - sorri e ambos os dois somem.

~ Sonho Off ~

08:45

Acordo rápido,tentando entender o que aconteceu exatamente. Olho para o lado,vendo que Jotinha não estava na sua cama.

- Você acordou! - fala Jotinha,entrando no quarto com um prato - Sai para pedir um remédio e comida para você! - sorri se sentando na cama.

- Remédio? - pergunto olhando para a bandeja que ele trouxe junto - Que remédio? - me sento na beira da cama,ao lado dele.

- Quando eu acordei,vi que você estava quente então saí,indo até o refeitório e até a enfermaria! - sorri se levantando e coloca a bandeja em cima da minha cama - Irei sair a procura..... - começa mas eu o impeço,segurando sua mão - O que foi? - pergunta olhando para mim.

- Fique um pouco comigo! - fala olhando para baixo.

- Aconteceu algo? - pergunta me fazendo levantar meu rosto - Sabia! - sussurra mas eu pude ouvir - Foi um pesadelo? - pergunta me deixando mais surpreso que já estava.

- Não sei bem o que foi! - falo lembrando do sonho - Talvez um sonho ou um pesadelo mesmo - coço minha nuca - Talvez seja a realidade me dando uma bela bronca! - rio envergonhado.

- Realidade? - pergunta me fazendo arregalar. Esqueci que ele não sabe que sou um androide.

- E-eu.....quis dizer...... - me perco nas palavras,tentando formar uma frase complexa - Deixa pra lá! - falo me levantando,indo até minha cama e me sento ali - Você não entenderá mesmo! - sussurro para mim mesmo.

- Eu não entenderei o quê? - pergunta vindo até mim,me fazendo assustar - Você está me escondendo algo? - pergunta me fazendo rir de nervoso.

- N-não..... - grito tampando meu rosto - Não é isso! - falo baixo,apertando mais minhas mãos perto do meu rosto - Só tenho algumas coisas que não quero que você saiba! - pego a bandeja,colocando em cima de meu colo.

- Coisas que eu não devo saber? - pergunta pegando o remédio na bandeja,pegando um comprimido e o copo de água que veio junto - Segredos? - continua a perguntar.

- Você não tem nada a ver com isso! - falo alto,pegando o copo e o comprimido,colocando-o na boca e engolindo com a ajuda da água - Obrigado! - coloco o copo na bandeja,dando a bandeja para João - Não estou com fome! - me deito na minha cama para o lado da parede,tentando me afastar das coisas que João tenta falar comigo.

- Vai fugir mesmo? - pergunta alto e eu sinto algo afundar atrás de mim,olho para trás vendo-o ali - Pelo menos me conte como foi seu sonho! - me vira para ele - Por favor! - completa sorrindo com os olhos fechados.

- Tá! - reclamo alto,fechando meus olhos - Sonhei com uma amiga minha! - falo tentando entender por que eu disse "amiga",se ela é minha dona - O pai dela morreu por minha causa e eu pensei que ela estaria brava comigo por causa disso! - suspiro,virando de bruços - Eu e o pai dela eramos muito próximos! Ele era muito de boa comigo! - sorrio me virando para olhar o teto - Então sonhei que eu conversava com minha amiga! - abro meus olhos,já que eu tinha fechado e vejo Jotinha me olhar surpreso.

- Amiga? - pergunta confuso e surpreso - Você tem uma amiga? - pergunta me fazendo voltar à olhar a parede.

- Na verdade,ela é considerada minha irmã mais velha,pois,depois de um tempo,fui adotado por eles! - falo tentando saber como eu pude pensar nisto - Mas agora me deixe dormir! - reclamo,fechando meus olhos novamente,adormecendo na hora.

          ~ Rezende

10 de Janeiro de 2039

08:20

Acordo ouvindo um barulho em algum lugar. Me sento,olhando para os lados,tentando ver se Luiz estava no quarto e ele não está.

- Onde será que ele foi? - pergunto me levantando,indo até o banheiro - Será que ele está bem? - pergunto olhando para o espelho,olhando meu reflexo mas me assusto quando vejo algo atrás de mim - Quem está aí? - pergunto olhando para trás mas não vejo nada.

Volto a me olhar. Pego a minha escova de dentes e a pasta dental,passando a pasta na minha escova e começo a escovar meus dentes enquanto eu me olhava no espelho. Até ver novamente algo atrás.

- Isso está ficando estranho! - penso cuspindo na pia - Muito estranho! - olho para o espelho,vendo duas coisas atrás de mim avançar para o espelho,me fazendo correr do banheiro - O que diabos......? - escuto alguém entrar no quarto,olha para trás,vendo Luiz ali com uma bandeja em mãos.

- O que houve,Rezende? - pergunta deixando a bandeja numa cômoda,vindo até mim depois - Por que você está com sua escova? - pergunta dando uma risadinha.

- Tem algo naquele banheiro! - falo apontando para o mesmo - Eu vi algo atrás de mim! - continuo indo até a porta do mesmo - Eu juro que vi uns velhos lá dentro! - grito apontando para dentro - E eu sei que vocês estão aí! - olho para Luiz,vendo-o confuso.

- São vocês? - pergunta vindo até mim,entrando no banheiro - São vocês que apareceram em meu sonho hoje? - pergunta bufando alto - Me digam seus nomes,já que não nos falamos muito no sonho! - vou até ele,o abraçando pelas costas - Eles tem que..... - um vento forte o interrompe de falar.

Na frente de nós,aparecem dois velhos,os mesmo que eu vi e ambos sorriam.

- Desculpe-nos,Luiz! - falam juntos,fazendo uma reverência e Luiz faz o mesmo.

- Só queria saber seus nomes pois queria saber que referências eram aquelas! - fala sorrindo,me deixando confuso.

- Que referências? - pergunto baixo,acho que Luiz ouviu - Quem são vocês? - pergunto aos velhos.

- Sou Hank Anderson! - responde um dos velhos - E eu não sou velho! Só tenho 53 anos! - reclama olhando para mim.

- Sou Carl Manfred! - responde o outro velho,o que estava numa cadeira de rodas - E eu também não sou tão velho! Tenho 75 anos! - sorri vindo até nós.

Passo na frente de Luiz,colocando-o para trás de mim,protegendo-o.

- O que vocês queriam comigo? - pergunto me afastando um pouco.

- Queríamos chamar sua atenção e falar contigo! - responde Hank - Pois queríamos que você chamasse o Luiz para nós! - sorri olhando para trás de mim.

- Me expliquem o que eram aquelas referências! - fala Luiz,passando em minha frente - Por favor! - faz uma reverência.

          ~ Luiz

- Por favor! - falo fazendo uma reverência.

- Nós vamos contar sim! - fala Carl,me fazendo levantar minha cabeça e o mesmo sorri - Mas queremos saber se você conhece Connor e Markus! - vem até mim,pegando em minha mão - Não! Você não sabe quem são eles! - sorri com os olhos fechados.

- Eu sinto muito! - falo pegando na mão de Carl - Markus foi uma das referências que você disse,Carl? - pergunto apertando um pouco sua mão.

- Foi! - responde vendo Hank vindo até nós.

~ Sonho de Luiz On ~

Acordo num lugar estranho mas eu acho que conheço. Olho ao redor,tentando saber que lugar é e percebo que estou em umas das lojas da CyberLife.

- O que eu faço aqui? - pergunto baixo,saindo de onde eu estava,começando a analisar o local - Está bem destruído! - saio da CyberLife,vendo uma praça com algumas pichações pacifistas - O que aconteceu aqui? - pergunto olhando a praça.

Vendo que tinham alguns androides numa vitrine em minha frente,um drone destruído perto de uma construção e alguns pedaços de vidro embaixo de mim.

- Ano passado aconteceu isso? - pergunto surpreso.

- Aconteceu! - fala alguém,me fazendo pular num susto - Desculpe te assustar! - sorri indo até um banco,e eu o sigo,sentando ao seu lado - Uns androides invadiram essa loja para resgatar seus polvo! - olha para mim - Você estava aqui no ano passado? - pergunta voltando a olhar para frente.

- Eu estava com Rezende! - respondo olhando para o lado oposto do homem - Não sei de nada que aconteceu ano passado! - suspiro alto.

- Então você não os conhece! - escuto uma outra voz vindo perto de nós - Ele foi o melhor androide do mundo! - fala me fazendo olhar para o lado onde o homem anterior estava sentado,vendo um velho numa cadeira de rodas - Ele salvou a sua espécie e os pediram que dessem direitos iguais! - sorri dando a volta no banco,parando ao meu lado - Meu filho foi o herói dos androides! - sorri olhando para mim.

- Quem é seu filho? - pergunto mas ele não responde - O seu filho é um androide? - pergunto mas ele continua a não me responder.

- Igual a ele! - fala o outro homem,que estava sentado do meu lado - Ele me salvou e conseguiu libertar os androides que seu filho pediu,....! - fala mas um "pii" é ouvido no final - Ele ajudou seu filho! - sorri para o cadeirante.

- Sem ele,meu filho não teria conseguido a vitória! - fala sorrindo e ambos olham para mim - Qual é seu nome? - pergunta se virando para ficar de lado e o outro olha para frente,igual ao cadeirante.

- S-sou Luiz! - respondo forçando um sorriso,enquanto tentava entender o que acabou de acontecer - Quem são essas pessoas que vocês estão falando? - pergunto vendo ambos olharem para mim surpresos.

- São androides! - falam juntos,me fazendo ficar envergonhado.

- Desculpe! - falo olhando para baixo - Mas quem são eles? - pergunto mas nenhum dos dois queriam falar - Um é seu filho! - aponto para o cadeirante,que o mesmo me olhou para ver o que estou fazendo - E o outro é? - pergunto apontando para o homem sentado ao meu lado,e o mesmo me olha.

- Um sócio? Um amigo? Uma família? Ou até mesmo amante? - pergunta tentando responder minha pergunta.

- Um amante? - pergunto surpreso - Eh.....errr..... - coço minha nuca - Vou dizer como família! - sorrio forçado,tentando entender por que ele disse amante - Ambos os dois androides são família de vocês dois! - começo olhando para cima,vendo aquele céu bonito da noite - Mas vocês realmente não querem dizer quem são? - pergunto olhando ambos.

- Desculpe mas temos que ir! - falam juntos e ambos somem.

- Isso significa que não querem falar sobre eles! - sussurro suspirando enquanto fechava meus olhos.

~ Sonho de Luiz Off ~

- Igual falei sobre o Connor! - fala Hank,sorrindo de lado.

- Espera...... - começa Rezende,ficando ao meu lado - Connor não foi aquele androide caçador de divergentes? - pergunta confuso,tentando lembrar de algo.

- Foi! - responde fazendo Rezende pular.

- Ele é incrível! Igual a você,Tenente! - fala enquanto sorria e pulava alegremente.

- Você os conhece? - pergunto vendo Rezende parar de pular.

- Sim,eles são do Departamento de Polícia da Cidade de Detroit Red Ice! - grita alegre - Sempre queria os ver algum dia! E esse dia é hoje! - sorri olhando para Hank.

- Não acredito que você lembra a nome inteiro do departamento! - sussurra mas eu pude ouvir.

- E eu muito menos! - sussurro para Hank.

- Enfim,todas as referências eram sobre Connor e Markus! - fala Carl,enquanto olhava para cima.

- Antes de vocês irem....... - começo chamando a atenção dele - Podem me falar mais sobre esse Markus? - pergunto olhando Carl - Me parece que ele foi muito importante para o ano passado! - sorrio sobrado.

- Markus,modelo RK200,foi o líder de um cargueiro chamado Jericho,onde encontra-se os amigos de Markus! - começa enquanto brincava com sua cadeira de rodas - Seus nomes são North,Simon e Josh! Incluindo que um desses é amante de Markus! - sorri jogando sua cabeça para trás - Ele sempre cuidava de mim,mas,infelizmente,eu morri! - volta a olhar para frente.

- Obrigado por me contar mais sobre ele! - falo fazendo uma reverência - Agora vocês podem ir! - sorrio vendo ambos sorrirem de volta enquanto sumiam e eu aceno para os dois - Gente boa! - sorrio saindo do banheiro,indo para minha cama,sendo seguido por Rezende.

- Onde você estava mais cedo? - pergunta se sentando na sua cama,enquanto eu deitava na minha.

- Eu estava na cantina! - falo me sentando - Eu resolvi trazer seu café da manhã mas...... - coloco meus braços em volta dos meus joelhos - Acabei o encontrando novamente! - suspiro colocando minha cabeça entre meus braços - Tentei ignora-lo mas ele me prensou numa parede e tentou tirar alguma palavra de minha boca! - bufo irritado - E ele...... - tiro minha cabeça dos meus braços - Acabou me...... - tento falar mas travo.

- O que ele te fez? - pergunta vindo até mim,sentando atrás de mim e me abraça - Dependendo do que for,eu não o matarei! - sussurra em meu ouvido.

- Ele......acabou me...... - tento falar novamente mas o flash back daquela hora vem em minha cabeça.

~ Flash Back On ~

Wolff prensa Luiz numa parede,sorrindo de lado enquanto tentava não deixar Luiz escapar.

- Você é tão fofo!! - fala Wolff - Mas quero saber o por que que você está me ignorando! - sorri vitorioso - Quando alguém me ignora,eu faço de tudo para que ela me responda o por que! - sorri chegando perto do rosto de Luiz.

Luiz tenta se soltar as mãos de Wolff que seguravam seus pulsos. Ele desviava do que Wolff tentava fazer mas não conseguia mais pois Wolff pegou no queixo do menor,forçando-o a olhar para frente.

- Isso deve ser bom! - fala selando os lábios de ambos.

~ Flash Back Off ~

Coro com que eu lembro,sentindo lágrimas caírem de meus olhos.

- O que ele fez contigo? - pergunta Rezende,me abraçando mais forte.

- Ele.....me.....beijou! - respondo abaixando minha cabeça,sentindo Rezende se desfazer do abraço.

- Eu vou matar......esse desgraçado!!! - grita tentando ir para a porta,mas eu segurava sua mão para que ele não faça nada.

- Você sabe se você fazer algo com ele,ele vai fazer pior comigo! - falo o puxando para sentar em minha frente - Mas quero que saiba que aquilo nunca seria um beijo para mim! - sorri olhando para o lado,corado.

- Então isso seria um beijo? - pergunta me fazendo o olhar e o mesmo sela nossos lábios.

Ele pede passagem e eu cedo,corado com tudo isso. O beijo era calmo e amoroso,mas também era receoso e apresado de certa forma. Ele para o beijo,olhando para mim,me fazendo corar e olhar para o lado.

- Eh.....err..... - tento falar,rindo de nervoso - Re-respondendo su-sua pergunta......sim,i-isso sim fo-foi um beijo! - rio mais alto,nervosismo está me dominando.

          ~ Tayr

10 de Janeiro de 2039

08:40

- We finished! {Terminamos!} - I say as I put the broom in my hand, leaning against a wall. {falo enquanto coloco a vassoura em minha mão,encostada numa parede.}

- What a dusty house! {Que casa mais empoeirada!} - talking Coffee playing on the couch{fala Café se jogando sentado no sofá} - Do not you really speak Portuguese? {Você realmente não fala português?} - ask yourself if turning up. {pergunta se virando para cima.}

- Not much! {Não muito!} - i answer looking at him, sitting on the floor in front of the sofa.{respondo olhando para ele,me sentando no chão em frente ao sofá} - But my mother taught me a bit of Portuguese before I came here! {Mas minha mãe me ensinou um pouco do português antes de eu vim para cá!} - i add looking up, watching him look me over. {acrescento olhando para cima,vendo-o me olhar em cima de mim.}

- Your mother? {Sua mãe?} - ask taking your head off me, coming back {pergunta tirando sua cabeça de cima de mim,voltando para trás} - She is Brazilian? {Ela é brasileira?} - he asks me to sit down, pulling me to sit beside him. {pergunta se sentando,me puxando para sentar ao seu lado.}

- Yep! {Sim!} - i say making a funny voice, making him laugh {falo fazendo uma voz engraçada,fazendo-o rir} - Too bad she died! {Pena que ela morreu!} - sad river, while playing with my hands. {rio tristonho,enquanto brincava com minhas mãos.}

- But do you have someone who acts like a mother to you? {Mas você tem alguém que age como uma mãe para você?} - question coming up to me, pulling me into a hug {pergunta chegando perto de mim,me puxando para um abraço} - If you have not, I can be that person who looks after you like a mother! {Se não tiver,eu posso ser essa pessoa que cuida de você como uma mãe!} -smile giving a kiss on my forehead. {sorri dando um beijo em minha testa.}

- Thank you, Michael! {Obrigado,Michael!} - i speak smiling and returning his embrace, squeezing him a little. {falo sorrindo e retribuindo seu abraço,o apertando um pouco.}


Notas Finais


Bom.....foi isso.

Essa parte do Tayr,me deu uma baita preguiça. Eu falei "Não irei colocar em inglês pois todo mundo sabe que Tayr vendo dos Estados Unidos!" mas aí veio uma ideia. Eu falei "Mas deve ficar bom em inglês!",então eu deixei assim.

E se vocês pesquisarem o que eu coloquei como horário na visão do Batista,será horas ^^

EU PASSEI MEU RECORDE DE PALAVRAS ^^ ^^ ^^. Agora o próximo recorde é 10.000 palavras ^^

Mas......
Espero que tenham gostado,compartilhem o que acharam.

Um beijo,
Um queijo
E tchau .-./


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...