1. Spirit Fanfics >
  2. Andrômeda >
  3. Prólogo: Bem-vindo a Tóquio!

História Andrômeda - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Prólogo: Bem-vindo a Tóquio!


Fanfic / Fanfiction Andrômeda - Capítulo 1 - Prólogo: Bem-vindo a Tóquio!



RYOKO P.O.V








"Finalmente, após uma longa e conturbada jornada... Cá estou eu, sonhada Tóquio! Oh, belíssima capital... Dê-me boas-vindas, pois eu abalarei seus domínios"!










Pelo menos, era isso que eu tinha em mente quando desci do avião. Entretanto, a multidão absurda do Aeroporto Haneda me intimidou o bastante para me fazer morder a língua!







"Contenha-se, Ryoko! Não seja estranha, estúpida, ridícula ou escrota! Apenas, aja como uma pessoa normal!








De fato, meu subconsciente nunca foi bom em manter a calma. De qualquer forma, eu já não tenho alternativas. Estou longe demais de casa. Então, não posso simplesmente dar meia volta e correr até Naha. O melhor a se fazer nesta situação é esperar pelo meu tio: Yasushi Murakami.





ALGUMAS HORAS DEPOIS:




Puta merda, cara! Passaram-se quase cinco horas e aquele velhote mulherengo ainda não chegou! Mesmo depois das minhas inúmeras ligações, aquele desajustado nem mesmo dá sinal de vida! Já estou quase mofando neste maldito aeroporto! Finalmente, após uma longa espera, meu celular toca.









- Ojisan¹, onde você está?!

- Ryo-chan², eu sinto muito! Eu tive um pequeno contratempo no trabalho e acabei me atrasando! - declara arrependido, fazendo-me suspirar.

- Está tudo bem, não se preocupe, mas, por favor, apresse-se! Estou te esperando no aeroporto há mais de quatro horas! As pessoas já estão até me olhando estranho...! - murmuro envergonhada.

- Eu já estou indo. Tentarei chegar o mais rápido possível. Espere-me na entrada, querida.









A ligação se encerra e eu me levanto, alongando-me e pegando minha bagagem. Caminho até o hall de entrada e espero. Ah, cara... Que dor! Meu corpo está travado e a minha bunda está latejando! Eu preciso espairecer um pouco!

De tal forma, tiro minha jaqueta - amarrando-a na cintura - e começo um breve aquecimento, livrando-me do desconforto e esticando os nervos. Eu posso afirmar que soltei a minha mochila por um milésimo de segundo, mas... Fora tempo o suficiente para um filho da puta a roubar!









- O quê?! Puta que pariu, cara! - imediatamente, corri atrás dele. - Olha o ladrão aí, mano! Esse filho da puta roubou as minhas coisas! Alguém segura ele, porra!









Eu berrei por ajuda desesperadamente, mas o povo cagou e andou para mim! Foi quando eu percebi que teria que resolver essa merda sozinha! Não posso negar que o infeliz era rápido, mas eu era ainda mais!

Mano, eu estava furiosa, impaciente e cansada! Sem mencionar que as longas horas em um aeroporto caríssimo e com, apenas, um pacotinho de amendoim no bolso me deixaram faminta! Aquela era a receita certa para o desastre! Mesmo diante desta situação delicada, esse bastardo ousa roubar a minha mochila?! Eu vou soltar os cachorros encima dele e mandar ele para porra do inferno!

Eu mirei meus olhos nele, tornando-o minha presa! Persegui-o imponentemente como um guepardo caçando uma gazela (que comparação bosta)! Criei atalhos inesperados, saltando por entre lojas e pedestres.

Quando eu estava a milímetros de alcançá-lo, ele desviou e atravessou a rua movimentada. Obviamente, deu bosta e o idiota descuidado quase foi atropelado por um honda preto! Infelizmente, o cara freou antes e buzinou, assustando-o e o fazendo parar. Aproveitando-me da chance, eu corri em sua direção e saltei, metendo-lhe uma voadora no peito!

O babaca caiu de maduro! Conseguinte, eu ajoelhei sobre seu peito e soquei sua cara, quebrando o seu nariz e o deixando inconsciente. Por fim, levantei-me e o arrastei para calçada, recuperando meus pertences.

Imediatamente, um grupo de policiais que assistia a cena ao longe corre ao seu auxílio e chama uma ambulância. Enquanto isso, a multidão comentava o surreal conflito e me julgava com seus olhares inquietos.









- Ryo-chan?! - subitamente, ouço uma voz familiar e percebo que, surpreendentemente, o motorista do honda era meu tio!









Que coincidência, não é mesmo?! Um plot twist³ conveniente e típico de roteiros amadores que tentam surpreender um público experiente com tramas tão previsíveis quanto desinteressantes!

Em todo caso, aquele era meu tio: um homem alto de pele levemente bronzeada, longos cabelos negros e olhos castanhos, vestindo um elegante terno preto. Acredito que ele seja considerado uma pessoa "acima da média", devido ao seu trabalho como olheiro que lhe rendeu uma série de contatos influentes. Além disso, acompanha-lhe a má fama de pilantra mulherengo, graças ao seu histórico questionável de relacionamentos no ambiente de trabalho.









- Haitai, ojisan!









De tal forma, senhoras e senhores, eu concluo a história do meu primeiro dia em Tóquio: no qual tive minha mochila roubada, espanquei o responsável por roubá-la e acabei causando um congestionamento em uma das rodovias mais movimentadas de Ota. Oh, que grandioso chá de merda!



GLOSSÁRIO:


1. Ojisan é um termo japonês usado para se referir a homens mais velhos (agindo como "tio", por exemplo).

2. Chan é um honorífico japonês feminino utilizado para denotar carinho (agindo como o diminutivo no português, por exemplo). Deve ser usado após o nome.

3. Plot twist é uma reviravolta radical e inesperada na direção de uma narrativa.

4. Haitai é uma saudação universal okinawana usada, exclusivamente, por mulheres.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...