História Andromera - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Ficção Cientifica, Jikook, Jikook!flex, Jimin!powerbottom, Kookimin, Magia, Mistério, Robôs, Sope, Taeyooseok, Universo Alternativo, Vhope
Visualizações 9
Palavras 2.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo fresquinho.
Me desculpem qualquer erro.

Boa leitura 😍

Capítulo 2 - Capítulo ll


Fanfic / Fanfiction Andromera - Capítulo 2 - Capítulo ll

7 anos depois....

Reino Solaria. 🏰🏰

sala do trono.🏙️

 

- então senhores. Alguma questão a apresentar?- A rainha de Solaria se pronunciou. Era dia em que os cinco reinos sendo eles Órion, North, Solaria, Hermes e Steelheart. Se reuniam para tratar de assuntos envolvendo o planeta Escaria. Todos esses reinos antes da fera despertar-se, eram planetas, que abitavam os mais diversos seres. No despertar da fera, a deusa Andromera, uma terráquea. Usou todas as suas forças para derrotar-lo e isto causou uma grande explosão pelo universo, distruindo todos os planetas. O monstro precisava ser trancafiado em um planeta e ela criou apenas um, Escaria. E neste planeta o dividiu em cinco partes e levou alguns os seres dos antigos planetas para povoar. Criando assim a divisão de hoje. Com tecnologica e mágica.

- eu tenho, como estão os desenvolvimentos dos novos programas de segurança? - pergunta o rei de Órion, um cara de pele esverdeada, cabelos negros e de olhos amarelos.

- bem. Os novos software para os novos andróides estão sendo testado no laboratório da universidade. - Angel responde amostrando os hologramas do sistema.

- e as frutas? Conseguiram estabilizar as pragas? A colheita desse ano é muito importante para a economia do meu reino. - a rainha dos Hermes falou. O reino dos Hermes possuíam os mais incríveis seres com a capacidade de telepatia, telecinésia, teleplastia e astromância. Eles eram seres de estatura alta e pele bronzeada. Percerfone, a rainha dos Hermes, possuíam longos cabelos ruivos e olhos arroxeados, combinado com uma roupa de seda roxa, marcando o corpo musculoso.

- sim. Criamos androides que escaneam cada fruta em buscar das pragas. Sendo pulverizado, uma substância a base de água e nitrogênio. Matando-as mas ao mesmo tempo cuidando do fruto. Explicou atravéz de uma amostra. - perfeito.

- algo a mais? 

- na verdade... Estamos curiosos para sabermos sobre o príncipe jungkook. - a rainha do norte de pronúnciou, uma androidiana.

- ele já consegui saber quais são os poderes dele? 

- oh, ainda não. - até ela se preocupou. Normalmente os Andromeris descobrem seus poderes ao 5 anos de idade, seu filho já tinha 9 anos e até agora nada.

- eu acho que pode ser do Ar. - sujeriu um deles.- o poder principal é sempre um elemento da natureza.

- eu chuto fogo!.

- água!

- gelo!

Começou uma discurssão sadia sobre os poderes do herdeiro, até todos se calarem ao visualizar a criança entrando na sala chamando por sua mãe.

- mãe! - correu até ela, no processo os fios pretos se misturavam, criando uma bagunçada armonica com o rostinho corado e os olhos, ah aqueles olhos. Eram como duas jabuticabas coloridas, era inegável quando olhava para alguém fixamente, a pessoa ficava hipnotizada com os mirantes coloridos. Seria este seu poder, hipnose?

- Oi, filho. - sentou ele em seu colo, sendo assistida por todos na sala.

- papai falou que vocês iram passear pelo reino. Posso ir junto? Prometo ficar quieto. - fez biquinho, ele sabia como convencer alguém.

- pode amor. Mas a visita no reino é só mês que vem. - com delicadeza, escovou os fios dele para trás. Mas eles sempre acabavam voltando para o mesmo lugar. Era lindo o movimento produzido. O garoto apenas conformou-se.

- tudo bem. - sorriu expondo os dentinhos branquinhos em formato de um animal muito conhecido no antigo planeta terra, coelhos. Este ato fez todos os reis e rainhas reproduzir em perfeita harmonia um "onwt" pela sua fofura. Foi automático a vergonha em si. Jungkook era muito tímido mas também muito educado.

- você é muito fofo, jungkook. - disse um dos reis que ele nem conseguia olhar na cara pela vergonha, apenas agradeçeu se encolhendo na mãe.

- bom. Acho que é só isto por hoje. Uma boa hospedagem para vocês. - já de pé, desejou para os presentes e sair da sala segurando a mão do filho.

- aconteceu algo filho? Está diferente. O menino ficou quieto pelo percurso até seu quarto. Sua mãe entrou também.

- nada de mais, mãe.

- mentira. Anda me conta o que houve.- lhe chamou para sentar ao lado dela. Assim ele fez. Silêncio

- foi o seu pai? Ele assentiu. - me conta. - aperta as mãozinhas lhe passando confiança.

- ele... Fica colocando pressão em mim. Porque eu ainda não sei os meus poderes. Juro que tento mas é difícil.

- oh meu amor. - com os polegares, limpa o rostinho molhado.- seu pai é um idiota. Não liga pra o que ele diz, uh? Não force porque ele quer, ouviu? Uma hora vai aparecer naturalmente.

- a senhora tem alguma hipótese do porquê não apareceu?. - sim, ela tinha. Mas não queria acreditar na lenda. Se realmente é o que ela imaginou, seu filho so iria descubrir o poder na mesma hora que sua alma gêmea.

 

      🌌🌌🌏🌌🌌🌌🌌🌏🌌🌌 


Distrito27🌆


- vamos jimin, seja mais rápido.

- tô tentando. A programação tá muito rápida, Nonna.

Os dois irmão estava na floresta treinamento golpes de lutas antigas. Uma delas era o Taekwondo, jimin perdia feio para os robôs com os que lutava.

- seja rápido! 

- eu tô tentando! - se distrair da luta para poder gritar, ele não deveria ter feito isto. O robô lhe derrubou, levando o garoto a nocaute. A luz incomodou os mirantes coloridos desprovidos da armação escura, óculos.

- nunca se distraía. - olhou o garoto jogado de um jeito engraçado, ele agradeceu mentalmente por ela ter ficado na frente do sol.

- Aish. - resmunga.

Nesta hora, um barulhinho chamou a atenção deles. Era a pulseira da garota. Recentemente tinha achando e concertado. Ela apenas balança a palma projetando um holograma de uma mulher. Minji.

- oiê, mãe. 

- oi amor, cadê o jimin?

- aquele serve?- Virou o braço amostrando o menino caído. Ele apenas deu um sorrisinho sem graça. 

- ainda caindo, filho?

 - a culpa é da Nonna. - levanta-se limpando as vestes e pegando os óculos.

- minha nada! Você que não sabe lutar, seu toquinho de amarrar.... Qual é o nome daquele animal que tinha na terra?

- é pônei, sua idiota. E eu não sou pequeno!

- é sim!

crianças! Parem. Por causa desta briguinha, vocês só terão 30 minutos para chegarem em casa. Ou vão ficar sem almoço. - desligou.

Parece que a força passada pelo bebê fez as coisas ficarem melhores 5 anos atrás. Logo depois do parto, Minji conseguiu um emprego no centro, especificamente com aparelhos eletrônicos. Agora a família tinha uma condição boa, e comida para três refeições. Jimin conseguiu um peso ideial e estava bem saudável.

- competição de skate?

- competição de skate!

Ambos jogaram a bolinha sobre o ar, que foi reproduzido o equipamento de diversão. Contaram até três, saindo em disparada. A casinha deles eram longe da floresta, por isso teriam que correr e muito. Jimin pegou um atalho, facilitando as coisas.

 

  🏰🏰🏰🏰🏰🏰


Com a última passada, jimin chegou no centro visualizando jiwon numa barraca de eletrônicos usados. O sol era escaldante mas não atrapalhava em nada no comércio do pobre distrito. Segurando firme o skate, chegou até ela.

- qual é Bee, o menor preço, cara. Essa lata velha nem vale isto tudo, o que estou oferecendo ainda é muito.

- 587 mites (50 reais) - disse o dono da quitanda velha. Um homem barbudo de mal cheiro.

- 17 mites (9 reias) é pegar ou largar, Bee. -jiwon era muito persuasiva. Ele relutou mas acabou aceitando.

- passar bem.

- pra quer isto, mana?

- segredo. - ele ficou emburrado com a resposta.

- agora vamos, se não nosso almoço já era.


 🏰🏰🏰🏰🏰🏰


Ainda faltavam alguns quilômetros até chegarem. O castelo de Solaria era belíssimo, tanto que atraiu olhares de jimin. As mulharas eram todas revestidas por um sistema de segurança altamente avançado. Sem contar nos guardas andróides que sempre davam medo nos cidadãos por sua tamanha altura e corpos musculosos.

- castelo de Solaria é lindo, não acha? - a garota apenas deu de ombros.- eu queria poder ser um rei, deve ser legal ter acesso a magia.

- não diga bobagem. Não precisa ser um rei pra ter magia. - olhou em volta antes de mecher os dedos suavemente, reproduzido uma maçã em mãos.

- wow! Como fez isto!

- segredo.

 

🏰🏰🏰🏰🏰🏰


- chegamos e ainda temos 7 minutos restantes. - adentrou no local junto com o irmão.

- espertinha. - disse o pai acionando a lavanderia.

- mãe. Meu dentinho tá mole, oh.- apontou pro dentinho de baixo.

- ui, maninho. O Mike vai arrancar na mordida.- assustou o irmão.

- idiota. - amostrou a língua pra ela. - mãe, por que não posso amostrar meus olhos para as pessoas?

- hmm. Vem aqui.- ambos se sentaram no sofá. - olha filho, seus olhinhos são especiais. Nem todos vão entender a preciosidade deles. Deixe-me contar uma história.- alisa a bochecha gordinha e corada, os anos de passaram mas tinha ainda possuíam as bochechas fofas.- Antes do nosso planeta nascer, existia outro mundo antigo, chamado Terra. Nesse planeta surgiu a primeira mulher que tinha os olhos iguais aos seus, e no decorrer dos anos, vários foram nascendo. Mas tinham pessoas malvadas que queria matar os descendentes dela. Porque eles eram... Os mais belos. Ela ficou furiosa no céu e disse que só iria nascer dois a cada mil anos. E um deles é você amor. Por isso que tem que esconder seus olhinhos, as pessoas podem querer te fazer algum mal.

- não quero morrer. - deixou as lágrimas banharem os olhos coloridos.

- você não vai. Então, obedeça. Certo?

- certo mamãe.

 

🏰🏰🏰🏰🏰🏰


- vai me ensinar? Eles estavam no terraço da casinha e jimin pergunta - ou tenta, por causa da boca cheia de frutas- ao ver Jiwon usar magia mais uma vez.

- você não sabe. - tenta concentrar-se.

- quem disse?!

- eu tô dizendo.

- vaiiii, só uma vez, e depois não te perturbo mais.

- ok muleque. Vem cá.

- tô indo. Levanta quase tropeçando pela felicidade. Se posicionar da forma que mandará.

- agora feche os olhos, se concentra e lança. 

Jimin fez, mas o que ele não esperava era que uma rachada de fogo saisse de suas mãos, queimando o gramado sintético da vizinha. Jiwon ficou boquiaberta, nem ela tinha conseguido está proeza.

- AAA. Eu consegui!

- QUEM QUEIMOU O MEU GRAMADO?! era a vizinha. Eles se entreolharam pensando a mesma coisa.

- fudeu. - correram de volta pra casa.

 

    🌌🌌🌏🌌🌌🌌🌌🌏🌌🌌


Reino Solaria 🏰🏰

Quarto do jungkook.🏙️🏙️


- jungkook volta aqui! Jungkook! O rei seguia-lhe com raiva.

- me deixa. - de alguma forma olhar as ruas do reino pela janela gradeada, fazia ele se distrair enquanto chorava.

- por que agiu daquela forma no jantar?

- não é óbvio? O senhor sempre fica me humilhando perante aos demais por eu não ter descoberto meus poderes.

- e estou errado? Já estar mais do que na hora de revelar isto, jungkook! Você é o herdeiro de Solaria. Um Andromeris! Espero que aja com tal!

- eu já disse que não consigo, pai. - tornou-se a chorar.

- pare de chorar!

- então para de me força!

- não ouse gritar comigo! - apertou com força o braço frágil do menino. Olhando furioso para os olhos coloridos dele. - esculta bem, jungkook. É melhor você descubrir logo este poder. Ou sei não, jogo você no calabouço junto com os lobos!

- mas... Eu sou seu filho. Faria isto? - naquela hora ele sentiu a primeira sensação negativa, medo.

- até pior. -soltou o braço dele e andou pelo quarto luxuoso pra descontar sua frustação. Jungkook se encolheu alisando o braço vermelhinho.

-sabe qual é a sensação de perguntarem pra você se o herdeiro, seu filho, o portador da magia total, sabe o usar poderes dele e a única coisa que pode responder é: ele não consegue liberar a magia? Claro que não sabe! Seu coração se aperta a cada palavra dada pelo seu progenitor.

- pai... Para com isto. Eu já disse que não consigo.

- cala a boca, jungkook! - com raiva, usou magia para jogar a cadeira em direção do filho. Sorte que acertou a parede e não o rosto do menino.

- ficou louco, junghyn?! 

Angel adentrou no quarto furiosa ao avistar a última cena. Os gritos dele davam pra ser escultados até o final do corredor enorme.

- mãe... 

Ele iria até ela mas uma barreira de magia o impediu. A tontura lhe bateu, seus pais começaram a brigar, e era sua culpa. Por que não conseguia liberar a magia? Seria ele defeituoso? Ou pior, a Deusa Andromera tirou seus poderes? Nenhumas dessas perguntas possuíam respostas. Sua cabeça girava, seu braço doía e procurando a mãe pra tentar se acalmar. Viu algo que lhe chocou. Se pai estava com a mão levantada, ele iria mesmo bater nela?! Este foi o ápice pra liberar a dor que sentia por toda humilhação, ele precisava ajudar Angel. A pergunta era: como? Nem ele mesmo sabia. Só conseguiu raciocinar quando o silêncio reinou no cômodo, e sentiu as mãos frias. Abriu os olhos que nem percebeu ter fechado.

- filho... Angel olhou surpresa para ele, logo para as paredes. O garoto repetiu a ação dela. Não sabia descrever se sentia felicidade ou choque, o quarto inteiro estava congelado, desde as paredes até os móveis. Ele finalmente tinha descoberto seu poder, gelo.

 

 

 

 Continua... 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...