História Angel (Min Yoongi BTS) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amor, Anjo, August D, Bangtan Boys (BTS), Drama, Fantasia, Imagine Bts, Imagine Suga, Min Yoongi, Romance, Suga, Xbech
Visualizações 95
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá Sweeties, tudo bem? Chegou mais um capítulo, espero que gostem!

Boa leitura✌

Capítulo 17 - Entre mimos e um depoimento.


Hospital central de Daegu, dia 3 de Janeiro, às 10 horas da manhã. 

— Acho que consigo comer sozinha. — verbalizou de um jeito fofo. Nary me matava de fofura, eu adorava mimar a garota. 

— Você ainda está se recuperando, não quero que se esforce. — falei, levando um copo de suco até seus lábios. — Você ainda sente muita dor pelo o corpo? 

— Sim, mas dar para suportar. — respondeu. Lhe dei um pouco mas de frutas, ela gosta de uvas. — Como conheceu meu irmão? 

— Longa história. — falei. O recesso de fim de ano do trabalho do Jimin havia terminado, e mesmo visitando todos os dias a sua irmã, eu acabo ficando com ela mais tempo. 

— Pelo que eu saiba, eu não tenho nenhum compromisso. — falou, com uma certa ironia.— Quero ouvi essa longa história. 

— Uh, tudo começa pela coincidência de eu está morando no mesmo apartamento que você morou em Seul. — falei. 

— Sério? Isso é legal. — sorriu, e nossa, como eu morro com esse sorriso. — Por que está em Daegu? 

— Fiquei de ferias da faculdade, as aulas começarão no próximo mês. — respondi. — Acabei conhecendo seu irmão em uma festa, conversamos e ficamos amigos. 

— Essa é a longa história? — questionou. Eu rir nervoso, não estava pronto para contar a verdade e nem sei se um dia irei contar. — Porquê você ajudou meu irmão? 

— Foi injusto o que aconteceu com você, me via na obrigação de ajudar um amigo. — respondi. 

— Porquê me mima tanto? — perguntou e eu senti minha garganta se fechar. 

— Porque você... ainda está se recuperando. — falei como se fosse óbvio. — Não gosta de ser mimada? 

— Estou começando a gostar. — sorriu, em seguida abriu a boca para receber mais algumas frutas. — Sua namorada não ficará com ciúmes em saber que você está mimando outra garota? 

Deixei o garfo descansar sobre a bandeja e engoli em seco, os olhos penetrante da garota me deixava mais nervoso. 

— Eu não tenho namorada. — encarei seu olhos, ao contrário que imaginei ela não desviou o olhar e por um momento senti aquele momento estranho, não sei explicar. 

O momento foi quebrado quando a porta se abriu, o Dr. Cho estava acompanhado por dois policiais, e eu congelei no mesmo instante. 

— Srta. Park, como a senhorita acordou a polícia quer coletar seu depoimento sobre o acidente. — disse o médico. 

— Precisa ser agora? Ela está comendo. — tentei evitar aquela conversa. 

— Será rápido. — afirmou um dos policiais. — Pode nos deixar sozinhos, depoimentos são confidenciais.

Assenti sem jeito, mas antes de sair do quarto olhei para Nary, ela não tinha expressão alguma e naquele momento fiquei com medo. 

O policial tinha razão, tal depoimento foi rápido, uns dez minutos no máximo. Os policiais saíram do quarto, me permitindo entrar no quarto novamente.

— Você lembra de muita coisa do dia do acidente? — perguntei para a garota, enquanto fechava a porta atrás de mim. 

— Não. — respondeu. — Me lembro somente da dor na hora do baque. — deu de ombros. 

— Você sente, tipo... a necessidade de saber quem era o motorista? — perguntei com cautela. Voltei para perto da cama. 

— Às vezes sim, às vezes não. — respondeu. — Não penso nisso agora, a minha prioridade é voltar para casa e tentar arrumar minha vida, continuar da onde eu parei. 

— Eu concordo. — concordei. — É o melhor que você faz. 

A garota sorriu, seus olhos sumiram no meio do sorriso e com esse gesto sorri também, impossível não sorrir diante de um anjo desse. 

---o---o---

O cheiro das flores numa tarde fria era aconchegante, o jardim do hospital era o lugar menos deprimente do hospital, ali esquecemos que a poucos metros têm pessoas que está passando por momentos difíceis. 

O médico receitou o que seria bom para Nary um passeio pelo jardim, entrar em contato com o ar puro, afinal passar quase um ano dentro de um quarto de um hospital era agonizante. 

— Estou cansada, quero sentar. — resmungou a garota. A levei até ao um banco de concreto com assento para duas pessoas. — Obrigada, Yoongi.

— Pelo o quê? — perguntei. 

— Você está cuidando muito bem de mim. — falou. — A gente já se conheceu antes? 

— Infelizmente não, mas eu adoraria. — sorri. 

— Me fale um pouco de você. — pediu. — Quero te conhecer melhor. 

— Uh, meu nome você já sabe, tenho 24 anos.— falei. Queria encerrar por ali, mas a encarada da garota meio que me ordenou a continuar. — Eu nasci e me criei em Daegu, mas uns cinco meses atrás me mudei para Seul. Eu tenho uma irmãzinha que se chama Yoonji e minha mãe está grávida e eu estou torcendo para que seja um menino. 

— Isso é muito fofo. — sorriu. — Porque se mudou para Seul e o que faz lá? 

— Faço faculdade e decidi sair da casa dos meus pais porque eu precisava crescer, digo crescer, me tornar mais responsável.

— Eh eu entendi, com 24 anos não vai mais crescer. — falou, e começou a rir da minha altura. 

— Olha quem fala, e isso foi totalmente desnecessário. — fingi uma carinha emburrada fazendo a garota rir. 

— Desculpa. — pediu fofo e agora que sorria era eu. 

Ficamos ali por mais alguns minutos até levá-la de volta para seu quarto. Lhe coloquei com cuidado na cama e sentei na poltrona ao seu lado. 

— Porque não me fala algo sobre você? — questionei. — Também quero te conhecer melhor. 

— Bom, você já sabe meu nome, tenho 20 anos, aliás estou perto de completa 21. — comemorou batendo palmas baixinho. — Nasci em Busan, mas desde de pequena moro em Daegu, minha mãe faleceu quando eu ainda era pequena, só tenho Jimin como irmão. 

— Quando é seu aniversário? — perguntei. 

— 14 de Janeiro. — respondeu. 

— O que quer ganhar de presente? — Nary sorriu corada. — Estou falando sério, pode me pedir o que quiser? 

— Mesmo? — perguntou e eu assenti. — Irei dizer o que quero somente no dia do meu aniversário.


Notas Finais


Uma pergunta, o que vocês acham que ela vai pedir de presente para o Yoongi?

Comentem, irei amar saber da opinião de vocês💗
Espero que tenham gostado, foi curtinho mas foi escrito com carinho. K
Até o próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...