1. Spirit Fanfics >
  2. Angel >
  3. Chapter Eleven

História Angel - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


QUEM É VIVO, SEMPRE APARECE NÃO É MESMO?! KKKKKKKKKK

Eai meus pequenos gafanhotos, como tem estado? Tudo na boa e na paz de Cristo?

Eu demorei para aparecer novamente porq estava (e ainda estou) sofrendo com um bloqueio enorme, me sentia empacada na história e nao sabia mais como dar continuidade ou ate onde levar... E por essa razão, decidi procurar um coautor pra me ajudar!

E notem, o capítulo tomou forma de um jeito instantâneo, depois de apenas algumas horas de conversa!

Conheci essa guria incrível (minha salvação) que instantaneamente me deu ideias do que fazer e como fazer, e foi tiro e queda, voltei a escrever no mesmo instante ao ficar empolgada com suas ideias incríveis!

Nicolly, te amo, tu me salvou! KKKKKKKKKKK

P.S: Se preparem que agora a fanfic tem um rumo definido, então as atualizações podem vir a acontecer do nada, sem data prevista e vai ser pra lascar geral!

Capítulo 11 - Chapter Eleven


Fanfic / Fanfiction Angel - Capítulo 11 - Chapter Eleven

Jeon Jungkook

Larguei um suspiro extremamente barulhento para aquela sala silenciosa, era como se eu tivesse acabado de sair de uma briga ou ate mesmo do tribunal depois de uma longa audiência. Os Park tinham recentemente saído de meu escritório, me deixando com imensas questões e estratégias em mente. Park Jimin tinha o cheiro adocicado, como qualquer outro ômega, mas o seu tinha um toque de frutas cítricas, o que não deixava o cheiro enjoativo. Mas eu odiava ômegas que se encolhiam de medo apenas na presença de alguém mais dominante, e o cheiro nojento que inundou minha sala ao ter aquele baixinho ali, com pequenos tremores assustado pelo simples fato de me olhar nos olhos, deixou meu lobo extremamente puto da cara.

- Cristo! Você ta com uma cara de quem vai matar alguém. - Jung Hoseok apenas invadiu minha sala, sem mais nem menos, apenas porque ele quis e porque de acordo com ele, era o único que podia.

- Você precisa parar de simplesmente abrir a porta e ir entrando sem ser convidado… - eu afrouxei a gravata apertada ao redor do meu pescoço, aquele pequeno pedaço de pano parecia me sufocar no momento.

- Sou seu melhor amigo desde que me entendo por gente, se eu quiser entrar nessa sala quando você tiver transando com alguma peguete, eu entro. - ele puxou a cadeira a minha frente com um sorriso radiante no rosto em formato de coração. - E então?

- O que? - o olhei sem entender e recebi um revirar de olhos.

- O caso, em qual das categorias ele esta? Fácil, mediano ou vai te foder de jeito? - sua voz era risonha mas eu notava a seriedade por de trás das brincadeiras. Hoseok e eu nos conhecemos na escola, fomos a faculdade juntos, ele por algum motivo estúpido escolheu fazer administração, sendo que tinha um enorme potencial para advocacia. E hoje trabalha em nosso escritório, no momento como meu secretário, mas apenas porque minha verdadeira secretária esta de licença médica.

- É um caso sério Jung, tem muita coisa em jogo... - meus pensamentos passearam rapidamente na imagem da pequena garotinha de cabelos negros e olhinhos grandes me olhando confusa a cada pergunta que lhe fazia. - O outro lado tem um advogado bom também, eu diria que ele é o segundo melhor... Porque afinal, nós dois sabemos que eu sou o primeiro.

- Babaca egocêntrico! - Hoseok riu da minha pequena brincadeira, mas logo retomou a postura. - Mas e ai, o baixinho é muito bonito, você não achou? Fiquei encantado por ele! Mas os amigos dele, wow, eles não eram uns pedaços de mal caminho, eles eram o caminho todo! - eu não consegui segurar e acabei rindo da sua adoração pelos meus novos clientes.

- Hey Jung, se controle e lembre-se que são nossos clientes! Nada de flertes e paqueras no meu escritório. - o mesmo fez um pequeno bico nos lábios rosados, largando um suspiro desanimado em seguida.

- Credo, você precisa achar alguém que dê uma boa sentada em você, pra deixar de ser estraga prazeres dos outros! - eu abri e fechei a boca, sem uma resposta para argumentar contra, enquanto via o alfa me mostrar a língua e sair em seguida da minha sala.

- Pelo amor de deus, Hoseok! - eu gritei antes da porta ser fechada completamente e ouvi seus risos se distanciar pelo corredor. Quem ouvisse isso de fora, iria pensar que eu estava sexualmente reprimido. Céus! Se tinha uma coisa que eu não estava nessa merda toda, era sexualmente reprimido, eu diria até que minha vida sexual era deveras interessante e agitada.

Voltei meus pensamentos para o caso no qual agora eu estava sendo responsável, aquela pirralha não parava de me vir à mente. Isso me deixava incomodado, desde que vi a foto dela e seu pai, me sinto no dever de cuidar da pirralha e se tinha uma coisa com a qual Jeon Jungkook não lidava bem, esse assunto era crianças! Eu nunca fui o tipo paternal, aquele que está a procura do parceiro certo, então firmar um relacionamento, dar minha marca e formar a tradicional família, com pequenos catarrentos correndo ao nosso redor, esse nunca foi meu sonho… Mas algo naqueles olhos escuros me fez simpatizar, talvez o fato da garota ser uma alfa tenha ajudado nisso, mas eu ainda nao entendia, porque meu lobo estava agitado e nervoso, eu diria ate que com medo, de não conseguir ganhar o caso e a pirralha ir pra longe. Provavelmente eu estava enlouquecendo, era a única resposta correta.


(…)


Park Jimin

- Tudo bem? Parece que viu um fantasma! - Yoongi perguntou enquanto saíamos do prédio enorme e espelhado. Enquanto isso, NaNa foi parar no colo do Tae e eu quase nem notei ela ser retirada dos meus braços.

- É, tudo… Só pensando em umas coisas. - minha voz saiu baixa e sem emoção, mas por dentro estava uma confusão. Estava com medo de perder meu bem mais precioso, assustado com o alfa que iria nos ajudar a partir de agora e principalmente me sentia intimidado com sua presença, meu lobo ficava completamente submisso perante ele… Isso nunca aconteceu antes, nenhum alfa me trouxe esse sentimento de submissão antes, chegava a ser insano a forma como eu sentia o dever de abaixar minha cabeça na sua presença em sinal de respeito.

- Papa? - sai dos meus devaneios tolos ao ouvir a voz curiosa da minha menina me chamar.

- Sim, anjo? - sorri para si, que se encontrava no colo do Kim.

- Eu gostei bastante daquele moço! - ela falou toda empolgada e isso me causou um choque, NaNa não se dava muito bem com estranhos, demorava pra simpatizar.

- Oh, talvez então ele seja o seu príncipe encantado! - Taehyung falando brincando e NaNa riu e negou com um movimento de cabeça.

- Não titiu, ele é um alfinha como a NaNa! Ele combina com o Papa! - eu engasguei com o ar, enquanto ouvia a risadinha maliciosa dos meus dois amigos.

- Oh, você ta certa! Ele super combina com o seu papai…

- Cristo! Taehyungie para de dar corda pra essas maluquices! - recuperei minha voz e fuzilei o casal que se divertia as minhas custas.

- Apenas constatamos os fatos querido! - Yoon deu dois tapinhas no meu ombro, apenas revirei os olhos pra ele e entrei no carro. O caminho até nossa casa foi rápido, ou eu que estava distraído e não prestei atenção nas ruas, mas isso era o de menos.

- Obrigado pela carona, a gente se fala mais tarde. - me despedi do casal enquanto pegava minha menina no colo.

- Qualquer coisa, nos ligue! - Tae acenou para nós e logo o carro sumiu pela estrada fora.

Ao entrarmos em casa, NaNa correu para o seu quarto pegar seus brinquedos para ficar na sala. Eu fiquei sentado no sofá, lhe observando brincar de cozinhar e alimentar suas bonecas. Eu me sentia em um universo paralelo, parecia que a qualquer instante eu iria acordar e perceber que era so mais um dia normal, e que tudo isso não passou de um pesadelo assombroso. Mas ao mesmo tempo, eu sabia o quão real isso era. Eu me sentia incapaz por não conseguir proteger minha princesa como prometi fazer no dia em que nasceu… Me sentia tão assustado com a situação em que estávamos, porque se por algum infortúnio a gente perder a caso, o que seria da minha menininha?!

- Estou confiando minha vida à você, Jeon Jungkook, por favor não me faça me arrepender dessa decisão…! - sussurrei sentindo meus olhos húmidos, querendo libertar as lágrimas insistentes, enquanto olhava aquele pequeno ser com um sorriso inocente no rostinho bonito. - Você prometeu proteger-la… Não quebre essa promessa!


Notas Finais


Espero que tenham gostado do cap!

Ate o próximo, baby's! 🧡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...