História Angel - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor Proibido, Conto, Romance
Visualizações 0
Palavras 1.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Capítulo 11


Angel

Parte 11

Autora DieneMdicci

Eu comecei contar o que aconteceu, enquanto ele fazia a Tatuagem , as lágrimas rolavam pelo meu rosto e também tava doendo demais, o Augusto perguntou várias vezes se eu queria parar , se eu queria beber alguma coisa , contei quase tudo o que vinha acontecendo só falei que tava saindo com uma pessoa e ele disse

- Aquele cara da sua faculdade ?

Eu respondi

- O que você sabe?

Ele respondeu

- O que sua amiga me contou, sei lá ...

Eu respondi

- Ela não é minha amiga , é sua!

Ele deu risada e perguntou

- O que foi? Tá com ciúmes de mim?

Eu respondi

- Não, só achava que você era diferente dos outros mas me enganei ...

Ele ficou quieto, eu também , eu tava de costas pude ouvir ele buxando respirando fundo irritado, ele terminou de riscar ficamos quietos ,até que ele disse

- Terminei aqui , vou passar pomada , não sei como você vai se vestir vai incomodar um pouco, a roupa não pode apertar ...

Eu não tinha pensado nisso, ele também não , eu fiquei ali semi nua coberta por um lençol, perguntei pra ele

- Quanto que ficou? E pra pintar?

Ele respondeu

- Nada , fica de presente ...

Eu não ia pagar mesmo não tinha dinheiro pra nada com meu pai brigado comigo .

O Augusto disse que tinha alguma coisa minha na casa dele e a gente podia ir lá pegar , eu disse que não precisava , ele disse que ia buscar , fiquei trancada no Studio sozinha e ele foi na casa dele, Quando ele chegou trouxe marmita suco e dois vestidos novos um longo e um curto soltinho , eu falei que não precisava mas agradeci , eu tava a dias sem comer direito , ja era hora que eu devia tá chegando em casa falei com a minha madrasta que eu ia pra casa de uma amiga disse que tava sem bateria que as 19 chegava , ela respondeu que eu não devia pirraçar meu pai e que ela ia me dar cobertura , a gente almoçou ele me chamou pra ir pra casa dele , eu não tinha pra onde ir mesmo , aceitei .

Chegamos lá o primo dele não estava , ele foi entrando na frente perguntou se eu não teria problemas por ficar fora de casa assim , fomos pro quarto ele ligou a tv eu sentei super retraída com receio dele mexer comigo , porque eu não queria ficar com ele , só queria a companhia dele , de qualquer um que não fosse me julgar, ele disse que precisava dar uma saída perguntou se eu podia ficar sozinha lá 30 minutos no máximo , falei que tudo bem deitei fiquei assistindo e acabei dormindo , acordei no susto, sabe quando você dorme e acorda sem saber onde está que dia é que horas são ? Acordei assim , olhei para o lado o Augusto tava encostado na cabeceira da cama olhando pra mim , ele me falou

- Até que enfim acordou dorminhoca ,tudo bem?

Eu virei pro lado e não respondi bem sonolenta ainda , ele mexeu no meu cabelo um pouco , quando vi que horas era fiquei afobada porque era mais de 17:00 e eu precisava ir embora , pedi pra ele me levar no terminal , ele perguntou se eu precisava de algo , se queria comer , se precisava de dinheiro , falei não pra tudo , ele me deixou no terminal antes de descer falei

- Obrigada por tudo Augusto valeu mesmo por hoje, eu te procuro pra terminar a tatuagem pode ser?

Ele respondeu

- Magina não tem deque, posso te ligar?

Eu não sabia como dizer que não queria , balancei a cabeça que não , falei tchau e desci . Quando liguei meu celular tinha várias ligações de casa , cheguei fui direto pro meu quarto , meu pai tava no quarto dele e minha madrasta na cozinha , ela só olhou pra mim tipo " me condenando" , tranquei a porta , depois ela veio me chamar respondi com a porta fechada mesmo , no dia seguinte fui pra faculdade normal fiquei isolada de todos o máximo possível , nem com o Bruno não falei só oi mesmo, ele não tava muito afim de papo mesmo, cheguei no horário em casa me tranquei no quarto, o Augusto não me procurou confesso que eu queria sim ele atrás de mim , ficamos nos evitando por dias em casa ,tava entediada tirei uma foto de costas de fio dental mandei pro Augusto e pra Laura , perguntei pra ele quando a gente podia terminar, eu só queria falar com ele na verdade , ele respondeu

- Oi e aí morena blz ?

Bora marca .

A gente conversou um pouco mas nada demais, comuniquei ao meu pai na quarta feira que eu ia sair com minhas amigas na sexta feira, ele não deixou disse que não e pronto , de raiva no dia seguinte tirei uma foto de biquíni de costas e postei em tudo que deu , só fiquei esperando a bomba explodir , não deu outra quando meu pai chegou do trabalho a noite me chamou pra conversar , eu tava de pijama já fui como tava com parte da tatuagem aparecendo nas costas , ele tava sentado na sala sentei e falei

- Estou aqui pode falar !

Ele respondeu

- Você não tem jeito mesmo Angélica, olha como fala comigo !

Eu respondi

- O que o senhor quer comigo? Diga .

Ele respondeu que tava tentando ter paciência comigo que tava ficando impossível lidar comigo , que ele não tava reconhecendo a filha dele mais , que eu já era maior de idade e precisava ter mais responsabilidade, que enquanto eu morasse lá em baixo do teto dele eu teria que dar satisfação e acatar a ele sim o que ele falasse , eu respondi

- Já acabou?

Posso ir para minha cela senhor?

Ele me deu um tapa de costa de mão no rosto , me tremi toda meus olhos se encheram de lágrimas de raiva , olhei pra ele com tanto ódio e disse

- Se eu tivesse mãe eu não estaria aqui com você ditador tirano e nem a minha mãe pode ter certeza que ela jamais ficaria casada com alguém como você, sorte dela estar livre de você!

Ele veio pra cima de mim tirou o cinto, começou me dar cintadas, me encolhi no sofá protegendo meu rosto, minha madrasta ficou tentando entrar no meio apartar, ele me deu uma surra que me marcou toda ,costas braços pernas , apanhei quieta chorei muito mas não pedi pra ele parar de raiva e orgulho, ele parou foi para o quarto muito exaltado gritando com a minha madrasta ,ela veio me acudir limpei minhas lágrimas fui pro banheiro , chorei muito não consegui tomar banho ardia demais, fui para o quarto me tranquei , não dormi a noite toda cedo levantei era uma sexta feira , arrumei minhas coisas para ir pra faculdade mas não consegui ir , tava toda marcada até que tava frio a roupa ia cobrir tudo mas eu não tava com cabeça pra nada ,chorei e voltei deitar , resetei meu celular e deixei na cozinha , eu tinha ganho de presente de meu pai a pouco tempo e não queria mais nada que viesse dele pra ele poder jogar na minha cara depois, ele foi trabalhar não nos vimos, peguei cafe da manhã me tranquei no quarto porque assim minha madrasta não ia vir bater, ouvi ela entrar no banho deixei a televisão ligada tranquei o quarto e sai escondida , ele ia me achar se eu fosse na casa das minhas amigas ou do Bruno , fui no único lugar que ele não me encontraria , no Studio do Augusto fui andando desnorteada chorando e parando me perguntando o que eu estava fazendo , o que eu tinha feito de errado afinal, fui pra casa dele que era muito longe , ele não tava lá , cheguei toquei o interfone ninguém atendeu , fiquei sentada esperando o primo dele chegou me colocou pra dentro já ligou pro Augusto falando que eu tava lá chorando e não falava o que tinha acontecido , ele chegou rápido coisa de 10 minutos , eu tava mais calma tinha tomado água , eu tava sentada na sala ele entrou parou na minha frente e disse

- Oi Angélica você tá bem? O que ta acontecendo?

Eu levantei abracei ele e respondi

- Eu não tinha pra onde ir me desculpa vir aqui assim desse jeito ...

Ele disse

- Calma , não tem problema fica calma fala comigo...

No que ele me abraçou doeu lógicooo ,ele percebeu e perguntou

- O que foi?

Eu respondi

- Nada

Ele levantou a minha blusa viu as marcas, ficou super nervoso querendo saber o que tinha acontecido perguntou quem fez aquilo comigo , falei chorando

- Foi meu pai, eu não posso voltar pra casa tenho medo dele me bater de novo ...

Ele ficou bem alterado falando que isso não podia ficar assim, me levou pro quarto sentou abraçado comigo e disse

- Você não vai volta , fica calma eu vou te ajuda blz...

Continua



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...