História ANGEL: JK - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook)
Tags Bts, Hot, Jungkook, Romance
Visualizações 8
Palavras 708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - 1.5


Fanfic / Fanfiction ANGEL: JK - Capítulo 15 - 1.5

S/N deu um sacolejo para frente enquanto sentiu algo apertar a parte de trás de seu ombro, então flutuar sobre sua cabeça. A sombra tinha ressurgido. Era negra e tão grossa quanto uma cortina.

O martelar de seu coração ficou tão alto que encheu seus ouvidos, bloqueando o farfalhar sombrio da sombra, bloqueando o som de seus passos. Jungkook olhou por cima de seu trabalho e pareceu levantar seus olhos para exatamente onde a sombra pairava, mas ele não se assustou do jeito que ela tinha se assustado.

É claro, ele não conseguia vê-las. Seu foco estava fixo calmamente do lado de fora da janela. O calor dentro dela ficou mais forte. Ela estava próxima o bastante agora que ela sentia que ele era capaz de sentir ele saindo de sua pele.

O mais silenciosamente que pôde, S/N tentou espiar seu caderno sobre seu ombro. Por apenas um segundo, sua mente viu a curva de seu próprio pescoço nu desenhado em lápis no papel. Mas então ela piscou, e quando seus olhos se fixaram novamente no papel, ela teve que engolir em seco.

Era uma paisagem. Jungkook estava desenhando a vista do cemitério do lado de fora da janela detalhadamente quase perfeitamente. S/N nunca havia visto algo que a deixara tão triste.

Ela não sabia porquê. Era maluco – até mesmo para ela – esperar que sua intuição bizarra virasse realidade. Não havia razão para S/N desenhá-la. Ela sabia disso. Exatamente como ela soubera que não havia razão alguma para ele mostrar-lhe o dedo do meio essa manhã. Mas ele tinha.

— O que você está fazendo aqui?— ele perguntou.

Ele tinha fechado seu caderno e estava olhando para ela solenemente. Seus lábios cheios estavam fixos numa linha reta e seus olhos cinzas pareciam opacos. Ele não parecia nervoso, para variar; ele parecia exausto.

— Eu vim pegar um livro das Coleções Especiais — ela disse em uma voz vacilante.

Mas na medida em que ela olhava ao redor, ela percebeu rapidamente seu erro. Coleções Especiais não era uma seção de livros – era uma área aberta na biblioteca para uma amostra de arte sobre a Guerra da Secessão. Ela e Jungkook estavam parados em uma minúscula galeria de bustos de bronze de heróis da guerra, caixas de vidro cheias com velhas notas promissórias e mapas da Confederação. Era a única sessão da biblioteca em que não havia um único livro para emprestar.

— Boa sorte com isso — Jungkook respondeu, abrindo seu caderno de desenho novamente, como se para dizer, preventivamente, adeus.

S/N ficou sem saber o que falar e envergonhada e o que ela gostaria de ter feito era ter escapado. Mas então, havia as sombras, ainda espreitando perto, e por alguma razão, S/N se sentia melhor em relação a elas quando estava próxima de Jungkook. Não fazia sentido – como se houvesse algo que ele pudesse fazer para proteger ela delas.

Ela estava presa, enraizada em seu lugar. Ele olhou para ela e suspirou.

— Deixe eu te perguntar, você gosta quando é espreitada?

S/N pensou nas sombras e o que elas estavam fazendo agora com ela. Sem pensar, ela balançou sua cabeça violentamente.

— Está bem, então somos dois.

Ele limpou sua garganta e encarou-a, escancarando o fato de que ela era a intrusa.

Talvez ela pudesse explicar que estava se sentindo um pouco tonta e só precisava se sentar por um minuto. Ela começou a dizer:

— Olha, posso...

Mas Jungkook pegou seu caderno de desenho e ficou de pé.

— Eu vim aqui para escapar — ele cortou-a. — Se você não vai embora, eu vou.

Ele enfiou seu caderno de desenho em sua mochila. Quando ele passou, seu ombro roçou no dela. Por mais breve que o toque tenha sido, mesmo através de camadas de roupas, S/N sentiu um choque de estática.

Por um segundo, Jungkook ficou parado, também. Eles viraram suas cabeças para olhar de volta um para o outro, e S/N abriu sua boca. Mas antes que ela pudesse falar, Jungkook tinha virado e estava andando rapidamente na direção da porta. S/N observou enquanto as sombras espreitaram sobre sua cabeça, serpentearam, fazendo um círculo, então se apressaram para fora da janela para a noite.

Ela estremeceu no frio do rastro delas, e por um longo tempo após isso, ficou parada na área de coleções especiais, tocando seu ombro onde Jungkook tinha roçado, sentindo o calor esfriar.

CONTINUA...


Notas Finais


"Primeira" interação com o Kook (FINALMENTE)

Espero que tenham gostado shshshs ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...