História Angel Of Darkness - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Pupa, Vampire Knight, Vampire Knight Guilty
Personagens Hanabusa Aidou, Haruka Kuran, Kaname Kuran, Personagens Originais, Rima Toya, Ruka (Luca) Souen, Sayori Wakaba, Senri Shiki, Takuma Ichijou, Yuuki Kurosu
Tags Kaname Kuran, Yuuki Kuran
Visualizações 55
Palavras 1.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Duas Ligações


Fanfic / Fanfiction Angel Of Darkness - Capítulo 8 - Duas Ligações

Yuuki's pov

Chorei a tarde toda, o meu irmão já deveria ter chegado da escola, e eu aqui, nem pude recebê-lo dela vez, sei que ele gosta de chegar em casa e ver o meu sorriso. Ele é um bobo por gostar de coisas tão simples, mas é o que faz nós dois felizes.

Ainda derramando algumas lágrimas, levantei-me do chão, não sinto mais vontade de voltar para casa, ficar perto do meu irmão, principalmente agora que eu sei, que ele jamais estará seguro ao meu lado. Nem consegui digerir aquele animal, nem importava.

Andei até a minha casa, minha sempre dizia que eu era um monstro, e ela estáva certa, agora enxergo isso com clareza.

Quanto mais eu me aproximava de casa, mais lágrimas eu derramava, não queria preocupar o meu irmão, não agora, não hoje, nunca.

A minha casa tinha luzes acesas, então, entrei cuidadosamente, tinha alguns amigos do meu irmão, ele sorria e conversava com a Ruka e mais um garoto de cabelos alaranjados, o mesmo que foi na festa conosco.

Comecei a pensar: o meu irmão precisa de alguém que o faça feliz, alguém que não sinta vontade de devora-lo, alguém... O meu oposto.

Kaname foi o único que me notou, viu que eu chorava, viu o meu dessespero, arrisco a dizer que ele sente o meu medo.

— Me dêem licença por favor - Kaname pediu aos seus amigos, incrível como ele é formal em tudo.

Sai correndo, eu era covarde, não tive coragem de encara-lo. Entrei no quarto e tranquei a porta, sabia que ele poderia se teletransportar, mas... Se realmente me respeitasse, não faria isso.

Ouvi que ele tentou abrir a porta, mas fora em vão, estáva trancanda, e as minhas costas batiam na porta enquanto eu chorava.

— Yuuki... Abra essa porta, o que houve com você? - perguntou-me em um tom de preocupação. Kaname sempre é sincero comigo, então ele realmente estáva preocupado.

— Kaname deixe-me... Quero ficar só - continuou chorando.

— Você ainda não gosta da Ruka? Aquele que estáva na sala ao nosso lado era o Kain, namorado dela. Yuuki abra essa porta - Kaname novamente pedirá.

— Não me importo com ela! Quero que me deixe! - não quero machucá-lo.

Eu não me alimentei e você aí, tão perto, tão perigoso para mim. Não quero devora-lo, mas... Você me parece ser tão saboroso...

— Yuuki... Você não me deixa outra opção - falando isso, ele teletransportou-se, em um piscar de olhos, ele estáva na minha frente, me abraçando, me acolhendo nos seus braços.

Não pude respondê-lo como achei que poderia, apenas chorei mais intensamente, o empurrando às vezes, ele estáva mais cheiroso... Ou era apenas a minha fome?

Ele me deixou chorar, sei que ele estáva confuso, sei que ele ficava magoado quando eu chorava como uma menininha.

Mas... Kaname não me falou que "princesas não choram" desta vez, só ficou me consolando.

...

Parei de chorar depois de muito tempo, eu fungava e meu nariz estava vermelho juntamente de minhas bochechas, Kaname me pegou no colo, e colocou-me deitada na cama e ele ficou ao meu lado, me abraçando e com a cabeça apoiada no meu peito. Ele ouvia o meu coração do modo que adorava, lembro-me que essa posição sempre me fez ter mais pensamentos mais obscenos e obscuros que eu já tive. Claro que eu nunca pensei assim... Só comecei a ter esses pensamentos quando descobri o que era sexo, mas na frente de Kaname, eu sempre fingi que detestava falar disso. Afinal, eu sou o anjinho do Kaname. Impossível falar disso com ele.

O meu celular começou a tocar, tirei ele do meu bolso, era a Maria. Olhei para Kaname que estáva confuso, atendi.


*Ligação on*

— Pode falar Maria

— Boa noite grossa! Já está em casa?

— Estou.

— E Kaname, desconfiou de algo?

— Não sei.

— Voltando ao assunto...

— Que nem começou.

— Eu achei uma quase cura para você Yuuki, resumindo, Kaname não vai morrer.

— Sério?

— Sim! Eu vou vencer de uma borboleta! Imagina o mico que seria se eu não conseguisse.

— Quando eu te encontro?

— Pode ser amanhã... Mas prometa-me que vai ficar bem humorada.

— Prometo Maria!

— Então boa noite.

— Boa noite!

*Ligação off*

Sinto-me muito feliz, não preciso mais me preocupar com Kaname, só hoje.

Sorri para ele.

— O que houve? - ele perguntou confuso.

— Maria... Não está brava comigo - inventei uma desculpa.

— Por isso estáva chorando antes?

— Sim! Sinto muito Kaname, acho que lhe tratei muito mal...

— Tudo bem... Mas não fique andando com essa garota.

— Kaname! - falei irritada, se ele soubesse o quanto a Maria estáva envolvida na minha vida.

— Tudo bem... - cedeu.

— Vamos assistir um filme? - perguntei sorrindo.

— Vamos. Qual?

— Você escolhe, quero um de comédia romântica, pode ser? - abri ainda mais o meu sorriso.

— Pode - ele beijou a minha testa — Tome banho e eu vou preparar um chocolate quente para você, está ficando frio.

— Sim - sai correndo para o banheiro.

*Narradora's pov*

*Dez minutos depois*

Kaname deixou o chocolate quente em cima da mesinha de centro, foi novamente até o quarto dele, onde pegou um cobertor felpudo de casal beje no guarda-roupas, quando novamente ele iria descer as escadas viu Yuuki com uma camisola branca, ela estáva descalça. 

 Kaname - sorriu quando notou a presença dele.

 Yuuki não fique muito tempo descalça, tome - ele entregou o cobertor para a irmã mais nova.

 Porque? -segurou confusa.

Kaname pegou-a nos braços para que ela não andasse descalça. Ela deu risada, Kaname continuou com Yuuki nos braços, ele a deixou sentada no sofá, cobriu o corpo dela e pegou uma caneca com achocolatado, ele deu para ela.

 Pronto assim você não corre o risco de ficar gripada -se sentou do lado dela.

 Você se preocupa demais -se virou de costas para ele, encostou no braço de Kaname.

Ele colocou no filme que Yuuki queria, ela quando terminou o seu achocolatado colocou a caneca encima da mesa de centro e se deitou, Kaname ficou deitado atrás dela, o braço dele estava envolvolta do corpo de Yuuki, ficaram de conchinha, ele a cobriu direto e deu atenção para o filme. As vezes Yuuki dava risada, mas no final ela "desmaiou" antes que o filme acabasse.

Ele fechou os olhos, não tinha ninguém nessa casa além dos dois então não teria problema que eles dormissem na sala, colocou o rosto próximo do topo da cabeça de Yuuki sentindo o cheiro do seu shampoo. Mas antes que adormecesse, ouviu o celular dela apitar. Era Maria novamente, hesitante Kaname atendeu.


*Ligação on*

— Yuuki?

— Errou, sabe que horas são?

— Vai dar meia noite, porque?

— Quem em sã consciência, liga neste horário?

— Eu. Mas... Eu queria falar com você Kaname.

— Por qual motivo?

— Sobre a sua Yuuki.

— O que você fez com ela? Ela voltou chorando!

— Vamos conversar com muita calma, quero que me encontre amanhã de manhã.

— Tenho aula.

— Se você quiser saber o motivo da Yuuki estar chorando de verdade... Que foi por você.

— Eu? Mas ela...

— Kaname-sama, não seja inocente, esse papel não combina com você.

— Que horas.

— No horário que você costuma ir para aula, e não conte nada para a Yuuki... Se não, ela não vai...

— Não vai oque?

— Não posso dizer. Amanhã às sete na floresta. Tchauzinho.

*Ligação off*

Ela desligou na cara do Kuran, isso o deixou confuso novamente, então Yuuki estáva mentindo para ele... Se bem, que ele não acreditava na maioria das coisas que ela falava.

Amanhã ele veria a Kurenai.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...