1. Spirit Fanfics >
  2. Angellarium - O Despertar >
  3. 02 Praeteritum - Passos Para Trás

História Angellarium - O Despertar - Capítulo 5


Escrita por: Danilothiagosan

Capítulo 5 - 02 Praeteritum - Passos Para Trás


Fanfic / Fanfiction Angellarium - O Despertar - Capítulo 5 - 02 Praeteritum - Passos Para Trás

Duas pessoas estavam se encarando, dois olhares destinados a terem suas companhias, mas ainda não tinham o menor conhecimento de seus destinos. Suas decisões iriam moldar para sempre suas vidas, de um jeito aterrorizante.

Um dos olhares pertencia a Sarah e o outro o de Erick, ambos se entreolharam por breves segundos e após cumprimentar Erick, Sarah seguiu para o banco de trás do carro, mas Roger acenou com a cabeça, sinalizando que era para ela sentar no banco da frente, ao lado do banco do motorista. Não tinha como Sarah fugir, teria que sentar ao lado do garoto, por mais que ela não gostasse dele.

- Feliz aniversário. - Disse Erick assim que Sarah sentou no banco e com seus dois braços fortes, a abraçou, pressionando seus seios contra o peitoral malhado dele.

Um imenso desconforto tomou conta de Sarah, pois ela e Erick haviam estudado no mesmo colégio e ele era um verdadeiro mala. O rapaz era de família com grande poder aquisitivo e que tinha o prazer de esfregar o fato na cara de todos os alunos da escola. Ele era mimado, autoconfiante e um tremendo galinha. Sarah tinha conhecimento do que acontecia com as garotas que andavam com Erick Miles. Elas sempre ficavam mal faladas quando dispensadas pelo garoto, afim de se entreter com outros rabos de saia.

Assim que o carro parou, Sarah desceu do veículo e não esperou Erick dar a volta para abrir a porta para ela. Com a atitude um tanto deselegante de Sarah, Roger acabou estranhando o comportamento da menina, mas resolveu fingir que não havia percebido a atitude da sobrinha. Entrando no restaurante, Sarah se deparou com uma mesa repleta de pessoas. Além dos colegas de faculdade, haviam outras presenças que eram conhecidos e amigos de Roger. Os convidados de seu tio também conheciam Sarah e foram prestigiá-la.

A comemoração ocorreu como o esperado, mas tudo aquilo era um pouco desgastante para Sarah, pois o fato era que os seus verdadeiros amigos estavam em sua cidade natal. Ela até gostava da vida agitada de Little Rock, da faculdade e dos colegas, mas nada se comparava com a ligação que ela tinha com Guns, Harley e Emily. Enquanto ela pensava nos seus amigos em River Hills, a conversa se desenrolava na mesa e Erick, que estava sentado do outro lado da mesa, olhou no relógio e percebeu que Sarah estava atrasada para o embarque.

- Sarah? - Perguntou Erick enquanto levantava-se da mesa. - Você está atrasada, seu embarque não é às dezesseis horas? - Disse Erick, dando a volta na mesa e parando ao lado da cadeira onde ela estava sentada.

- Droga! Não acredito. - Disse ela, levantando às pressas e subindo a alça de sua mala de rodinhas.

- Não se preocupe, eu vou te levar até a rodoviária! - Exclamou Erick, pegando a mala da mão de Sarah e apressando-a para seguirem.

Sarah mal teve tempo de se despedir de todos e correu com Erick em direção à rodoviária. Na pressa, ela nem se lembrou de sentar no banco do passageiro para evitar o rapaz e foi logo colocando o cinto de segurança. Erick por sua vez, não poderia perder essa oportunidade, pois ficar sozinho com Sarah era tudo o que ele queria. Ele nunca havia trocado palavras com ela sem que alguém estivesse entre eles. Erick não conseguia dar investidas na garota que era praticamente inalcançável na época de colégio, pois ela sempre estava acompanhada, seja por uma amiga ou pelo tio.

- Estudamos juntos, não é? Faculdade... - Disse Erick, mas foi interrompido por Sarah.

- Sim! Estudamos na mesma escola, mas não na mesma faculdade! - Exclamou Sarah com um tom rude na tentativa de não estender muito o assunto.

- Sim eu sei, só estou tentando ser gentil. - Disse ele com os seus cabelos ruivos e olhos azuis na direção dela.

Enquanto ele continuava falando, Sarah sentiu um frio na barriga e logo a voz dele foi sumindo até que a única coisa que pôde ouvir, foram os batimentos de seu coração. Os batimentos foram diminuindo aos poucos e sua visão tornou-se cada vez mais embaçada. Conforme sua adrenalina baixava, seu corpo amolecia e sua respiração se tornava cada vez mais difícil. Sarah começou a arregalar os olhos na tentativa de enxergar melhor, mas seu corpo não respondia aos seus comandos. Era como se ela tivesse desfalecendo.

De repente, Sarah se virou para a pista e enxergou tudo escuro, como se a noite estivesse começado sem ela perceber. Enquanto forçava os olhos a enxergarem, o carro chacoalhava e ela se inclinava para a direita, como se o carro estivesse fazendo uma curva fechada para a esquerda. Sarah fechou os olhos e respirou fundo, em seguida ela os abriu e deu de cara com uma sombra na estrada. A sombra possuía a forma de um animal quadrúpede, com os olhos amarelos e brilhantes que refletiam o farol do carro. Com o susto ao ter se deparado com a criatura, Sarah espremeu os olhos e em seguida gritou.

- Ei? Você está bem? - Perguntou Erick, enquanto cutucava Sarah que havia dormido no banco.

- O que aconteceu? - Perguntou ela, abrindo os olhos assustada ao perceber que havia caído no sono.

- Começamos a conversar e você foi adormecendo enquanto eu falava, então resolvi deixar você cochilar até chegarmos na rodoviária. - Disse Erick olhando fixamente para dentro dos olhos de Sarah.

- Eu, eu... - Sarah estava desconcertada, não conseguia entender como acabou caindo no sono, ainda mais pelo fato de se sentir tão desconfortável na presença de Erick e pelo seu vestido ter subido ao ponto de deixar suas coxas desnudas.

- Relaxa gata. Está tudo bem, você só estava cansada. - Disse Erick com um sorriso no rosto.

- É, talvez tenha sido isso. - Afirmou Sarah, incomodada com a forma como Erick sorria descaradamente e tentava lhe passar uma boa impressão.

Sarah simplesmente abriu a porta do carro, foi até o banco de trás onde Erick havia colocado sua mala e a pegou rapidamente. Erick por sua vez, ficou esperando que ela ao menos se despedisse, mas não foi isso que aconteceu. Sarah apenas pegou as suas coisas, virou de costas para ele e adentrou os portões da rodoviária. Enquanto ela caminhava, Erick a encarava e sorria maldosamente, pois não conseguia se conter em imaginar ter Sarah em seus braços.

- Moça, seu ônibus partiu tem quinze minutos. - Disse a recepcionista da viação no qual Sarah havia comprado as passagens.

- Não acredito que isso está acontecendo! - Exclamou Sara, indignada com a situação.

Aflita, Sarah mal teve tempo de se virar totalmente em direção a fila que estava se formando atrás dela e logo Erick apareceu. Ele se aproximou rapidamente e assim que a alcançou, ela virou seu rosto na direção dele e fez uma cara de raiva.

- Você perdeu seu ônibus não é mesmo? Vamos que eu te levo até lá. - Disse Erick, com o mesmo sorriso de galã que tanto a incomodava.

- Eu não quero nem pensar que você tenha algo haver com o meu atraso! - Exclamou Sarah, pensando que talvez Erick tenha aproveitado que ela caiu no sono para mudar o trajeto e atrasar a chegada propositalmente.

- Me diz uma coisa? Porque você acha que eu faria isso? - Perguntou Erick, franzindo a testa e fazendo uma cara de desentendido.

- Já que você se prontificou, vamos logo! - Disse Sarah, andando desenfreada pela rodoviária.

- Não precisa correr! DEIXA QUE O CARRO CORRE POR NÓS! Gritou Erick, pois Sarah já estava a uns quinze metros de distância.

- SEU SENSO DE HUMOR É PÉSSIMO! - Gritou ela, virando o rosto no sentido em que ele estava. ficando com a face paralela ao ombro esquerdo e o fitando de canto de olho.

Erick destravou o carro e em seguida Sarah entrou. Assim que ele sentou no banco, olhou diretamente para ela, como se estivesse esperando algo, mas ligeiramente virou-se para o painel e deu a partida. Enquanto ele dirigia, Sarah olhava para fora e observava as pessoas na rua. Logo depois, se entreteve com as casas, os telhados, a calçada e imediatamente começaram os terrenos. Após os terrenos, o verde da vegetação se deu início. Nesse momento, Sarah se deu conta de que havia começado a escurecer e eles já não estavam mais em Little Rock. O Honda CR-V estava na rodovia a caminho de River Hills, onde finalmente ela iria rever os seus amigos. Muitas lembranças começaram a vir à tona enquanto Sarah admirava o pouco que ainda conseguia observar da paisagem, pois a escuridão avançava e ela não conseguiria mais olhar para nada a não ser o seu próprio reflexo no vidro do carro.

- Está tudo bem? - Perguntou Erick, dessa vez sem virar o rosto na direção dela, pois a pista estava demasiadamente escura.

- Sim, eu estou, é que são tantas sensações ao mesmo tempo. Fazem mais de cinco anos que não vejo meus amigos. - Disse Sarah, dessa vez sem demonstrar nenhum tipo de ironia ou desconforto em estar com o rapaz.

- Olha, não tenho o direito de me intrometer na sua vida, mas você não acha muito tortuoso voltar para cidade onde você sofreu um trauma? - Perguntou Erick cuidadosamente, pois ele sabia da história de Sarah, mas não queria ser invasivo demais.

- Já está na hora de voltar. Desde o acidente que não consigo mais ser a mesma e talvez na presença dos meus amigos eu possa voltar a sorrir um pouco. Eu sinto falta deles, essa reunião me fará muito bem! - Disse Sarah, com um sorriso no rosto.

- Olha, nem sabia que você conseguia rir! - Exclamou Erick que virou a face em direção a Sarah no momento em que ela sorriu.

- Você não consegue ficar um minuto sem me irritar? - Perguntou ela, cessando o sorriso que deu lugar a uma cara emburrada e olhos semicerrados.

- E você não consegue ficar um minuto sem se esquivar de mim? - Retrucou Erick, rindo da situação, pois finalmente estava conseguindo manter um diálogo com Sarah, mesmo não sendo o que ele havia planejado.

Sem saber o que dizer, Sarah ficou calada e o silêncio tomou conta do ambiente. Antes que Erick pudesse dizer algo, ela ligou o rádio do carro, procurou alguma estação e deixou em uma que estava tocando Nickelback. O rapaz apenas a fitou de canto de olho enquanto ela ria. Sarah pensava que o som não o agradaria, mas ao contrário do que ela pensava, Erick começou a cantar a música e então, ela ficou surpresa.

O carro continuou seguindo pela rodovia até que finalmente Erick deu seta para a direita e adentrou uma estrada. Assim que o automóvel deixou a rodovia, começaram a surgir as primeiras curvas e conforme o carro avançava, as curvas ficavam cada vez mais sinuosas ao ponto de quase tornar impossível ver quem estaria vindo na pista do sentido oposto à River Hills.

- Nossa, essa estrada é assustadora. - Disse Erick que depois de alguns segundos se tocou que se tratava da mesma estrada onde aconteceu o acidente com a família de Sarah e calou-se, percebendo que o comentário havia sido impróprio.

- É, eu odeio essa estrada. - Disse Sarah na tentativa de quebrar o gelo, já que havia percebido que Erick fizera o comentário inocentemente.

Erick sorriu para Sarah, mas dessa vez fora um sorriso diferente, pois a boca dele não estava toda aberta com o seu típico sorriso de galã. Era algo mais sutil e quase imperceptível.

Enquanto Erick dirigia, algumas curvas começaram a aparecer à frente e logo se tornou possível enxergar as luzes da cidade no meio do vale. Depois desse trecho, seriam mais algumas curvas descendo as colinas até a parte mais baixa nos campos que antecedem River Hills.

Na última curva, Erick freou e Sarah se assustou. Havia um carro parado na pista e duas pessoas em pé do lado de fora do veículo. Erick então parou e desceu para ver o que havia acontecido. Enquanto ele caminhava na direção das duas pessoas, Sarah abriu a porta, saiu e para tomar um pouco da brisa da noite, ficando em pé parada e em frente ao capô. Ela olhou atentamente para entender o que estava acontecendo, mas antes que pudesse tomar coragem para chegar perto, Erick virou na direção dela e começou a voltar.

- Eles atropelaram um veado, o animal está morto do outro lado do acostamento! - Disse Erick.

- Que pena. Eles vão ficar lá? - Perguntou Sarah.

- Sim, o guincho está vindo. - Disse Erick, caminhando tranquilamente em dei ração á Sarah.

Sarah virou-se em direção a porta para abri-la, mas ao olhar no reflexo do vidro pôde enxergar duas luzes amarelas. As luminosidades se encontravam a alguns metros da pista e um pouco depois do acostamento. Com o susto, ela estremeceu e em seguida congelou. Sarah ficou olhando fixamente para as duas luzes que se apagaram como se fossem dois olhos piscando. Ela respirou fundo, fingindo não ter visto nada, mas as luzes começaram a se mover e ela acabou se apavorando. Sarah então tentou abrir a porta do veículo, mas o nervosismo fez com que ela não conseguisse. Ela pensou em gritar, mas não queria se passar por louça e então a sensação de perigo se manifestou.

Enquanto Sarah tentava abrir a porta do carro, ela olhava na direção de Erick que ainda estava a três metros dela. A sensação era de que talvez não desse tempo de Sarah correr na direção dele, mas por ironia do destino, ele destravou o carro e ela pulou para dentro do veículo. A seguir, Erick entrou e olhou para ela. Ele a observou por alguns segundos, ficando sem entender, pois, Sarah continuava a olhar para o lado de fora. Ela não conseguia desviar os seus olhos, pois era como se algo estivesse a observando e depois de alguns segundos os tais olhos brilhantes desapareceram na escuridão da floresta.

FINIS CAPITULUM


Notas Finais


Gente, tivemos fortes emoções agora no finalzinho do capítulo, não surtem kkkkkk.

Não esqueça de votar e deixar seu comentário.

Que seja feita a vontade dos anjos!
Até o próximo capítulo 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...