História Angelo Custode - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias B.A.P
Personagens Bang Yongguk, Daehyun, Himchan, Jongup, Youngjae, Zelo
Tags Anjos, Banglo, Daehyun, Daejae, Himchan, Himup, Jongup, Romance, Yaoi, Yongguk, Youngjae, Zelo
Visualizações 12
Palavras 1.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~('- '~)

Capítulo 4 - Song Jieun


Jongup desligou o celular frustrado por Daehyun não atendê-lo. Não tinha certeza se o amigo estava atá agora com Youngjae. Olhou pela janela do segundo andar, a forte chuva que caía do lado de fora. Não olhou a previsão do tempo, então nem se preocupou em levar um guarda-chuva. Teria que esperar a chuva diminuir de intensidade para pegar um ônibus até seu apartamento já que Daehyun sumiu do mapa.

Jongup ainda olhava a chuva cair quando ouviu um barulho de queda e um resmungo de dor vindo de uma das salas. Andou rapidamente até o lugar de onde viera o barulho, e, quando abriu a porta, lá acabou encontrando uma garota caída de bruços ao lado da cama. Jongup a colocou de volta na cama quando pode e ela o olhou dando um sorriso agradecido.

— Você é novo aqui? — Perguntou a garota agora com um olhar curioso sobre Jongup.

Ele assentiu.

— Sim — Disse Jongup sorrindo — Hoje é meu primeiro dia.

— Ah, e já conheceu o Himchan? Ele é o melhor médico deste hospital. — Falou com um claro brilho de admiração nos olhos.

— Sim, foi ele quem me recebeu aqui. — Jongup puxou uma cadeira e se sentou ao lado da cama da garota. — Porque você caiu da cama... — Jongup perguntou meio sem graça com a situação. Ele nem perguntou o nome dela.

Ela tinha um olhar gentil qundo falou:

— Eu me chamo Jieun, Song Jieun.

— Então é um prazer conhecê-la, Song Jieun — Disse Jongup pegando a mão da garota beijando-a gentilmente e ouvindo em resposta um riso tímido.

— O prazer é meu Moon Jongup.

— Como descobriu meu nome? — perguntou Jongup um pouco surpreso. Tinha certeza que não tinha lhe falado seu nome.

— Anm, é o que está escrito no seu crachá — respondeu Jieun, apontando para o crachá preso no bolso do jaleco de Jongup, rindo com a expressão envergonhada que Jongup fez. — E respondendo suapergunta anterior, eu estava me levantando para pegar meu outro lenço naquela gaveta quando acabei me enrolando um pouco nos lençóis e caí. Poderia pegar para mim, por gentileza?

Jongup se esticou para alcançar a gaveta e abriu. Encontou um único lenço com várias cores (predominantemente amarelo) e entregou a Jieun. Observou-a desatar o nó do lenço preto que já usava atrás de sua cabeça e o retirar notou que muitos fios de cabelo vieram com o lenço que foi repousado em seu colo. Jieun tinha lindos cabelos castanhos num corte chanel, porém era perceptível a falta de boa parte dele em certos pontos, ela pegou o lenço novo colorido e o colocou atrás de sua cabeça.

— Quer perguntar o porquê de eu usar lenço se ainda tenho um pouco de cabelo, não é? — Disse após arrumar a seu gosto como o lenço deveria ficar olhando para Jongup com um meio sorriso, inocente, daqueles que são desprovidos de maldade.

Jongup abriu a boca para responder, mas nada saiu de sua garganta. Como poderia perguntar a ela algo assim? Não tinha coragem o suficiente para isso. Estava com medo de deixá-la triste.

— Quero me acostumar logo a usá-los.Eu era bem mais apegada ao meu cabelo, então quanto mais rápido eu me acostumar melhor. Sabe, os mortos não penteiam o cabelo. — Disse com uma naturalidade assustadora, surpreendendo Jongup com suas palavras.

— Q-qual o seu diagnóstico? — Jongup perguntou ainda pasmo com as palavras desferidas por Jieun.

— Acho que o nome é Sarcoma de Ewing, ou alguma coisa assim — Franziu o cenho pensando se esse era realmente o nome.

Ambos ouviram a porta se abrir e sorriram mesmo sem perceber ao verem que era Himchan.

— Doutor Himchanie! — Jieun abriu os braços prontos para receber um abraço.

Himchan sorriu ao ver a paciente abrindo os braços e se apressou a abraçá-la, olhou para Jongup que os observava e deu um sorriso. Jongup automaticamente se sentiu leve, quase flutuando.

— Parece que vocês já se conheceram. Não precisarei apresentá-los um ao outro. — Disse Himchan alternando o olhar para os dois. — É sempre bom vê-la, princesa, mas eu já vou indo. Tudo bem? Apenas passei para lhe dar tchau. — Abaixou-se dando um beijo casto na testa de Jieun.

— Eu também já vou indo, a chuva deu uma trégua eu acho. — Disse Jongup se levantando da cadeira. Surpreendeu-se ao ser abraçado por Jieun, retribuiu o abraço em seguida.

— Voltem para me ver amanhã, okay? — Pediu com um tom manhoso. Fazendo os dois homens sorriem e concordarem em voltar no dia seguinte.

Himchan já estava na porta aguardando Jongup se despedir de Jieun. A menina presenteou Jongup com seu lenço preto que estava em seu colo até então. Dizendo que era para ele nunca se esquecer dela. Antes de Jongup passar pela porta ele se vira encontrando Jieun sorrindo em sua direção.

— Não se preocupe, Jongup, quando eu for para lá, eu vou ter um lindo e grande cabelo balançando ao vento. — Disse Jieun aumentando seu sorriso.

Jongup não sabia o que dizer, e por fim deu seu melhor sorriso e fechou a porta.

 

***

 

Himchan e Jongup caminharam juntos até a entrada do hospital, a chuva ainda caia fortemente, então Jongup decidiu que iria esperar um pouco mais até a chuva passar um pouco.

— Deixa-me adivinhar, você não viu a previsão do tempo — Disse Himchan abrindo seu grande guarda-chuva preto.

— S-sim, eu estava tão ansioso que acabei esquecendo. — Disse Jongup olhando a chuva cair à sua frente.

— Quer uma carona?

Jongup olhou para o celular vendo as suas ligações não atendidas por Daehyun, e a chuva não passaria rapidamente, então por que não aceitar a carona?

— Eu gostaria se não for um incomodo. — Disse Jongup guardando o celular em sua mochila.

Himchan sorriu, e logo cobriu Jongup também com seu guarda-chuva, e caminharam desviando de algumas poças no chão até o carro de Himchan, Jongup deu um pequeno sorriso ao ver o teto rosa do carro, combinava perfeitamente com Himchan.

Himchan abriu a porta do passageiro e Jongup entrou logo notando um bom aroma dentro do carro, logo depois a porta do motorista se abriu e Himchan entrou colocando o guarda-chuva no chão do espaço de trás. Himchan sabia o endereço de Jongup, tinha visto em sua ficha. Estavam seguindo o caminho em um silêncio confortável.

Himchan parou no semáforo, e descansou as mãos em seu colo quando ouviu Jongup falar ao seu lado.

— A Jieun, ela... — Jongup não conseguiu completar a frase presa em sua garganta.

— As chances de ela sobreviver são altas. — Himchan tentou tranqüilizar Jongup com um sorriso, mas os seus olhos vacilaram após suas palavras, e Jongup percebeu.

Himchan estacionou o carro em frente ao prédio onde Jongup morava, saiu do carro com o guarda chuva, abrindo a porta do passageiro e cobrindo Jongup da chuva que ainda caia. Caminharam até a entrada, e Himchan fechou o guarda-chuva.

— Está entregue. ­— Disse Himchan sorrindo largamente para o menor que já estava com as chaves na mão.

— O-obrigado, Himchan. Ainda estaria no hospital se não fosse por você.

— Pode me agradecer aceitando sair para um jantar comigo qualquer dia desses — Disse Himchan olhando intensamente nos olhos de Jongup, vendo-o ficar constrangido e surpreso.

— E-eu vou p-pensar, tchau, boa noite. — Disse Jongup depois de alguns segundos em silêncio se despedindo de Himchan entrando rapidamente no prédio.

 

Ao entrar em seu apartamento Jongup se deparou com Daehyun sentado no sofá com uma tigela de cereal, vendo algum programa de entretenimento na televisão. Conseguia ver perfeitamente alguns roxos no pescoço do amigo, quando Daehyun percebeu sua presença, a primeira reação foi um sorriso de boas vindas, mas logo se transformou em uma expressão de culpa, ele se lembrou que prometeu buscar Jongup no hospital hoje. Jongup semicerrou os olhos para Daehyun.

— Espero que tenha sido bom seu encontro com Youngjae.

Daehyun deu um sorriso forçado, colocando a tigela de lado e se preparando para receber alguns tapas de Jongup. Mas antes disso Jongup olhou pela janela, observou aquele carro com teto rosa sumir de sua vista ao virar a esquina. Estava em dúvida se aceitava ou não o convite para o jantar.


Notas Finais


(~' -')~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...