História Angels and Demons - Jikook | kookmim - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bdsm, Bottom!jm, Distúrbios, Esquizofrenia, Gangster, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Top!jk, Tortura, Violencia
Visualizações 827
Palavras 1.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Luta, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Scars


Fanfic / Fanfiction Angels and Demons - Jikook | kookmim - Capítulo 6 - Scars

"As pessoas possuem cicatrizes. Em todos os tipos de lugares inesperados. Como mapas secretos de suas historias pessoais. Diagramas de suas velhas feridas. A maioria de nossas feridas podem sarar, deixando nada além de uma cicatriz. Mas algumas não curam. Algumas feridas podemos carregar conosco a todos os lugares, e embora o corte já não esteja mais presente há muito, a dor ainda permanece..."

Grey's Anatomy


Pov. Jungkook

Como assim eu acabei de transar com uma "criança" esquizofrênica, e pior... Eu gostei! Mesmo uma transa em "simples" com ele fez todas as putas que transei ficar no chinelo; De uma coisa eu sei, ele será apenas meu!

-vamos tomar um banho, daqui a pouco os meninos chegam -me levantei e o loiro continuou na cama encolhido- o que foi?.

-nada... -ele se levanta devagar e eu entro no banheiro enchendo a banheira logo avistando ele em pé despido em minha frente de cabeça baixa.

-tem algo de errado? Não queria ter feito o que nós fizemos? -ele levanta a cabeça me fazendo encarar aqueles olhos negros do qual eu estava cada vez mais amando observar.

-você se arrependeu? Eu realmente não quero que seja passageiro. Você é bonito já deve ter feito isso com várias mulheres, eu provavelmente fui o pior de todos -ele fecha os punhos e os olhos com força.

-já sim, já me relacionei Com várias confesso. Porém nenhuma delas chegou ao seus pés. Desde que eu te vi sei que é especial -ele relaxa o corpo e sorri pequeno- agora vem deixa eu te dar banho.

Ele vai em pessoas calmos até a banheira ficando de costas pra mim. Na pele branca de suas costas pude ver diversas cicatrizes, e resido a de algo que provavelmente seria pomada, já que as feridas ainda eram resentes. Havia cicatrizes dos mais variados tamanhos e tipos. Meu coração pulsa forte; sinto que a qualquer momento eu vá a explodir. Meu ódio por aquele velho só aumenta, minha vontade de ver o vermelho do sangue, os sons das gotas criando poças no chão, o cheiro abafado e forte de ferro no ar.

Porém ao mesmo tempo era algo; que deixava meu corpo em chamas, suas cicatrizes. Eu já fiz diversas em várias pessoas, e nenhuma sobreviveu; ele ter essas cicatrizes e estar vivo mostra o quão forte ele é. Isso me deixa louco por dentro. Queria o servir cada uma delas, senti-las na palma das minhas mãos a textura de cada uma.

A partir de hoje ninguém o irá ferir novamente; a não ser por mim mesmo.

-são muito feias? -ele me olhava por cima dos ombros, estava tão concentrado em minha raiva que não percebi que ele me observava.

-não... -eu apenas conseguia apreciar cada ferida em suas costas- são lindas... -como alguém que apreciava uma obra de arte- tão... Delicadas -me aproximo do menor e passo a ponta dos meus dedos nas mais antigas, sentindo o mesmo se arrepiar- nunca vi algo tão belo -minhas mãos gélidas passam por sua pele quente causando um choque.

-como você acha isso bonito? -ele se vira devagar e fica de frente para mim.

-tenho gostos peculiares, gosto de coisas que se eu dissesse para uma pessoa normal ela me chamaria de louco -meus olhos chamavam os seus; meus lábios pediam os seus; meu corpo necessitava do seu. Me aproximo tocando delicadamente em seu rosto- mas isso não é um problema não é? Até porque todos nós somos loucos.

Um beijo selvagem se inicia minhas mãos mãos vão até suas cicatrizes.

ah como eu amava senti-las.

Suas mãozinhas apertaram violentamente os fios do meu cabelo me fazendo delirar.

Ah como eu amava sentir seus toques; dos mais delicados, até o mais sádico.

O beijo apenas foi aumentando a intensidade, e nossos toques também. Minhas mãos agora passaram a apertar a cintura fina dele, ele apertava e arranhava meus ombros e bíceps. Quando o ar nos fez falta separamos ofegante nossos lábios, ele dá uma mordida em meu lábio inferior brincando com a sanidade que eu já não tinha.

Nossos membros já duros novamente necessitando um do outro. Por mais que eu queira o ter novamente o meninos chegariam a qualquer minuto.

-deixe-me te dar banho rápido antes que eles voltem -o pego no colo e vou até a banheiro o deixando na água morna. Ele segura forte meu braço me puxando para perto.

-toma comigo Jungkookie... -respiro fundo puxando o ar que me faltou ao fitar aquela rosto angelical.

-banho rápido -ele sorri inocente e eu adentro na banheira atrás dele. Começo a massagear seus fios claros com shampoo ele apenas fechou os olhos e deixou sua cabeça jogada para trás. Começo a ensaboar seu corpo pequeno passando novamente minhas mãos pelas cicatrizes, assim retirando por completo o produto branco presente na área. 

-porque gosta tanto delas? -ele me olhava de forma inocente e doce como uma criança que ainda não conheceu a maldade do mundo.

-elas são bonitas... As cicatrizes mostram o que foi capaz de enfrentar, que você sobreviveu mesmo com a dor -ele respira fundo e encara as bolhas que haviam se formado na água da banheira.

-eu me lembro até hoje da primeira... A maior de todas -encaro as cicatrizes até ver uma grande em baixo de outras menores- eu tinha dez anos quando fui levado para ele, até hoje não sei porquê, nem sequer me lembro do nome dos meus pais... Nem suas faces. Eu havia me queimado sem querer com a água que eu deveria fazer o chá. Ele foi e esquentou uma faça sem ponta e passou pelas minhas costas; foi a primeira vez que eu chorei até não ter mais lágrimas para serem gastas em vão, foi a primeira vez que eu senti meu corpo tremer de dor, que gritei até não poder escutar minha voz, que pedi por ajuda e ninguém me ajudou... Foi a primeira vez de muitas...

-você é a pessoa mais forte que eu conheci até hoje -acaricio seus ombros- você é forte.

-você acha? -nos encaramos novamente e como resposta sorrio e dou um selar.

-eu tenho certeza -ele sorri decemente- agora vamos terminar esse banho!.

Enxuguei seu cabelo na banheira mesmo sai primeiro me enrolando no roupão logo depois ele enrolando em outro. Ele colocou as mesmas blusa que estava usando antes que por acaso estava no chão. Fui ao meu quarto e peguei apenas um calça e uma blusa qualquer, sem esquecer de passar novamente o corpo tudo dos tubos que foram deixados para ajudar na recuperação das feridas nas costas do menor. Logo voltando ao quarto com o menor. 

Eu e Jimin estávamos deitados na cama assistindo um filme que eu nem sabia do que se tratava já que minha mente se concentrava nos momentos que tive junto com o loiro ao meu lado.

Batidas na porta são ouvidas e antes que eu pudesse dizer algo os meninos entram no quarto com sacolas em mãos. Jin e o outro garoto, que eu me perguntava como ainda não sabia o nome dele, vão até nos pulando na cama enchendo de perguntas e dizendo como foi ir às compras. Jimin só sabia rir e concordar.

Me levanto da cama indo até Namjoon e Yoongi que estavam sem máscara já que os garotos iam viver aqui não havia problema ver nossos rostos. Saímos de perto do quarto, sabia que eles queriam conversar sobre algo.

-o que aconteceu enquanto estivemos fora? -Namjoon parecia nervoso, não sabia se dizia a verdade ou não, mas prefiro conversar com o Jimin para saber se eles devem saber ou não.

-conversamos pra saber mais da vida dele tomei banho e assistimos filme, porquê? -falei de forma natural e calma.

-por nada agora vamos dormir que já está tarde - Yoongi sai e fica apenas eu Namjoon e ele estranhamente agitado.

-o que aconteceu? -ele sorri tímido.

Lá vem

-é possível gostar de alguém que acabará de conhecer? -meu coração acelera e em meus lábios se abrem formando um sorriso bobo.

Eu que lhe pergunto isso... Creio que amar alguém por mais que ela seja um desconhecido; amamos alguém pelo que vemos nela. Vi em Jimin o inferno e o céu lutando por poder... É suas cicatrizes são as provas de que ele vem lutando sem fraquejar. 


Notas Finais


Foi só isso mesmo ;-; tô com o celular novo GLÓRIA mas perdi tds meus Contatos já recuperei de alguns porém muitas leitoras que eu tinha o número não recuperei então me chamem vou adorar conversar com todas ❤️❤️
1.6 9.9.1.7.0.5.6.2.2 jauabsiab
MAN A PREMIAÇÃO É ESSE DOMINGO JÁ MEL DELS
;-; voltei ao normal
A omma loba ama tds vocês 🐺💕

Fics em andamento:

I'm in love with a criminal
https://spiritfanfics.com/historia/im-in-love-with-a-criminal-jikook-kookmin-8099216

Fic finalizada:

Um vampiro?!
https://spiritfanfics.com/historia/um-vampiro-jikook-kookmin-7663228


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...