1. Spirit Fanfics >
  2. Angels Cry (Destiel) >
  3. Capítulo Oito.

História Angels Cry (Destiel) - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


CHEGAYYYY.
Tô muito amor né, um cap a cada 2 dias???
Vcs tem que me amar taokei.
Sou uma tia muito querida.
Beibes, temos aqui um cap cheio de ITI MODEUSO.
Não darei spoiler.
Então bora ler.
...
No caso de erros aparecerem não entrem em pânico, lidarei com isso logooo.

Bjus e boa leitura.

Capítulo 8 - Capítulo Oito.


Fanfic / Fanfiction Angels Cry (Destiel) - Capítulo 8 - Capítulo Oito.

Castiel sentiu algo extraordinariamente novo. Dean estava com os lábios a poucos centímetros do seu, e isso fazia uma onda de excitação percorrer o corpo do anjo de uma forma intensa. Poderia facilmente apenas bater suas asas e sumir daquela situação, poderia neutralizar o caçador com apenas um leve empurrar de mãos, no entanto o anjo não conseguia nem ao menos mover qualquer músculo de seu corpo. Estava paralisado, ansiava por algo, mas não queria se iludir com uma possibilidade nula. O Winchester corria seus globos verdes pelo rosto de Castiel, de seus olhos azuis que brilhavam agora, para os lábios perfeitamente rosados que se mantinham entreabertos.

-Você não vai à lugar algum Castiel... -Dean sussurra rouco, ainda com os braços em cada lado da cabeça do anjo, como se o mantivesse em um casulo.

-Dean... -O anjo fala com um fiapo de voz, quase como um gemido, e isso ressona gostosamente nos ouvidos do caçador, que nunca imaginou apreciar tanto o timbre sofrego do amigo. -N-não pode me impedir...

Dean morde o lábio inferior quase como um modo de manter-se controlado, era surreal a imensa vontade que o caçador estava sentindo em querer provar como seria selar seus lábios nos do anjo, não compreendia e igualmente não conseguia controlar. Talvez se arrependesse, talvez não, no entanto o caçador só mantinha uma coisa em sua mente: "Cas não pode ir... Farei o que for necessário."

Dean olha novamente para dentro daqueles olhos azuis, conseguindo agora ver com riqueza em detalhes, cada tom de cor presente ali, eram olhos tão belos, tão puros, e Dean entendeu que não poderia de forma alguma ficar longe, não poderia e não aceitaria.

-Fica Cas... -Dean fala encostando sua testa na do anjo, e fechando os olhos ao enfim fazer isso. Parecia tão certo, como se desejasse isso à muito tempo... Talvez realmente desejasse mesmo, porém nunca compreendeu, mas ali, sentindo a respiração quente do Anjo batendo em seu rosto, o perfume inexplicável que Castiel tinha, tomando seu olfato e o calor que emanava dele, tornou fácil para Dean entender... Era Castiel, sempre fora Castiel.

O anjo estava indefeso, Dean lhe desestabilizava, porém não poderia de forma alguma dizer que ter o caçador tão próximo era algo ruim, pelo contrário, Castiel queria se mover e acabar com aquela mínima distância entre eles, mas se tornará impossível.

-Dean... Não faça isso comigo, não faça...

-O que posso fazer para você mudar de idéia, Cas? -Dean abriu novamente os olhos, separando suas testas, mas mantendo à aproximação.

O anjo não pode responder à aquela pergunta, não haveria forma de pedir para Dean lhe amar da mesma forma, e esse era o único jeito de fazer Castiel desistir de ir embora.

O moreno foi surpreendido por uma movimento lenta do caçador; Dean inclinou a cabeça para o lado, levando seu nariz até próximo a orelha de Castiel, mesmo não tendo realmente tocado, o anjo sentiu seu corpo acender, uma sensação nova percorreu ao longo de sua pele apartir de onde o nariz de Dean estava.

-Seu cheiro... Porra Cas, o quê você está fazendo comigo? -Dean sabia que se fosse qualquer outra pessoa ali, já teria arrancado as roupas e estaria matando todo aquele desejo que do nada borbulhava em seu íntimo. Mas era Castiel, um anjo inocente, quê não via maldade em qualquer que fosse o ato, e principalmente, Dean estava perplexo com tudo que estava sentindo, e o pior de tudo: não era novidade. Parecia que sempre esteve ali, mas o caçador apenas não prestava real atenção. Contudo agora, parecia tão claro quanto aqueles olhos azuis que lhe observavam tão avidamente. E Dean não pode se conter... Não mais.

-... E-eu... Dean, o quê está f-fazendo? -Castiel se sobressalta ao sentir o toque do nariz de Dean em seu pescoço, o caçador respirava com força aquele cheiro inebriante, e o anjo sentiu um calor estranho logo abaixo de seu umbigo.

-Fica Cas... -Dean fala sussurrando próximo ao ouvido do anjo, continuando a inalar todo aquele perfume. -...fica...

-D-Dean... -Castiel não pode mais se conter. Levou suas mãos até a cintura do caçador, pressionando com força seus dedos sobre a camisa de flanela de seu protegido, de uma forma que deixava claro seu anseio. O anjo estava sentindo um misto de sensações, quando os lábios de Dean tocaram a pele de seu maxilar, Castiel soube... Era aquele o momento. -Dean... O quê você... Você vai fazer?

O caçador já não pensava direito, apenas agia de acordo à onda de excitação que percorria seu corpo. O toque quente das mãos do anjo em sua cintura, estavam lhe desestabilizando ainda mais. Agora ele necessitava de mais, e de forma alguma permitiria que Castiel se afastasse dele novamente, indiferente do que acontecesse entre ambos.

A aspereza da barba por fazer do anjo, fazia os lábios de Dean formigarem, e era uma coisa interessente, mais do que o caçador imaginava que seria. Seguindo um rastro leve de beijos pelo queixo de Cas, -quase como um carinho involuntário-; Dean ignorou a pergunta do anjo, pois preferia mostrar à ele o que iria fazer, ao invés de falar.

Quando Castiel deu por si, já tinha seu lábio inferior sugado pelos lábios quentes e carnudos de Dean. E o arrepio que lhe tomou ao sentir aquele toque delicado, fez um leve gemido escapar por seus lábios.

Dean ao constatar que era melhor do que havia imaginado, não tardou a tomar os lábios do anjo de vez. Em movimentos leves, quase que imperceptíveis, o caçador sente o anjo ceder, enfim entreabrindo sua boca, dendo livre acesso para que Dean apronfundasse o beijo. E assim o Winchester fez, descendo uma de suas mãos que permaneciam na parede, para o pescoço do anjo. Dean cola mais seu corpo no de Castiel, logo usando sua língua para provar mais daquele sabor delicioso que existia dentro dos lábios de seu anjo da guarda. Assim como o cheiro incrivelmente inebriante, o anjo também continha um gosto maravilhoso, tão doce quanto o mais puro mel, e o caçador se puniu internamente por demorar tanto tempo à enterder que aquilo realmente era o certo a se fazer.

Castiel apertava a cintura do Winchester mais velho em uma forma de não se perder no mar de desejos que estava sentindo. Não havia imaginado que Dean daria um passo tão inesperado, ele próprio não tinha nem se quer pensado naquilo ainda, e como sempre o caçador lhe surpreende. Castiel estava internamente eufórico, constatar que seu protegido estava demonstrando algo próximo à reciprocidade lhe deixava em êxtase. O anjo mesmo com pouca experiência, tentava imitar os movimentos do loiro, e estava sendo maravilhoso; Dean pressionava seu corpo com firmeza contra a parede, apertando seu pescoço com uma das mãos enquanto sugava sua língua com intensidade.

O beijo estava sendo quase que sofrego, inicialmente fora mais como uma mera descoberta de campo, onde ambos desvendavam os mistérios que existiam dentro dos lábios alheios, porém não tardou muito para que Dean demonstrasse seu interesse ávido por mais, logo usando sua língua experiente para dançar junto com a tímida língua de Castiel. O anjo estava surpreso ao descobrir que beijar Dean Winchester se tornará agora seu maior vício, não queria larga-lo jamais, ainda mais agora que enfim o caçador se renderá à ele. No entanto o mais alto se obrigou a abandonar os lábios do anjo para colocar oxigênio para dentro de seus pulmões. Reencostando a testa na de Cas novamente, precisando colocar no lugar toda aquela nova descoberta e tentando ao máximo acalmar seu corpo que já estava perigosamente acordado.

-Isso... Isso foi...

-Uau. -Dean fala completando a frase inacabada do anjo. Castiel mantinha o aperto de suas mãos na cintura do caçador, e sentia seus lábios formigarem. -Para um ser celestial inocente, você sabe muito bem como usar a língua.

O anjo sente o rosto queimar, entendeu a insinuação do caçador, mas não pode negar apreciar a forma como Dean falou a frase: como se gostasse muito daquilo.

-E-estou surpreso Dean, porquê fe-fez isso? -Castiel fala, essa pergunta reverberava dentro de sua cabeça desdo o minuto seguinte em que Dean tomos seus lábios com os dele.

-Cas, eu não sei ao certo, só sei que imaginar você indo embora me deixou... assustado, e não posso mentir: Você me seduziu.-O caçador fala com graça, se afastando enfim do anjo, mas mantendo uma aproximação significativa. -Não havia planejado isso, apenas... Aconteçeu...

-Achei que você não quisesse nada, Dean. -Castiel fala olhando para seu protegido de forma confusa, fazendo seu costumeiro olhar perdido. -Na verdade já havia me conformado com isso.

-É tudo confuso Cas, eu nem ao menos sei ao certo porque te... Beijei, nunca fiz isso com outro cara... Era para ser muito estranho... -Dean coça a nuca com a mão esquerda, desviando os olhos dos de Castiel. -Porém não foi.

-Para mim foi bom. -Cas fala sem rodeios, daquele seu jeito cheio de sinceridade que desestabilizava o caçador, contudo ouvir aquilo fez um sorriso travesso tomar conta dos lábios do loiro.

-Foi é?

-De fato, na verdade foi surpreendentemente satisfatório Dean, gostaria de fazer mais vezes. -Castiel fala da forma mais serena possível, como se apenas falasse para Dean como o dia estava ensolarado. O Winchester sentiu uma nova onda de excitação tomar seu corpo ao ouvir a voz rouca do anjo dizer aquelas palavras, não podendo evitar olhar para os lábios perfeitamente rosados do anjo novamente.

-Isso pode ser facilmente resolvido... -Dean dá um passo na direção de Castiel de novamente, mas para abruptamente pigarreando para clarear suas idéias, fazendo com que o moreno franzisse o cenho intrigado pela mudança repentida de comportamento do caçador. -Quer dizer... Cas, eu preciso entender tudo isso, você sabe... É confuso...

-Tudo bem Dean, eu entendo. -O anjo descola suas costas da parede, e alisa seu sobretudo, sentindo uma fisgada desconfortável em seu peito. -Acho que é melhor eu ir...

-Cas, Cas, Cas!! -Dean impede o anjo de se afastar da cozinha, segurando seu braço com força. -Não surta está bem? -Ainda mantendo o agarre no braço de Castiel, Dean fala tentando parecer o mais calmo que a situação exigia. -Você não vai sumir, vai?

-Dean...

-Me promete Cas? Promete não ir embora, promete voltar de seja lá onde você for com seus irmãos pluminhas... Por favor?

-Dean eu...

-Promete Cas?! -Dean insiste, sentindo a rigidez na mandíbula do anjo, sabia pelo seu semblante, que o moreno estava chateado. -Eu... Eu não me arrependo do que fiz Cas, na verdade acho que já desejava isso à um bom tempo... Só preciso por minha cabeça no lugar, até ontem eu era apenas o cara que curtia pegar todas as garotas que dessem mole... Só quero que você tenha paciência...

-Dean, se me deixasse terminar de falar... -Castiel fala bufando levemente. -Está tudo bem, não vou embora para sempre, prometo retornar assim que possível.

O caçador larga o braço do anjo, enfim respirando aliviado, não queria ficar longe de Castiel, e agora depois daquele beijo, duvidava muito conseguir pensar em outra coisa à não ser ele. Por outro lado, esse tempo que Cas passaria com seus irmãos, seria uma forma de fazer com que Dean pensasse sobre tudo; sobre os sentimentos que agora fervilhavam em seu íntimo, e principalmente sobre como daria seguimento a tudo aquilo. Precisava desse tempo sozinho, e mesmo não querendo deixar o anjo se aventurar sem ele ou Sam, Deam decidiu que seria melhor assim.

-Tome cuidado Cas, sabe muito bem que não confio nesses anjos aí. -Dean fala tentando tirar o assunto do terreno sentimental.

-Sempre tomo cuidado Dean, Gabriel estará comigo...

-Piorou, confio menos ainda naquele baixinho imbecil.

-Não começe, Dean. -Castiel fala revirando os olhos, não conseguia entender como Sam havia se conectado tão bem ao seu irmão Arcanjo e Dean por outro lado, vivia em uma eterna birra. -Estarei de Volta antes que você perceba, okay?

- 'Tá, 'tá... -Dean bufa a contragosto. Castiel sorri de leve, mas antes que pudesse enfim desaparecer, o anjo ouve Dean gritar. -EI CAS! Se você morrer, eu juro que te mato!

E com um levo inclinar de cabeça, o anjo sorri maior e enfim bate suas asas para longe de Dean Winchester e o bunker que agora parecia mais com seu lar do que o próprio céu.

Castiel estava feliz, mesmo que sentindo um pouco de medo; medo esse que lhe impedia de focar no que realmente importava naquele momento, que era ajudar seus irmãos na busca de alguns anjos rebeldes. Queria poder ter conversado melhor com Dean sobre aquele beijo repentino, não que o anjo estive achado ruim ou algo próximo à isso; muito pelo contrário, Castiel estava tão impactado com aquele ato de seu protegido, que o medo existente em seu íntimo nada mais era que: descobrir que Dean havia feito por impulso e se arrependeria... Cas não suportaria isso.

...

No bunker, Dean ainda se via parado no exato lugar em que à minutos atrás Castiel sumirá. O caçador tentava reviver o momento exato em que decidiu dar aquele passo importante. Deveria estar chocado ou qualquer coisa que indicasse surpresa ou desconforto, no entanto o caçador só conseguia sentir a maravilha que era ter os doces lábios do anjo nos seus, e o calor que emanava dele. E sim, o caçador já queria mais. Porém havia um ponto muito específico dentro de sua cabeça que gritava por uma explicação plausível.

Como assim você beijou um homem? Um cara???? Como assim você gostou disso? Como pode desejar mais? Você não curtia apenas garotas? Como vai explicar isso à seu irmão? Como vai explicar à si próprio todo esse desejo de querer ter Castiel penas para você?

Muitas perguntas começaram a perambular na cabeça de Dean. O caçador estava confuso com apenas um fato... Como em menos de um mês ele mudou de idéia sobre o anjo? Quando soube dos sentimentos de Castiel, Dean ficará perplexo e em total negação, porém agora sentia que havia algo dentro dele que sempre desejou ardentemente seu amigo alado.

Dean precisava chegar à um conclusão... Na verdade, precisava que Castiel voltasse logo, pois já sentia falta daquele perfume.



(Continua...)


Notas Finais


Destiel is real 🔥🔥🔥🔥🔥
Modeuso como eu amei esse cap. Kkk
É a realização de um sonho né não?
Enfim amores, espero que gostem, acredito que a Fic não passe de 10/15 cap então, logo chegaremos ao fim.
Comentem o que estão achando!!
Amo a interação de vcs

Bjus da Tia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...