1. Spirit Fanfics >
  2. Angels Like Violet - Tom Riddle >
  3. Cristal

História Angels Like Violet - Tom Riddle - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite meus filhotinhos 💚

Boa leitura e não se esqueçam de comentar para fazer essa simples autora feliz 💚💚

Capítulo 16 - Cristal


Fanfic / Fanfiction Angels Like Violet - Tom Riddle - Capítulo 16 - Cristal

- Boa tarde, senhorita Smith, está mais brilhante que o Sol nesta tarde - Potter cumprimenta a lufana ao se aproximar da mesma que estava saindo da biblioteca com alguns livros em suas mãos.

- Boa tarde, senhor Potter, isso foi deveras gentil da sua parte - Violet se encontrava corada ao andar com o garoto grifano ao se destinarem para a aula em conjunto que eles tinham...adivinhação.

Violet passava boas horas dos seus dias na biblioteca, ela amava ler de tudo, era como se ela criasse um mundo dela dentro de sua cabeça, independente do que fosse, poderia ser um romance, como também poderia ser algo relacionado ao quadribol...Violet nunca nem sequer havia chegado a voar em uma, ela tinha muito medo de altura, contudo, amava assistir os jogos de sua amada casa.

- Como está, senhorita Smith? - ele a questiona ao segurar os livros dela mesmo que a garota nem sequer pedisse.

- Muito bem, senhor Potter e você? - ela devolve educadamente ao irem andando pelos corredores cheios de alunos do castelo.

- Muito bem, senhorita Smith, gostaria de a convidar para que fosse assistir o jogo da Grifinória contra a Corvinal que ocorrerá nesse início de semana, no domingo - o moreno a pede ao pararem em frente a porta de uma sala de aula qualquer.

- Oh...claro que sim, estarei lá, senhor Potter - Violet afirma sorridente para o grifano que suspira ao ver o sorriso brilhante da garota...como era possível um ser humano tão pequeno ser tão bonito? Ele se questionava vendo a loira em sua frente.

- Eu queria te dar uma coisa para que usasse no dia do jogo - ele sorria abertamente para a jovem que se volta para ele antes de que ambos se virassem no corredor que levava à sala de aula de Florence Trelawney, uma adivinha um tanto quanto peculiar que de certa forma conseguia fazer algumas coisas entrarem na cabeça de seus alunos, era uma boa professora, por mais que o seu senso de moda não fosse um dos melhores.

- Oh, o que seria? - ela o questiona curiosa do que poderia ser que o grifano gostaria que ela usasse.

- Isso aqui - ele pega uma camiseta vermelha em suas mãos entregando para as mãos suaves de Violet - para dar sorte ao time e para mim - Charlus complementa um tanto quanto corado ao desviar seu olhar do par de olhos verdes da lufana.

- Oh tem o seu nome, que linda, senhor Potter - Violet sorri ao dobrar com delicadeza o tecido fino da camisa de quadribol do garoto - com toda certeza irei usa-la - ela guarda a mesma em sua mochila.

- Fico muito grato, senhorita Smith - ele afirma ao abrir a porta para que a lufana pudesse entrar na sala de aula.

- Queridos, caras mentes pensantes...venham venham - Florence os chama, fazendo todos da sala se virarem para que olhassem de quem se tratava - ora criaturinhas mágicas, não se acanhem, senhorita Smith, venha se sentar ao lado dos outros pequenos texuguinhos - Trelawney aponta para o lugar vago na mesa de suas amigas - Senhor Potter, sentem-se com as serpentes, não é como se elas te picassem de verdade, querido - Florence dizia ao ver a cara de desgosto de Charlus ao ver que se sentaria com Dorea Black e Walburga Black.

- Quero saber de tudo, Violet...você e o Potter entrando juntinhos, hm? - Amelie cutuca a amiga lufana que a encara um tanto quanto sem graça, confirmando a afirmação da loira.

- Ah bem, não foi nada demais - Violet coloca uma mecha do seu cabelo para trás ao encarar sua mesa com a bola de cristal em sua frente - ele me convidou para assistir a partida no domingo e bem...ele me deu uma blusa com o nome dele para - logo a Smith é cortada por gritinhos contidos de suas amigas, que acabaram chamando a atenção do garoto sonserino sentado perto de si...Riddle não estava contente, não mesmo, ele apenas não poderia dar em falso, ele tinha que ser o bom predador, aquele que em primeira instância se parece com um amigo...ele sabia o que iria fazer.

Se Charlus Potter a queria na partida, ela iria, Riddle nunca a tiraria à escolha, Violet era tudo e ele sabia o quanto a garota era boa demais para dizer "não" à alguém, a não ser que seja de extrema necessidade, Charlus Potter estava brincando com o perigo, acontece que nem sempre o perigo corresponde ao que você espera...ah não mesmo.

Riddle olhava fixamente para a mesa de Potter.

- Milorde - Lestrange sussurra para o sonserino - está tudo bem? - ele questiona temendo a reação do garoto.

- Sim, Lestrange, como vai os preparativos do seu casório? - Riddle logo devolve a pergunta com um sorriso de canto, enquanto o garoto tremia ao se lembrar de Ametista, ele a detestava com todas as suas forças, ele a achava execrável e se casar com ela era o pior dos seus pesadelos, ele temia caso ele viesse à ter um herdeiro...Ametista era amarga e ele temia de que seus herdeiros seguissem a mesma linha.

- Pacatos e insuportáveis - Lestrange responde ao suspirar, os três ficaram em silêncio, nada precisava ser dito e eles não queriam ser os primeiros a romper com o silêncio.

- Na aula de hoje...ah na aula de hoje, vamos ler pequenos lapsos de nossos futuros - Trelawney discursava com exagero, enquanto seus alunos tentavam compreender algo do que ela dizia - vamos aprender a desvendar os segredos de uma bola de cristal - ela bate palmas animada - vamos à algumas palavrinhas antes da prática, trouxas utilizam às bolas de cristais como meio de ver um futuro permanente, mas, não existe isso, o futuro não é permanente e já lhes expliquei isso, o futuro é uma linha em que podemos moldar para que fique de acordo com nossas escolhas, nada é certo...lembrem-se disso...ahm? Cansei...pratiquem pratiquem - ela diz ao bater palmas para os alunos.

- Como vamos praticar se ela nem explicou como funciona? - Juliet questiona ao revirar seus olhos.

- Posso te ensinar se você quiser, minha Julieta - a voz de Rosier surge atrás delas, fazendo Juliet revirar os olhos.

- Me erra, Rosier - ela o responde petulante fazendo suas amigas rirem da sua cara de indignada.

- Acho que temos que nos conectar com a esfera - Violet afirma ao colocar as duas mãos sobre a bola de cristal, sentindo uma onde de energia ser dispersa até o globo de cristal, era incrível e ela espero pacientemente até que algo aparecesse, o que de certa forma não veio para ela - não entendo o que posso ter feito errado - Violet parecia confusa ao não conseguir enxergar nada.

- Me deixe ver, pequena texuguinha - a professora aparece atrás da loira que acena em concordância para a professora - hm...vejamos - ela fecha os olhos tentando se concentrar, enquanto as três lufanas a encarava sem nem piscar - Oh querida - a mulher a encara com um sorriso triste no olhar.

- Sim? - Violet a questiona sem entender o que fora aquilo.

- Querida - Trelawney segura a mão delicada de Violet com um feição triste - anjos como vocês, não podem retirar o inferno de dentro deles - Violet se assusta com aquelas palavras, assim como suas amigas que piscavam com os olhos esbugalhados pela surpresa da fala de sua professora. 


Notas Finais


Beijos da tia Nicole e até o próximo capítulo meus filhotinhos 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...