1. Spirit Fanfics >
  2. Angels Vs Demons: Nephilim Awakening >
  3. Noção de perigo

História Angels Vs Demons: Nephilim Awakening - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Bora lá, mais um capítulo.

Capítulo 13 - Noção de perigo


Autor Zaifer-Mugiwara ON

Área dos vulcões.

A pequena garota estava sentada em cima de uma bigorna comum, ela desenhava em um pequeno caderno em quanto ouvia as marteladas em ritmo de seu pai.

Ela sorria com isso e batia as solas dos pés uma na outra assim os dois fazendo uma mini música sem perceberem.

Após uns minutos assim, o pai parou de bater o martelo após sentir mais de uma aura de aproximando, ele se encaminhou pra fora da caverna do vulcão e os viu chegando.

Poseidon: - Hefesto.

Hefesto: - Tio.

O ferreiro viu Kez e V.F.D se aproximando, ele parecia murmurar sem parar e então V.F.D acabou por responder algo que fez Kez se tocar novamente que estava falando sozinho.

Pandora: - Papai, o que houve?

Ela chegou e viu os deuses e também V.F.D, sem nem pensar duas vezes a garota correu até a golem e então deu um salto e abraço V com força.

Uma única ação surpreendeu a todos ali.

V.F.D retribuiu o abraço a Pandora sem exitar e até mesmo sorriu de leve.

Para uma criança como Pandora aquilo era uma maravilha incrível, para Kez como adolescente era uma coisa normal de irmãs mesmo que de consideração.

Para Poseidon e Hefesto, eles tremeram na base, aquele mini gesto, mesmo que bondoso e gentil, significava um imensa ameaça, um imenso perigo.

Pandora: - Você ta aprendendo!

V.F.D: - Graças a você Pandora.

A chamou pelo nome, novamente a garotinha a abraçou com força.

"Ataque..."

V levantou o olhar e obviamente olhou em volta, todos estranharam, mas a golem voltou ao seu foco.

V.F.D: - Criador, vou precisar de concerto.

Hefesto: - Claro.

Poseidon: - E meu filho vai precisar de um tridente novo.

Mostrou o tridente de Kez partido no meio, o azulado estava meio distante somente assoviando.

--------------------------------------------------------------------------------------------

O loiro voava em alta velocidade com suas asas, segurando algo em seus braços, ele pousou em frente a uma caverna entre árvores, e lá de dentro um urso saiu.

Orion: - Calminha ai amigo.

Orion deixou um pequeno filhote de urso enfaixado com o urso adulto, o urso rugiu pro loiro, mas não como agressão ou ameaça e sim como agradecimento.

Orion: - De nada.

O anjo saiu andando pelo meio das árvores, quando iria começar a voar.

"Não vai esperar?"

Se virou encarando o ruivo que se aproximava.

Orion: - Achei que o trabalho de ceifador de almas fosse mais demorado.

Takashi: - Vai achando.

Os dois abriram as asas, um de anjo e outra de demônio, eles simplesmente abriram voo e passavam pelas nuvens.

Orion: - Acha que o Zaik e a Mai estão bem?

Takashi: - Desde que eles não chamem a atenção.

------------------------------------------------------------------------------------

Voando com sua aura de dragão.

Kyrios simplesmente sentia o ótimo vento batendo no corpo, a brisa era boa, simplesmente incrível e relaxante, ele quase esqueceu seu objetivo isso se não fosse por ter a imagem dela em mente mais uma vez.

Somente soltou um suspiro e continuou seu trajeto.

Isso até cruzar com um corvo, ele parou no lugar na hora, o corvo estava de frente pro moreno.

Kyrios: - Resolveu dar as caras covarde?

O corvo começou a falar.

Ares: - Que tal uma conversa rápida?

------------------------------------------------------------------------------------

Os dois caminhavam pelas ruas "tranquilamente", afinal ela ainda tentava o convencer a dar meia volta, mas parecia que ele simplesmente não a escutava.

Mai: - Se um monte de celestiais vierem o que tu vai fazer o cabeça de barro?!

Zaik: - Eu mato.

Era a quinta vez que ele repetiu isso, Mai não gritava ou não o desmembrava pelo fato de ser umas 14:00 e eles estarem no meio da rua com um monte de gente, se fosse em um beco, até daria pra gritar e atacar ele.

Mas como não era o caso ela apenas se continha pra quando tive-se a oportunidade descontar tudo, mas de certa forma era uma  coisa boa essa raiva.

Zaik: - Então ond-

Mai: - Cala a boca.

Continuou caminhando em linha reta por um tempo em quanto Zaik a seguia até que ela se virou para entrar em um estacionamento abandonado, eles entraram e continuaram.

Após uns 2 minutos caminhando, eles pararam assim que chegaram em frente a um imenso paredão, Mai começou a bater na parede como se estive-se batendo numa porta.

Até que começou a fazer som de metal, e então foi possível se escutar.

"Senha."

Mais acabou por murmurar e Zaik não escutou, e então uma porta foi aberta, um tipo de segurança era o que vigiava, ele viu Mai e a deixou passar, quando Zaik iria a seguir.

Homem: - Não pode passar, além de ser novato não parece estar com ela.

Mai continuava caminhando sem olhar pra trás.

Zaik: - Só to seguindo ela mesmo, agora da pra me deixar passar?

Homem: - Não, sai daqui pivete.

O segurança tentou o empurrar, mas Zaik não se mexeu um milímetro, o segurança já sem paciência deu um soco em Zaik acertando em cheio a cara do híbrido.

Homem: - Que?!

O braço dele havia ficado dormente e Zaik não teve o rosto mexido nem um pouco, Zaik olhou de novo pra onde Mai ia e ela começou a desaparecer em meio a escuridão do corredor.

Zaik: - To sem tempo, então.

Ele deu um tapa na nuca do segurança o nocauteando e ele fechou a porta, em menos de 1 segundo em alta velocidade ele já estava ao lado de Mai de novo.

Mai: - Você é um chulé que não sai nunca...

Zaik: - Eu sei.

Continuaram caminhando até que finalmente passaram por uma porta e eles perceberam que estavam no meio de uma grande arquibancada com inúmeras pessoas gritando em quando lá embaixo dois homens lutavam na base dos punhos sem parar.

Até que um deles ganhou um imenso soco na cara e teve a cara amassada e vários dentes quebrados indo a nocaute, Zaik olhou pra Mai e a viu murmurar.

Mai: ~ Mais um dia de trabalho, mais um dia de lutas...

Zaik iria perguntar algo, mas antes que pude-se ele ouviu alguém os chamar.

"E AI!!!"

Os dois se viraram e viram um barman de cabelos medianos e brancos com pele morena e olhos azuis, se aproximando e cumprimentando a garota.

Mai: - Fala Uvat.

Ele reparou em Zaik

Uvat: - Mai quem é esse ai?

Mai: - Um puta idiota com cara de barro que me seguiu.

Ele encarou o Nephilim que tirava meleca do nariz.

Zaik: - Eu tava entendiado.

Uvat: - Entendi pivete, me chamam de Uvat, sou um amigo da Mai, prazer.

Apertaram as mãos.

Zaik novamente virou o olhar pra Mai que simplesmente encarava a arena lá embaixo, ela parecia encarar tudo com um olhar extremamente pensativo.

Mas isso parou assim que Zaik a tocou no ombro a fazendo voltar a realidade e o encarar, ele estava curioso e sério ao mesmo tempo, e isso fez a garota entender na hora, ele queria saber o que ela estava pensando.

Mas antes que qualquer palavra pude-se ser falada, alguém tocou o outro ombro de Mai, os dois jovens olharam pra quem foi e viram um homem bem alto e musculoso e cabelos negros.

Homem: - Opa, desculpe garotinha, você me lembrou alguém que conheço.

Se retirou do local, andando como se nada tive-se acontecido, Mai continuou o encarando, mas estranhando ele, em quanto o protagonista apenas ficou mais próximo da garota com uma sensação ruim.

Uvat: - Piestret, o louco silencioso de adrenalina.

Se aproximou de leve com as mãos no bolso, e os outros dois o encararam.

Uvat: - Ele sera seu oponente Mai.

Ela soltou um suspiro, isso era irritante pra ela, Zaik ainda continuava sem falar nada apenas observava.

Uvat: - Mai, melhor não abaixar a guarda com aquele cara, ouvi dizer que ele gosta de jogar sujo a todo momento, seja com armas dentro do próprio corpo, aliados dele atacando você, e etc...

Mai: - Quem aqui não joga sujo?

"Ei Mai, vem cá."

Se viraram e viram um homem e um garoto, pareciam administradores de empresas, afinal usavam ternos, gravatas, essas coisas, a castanha soltou um suspiro e foi lá.

Eles começaram a conversar e Zaik somente observava.

Uvat: - Quer transar com ela né?

Zaik olhou pra ele com umas sobrancelha levantada.

Zaik: - Só conheço ela a cerca de 3 dias, como alguém quer fazer isso com outra pessoa da noite pro dia?

Uvat: - Ai, ai, inocência...

Zaik: - Tá mais afinal o que ela ta falando com eles?

Uvat: - São os chefes dela, como você é novato eu vou te explicar, esse é um lugar onde rolam apostas de lutas, onde lutadores sem regras podem vir se enfrentar como e quando quiserem, algumas pessoas ricas que gostam de apostar contra outras pessoas ricas, e se os lutadores quiserem fechar acordo com essas pessoas eles acabam sendo representantes ou aliados para essas lutas assim sempre que o lutador representante de tal pessoa vencer um outro lutador onde muito provavelmente as pessoas apostaram, a pessoa receberá o dinheiro da vitória e o lutador além de ter sua satisfação da luta também recebera de 25 a 40% da grana, no caso a Mai é representante daquele cara.

Zaik voltou a olhar pra Mai, eles pareciam estar terminando de conversar, mas antes dela ir se afastar pra ir pra arena, ela acabou tendo uma rápida conversa com o garoto junto do homem, e essa pequena conversa se finalizou ao garoto falar algo no pé do ouvido dela com uma cara bem maliciosa.

O híbrido de anjo e demônio olhou a alma deles, a de Mai estava quase totalmente afogada em fúria, já a dos outros dois em ganância e em luxúria.

Mai se retirou do local passando pela multidão em quanto os dois continuaram um do lado do outro apenas observando.

Uvat: - Anda logo apaixonadinho, eu tenho lugares bons pra assistir as lutas, e eu ainda vou pegar cerveja pra nós, por conta da casa hoje.

Zaik: - Cerveja?

Uvat: - Se tu nunca bebeu, hoje você bebe.

----------------------------------------------------------------

Eles estavam em uma área do meio da arquibancada, Zaik estava com cerveja comum em quanto Uvat estava com um corote, os dois apenas esperavam em quanto davam um gole na bebida.

Uvat: - Isso é muito bom!

Zaik: - É bom mesmo sendo amargo.

Os dois sorriram.

"SENHORAS E SENHORES, APOSTADORAS E APOSTADORES, VAMOS PARA O COMBATE!"

Eles encaravam a arena que por sinal era imensa, e então eles viram outro lutador junto do que realmente deveria lutar, isso fez Zaik estranhar.

Zaik: - O que isso quer dizer?

Uvat: - Que haverá mais de um oponente pra Mai, e se provável que em seguida de derrotar eles ela vai ter que enfrentar mais alguém.

Logo depois eles viram Mai chegando, ela não comemorou nem nada, somente encarava os inimigos sem surpresa, Zaik apenas observava curioso, mas não apenas isso, ele tinha péssimos pressentimentos, um vindo atrás de si e outro vindo de Mai.

Ele olhou pra trás e viu um homem enorme e musculoso usando armadura o encarando como se estive-se esperando algo.

Zaik voltou a prestar atenção na luta que iria começar.

-----------------------------------------------------------------------------------

Lutador 1: - Você vai apanhar garota...

Lutador 2: - Vai tomar tanto no cu...Literalmente...

Sorriam maliciosamente e com magias sendo invocadas, Mai apenas puxou uma espada diferente, não era a mesma katana que ela usava pra cortar Zaik, essa era preta e parecia enferrujada, corrompida.

BANG!

O sinal pra luta começar foi dado, os lutadores começaram a disparar magia, um soltando bolas de fogo alaranjadas, Mai facilmente desviava, até que as chamas começaram a explodir.

Não foi pega pelas explosões, afinal ele havia saltado pra cima, e no ar ela viu vários estilhaços de gelo afiados vindo pra cima de si tentando lhe cortar sem parar.

Mas novamente e surpreendentemente mesmo no ar, ela desviou tranquilamente, após pousar no chão ela os encarou e se preparou, uma aura totalmente vermelha saiu do corpo de Mai a pele levemente vermelha, com algumas veias principalmente nos braços e pernas mais amostras, fora os músculos que pareceram ter crescido um pouco.

Mai: - Avançado...

Uma aura negra saiu da lâmina da espada, os lutadores dispararam um combinação de chamas explosivas com o gelo, mas em menos de um segundo, o ataque foi partido no meio por um vulto negro e vermelho.

Mai estava atrás deles agora, mas uma das coisas que mais surpreendia era que o concreto que formava o chão da arena havia derretido com a velocidade dela.

Mai: - Black Trail...

Mai guardou a katana nova nas costas e teve seu corpo voltou ao normal em quanto os lutadores caíram no chão com imensos cortes feitos no corpo.

------------------------------------------------------------------------------

Zaik: - 5...

Uvat: - Que?

Encarou ele, Zaik resolveu continuar.

Zaik: - Antes de dar 1 segundo ela cortou os dois cerca de 5 vezes a cada 1 milissegundo.

Ou seja em 1 segundo, foram 5 mil cortes.

Ele encarou bem Mai que não comemorava.

Uvat: - Ta pra ficar divertido.

Zaik sentiu uma presença se aproximando, ele cerrou os punhos e então olhou pro lado e viu o homem encapuzado do seu lado lhe encarando.

A aura do homem era de certa forma parecida com um dos celestiais que ele enfrentou a uns dias atrás, o híbrido de anjo e demônio somente ficou pensativo se deveria atacar ou não.

Ele teve sua resposta ao ser segurado pelo braço e em menos de 1 segundo ser jogado pra fora dali em força bruta.

Atravessando inúmeras paredes até chegar em um beco, ele se levantou estralando as costas que foram curadas pela regeneração, Zaik levantou o olhar e viu que por todas as paredes que ele atravessou.

Seu corpo havia acertado algumas pessoas que nem se quer tinham mais vida, isso era visível para Zaik, que via a alma delas saindo dos corpos e indo pra qualquer lugar.

Aquilo somente irritou o garoto que viu o homem se aproximar.

Ele parou a mais sou menos 3 metros de distância de Zaik, o híbrido de anjo e demônio o encarava com ódio, o homem acabou por rir do olhar do garoto e retirou seu capuz, além de mostrar o rosto uma armadura de primeira dourada.

Hércules: - Pensei que fosse maior pessoalmente.

Zaiki continuava o encarando e Hércules estralou os punhos.

Hércules: - Mas não importa, eu vou estraçalhar você, sinta-se honrado nephilim por ser morto pelas mãos pelo grande e temível Hér-

Zaik: - Cala a merda da boca.

O semi deus o encarou estranhando.

Zaik: - Você acabou de me tirar boa parte da paciência matando quem nem tem nada haver com isso.

Hércules: - Esses mortais plebeus deveriam se sentir honrados por morrerem pelas minhas mãos, isso é um privilégio.

Zaik cerrou o punho com força com força, em quanto Hércules continuava sorrindo, ele entrou em pose de combate, Zaik sem se mover somente o encarava.

Hércules: - Fique tranquilo, depois de você, vou cuidar bem daquela garota.

Zaik apertou o punho mais forte.

Hércules: - Se prepare!

Correu até Zaik, preparou para dar um soco de direita, mas assim que estendeu o punho, sangue saiu do braço do filho de Zeus, ele segurou o grito, algo segurava seu braço em quanto várias lâminas entravam no mesmo.

Ele tentou dar um soco com o braço livre sem olhar o que prendia o outro braço, mas o que aconteceu com o braço direito, aconteceu com o esquerdo também.

Hércules: - AH!

Não teve como não solta ao menos um leve grito de dor, os dois braços eram puxados pra trás, assim que ele se virou e olhou para ver o que prendia seus braços, ele arregalou os olhos, não eram armas.

Eram duas cabeças de um animal em modo espiritual cor vermelho sangue.

E antes que o semi-deus pude-se fazer algo, ele sentiu algo lhe mordendo na área das costelas.

Uma terceira cabeça.

Hércules finalmente reconheceu as cabeças, era do animal no qual ele mais sofreu pra vencer em sua vida inteira.

Hércules: - Cérberos?!

"ISSO É SUA CULPA!"

Sentiu algo segurando suas pernas, quando o meio mortal olhou, ele viu, almas vermelhas distorcidas com olhos e boca brancas, a voz mais que distorcida e demoníaca.

Mais dessas almas se seguravam em Hércules limitando ainda mais os movimentos dele, fora que Cérberos aumentava ainda mais a força das mordidas.

Hércules: - AAAAAAAAAAAH!!!

Ele encarou Zaik novamente, os olhos estavam vermelhos alaranjados, inúmeras almas eram vistas nos olhos dele, almas de feras selvagens e de humanos.

Todos gritando e rugindo.

Zaik: - Elas dizem...

Uma aura negra e vermelha cobriu seus braços, seus braços ficaram totalmente pretos, sua musculatura por completa cresceu mais sou menos 2 centímetros, suas mãos ganharam garras e as suas veias ganharam um brilho vermelho.

Zaik: - As almas dizem para eu eliminar você por elas...

Hércules usou toda sua força bruta pra tentar se soltar, mas não adiantava, as almas não sentiam dor e Cérberos apertava ainda mais as mordidas.

Assim que o filho de Zeus olhou pra frente para encarar o nephilim, Zaik já estava em sua frente com trevas em um leve brilho vermelho cobrindo seu punho direito.

Zaik: - Dark Soul Gun...

Ele deu um poderoso soco concentrado no centro do peitoral de Hércules.

O soco foi tão forte que a armadura que Hércules ficou em pedaços, não somente isso, como toda a caixa torácica foi destruída e alguns ossos ficaram esmigalhados.

E pra completar a imensa força do soco, Zaik somente levantou um pouco mais seu punho pra cima, uma força tão tremenda que Hércules foi jogado pra cima.

Sendo jogado até mesmo pra fora da última camada da atmosfera do planeta.

Zaik encarou os céus que teve todas as nuvens abertas no meio por um imenso buraco, ele se acalmou e seu corpo voltou ao normal.

Zaik: - Semi-deus mais forte...que convencido.

Ele bateu as palmas e as almas se foram, menos o imenso cão de 3 cabeças o encarava, Cérberos rosnava e Zaik o encava sem medo algum.

Após uns segundos daquele jeito.

Cérberos se sentou e colocou as línguas pra fora e começou a respirar pelas bocas, Zaik sorriu e fez um carinho no animal e até o abraçou.

O canino demoníaco lambeu o nephilim e o deixou lhe fazer um cafuné, em seguida Cérberos voltou a ser o nunchako, e depois virou Rebellion.

Zaik a colocou nas costas e a fez desaparecer.

Ele encarou o buraco pelo qual tinha saído da arena e voltou pra lá já imaginando a bronca que iria levar.

------------------------------------------------------------------------------------

No meio da floresta, ele sentiu a presença se aproximando, o pequeno filhote de lobo dormia sobre sua cabeça, Tay colocou o pequeno canino no chão.

Ele estalou os dedos, alterando a realidade fazer aquele pedaço do solo parecer um colchão macio para o animal, após isso, o garoto se afastou e começou a se afastar um pouco, pegar uma distância segura, afinal ele já tinha noção da aura que se aproximava.

Era uma daquelas que enfrentou a mais sou menos 2 ou 3 dias atrás, caminhou e pegou uma boa distância, ele encarou os céus e somente esperava em quanto observava o por do sol.

Tay: - Vai demorar quanto tempo?

----------------------------------------------------------------------

O deus da guerra somente cerrou os punhos com força ao ponto de sentir suas mãos sangrarem, em puro ódio se levantou e saiu dali, caminhou até a sala e viu Zeus se preparando pra sair.

O deus dos raios viu seu filho.

Zeus: - Ares, me de uma ajuda.

Ares: - Com o que?

Zeus: - Hércules.

Ares soltou um suspiro e passou a mão no rosto, oque aquele idiota tinha feito agora?

Os deuses simplesmente chamaram suas montarias, Zeus assoviou chamando pégasos, já Ares iria voando por si só, ambos pai e filho foram até a beira do monte e abriram voo.

Ares seguia Zeus que estava montado no cavalo alado.

Os dois chegaram em plano mortal, mas eles não estavam indo pra um terreno, eles subiam até depois do espaço, subindo sem parar quando se deram conta.

Saíram de toda a atmosfera.

Não importava o ar pra eles, continuaram subindo até que chegaram em seu destino.

A Lua.

Os dois pousaram no solo do astro, caminharam em linha reta.

Ares: - O que ele veio fazer aqui?

Zeus: - Ele foi jogado aqui.

Ares riu.

Ares: - Quem ele irritou?

Eles chegaram em uma cratera pequena aberta no solo lunar, e lá estava ele com a marca do punho no peito sangramento pelo corpo e ossos destroçados.

Zeus: - O seu primo Zaik.

Ares engoliu o seco e encarou o irmão desmaiado, ele se lembrou de uma coisa que Hefesto lhe disse.

----------------------------------------------------------------------------

Hefesto: - Não sei por quanto tempo o corpo da V.F.D poderá suportar o monstro, ela já começou a ter alguns pensamentos próprios.

----------------------------------------------------------------------------

Ainda encarando o corpo do irmão ensanguentado com marcas de mordidas, aquilo lhe lembrou de outras feridas, mas feitas por outra coisa.

facas.

----------------------------------------------------------------------------

Em Esparta.

"ACHAMOS ALGUNS AQUI, MATEM!"

"CORRE FILHO!"

Ela empurrou o garoto pra correr.

"MÃE!"

-----------------------------------------------------------------------------

Ares somente cerrou os punhos e logo sentiu seu pai tocar seu ombro, o deus dos raios somente seguiu em direção a Hércules em seguida.

O deus da guerra olhou pra cima e viu o planeta terra, ele somente previa o pior.

Zeus: - Ares, ajuda aqui.

Ele foi se lembrando do que Kyrios havia lhe dito naquela conversa.

------------------------------------------------------------------------------------------------

Kyrios somente cruzou os braços o esperando falar.

Ares: - Pare de fazer o que está indo fazer agora.

Isso somente confirmou as suspeitas de Kyrios, ele obviamente não pretendia o escutar, quando iria voltar a seguir em frente, o corvo mais uma vez veio a falar.

Ares: - Vai mesmo continuar com essa tolice? Você vai sofrer muito com isso.

O moreno não encarava o corvo, somente respondeu o deus.

Kyrios: - Eu aprendi que todos sofrem um dia...E já passou da hora de vocês sofrerem também.

Partiu o corvo no meio em menos de 1 mini-segundo.

------------------------------------------------------------------------------------

Ares só tinha uma sensação.

A sensação de perigo e morte.

 


Notas Finais


Esse é aquele momento que tu percebe que o pessoal não ta de zoeira.

Todo mundo ai ta pistola pronto pra comer o cu um do outro, vai dar uma merda.

Espero que tenham gostado.

É isso, valeu, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...