História Angelus Errare (Mclennon) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Beatles
Personagens George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Personagens Originais, Ringo Starr
Tags Mclennon
Visualizações 134
Palavras 1.025
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Finalmente criando coragem pra postar minha primeira fic... Espero que gostem! 😉

Capítulo 1 - The sounds of silence


Um dia se passara desde seu aniversário de 18 anos e assim como na maioria deles, ninguém havia se lembrado... Paul já não criava mais expectativas em torno desta data, o dia amanheceu chuvoso e frio típico do mês de Junho, fitou o teto por um tempo e enfim se levantou, teria que trabalhar como em todos os dias, em um emprego que não o fazia feliz, mas que cumpria seu papel em colocar comida na mesa. Tomou um longo banho e se arrumou como de costume, calças escuras, uma camisa branca e gravata, infelizmente só lhe restava um pedaço de pão do dia anterior, suspirou pegando o mesmo e enfim saiu ainda comendo, olhou pro carro, mas infelizmente o mesmo estava quebrado, seguiu de ônibus. Sentia como se as pessoas estivessem olhando diferente pra ele e imaginou que se devesse ao fato de ser novo na cidade.

O dia passou estranhamente silencioso no trabalho, não tinha muitos amigos lá, pra dizer a verdade não tinha nenhum, e ele só percebeu que estava na hora de ir quando aquele odioso sinal tocou informando que já eram 22:00 horas, mas como havia trabalho acumulado ele acabou ficando um pouco mais. 

Passava das 23:00 horas quando saiu, se despediu de algumas pessoas e seguiu pela rua escura em meio a chuva fina, tinha algum dinheiro no bolso e resolveu passar em um bar pra beber algo antes de ir terminar o percurso até o ponto de ônibus. 

Ao adentrar aquele local pode ver algumas pessoas bebendo e conversando, outras jogando bilhar e alguns até flertando com jovens garotas, enquanto caminhava timidamente até o balcão pôde ver a silhueta de um homem sentado em frente ao mesmo, estava de costas, mas Paul notou algo diferente naquele homem, mas não sabia o que era, ele estava com um sobretudo cinza, aparentemente usava calças escuras também, seus cabelos eram num tom muito diferente de outros ali, era uma espécie de ruivo meio acobreado, era impossível não notar seu contraste naquele local.

À medida que Paul se aproximava, podia ver um pouco melhor aquele que agora estava ao seu lado, timidamente deu uma olhada e pôde ver seu rosto, a pele branca contrastava com os cabelos que caiam um pouco sobre a testa, ele estava com uma camisa preta e um cigarro entre os dedos, mas se mostrou indiferente à presença do de cabelos escuros e olhos quase verdes, continuou fumando e bebendo aquela que parecia ser sua terceira dose.

O moreno se sentou meio encabulado e pediu ao garçom um duplo, neste momento o de cabelos ruivos tragou seu cigarro e virou de uma só vez o líquido que ainda restava em seu pequeno copo, colocou dinheiro na mesa e se levantou. Ao se virar pra sair, por alguns segundos Paul vislumbrou aqueles olhos âmbar, ele tinha um olhar felino e intimidador... Caminhou até a porta e o moreno não conseguiu evitar e o acompanhou disfarçadamente com os olhos.

Aquele homem tinha um ar misterioso, ao mesmo tempo intimidador e intrigante, possuía algo que não se podia explicar. Enquanto caminhava, todos olhavam pra ele e McCartney apenas o observou saindo, imaginando que seria a última vez que o veria.

O atendente trouxe seu pedido e ele a virou em um único gole que desceu queimando por sua garganta, já que o mesmo não era acostumado com aquele tipo de bebida. Colocou o dinheiro no balcão e se preparou pra sair.

A rua estava muito silenciosa, não se ouvia nada, apenas vozes ficando pra trás, dentro daquele lugar. Olhava pros lados como se de uma forma inconsciente procurasse o ruivo. Enquanto caminhava notou que a chuva havia aumentado e resolveu cortar caminho até o ponto por um beco que ficava ali perto. 

Paul tinha a estranha sensação de que alguém o observava, e essa sensação foi aumentando a medida que este caminhava, aumentou os passos vez em quando olhando pra trás, a situação estava se tornando sufocante, ouviu o barulho de uma lata caindo, parou totalmente e olhou em direção ao local de onde vinha o som... até que um feixe de luz revelou escondido nas sombras um ser estranho que se parecia com um cachorro deformado, ou melhor os restos de um cachorro com um formato humanóide, e ele olhava diretamente para Paul, sem conseguir pensar duas vezes se virou e começou a correr, mas o terror era tanto que mal sentia as pernas, havia um pavor imenso e não conseguia entender o que estava acontecendo, aquilo era real? conforme corria na chuva acabou tropeçando e caiu, ao olhar pra trás viu aquela coisa se aproximando com dentes afiados e garras enormes que faziam um som assustador ao tocar o chão, ele mal conseguia respirar, num salto conseguiu se levantar e saiu correndo e cambaleando,  estava prestes a chegar no que parecia ser a rua, viu alguem vindo pelo beco... devido ao escuro apenas podia enxergar um cigarro entre seus dedos, chegando mais perto percebeu que era o acobreado vindo em sua direção! Tentou gritar pra que o mesmo corresse e saísse dali com o pouco fôlego que restava, mas o de olhos âmbar apenas continuou em direção aquela criatura horrenda... Paul parou de correr se virou em sua direção.

O ruivo então tirou um objeto de dentro do seu sobretudo e apontou pra criatura que parecia furiosa ao vê-lo, aquele homem parecia ter luz própria... Dizia algo em latim enquanto se aproximava com a mesma mão que segurava o objeto pegou a fera pelo pescoço, a criatura tentou se debater mas parecia amarrada, sem pensar duas vezes com a outra mão cravou um punhal em seu peito enquanto proferia mais alto palavras que Paul não compreendia. Com isso a criatura emitiu um grito estridente e caiu ao chão se desfazendo. 

Paul assistia a cena sem acreditar no que via e por mais que tentasse não conseguia se mexer. Então o rapaz se virou pra ele o olhando nos olhos e disse: 

- Você deve ser muito especial pra que ele se mostrasse dessa forma...

Ainda em choque o moreno caiu de joelhos tremendo sem parar em meio a chuva...


Notas Finais


Espero que tenham gostado! A ação está só começando rsrs até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...