História Angelus Errare (Mclennon) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias The Beatles
Personagens George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Personagens Originais, Ringo Starr
Tags Mclennon
Visualizações 92
Palavras 1.009
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo saindo do forno!

Capítulo 2 - Scream


 

Paul continuava em choque de joelhos na chuva tentando entender o que acabara de ver, a chuva fria descia por seu rosto junto ao suor... Quando se deu conta havia uma mão estendida em sua direção. 

-Você está bem? Consegue me ouvir?

-Si sim... -  foram as únicas palavras que conseguiu dizer.

-Vamos sair daqui, você precisa de ajuda pra levantar? – disse o ruivo o segurando pela mão gelada e trêmula. Mas ao tocá-lo sentiu uma espécie de fisgada no peito quase soltando o moreno que tentava se levantar. 

McCartney o acompanhou em silêncio, pararam em frente a um carro preto e o acobreado fez sinal para que entrassem, seguiram viagem, Paul abriu a boca por algumas vezes mas não haviam palavras.

-Lennon, pode me chamar assim se quiser, posso saber seu nome?

-Paul... O que foi aquilo? Eu realmente vi aquela criatura? O que você é? – Antes que pudesse terminar chegaram a uma estradinha escura de terra, local onde havia uma velha igreja, aparentemente abandonada.

-Sou um guardião ou caçador tanto faz... Eu mato aquelas coisas e é só o que você precisa saber por enquanto, agora vamos.

Ao entrar McCartney percebeu que haviam mais duas pessoas no local, um rapaz alto com cabelos castanhos e magro e um ligeiramente mais baixo de olhos azuis. 

-Então? Por que nos trouxe aqui? Disse o de olhos azuis sem perceber a presença do moreno que vinha logo atrás de Lennon.

-Quem é ele? – questionou o de cabelos castanhos.

-Bem este é o Paul e também não faço idéia de quem seja, mas uma criatura rastejante se mostrou pra atacá-lo mesmo depois de me ver.

-Isso é impossível! disse o mais baixo,

-Fazem 18 anos que não vemos nada!

Então sem ter muita paciência pra explicações Lennon sacou seu punhal que ainda estava sujo de sangue negro e jogou na mesa. Todos se surpreenderam e por um instante ficaram em silêncio e como por impulso olharam os três ao mesmo tempo pro moreno que assistia a tudo em silêncio. 

Nos desculpe, me chamo Harrison e este é Starkey.

-Sou Paul McCartney... Alguém poderia me explicar o que está acontecendo?! Eu estou sonhando ou ficando louco???

-Acredita em contos de terror garoto? Questionou Harrison,

Ouviram alguns sons estranhos vindo dos fundos, 

-Eles estão aqui... Lennon sussurrou. 

Neste instante surgiram cinco criaturas, algumas rastejando e outras de pé, eram um pouco diferentes do último, mas também pareciam animais misturados com pessoas mortas.

-Atrás de mim Paul! -disse Lennon.

 Então McCartney pôde ver os três entrando em ação com suas armas. Haviam adagas e punhais e os três eram muito hábeis. Em um momento de pânico correu e acabou se distanciando, chegaram mais quatro criaturas, durante a luta os três se dissiparam e Paul acabou encurralado, duas criaturas vieram em sua direção, ele podia ver de perto aqueles rostos horrendos e dentes pontudos, eram totalmente deformados e tinham ossos à mostra.

Seu coração estava disparado e ele suava frio, estava em pânico, teve um surto de adrenalina  colocou as duas mãos na cabeça como se quisesse acordar de um sonho ruim deu um grito que estava intalado em sua garganta. 

-JÁ CHEGAAA!!!!!!!! Nesse momento uma espécie de fogo surgiu ao seu redor...

Ao abrir os olhos viu os três sujos com sangue negro e todas as criaturas no chão. 

O trio se olhava atônito sem entender o que havia acontecido. 

Após o estranho acontecimento Paul se sentiu fraco e caiu no chão. Teve alguns flashes de luz em sua mente e pôde perceber que estava deitado no banco de trás do carro, John dirigia rápido e Harrison estava na frente com ele, ao olhar pro lado viu Starkey o fitando com seus grandes olhos azuis. 

- O que aconteceu? Disse colocando a mão na cabeça. 

Lennon o olhou pelo retrovisor mas permaneceu em silêncio. 

- Não aguento mais! Me digam logo o que está acontecendo aqui! Quem são vocês!? O que eram aquelas coisas???!!

Logo você vai saber! Disse Starkey. Enquanto Lennon apenas observava tudo em silêncio. 

-Não faço parte disso, não conheço vocês, me deixem em paz!!!

Neste momento se pôde ouvir uma freada brusca e Lennon se virou pra trás e com uma de suas mãos segurou o moreno pelo colarinho, o puxou firmemente e disse olhando pra ele:

-Nós também estamos tentando entender o que está acontecendo aqui, não sabemos o que VOCÊ É! E estamos nos arriscando pra entender, o mínimo que você pode fazer é calar a PORRA DA BOCA, enquanto tentamos te ajudar. VOCÊ ENTENDEU??!!!

-Eu não pedi a sua ajuda – Paul disse com os olhos marejados.

Se encararam por alguns instantes até que Lennon o soltou.

-Estamos te levando até um sensitivo poderoso que faz parte da nossa ordem. Talvez ele possa explicar o que está acontecendo – Por fim disse Starkey. 

- Mas e se ele não souber a reposta? Questionou Paul.

-Então a gente te mata pra não correr riscos. – Retrucou Lennon com um sorriso sarcástico. – Pode ter certeza de que é muito melhor morrer por nossas mãos do que virar comida pra eles. – Sorria olhando através do reflexo.

Pararam pra abastecer em um posto, enquanto Harrison comprava comida e Starkey ia até o banheiro. Paul permaneceu pensativo encostado no carro, Lennon se aproximou e estendeu pra ele o que parecia uma garrafa de água. Se encostou ao seu lado, agora foi sua vez dele abrir a boca e lhe fugir as palavras. Queria se desculpar mas não era muito bom nisso... Então retirou uma de suas adagas e a entregou a Paul.

-Caso você precise... ela é especial... tem um exorcismo poderoso gravado nela.... o ponto fraco deles é o peito...

- O que são exatamente eles?... Disse Paul.

- Nós os chamamos de rastejantes porque se levantam usando o que já foi um corpo... então basicamente entram em animais e pessoas mortas, não podem habitar um corpo que já esteja habitado.... mas existem outros muito mais poderosos...Algo me diz não irá demorar pra vermos algum deles, sabemos que não estavam atrás de nós três...


Notas Finais


As coisas estão ficando tensas! Espero que estejam curtindo tanto quanto eu! 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...