História Angus Moon - Samhain ( Moonsun ) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Hwasa, Moonbyul, Solar, Wheein
Tags Ahn Hyejin, Byul, Halloween, Hwasa, Hyejin, Jung Wheein, Kim Yongsun, Mamamoo, Moon, Moon Byul, Moonbyul, Moonbyul Yi, Moonstar, Moonsun, Orange, Policial, Romance, Solar, Sun, Wheein, Wheesa, Yongsun, Yuri
Visualizações 31
Palavras 2.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi


Bah leitura!

Capítulo 2 - Primeiro Passo


Fanfic / Fanfiction Angus Moon - Samhain ( Moonsun ) - Capítulo 2 - Primeiro Passo




 

“Chegou em 30 minutos” - Solar  

  

 

 

Solar trocou de roupa, colocou um vestido branco, pegou as chaves do carro e saiu. Ela morava um pouco longe da praça, o trânsito estava um pouco pesado, o que a fez atrasar um pouco.  

Byul estava em um banco, sentada, de costa para ela. Solar sentou ao lado da Moon que assim que a reconheceu e abriu um enorme sorriso.  

— Desculpa a demora o trânsito estava ruim. — Moon sorriu assim que reconheceu a voz.  

— Tudo bem, vamos? — Byul se levantou, ela usava uma máscara preta uma calça jeans e uma jaqueta escura fechada.  

— Estou morrendo de fome, onde vamos?  

— Não muito longe — Abaixou a máscara e sorriu quase fechando os olhos.  

Elas caminharam conversando sobre coisas aleatórias até o restaurante. 

— Achei que íamos em um restaurante mais simples — Solar disse ao chegarem no lugar.  

— Um amigo meu e dono desse lugar e queria te trazer em um lugar especial no nosso primeiro enco…, err, na primeira vez que saíssemos. — Abriu um sorriso sem graça e foi conversar com o senhor da recepção que as levou até uma mesa. 

Puxou a cadeira para Solar, que ficou um pouco envergonhada com o ato. 

Fizeram os pedidos e voltaram a conversar.  

— Então do que você trabalha mesmo? — Byul perguntou.  

— Ah, eu sou arquivista em um escritório de contabilidade. — Era uma mentira muito bem ensaiada. 

— Poxa, deve ser um tédio. 

— E é mesmo — Solar disse e as duas começaram a rir. — Mas não vamos falar do meu trabalho chato, por favor. — Conteve os risos. — Me conta mais da loja da sua avó.  

— Ah, minha avó é filha de uma norueguesa com um coreano e veio para a coreia ainda pequena. — O garçom chegou e as serviu. — Obrigado. — Se dirigiu ao garçom.  

— Continua — Solar falou interessada.  

— Então, ela passou a loja pro meu nome dizendo que nenhum dos seus filhos seguiam a cultura que a mãe dela tinha passado para ela. — Continuou séria enquanto Solar bebia um pouco de vinho. — Ela praticamente me criou.  

— E ela ainda te ajuda na loja? — Solar tirou seus olhos da taça de vinho a encarando. 

— Não, ela faleceu há uns 5 anos. — Os olhos de Byul se encheram de água. 

— Oh, eu sinto muito, me desculpa não devi... 

— Tudo bem, é bom falar dela. — Byul a cortou. — Ela amava me contar histórias, sinto falta dela. 

Solar não sabia como retomar o assunto saindo daquela situação constrangedora.  

— Então você gosta do halloween?   

— É minha época preferida do ano. A mudança de clima, as festas, a decoração, os doces, o misticismo. É tudo incrível. — Os olhos de Byul brilhavam enquanto ia falando. 

A conversa voltou a fluir naturalmente enquanto elas terminavam o almoço. Byul pagou o almoço depois de muitos minutos usando todos seus argumentos com Solar que cedeu por causa da insistência da garota. 

Elas caminharam lado a lado à beira do riacho Cheonggyecheon, ouvindo apenas o barulho da água e sentindo a brisa leve daquela tarde. 

— Vamos nos sentar ali — Byul disse apontando para um banco que dava para ver o rio dele.  

Elas se sentaram observando a paisagem em um silêncio harmônico. Solar pegou o celular já eram quase 4 da tarde. 

— Eu tenho que ir Byul — Disse triste.  

— Mas já? Fica mais um pouco pra vermos o sol se pôr. — Encarou Solar quase em uma súplica.  

— Não posso, tenho uns trabalhos da faculdade pra fazer. E tenho aula hoje. 

— Mas... — Byul pensou em relutar — tudo bem, eu te acompanho até seu carro. 

Solar se levantou e caminharam à margem do riacho por mais alguns metros antes de ir embora dali. No estacionamento, elas se despediram e Solar já ia entrando dentro do carro quando sente Byul segurar sua mão a puxando de volta sem saber o que dizer. 

— Err..   

Moon empurrou levemente Solar contra o carro sendo encarada por ela com surpresa e em um impulso encostou os lábios aos de Solar. Levou as mãos a cintura dela que segurou nos braços de Moon levemente se entregando sem perceber ao abrir levemente os lábios. Byul mordeu devagar os lábios de Solar com desejo antes de a beijar calmamente. 

Se separaram devagar olhando uma nos olhos da outra.  

— Vai ter uma festa dia 29, de halloween. Quer ir comigo?  

— Não sei Byul, tenho que ver. 

— Por favor, pensa com carinho — Ela sorriu ainda perto dos lábios de Solar e sem soltar a cintura dela. — Vou enviar o convite por mensagem. — Deu um beijo na bochecha de Solar que sorriu tímida. 

— Tudo bem vou pensar, até mais Moon. — Solar entrou no carro indo para a delegacia e antes de chegar lá recebeu o convite de Byul.   

  

  

 
 

  

  

  

~~~~~~~~~~>>>>♦<<<<~~~~~~~~~~  

  

  

  

  

 — Solar, temos algumas informações — Wheein disse assim que Solar passou pela porta. — As vítimas que sumiram no mesmo ano receberam mensagem de um mesmo número em comum. 

— Ainda não conseguimos um mandado para liberar as mensagens trocadas pelas redes sociais, mas estamos providenciando. Acho que será mais fácil por causa do prefeito — Hyejin completou. 

— Um dos telefones repete em outro ano apenas uma vez, no mesmo período com outra vítima, mas é nossa primeira pista. — Wheein disse anotando o número no quadro. — Além das inúmeras mensagens de um número que só acontecem perto do halloween. Acho que realmente possa ter alguma ligação. 

— Já tentaram entrar em contato com os números? — Solar sentou na mesa lendo as folhas entregues por Hyejin.  

— Sim, cada número possui um CPF diferente, nenhum está no banco de dados. Listamos todos os CPFs dos números incomuns que ligaram para as vítimas, três meses antes. Menos da primeira que a operadora manteve os dados apenas de 5 anos — Hwasa a entregou a outra lista — e então só tem ligações do dia 29 e do dia 30. 

— Todos os números estão cancelados — Wheein disse. — O mandado deve sair hoje à tarde, devemos ter os dados em mãos daqui a três dias. 

— Vai ser muito perto do dia precisamos achar mais provas e acelerar as coisas. — Solar voltou sua atenção para a pilha de informações à sua frente tentando ligar os fatos. 

  

  

  

  

  

  

  

~~~~~~~~~~>>>>♦<<<<~~~~~~~~~~  

  

  

  

  

  

  

A manhã do dia 29 já clareava, iluminando a sala onde as investigadoras trabalhavam sem descanso. Três dias sem dormir, mesmo assim o tempo passou rápido demais, nenhuma prova nova, era quase o crime perfeito. Mesmo com 2 corpos encontrados nada levava ao suspeito. 

Não haviam nem suspeitos. 

 
 

— Meninas já estamos a muito tempo sem descansar. — Solar disse tomando o resto do café já gelado. — As mensagens saem amanhã cedo. Vamos ter que planejar tudo amanhã. Hoje vocês estão dispensadas. Voltamos amanhã às 6, ok?  

— Precisamos mesmo descansar. — Hyejin tirou o notebook do colo e colocou sobre a mesa. 

— Vocês podem aproveitar as festas de hoje. Porque os próximos três dias serão pesados. — Solar se esticou na cadeira.  

— Você vai sair unnie? — Wheein perguntou.  

— Me convidaram pra uma festa, se eu tiver inteira até lá talvez eu vá. 

— Quem te convidou? É bonito? — Wheein perguntou com um tom de interesse. 

— Wheein ainda estamos em serviço — Disse em um tom brincalhão. —, mas ela é muito bonita.  

— É uma garota, não acredito. — Hyejin abriu a boca em descrença sendo acompanhada por Wheein. 

 
 
 

Solar chegou em casa depois que o sol acabou de nascer, como de costume nos últimos dias se jogou na cama e apagou.  

  

  

  

  

  

  

  

~~~~~~~~~~>>>>♦<<<<~~~~~~~~~~  

  

  

  

  

  

 
 Moon Byul’s pov:


  

A decoração para começar a festa de halloween já estava quase pronta, eu ajustava os últimos detalhes no terreiro da casa que era da minha avó. Ela me fez jurar continuar com suas comemorações, antes de morrer.  

A comemoração do Samhain passou por várias gerações. Eu sentia sua falta, ela morreu na virada do dia 28 há 5 anos. Nessa região da coreia haviam mais 8 bruxas, antigas amigas da minha avó que vinham para cá comemorar a data. Eram 4 dias de rituais comemorativos. 

Coloquei a última abóbora lanterna e observei toda a decoração, estava mais assustadora que nunca, perfeito. Uma trilha de abóboras com velas, era a única iluminação, até a entrada, acima da porta uma placa com letra em vermelho sangue com a tinta escorrida, dizendo “Seja bem-vindo Samhain“, e em cada lado duas tochas iluminando a placa. 

A casa era iluminada por velas e algumas tochas, alguns símbolos espalhados, no centro da sala um pentagrama sobre o tapete, alguns círculos com meia lua dourados, triângulos...  

Mandei uma quinta mensagem para Solar, tentando a convencer de ir. Até agora sem resposta. Me arrumei para a festa e as pessoas foram chegando aos poucos. 

Já estávamos todos reunidos na sala, era uma comemoração para poucas pessoas eu pude ouvir a campainha tocar, levantei e fui atender. 

Era a única peça que faltava para a noite, Solar estava perfeita os cabelos rosas ondulados estavam soltos, o batom vermelho provocante me deixou atordoada, uma blusa social branca mostrando levemente sua clavícula e uma saia preta no meio das coxas. 

— Acho que alguém esqueceu a fantasia. — Disse sorrindo. 

— Desculpa, decidir vir em cima da hora. E eu não sou a única — Ela passou por mim entrando na casa. 

— Essa festa é um pouco diferente, o anfitrião não usa máscaras. — Fechei a porta e roubei um selinho a deixando sem jeito. — Vamos as meninas estão contando histórias de terror. A puxei pela mão e sentamos no sofá.  

A senhora Ahn contava a lenda do Samhain, aquela voz rouca e tremula pelos anos já vividos deixava um clima tenso no ar.  

— Na véspera do dia 31 de novembro, o véu que separa o mundo espiritual do nosso mundo se desmancha, assim antigas criaturas mágicas podem entrar no nosso mundo a procura de humanos para viverem fora do mundo dos mortos. — Solar segurou minha mão enquanto tomava um pouco de ponche.   

— Nossos ancestrais estão agradecidos. A séculos nos escondemos atrás de máscaras fugindo desses seres, mas honramos o Deus do verão e há cinco anos finalmente o libertamos. 

Chego no ouvido de Solar falando baixo.  

— Vamos lá em cima. — Ela concorda com a cabeça e subimos enquanto Ahn ainda contava a lenda.  

— Em breve, seremos agraciados novamente com sua presença na ter...  

 

Fechei a porta do quarto olhando para Solar.  

— Ficou assustada? 

— Não, só pensativa, ando ouvindo muitas histórias de halloween esse ano — Solar se sentou na cama.  

— E o que anda achando delas. — Perguntei me deitando ao seu lado.  

— Baboseiras, não consigo acreditar em coisas sem fundamentos científicos — respondeu e eu a puxei para se deitar comigo.  

— E que tipo de fundamento uma lenda tão antiga teria que ter pra você acreditar nela?  

— Eu não sei. — Solar respirou fundo me encarando.  

Sem pensar muito eu a beijei. Coloquei a mão na coxa dela apertando e a puxando para cima de mim. Um arrepio subiu pelos meus braços quando ela levou as duas mãos para o meu rosto, minhas mãos deslizaram das suas coxas até a bunda, por baixo da saia, que apertei com força. 

Ela parou o beijo me encarando séria, passou os cabelos por trás da orelha deslizando a mão próximo ao pescoço e apoiando ao lado do meu ombro. Meus olhos viajaram nos seus seios ela umedeceu os lábios.  

— Não vai tirar a mão daí, não? — Em um impulso levei a mão para suas costas de novo o que a fez sorrir.  

Solar mordeu meu lábio e voltou a me beijar. Minha respiração já estava intensa e fazia ela se mover no mesmo ritmo em cima de mim. Apertei forte a cintura e ela pegou minha mão levando até onde eu queria, aqueles seios macios que se encaixavam perfeitamente entre meus dedos. Feita pra mim. 

O celular dela começou a tocar e ela foi ver o que era.  

— Desculpa Byul, tenho que ir. Amanhã tenho que trabalhar cedo. — Pude ver que ela lia algumas mensagens no kakao, parecia um pouco aflita. 

— Fica só mais um pouco. — Me levantei indo até ela e segurando sua mão. 

— Realmente eu não posso. — Ela disse e eu respirei fundo. 

— Vamos só tomar mais um ponche então? — Fiz uma cara triste. 

— Tudo bem, mas tem que ser rápido. — Concordei com a cabeça e descemos para a cozinha.




 

 


Notas Finais


Sweet but psycho sz-sz

teee~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...