1. Spirit Fanfics >
  2. Animais (Country humans) >
  3. Corda

História Animais (Country humans) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


⚠️ATENÇÃO⚠️: O capítulo de hoje tá um tanto quanto pesado (se bem que todos os capítulos estão com esse clima pesado devido a depressão do América, e as várias tentativas de suicídi0. Mas prometo que vai melhorar, agora.. Boa leitura ;)

Capítulo 6 - Corda


Era noite, e América andava segurando uma corda que havia comprado em uma loja qualquer, ele andava pela rua, enquanto olhava para as árvores, havia chegado ali andando mesmo, ou seja, estava mais exausto que antes.. Rússia o seguia de carro, tentando ser discreto, mas óbvio que América notou o carro lentamente o seguindo, mas não ligou muito pra isso, estava cansado demais para ficar com medo se iria ser assaltado ou não. Rússia seguia América com motivos, queria tentar conversar com o garoto, para no fim transar com ele, só queria isso, mas começou a ter outros motivos também.. Digamos que andar em uma rua sozinho de noite segurando uma corda não é normal, e isso fez Rússia ficar curioso, e ficou mais curioso quando o garoto correu para a floresta ao lado, não era uma floresta grande provavelmente, apenas era uma floresta normal como todas.

Parou o carro na rua, e em seguida saiu, correndo atrás do norte americano, mas infelizmente perdeu o garoto de vista, então só continuou andando normalmente, a procura do garoto.

.

.

.

Não passou cinco minutos, e Rússia ouviu um choro, e seguiu o barulho atordoado, achando o América quase se pendurando em uma árvore, no caso ele estava em cima de um galho, e tinha uma c0rda em seu pesc0ço ligando com o galho, aquilo deu gatilho pro russo, que ficou chocado talvez, correu em direção ao América e o segurou, estava tirando a corda do pescoço do mesmo. América chorava enquanto abraçava o Rússia, chorava molhando a camiseta do mesmo. Em seguida Rússia abraçou América também, estava chorando.. Não sabia direito do porquê, nem se preocupava tanto com o norte americano, talvez porque entendia o América, e que quando viu de verdade o que o mesmo passava.. Deu lembranças de si mesmo. Beijou a cabeça do América, tentando acalma-lo, já América nem falava mais nada, nem Rússia, estavam apenas se abraçando e chorando juntos.

-Shh.. Vamos, vou te levar para o meu carro. -Disse Rússia, beijando América na bochecha, e levando o mesmo para o carro.

As asas do América estavam entristecidas, tipo.. Estavam moles e arrastavam no chão, como se tivessem sido quebradas, mas estava tudo bem, só América que estava triste..Chegando no carro, deixou América deitado no banco de trás, queria que o mesmo ficasse o máximo possível confortável naquele momento. América se aconchegou, e na mesma hora dormiu, como eu disse antes, ele estava exausto, precisava descansar mais do que tudo.

Rússia voltou a dirigir, pensou se levasse América para sua casa ou a dele, de qualquer forma, se ele levasse América para sua casa não iria fazer nada com ele, então não viu problemas de leva-lo para sua casa.

.

.

.

.

América acordou como um dia já foi acordado, e nisso eu digo que tinha uma lareira acesa, e estava coberto com um cobertor que Rússia havia lhe dado. Óbvio que não tinha boas lembranças daquele lugar, já que Rússia conseguiu pegar seus nudes e China ajudou a se espalhar pela internet. Relaxou a cabeça no sofá macio, ainda estava cansado, e pensava que nada podia piorar do que sua vida, se Rússia pegasse mais nudes dele, não iria fazer diferença, já tava tudo espalhado mesmo.

-Tudo bem? -Perguntou Rússia.

-O que você acha? -Perguntou/respondeu América.

-Parece levemente abatido. -Respondeu Rússia.

-Por que me salvou?! Seu maldito! Não basta só destruir a minha reputação que já não era muito boa, e agora quer que eu seja torturado com tudo isso acontecendo?!

-Denada. -Disse Rússia de um jeito sarcástico, e se sentando ao lado do norte americano.

-Afinal.. O que quer de mim? Já conseguiu meus nudes, o que quer mais? -Perguntou América, era perceptível ver a raiva nos olhos do garoto.

-Humm.. Pre ser honesto, queria tirar sua virgindade, mas.. Não, não é muito adequado fazer sexo na sua situação. -Respondeu Rússia. -Tá com fome? -América não o respondeu, estava com ódio do russo por ter espalhado seus nudes, e ao mesmo tempo envergonhado, pelo mesmo querer tirar sua virgindade, e também se perguntava de como Rússia também sabia que ele era virgem. -Bom, irei fazer um lanche para você comer.

Pov Rússia

Eu não sei direito o que tô fazendo, só.. Me dói vê-lo assim, quer dizer, ele matou meu pai e afins, mas sei lá.. Eu meio que o entendo..

.

.

.

Preparei um lanche para ele, um sanduíche completo, eu sei que parece meio besteira, mas quem sabe hoje rola? Mas não quero ser visto como um aproveitador..

Cheguei na sala, e ele tava dormindo, me aproximei e deixei a bandeja na mesa de madeira escura, em seguida sacudi América, colocando as minhas mãos em sua cintura e o balançando. Ele acordou, sua camisa estava virada pra cima fazendo sua barriga listrada aparecer, parecia um doce essas listras.. Enfim, ele logo emburrou a cara quando notou a minha presença.

-Seu lanche. -Falei pegando a bandeja da mesa, e colocando em seu colo.

-Não tô com fome.. -Ele disse virando o rosto pra mim.

-Bem, eu sei que esta. -Falei me sentando ao lado dele.

-Eu, não, tô, com, fome! -Ele disse jogando a bandeja no chão... 

Pov USA

Eu juro que fiz no impulso, não queria derrubar de verdade, de qualquer forma eu não ligo.. Rússia abaixou a cabeça, parecia bravo, até que ele se levanta e agarra meus pulsos, apertando eles fortemente, me machucando..

-Para! -Falei, mas ele continuou.

-Escute aqui sua puta, eu não ligo pra você, quer se [email protected]? Beleza, se [email protected] então, toma essa escolha permanente, destruía sua vida inútil! E que saber? Morra de fome. -Disse Rússia me soltando..

Pov Rússia

Merda.. Ele começou a chorar, por que eu sou tão rude? Tanto faz.. Ele mereceu, eu fiz até um lanche pra ele, e ele jogou tudo no chão, não preciso me preocupar com ele.

Saí da sala, e fui pro meu quarto dormir, não vou ficar aturando o América só por causa que ele quase fez uma besteira, eu só queria sexo, eu só queria relaxar fazendo isso com ele, mas tem que ser com sua vontade, não sou um escroto, pelo menos não tanto assim..

.

.

.

.

Eu já tinha acordado, no caso mal do dormi, então comecei a mexer no meu celular, o estranho é que não escutava nenhum barulho do América, e eu nem sabia se ele saiu da minha casa ou se ele ainda estava em minha casa, por mim tanto faz, desde que ele não coloque fogo na minha casa, tudo bem.

Me levantei pois me deu sede, então eu fui na cozinha beber água.. América não tava na sala, e a bandeja junto com os restos do lanche não estava mais lá, estáva tudo limpo, acredito que América limpou por peso na consciência, então pensei que ele já tinha ido embora também, mas quando fui para a cozinha, eu o encontrei lá, "brincando" com o isqueiro.

-Ei! Solta isso agora! -Falei arrancando o isqueiro de suas mãos. -Por que ainda não foi pra casa?!

-Não posso ir.. Meu irmão vai brigar comigo por ter chegado tarde demais. -Respondeu América.

Suspirei, e peguei um copo, e fui até o bebedouro, misturando a água gelada com a morna. Fiquei bebendo a água observando o América, ele ficou desconfortável, não sei do porquê mas parecia desconfortável, provavelmente porque briguei com ele, ou será que é porque tô sem camisa? Não, será que América é um pervertido? Ele tem cara de ser santo. Dei uma pausa para falar com ele.

-Quer dormir comigo? -Perguntei, e ele me olhou com aqueles olhos de como estivesse pensando que eu faria algo com ele. -Não se preocupe, não iremos transar, a menos que você queira.

-E-eu não quero.. transar.. -Ele disse, ficando vermelho, então me aproximei, o deixando contra a parede, no caso ele já estava encostado na parede mesmo então..

-Certeza~? -Perguntei, sussurando em seu ouvido, e ele apenas encostou sua cabeça ofegante no meu peitoral, mas depois me empurrou de leve, mas continuei o deixando contra parede.

-A-acha que é fácil?! Você me machucou, e eu não vou me esquecer em meia hora... -Disse América chorando, então eu engoli seco e dei dois passos pra trás.

-E você fala como se o que eu havia dito era muito.. Você é um monstro América, é um assassino, e ainda fez aquele negócio de derrubar o lanche que eu fiz pra você no chão!

-Você acha, que eu queria mata-lo?! Eu não queria! E-eu juro que eu não queria! Foi uma tortura por anos quando ele morreu! E-eu.. Eu preferia ter morrido no lugar dele...

-E eu preferia que tivesse morrido no lugar dele.. -Falei, e América chorou mais.

-Eu sei.. -Ele disse sorrindo enquanto chorava, então logo ele abriu uma gaveta, e tirou uma faca grande, e eu sabendo o que ele pretendia fazer, corri até ele, e arranquei a faca de sua mão.

-Shhh, shh.. Calma, eu não disse que queria você morto agora.. -Falei pensando em uma coisa melhor para acalma-lo.

-V-você disse sim! Você disse a mais de meia hora atrás, e deseja isso! -Disse ele chorando.

-Eu só.. Tô com raiva.. Não quero de verdade. -Falei ainda o segurando, para ele não fazer nenhuma merda.

-Você só quer fazer sexo comigo.. Depois irá me deixar que nem China. -Disse América, falando umas das minhas intenções.

-Shh.. Respira fundo, olha pra mim América. -Falei, mas ele se debateu e continuou chorando. -Olha pra mim!

-Eu sou um inútil! -Ele disse parando de se debater, para me abraçar.

-Hm.. -Comecei a fazer carinho na sua cabeça, para ver se ele se acalmava. -Não és um inútil, apenas não gosto de você..

Peguei ele no colo, e o deixei em cima da mesa, percebi que ele tava coçando a sua palma da mão, então peguei sua mão, e vi uma queimadura. Logo ele puxou a sua mão de volta, me olhando com os olhos cheio de lágrimas. E lá vamos nós de novo, fui em um armário, e peguei esparadrapo, mas então América saí de cima da mesa, e corre para o outro lado da cozinha.

-Eu quero te ajudar, só isso. -Falei me aproximando, e pegando sua mão de volta.

.

.

.

.

.

América tava tomando um banho, e eu tava assistindo TV na sala. No final ficamos discutindo e eu fiquei cuidando dele como se ele fosse um bb que não tivesse maturidade para se cuidar.

Ouvi a campainha da minha casa tocar, então novamente me levanto, eu estava cansado, era umas 2 da manhã, e eu tô cuidando do América, sem esperanças de receber algo em troca. Quando abro a porta, algo meio peludo me derruba no chão, era Canadá, e com certeza não estava feliz.

-Cadê o América?! Eu sei que ele tá aqui! -Disse Canadá, mas logo USA saí do banheiro de toalha.

-C-Canadá?! -Perguntou América, dando passos para trás.

-Eu sabia! -E assim Canadá se levanta de cima de mim, e puxa América pelo braço.

-Canadá espera!

-Da próxima vez que eu te encontrar ou descobrir que América tava por aqui, ou se você fizer algo com ele, anote minhas palavras, eu te mato Rússia! -E assim ele saiu, levando América consigo.

.

.

.

.

Pov Narradora

América estava no carro de um táxi, de cara emburrada, Canadá também estava com raiva, queria saber do porquê América estar na casa de Rússia, pois Rússia meio que é um cara perigoso, principalmente depois que ele espalhou os nudes do USA pelo mundo. Estavam chegando em casa, e sabia que sua mãe e seu pai não estariam lá, estavam tendo um jantar romântico ou algo do tipo, já Austrália estava provavelmente dormindo, e Nova Zelândia também, então ninguém naquela casa iria escutar as broncas que o Canadá fazia no irmão.

.

.

.

Estavam na casa, América tava indo pro quarto se trocar, já que Canadá o puxou e nem deu tempo de colocar suas roupas, e Canadá o seguiu, mas América fechou a porta na cara do mesmo.

-América abra essa porta! -Pediu Canadá.

-Estou me vestindo! -Gritou USA de volta, fazendo Canadá o esperar na porta.

América colocou um pijama aleatório do seu guarda roupas, e em seguida abriu a porta, deixando o Canadá entrar, e começar as broncas.

-O que diabos estava fazendo na casa de Rússia?! -Perguntou Canadá.

-Não sei, eu só me lembro que bebi denovo, e acordei lá. -Respondeu América, mentindo.

-Você tem noção, do que Rússia poderia fazer com você bêbado?! -Perguntou Canadá. -E o efeito já passou tão rápido assim?

-Ehh, pelo visto sim. -Respondeu América.

-Certo.. Pelo visto eu tenho que ficar de olho em você toda hora. -Disse Canadá.

-Canadá, eu não sou uma criança para você ficar bancando a minha babá. -Disse América sendo rude.

-Mas age como uma. -Disse Canadá -Eu fiquei a noite toda te procurando, e no final você estava a onde eu menos esperava. -Agora Canadá fazia cafuné na cabeça do USA. -Não fez nenhuma besteira não é?

-Não. -América disse mentindo mais uma vez, sabia que se contasse que tentou fazer aquilo denovo, Canadá iria surtar.

-E o que é isso na sua mão? -Perguntou Canadá, pegando a mão do USA.

-Me queimei.. -Respondeu América.

-C-com o que?! -Perguntou Canadá, já ficando nervoso.

-Cozinhei algo na casa de Rússia. -Mentiu América novamente, pois a verdade era que tinha se queimado brincando com aquele isqueiro.

-Aquele filho da puta te forçou a cozinhar?!

-Não Canadá! Poxa, você nunca me entende.. -Disse América se deitando na cama. -Eu cozinhei por conta própria.

-Ah.. -Canadá se deitou ao lado do irmão. -Você.. Sabe que eu te amo, não sabe?

-Você me diz isso todos os dias.. -Disse América se virando pro irmão. -Mas o que era aquele lance de dividir?

-Você ainda tá com isso na sua cabeça? Eu já disse que eu não sabia do que China estava falando.

-Ficou nervoso, por isso desconfio.

-Confia em mim. -Disse Canadá dando um celinho nos lábios do norte americano.

-Estou curioso.. Mas ta bom Bro. -Disse América abraçando o Canadá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...