História Animals - LuBaek - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Xiumin
Tags Baekhan, Baekhyun, Exo, Imaginação, Lubaek, Luhan, Oneshot
Visualizações 19
Palavras 1.392
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu já tinha esse plot fazem uns meses, mas tinha esquecido dele.. então resolvi fazer esse amorzinho para vocês.

{Desculpem os erros}

Capítulo 1 - Capítulo Único : E se o tamanduá..


Sempre que saio de casa, eu fico observando as pessoas.

Gosto de imaginá-las como animais. Dos mais diversos possíveis.

A garota em minha frente é uma gazela de pernas longas e finas. Muito bonita.

O homem ali na frente é um urso, grande e assustador.

Meu irmão é um gatinho, pequeno e fofo porém chato.

E eu sou.. uma formiguinha irrelevante.

Não que eu considere as formigas inúteis, mas ninguém se importa com elas e matam-as quando se aproximam. Por isso eu costumo ficar em casa, onde estou seguro e protegido de todos os outros animaizinhos.

Imagina se algum tamanduá se aproxima de mim? Não quero pensar oque aconteceria.

— Hannie, Mamãe mandou te entregar — Meu irmão, MinSeok, disse, me estendendo um pratinho com pedacinhos de melancia e voltando para seu lugar.

A fruta é tão saborosa que me faz ter água na boca apenas de ver aquela poupa vermelha e aguada. Posso dizer Até que é minha fruta predileta. Seu suco geladinho desce, refrescando minha garganta.

— Boa noite, amigos — Um moço alto fala. Ele parece uma girafa de tão alto. Talvez eu esteja exagerando um pouquinho — Vamos iniciar nossa festa com um joguinho.

As pessoas se reuniram com seus grupos familiares a começaram, a marcar o bingo, enquanto eu marcava o meu sozinho. Sei que não vou ganhar, não sou sortudo com essas coisas.

— 13A — A girafa disse no microfone e minha mãe deu um grito — Bingo?

— Aniyo — Mamãe é como um cachorrinho filhote. Sempre animada com qualquer bobagem — Marquei um.

O moço-girafa riu alto e disse — Esse é o espírito, Senhora Xiao!

Seguiram o jogo por mais meia hora. Sempre com minha mãe berrando algo em animação. Eu não marquei nem metade dos números e, sem ofensas, nem me importava. Não estava querendo ganhar aquele kit de beleza.

— 06C

— BINGO! — Duas pessoas gritaram ao mesmo tempo. ZiTao, um conhecido do Gatinho, e Sehun, um conhecido meu.

Nunca tive oportunidade de conversar com nenhum deles. Também não queria. Acho que morreria de vergonha por conversar com qualquer um.

Coloquei mais um pedacinho de melancia em minha língua, saboreando cada detalhe e vendo todos resmungando por não ter ganhado.

Eu não desejava estar nessa festa familiar de igreja. Não era meu plano para essa sexta-feira à noite. Bom.. eu não tinha planos melhores do que passar até altas horas da madrugada lendo dramas e chorando pelos casais enquanto pensava que tipo de animais seriam, então não posso reclamar tanto.

Porém não gosto de estar aqui. Já disse antes: e se um tamanduá se aproximar?

Também não gosto dessas festas de igreja. São tão sem-graça. Eu não gosto de festas de adolescentes, mas pelo menos elas são mais animadas do que essas.

Arrumei minha postura naquele duro banco de madeira. Não é nada confortável, mas não tem outra opção. Ajeito meu suspensório que estava se dobrando e minha camisa que insistia em amassar.

— Vamos lá pessoal! — 'Girafinha' soou no microfone, tomando minha atenção — Dança em pares — Cantarolou a última parte, me fazendo rir.

As pessoas começaram a pegar seus acompanhantes. Pares mistos ou não, aquilo era uma diversão bonita.

Uma menininha de nariz empinadinho passou em minha frente, ela definitivamente era uma coelhinha. A garota que a acompanha tem fios louros e armados, como um leãozinho. Fofas.

— Vamos lá! Vamos lá! — Ele continuou repetindo — Ei! — Me encarou e sorriu — Você, moço bonito, não vem dançar?

Neguei com um aceno e todos começaram a dançar.

Um garoto baixo passou por mim com uma garota. Devo admitir que ele é realmente bonito. Seu cabelo em uma mistura de castanho e vinho e sua camisa azul claro.

Não sei o porquê, mas simplesmente não consigo imaginar que animal ele seria. É difícil. Ele parece ser perfeito demais para que minha cabeça funcione corretamente.

Devo estar meio louco, mas não consegui largar isso. Nunca estive em uma situação assim. Sempre sei qual animal cada um é.

Eles começaram a dançar e rir. Minha mãe também foi dançar junto do MinSeok e honestamente.. eles são muito melhores do que eu. Pareciam estar se divertindo tanto que eu até pensei em ir também, mas ninguém dançaria comigo.

A música acabou e todos voltaram suados. Um pouco nojento.

Não vi mais o garoto-sem-animal após o fim da dança. Ele desapareceu e deixou minha mente martelando nisso.

Passei as mãos novamente na minha camisa para desamassar-la e olhei ao redor, procurando alguma outra pessoa para analisar.

Um garoto baixinho estava sentado próximo daquele garoto alto. Ele tinha olhos grandes e estava emburrado. Acho que ele não queria estar aqui também. Concluí isso quando ele deu um tapa no garoto que eu descobri se chamar Chanyeol - descobri nesse mesmo momento quando ele berrou seu nome.

Esse menino parece com uma corujinha. Fofo. Gostaria de abraçar ele e acariciar seu cabelo, mas provavelmente ele me bicaria. Corujas são um pouco violentas quando não-domesticadas.

Será que formigas e corujas se dão bem? Vou pesquisar mais tarde. Mas acho que ele não se daria tão bem com o gatinho.

— Aceita? — Uma xícara apareceu em minha frente, me assustando.

O garoto-sem-animal segurava uma bandeja com mais uma xícara e a outra estendida para mim. Pelo cheiro da bebida.. chocolate quente!

— Obrigado.. — Esperei que ele saísse quando peguei a bebida, mas não. Ele sentou-se ao meu lado.

Me assusta pensar que ele quer conversar comigo, mas acho pouco provável que ele seja um tamanduá.

Meus fios caíram sobre meus olhos. Talvez eu tenha os derrubado de propósito para não ter que encarar aquele garoto.

— Qual o seu nome?

— Hm?

A voz era doce. Algo gentil e suave. Mas seu estilo de bad-boy me faz questionar qual sua verdadeira personalidade. Bom.. não julgue um livro pela capa.

— Seu nome

— Luhan

A palavra mal saiu. Eu sou como as formigas assustadas quando um humano se aproxima, apenas querem correr para o formigueiro e se esconder.

— Byun Baekhyun — Me mostrou Seu sorriso bonito e um cumprimento — Quantos anos?

Pela a forma que ele falava, a única coisa que pensei foi: "estou só esperando ele me chamar de broto e me levar para andar em sua motocicleta". Talvez eu viva um pouco preso nessa idéia engraçada de chegar em alguém.

Mas qual é! Minha mãe sempre falou assim!

Eu poderia dizer que esse Baekhyun é um pitelzinho, mas seria tão antiquado.

— Dezenove

— Tenho Dezessete. Aish.. queria ser mais velho!

Levei a xícara quente até meus lábios, sentindo queimar. Tão diferente da minha melancia docinha de antes, entretanto não sendo ruim, apenas doce demais.

— Gostou do Chocolate?

Sei muito bem que eu não estou facilitando para o menino, peço desculpas em minha mente por conta disso, mas não sei como dialogar bem com ele. Tanto por meu sotaque ser estranho, Tanto por não tirar da cabeça que animal ele é.

— Sim.. apenas muito doce.

— Acho que exagerei no açúcar.. desculpe.

Ele estava tão fofo com seu olhar culpado. Talvez seja um felino também? Nã.

Algum roedor? Talvez.

— O que? — Ele disse.

Só então notei que meu último pensamento havia saído em voz alta. Como não percebi antes?

Você.. seria que animal?

Perguntar poderia ser a melhor opção.

Quem eu quero enganar? Claro que não. É estranho você ter um pensamento como esse meu de pessoas-animais. Foi idiotice perguntar, mas já havia dito, não poderia mudar o feito.

— Posso ser o que você quiser, Gracinha.

— Que coisa mais fajuta.. brega — Resmunguei.

Eu quis rir de sua tentativa de cantada. Que coisa mais boba. Já ouvi melhores.

— Não posso perder as oportunidades — Ele riu.

Sua risada é bonita.

— Devia aproveitá-las melhor.

Voltei a tomar meu chocolate lentamente com seu olhar fixo em mim. Já iria reclamar quando ele se pronunciou:

— Que tal me conhecer melhor? Assim saberá que animal sou.

— Essa foi a pior forma de chamar para um encontro.

— Isso foi um 'sim'?

Ri, tomando o final do líquido.

— Pelo visto temos mais um casal! — Chanyeol soou pelo espaço, fazendo a atenção de todos se voltar para Baekhyun e Eu.

— ISSO AE, FILHOTE! — Mamãe berrou, mostrando 'legais' com os dedos.


Preferia ter encontrado um tamanduá.


Notas Finais


Essa história é bem bobinha.
Foi apenas baseada em algumas coisas que aconteceram em uma festinha que fui.

Obrigada por terem lido ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...